Jogamos

Análise: Monster Rancher 1 & 2 DX (Multi) traz de volta o charme de um mundo distante

Os clássicos simuladores de criação de monstrinhos retornam em um pacote completo.

Se você assistiu aos desenhos animados do início da década de 2000, é bem provável que se lembre do boom de animes de monstrinhos. Pokémon, Digimon e até obras que apelavam para o conceito de várias criaturas, mas com temáticas específicas, como Medabots, atraíam bastante a atenção da criançada. Uma dessas animações era Monster Rancher, que já contava com dois jogos para PlayStation na época.

Comemorando os 25 anos da franquia, a Koei Tecmo lançou recentemente uma coletânea com os dois primeiros jogos da série. Intitulado Monster Rancher 1 & 2 DX, o conjunto completo agora permite reviver os simuladores clássicos de criação de monstrinhos no PC, Switch e iOS.

A lei dos monstros

Monster Rancher funciona como um simulador em que o jogador tem a chance de cuidar de uma criatura em uma área rural. Seu objetivo é criar um monstro muito poderoso capaz de vencer todas as competições locais. Para isso, é possível escolher entre várias modalidades de treinamento.

Os monstrinhos possuem seis atributos: Life, Power, Intelligence, Skill, Speed e Defense. A ideia é que cada um deles impacta o gameplay de formas diferentes, sendo cada monstro naturalmente mais habilidoso em um deles. No entanto, é o jogador que controla como eles desenvolverão a sua build, organizando as atividades que as criaturas poderão realizar com treinamentos, torneios e outros eventos.

Alguns treinamentos são leves, cansando menos a criatura e aumentando pouco um dos atributos; já os mais puxados aumentam dois deles, mas diminuem outro e deixam a criatura mais fatigada. É importante equilibrar as escolhas e fazer com que o monstrinho descanse quando necessário.

É possível também pagar para um treinamento intensivo que consome quatro semanas. Além do impacto no tempo e do custo, enviar um bicho já cansado provavelmente vai deixá-lo incapacitado ao voltar, sendo necessário pagar um hospital. Vale destacar que nem todos os programas de treinamento pago estão disponíveis no início, sendo liberadas novas opções conforme a criatura ganha ranking nos torneios.

Dependendo de como o jogador escolhe cuidar da criatura, é possível ser considerado mais relaxado ou mais exigente. Ao optar por tratá-lo de forma mais gentil no ritmo de treinamentos, o monstro terá mais tempo de vida, mas terá mais propensão a falhar. Ao agir como um carrasco, ele viverá menos, porém terá menos erros.

Enfrentando torneios e ganhando dinheiro

Batalha no Monster Rancher

Em determinados dias, o jogador terá a chance de colocar o monstrinho para brigar com outros em torneios. Idealmente, é melhor gastar um bom tempo treinando primeiro. Os torneios são classificados em ranks que indicam também o nível de força dos adversários. No primeiro Monster Rancher, só é possível participar de um torneio no mesmo rank do monstrinho que está sendo treinado, mas no segundo jogo há a possibilidade de pular ranks caso o jogador se sinta confiante de sua força.

Os torneios são formas de obter dinheiro, liberar novas possibilidades de monstrinhos (como um Dragão) e avançar para o próximo rank no caso das grandes seletivas. Vale destacar que o primeiro jogo permite obter dinheiro na própria fazenda com os treinamentos, mas isso não acontece no segundo. Apesar de ter uma reserva inicial de dinheiro, em Monster Rancher 2 é mais interessante tentar participar de torneios o mais rápido possível.

Batalha no Monster Rancher 2
Outra vantagem dos torneios é obter fama participando daqueles que são de mesmo rank que o do seu bicho. Ir para uma competição mais fraca implica em reduzir a sua popularidade. Com mais fama, golpes críticos se tornam mais comuns e o jogador recebe cartinhas de fãs.

Durante as batalhas, é possível deixar os monstros atacarem por conta própria ou enviar comandos diretamente. Dependendo do posicionamento, golpes diferentes podem ser executados, sendo necessário avançar ou voltar de acordo com o que for mais conveniente para o seu bicho. Ficar muito afastado pode ser melhor para usuários de magia, por exemplo.

A precisão dos golpes depende da habilidade do atacante e da velocidade do defensor. Ao final, quem tiver maior proporção do HP máximo ganha, sendo possível também derrubar um oponente. Em Monster Rancher, os torneios seguem o formato Round-Robin, ou seja, todos disputam contra todos e ganha quem tiver vencido mais, sendo possível uma batalha de desempate ao final. Já no segundo jogo, há também competições eliminatórias, em que basta uma derrota para sair.

Um detalhe que pode pesar é a lealdade do bicho. Conforme o tempo passa e o treinamento é bem-sucedido, o monstrinho se tornará mais leal. Caso esse fator ainda seja muito baixo, o monstro pode ficar confuso, perdendo acesso aos golpes temporariamente.

É importante também tomar cuidado para não ir às batalhas quando os bichos estão muito fatigados. Nessa situação, eles estão mais propensos a morrer após serem nocauteados. A morte também acontece por causas naturais após um certo tempo. O jogo avisa claramente quando o tempo do bicho se aproxima, sendo possível congelá-lo antes da morte.

O congelamento pode ser feito a qualquer momento, mas nesse ponto permite mantê-lo vivo indefinidamente. A criatura em estado congelado pode ser usada para se fundir com outra, dando origem a um novo monstro potencialmente mais poderoso.

Com mais fama e habilidade, o jogador também libera eventos chamados expedições. Ir para essas áreas pode render itens raros, além de ser uma forma interessante de conhecer mais sobre as áreas do mundo ao redor. Nesses trechos, você pode controlar a direção da criatura, que explora um local com um tempo limitado. Um potencial problema desses eventos é que o bicho pode ficar perdido, especialmente se sua inteligência for baixa. Pode ser necessário esperar semanas para encontrá-lo, além de ter que pagar caso as buscas demorem muito.

Um relançamento de simuladores complexos

De modo geral, tanto Monster Rancher quanto Monster Rancher 2 são jogos de alta qualidade quando se trata de simuladores de criação de monstrinhos. Cada um deles opta por balanceamentos um pouco diferentes, fazendo com que algumas pequenas revisões mecânicas tenham impacto no gameplay.

Apesar de outros jogos de criação de monstrinhos terem sido lançados posteriormente, Monster Rancher ainda tem o nível de complexidade esperado do gênero. É importante planejar suas ações com cautela para chegar ao topo, e é bastante provável que você precise de várias iterações de monstros para poder cumprir seu objetivo.

Quando um monstro morre ou após congelá-lo, o jogador pode criar um novo. Nas versões originais, era possível usar CDs, mas o relançamento opta por um banco de dados com uma listagem de discos que podiam ser usados.

Dependendo da escolha do jogador, um monstrinho diferente pode ser feito de uma forma aparentemente aleatória, já que o resultado não tem relação clara com o conteúdo dos arquivos. Para acessar o disco desejado no banco de dados, é necessário pesquisar um título ou autor. Esse sistema funciona bem, ainda mantendo um pouco da graça de ver o que pode ser obtido a partir de um determinado CD.

Apesar de toda essa complexidade ser um fator que pode ser bem agradável, os detalhes de como as coisas funcionam não são bem explicados internamente. Vale a pena conferir os manuais dos jogos, porque os sistemas têm várias implicações e é importante ter um bom conhecimento para progredir de fato nos torneios.

Outro aspecto que talvez seja o fator que mais complique a recomendação da coletânea é que a obra continua visualmente datada. Todas as texturas, modelos 2D e 3D são antigos, sendo notável os serrilhados, a baixa resolução e até mesmo os distanciamentos entre as letras. O primeiro jogo em particular é sofrível nesse aspecto gráfico, contando até mesmo com alguns artefatos pouco legíveis, como cartas. Já o segundo é notavelmente melhor, mesmo com texturas antiquadas.

A resolução de Monster Rancher 1 & 2 DX segue o formato 4:3 com bordas que também possuem botões clicáveis, tendo em vista que o título também está acessível para Switch e iOS. Porém, vale destacar que a velocidade dos jogos é dobrada por padrão, o que faz a obra ser muito mais palatável. A trilha sonora também foi atualizada, sendo possível usar a original apenas em Monster Rancher 2 se o jogador desejar. De forma geral, o esforço total tem qualidade menor do que a que é esperada de um remaster atual.

Retornando a um mundo distante

Monster Rancher 1 & 2 DX tirou um simulador clássico do congelador, fazendo algumas adições necessárias para o título ser mais adequado para jogadores modernos. Infelizmente, os jogos ainda mostram claramente sua idade, especialmente no aspecto visual. Considerando o seu estilo, a obra vale a pena para os fãs mais dedicados do gênero, mas fora isso, é difícil recomendá-la.

Prós

  • Sistema de treinamento que recompensa o bom planejamento do jogador;
  • A obtenção de monstrinhos por CDs do banco de dados consegue replicar satisfatoriamente a mágica do original;
  • Rodar no dobro da velocidade é realmente essencial para aproveitar o jogo atualmente.

Contras

  • Sistemas complexos mal-explicados;
  • Visualmente datado, especialmente o primeiro jogo.

Monster Rancher 1 & 2 DX — PC/Switch/iOS — Nota: 7.5
Versão utilizada para análise: PC

Revisão: Davi Sousa
Análise produzida com cópia digital cedida pela Koei Tecmo


é formado em Comunicação Social pela UFMG e costumava trabalhar numa equipe de desenvolvimento de jogos. Obcecado por jogos japoneses, é raro que ele não tenha em mãos um videogame portátil, sua principal paixão desde a infância.


Disqus
Facebook
Google