Metal Gear: lutas que marcaram a série - Parte 1

Relembre alguns confrontos que deram personalidade aos jogos da franquia de espionagem furtiva.


Os jogos da série Metal Gear são focados em ação e espionagem, mas Hideo Kojima também trouxe referências clássicas à franquia. Em muitos títulos, principalmente em consoles de gerações mais antigas, enfrentar algum chefe exigia habilidade, porém criar uma estratégia era fundamental.

Observar os pontos fracos e explorar as possibilidades eram a chave para vencer. Geralmente, havia várias maneiras de se derrotar os inimigos, e foi justamente isso que Kojima trouxe para as lutas contra os chefes: a liberdade de desenvolver seu jeito de ganhar a disputa —  dentro das possibilidades do jogo, é claro. Como consequência, temos combates memoráveis que ficaram gravados na memória dos fãs e são dignos de ser relembrados. Fica aqui o aviso: cuidado com spoilers!

Snake vs The Boss

Toda a trama de Metal Gear Solid 3: Snake Eater (PS2) — quem sabe até toda a história principal — é estruturada na relação entre Snake (Big Boss) e a Boss. Durante o jogo, Snake descobre aos poucos informações sobre a deserção de sua antiga mentora, e a narrativa segue até que o embate se torna inevitável.

A luta é muito emocional: enquanto pétalas de flores flutuam no cenário, aluno e mestra se enfrentam travando não só um confronto físico, mas também filosófico sobre o valor de um soldado. É o encerramento da história de uma guerreira que deu tudo de si para o seu país, inclusive sua honra.

A trilha sonora torna a experiência ainda melhor, com uma melancólica melodia de despedida. Alternando entre armas e CQC (Close Quarters Combat), a batalha se desenvolve com um limite de tempo: uma ameaça da Boss para tornar inevitável que apenas um deles saia vivo. Ao final, tudo parece uma última lição da mentora para seu pupilo, uma passagem de bastão com a revelação da verdade e o início da saga para o Big Boss.

Liquid Ocelot vs Solid Snake

Ocelot foi um personagem coringa durante os jogos da série Metal Gear. Em alguns momentos, ele serve de suporte para o desenrolar da trama, e em outros atua como antagonista. No entanto, a realidade é que Ocelot foi uma das peças mais importantes, pois desde que se juntou ao Big Boss esteve por trás de praticamente todo o plano principal. Ele serviu como um guia para os protagonistas e moldou os acontecimentos com maestria, e, assim como a Boss, deu tudo de si pelo que acreditava, mas no caso dele não foi por um país, e sim por uma causa e seu líder.

Durante os eventos de Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty (Multi), Ocelot implanta um braço de Liquid Snake em si mesmo — lembrando que ele perdeu seu braço após um confronto com o ninja ciborgue Gray Fox. Contudo, a personalidade de Liquid assume controle do corpo de Ocelot após o transplante, gerando assim o alter ego Liquid Ocelot. Em Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots (PS3), descobrimos que na verdade isso nunca aconteceu. Ocelot se submeteu a uma lavagem cerebral para incorporar a personalidade de Liquid como parte do plano.

A luta contra Solid Snake nos revela essas informações. O combate é realizado no modo old school, com a boa e velha pancadaria, em um estilo bem parecido com jogos da franquia Tekken. Conforme os golpes vão sendo desferidos, Liquid Ocelot começa aos poucos a regredir sua personalidade, e o ápice do confronto acontece quando Ocelot é liberado de sua lavagem cerebral, enquanto ao fundo o tema principal de MGS3 começa a tocar. Os dois dão tudo de si em uma luta visceral, e na conclusão temos a clássica frase dita pelo personagem em alguns momentos da saga e sua característica pose. 

Snake vs Snipers

Os confrontos contra atiradores de elite se tornaram uma marca registrada ao longo da franquia. As características de cada batalha e o cenário em que acontecem oferecem experiências diferentes, exigindo estratégias elaboradas e atenção para vencer.

Sniper Wolf

Em Metal Gear Solid (Multi), encontramos a Sniper Wolf, membro da FOXHOUND que participou do incidente em Shadow Moses. Sua história é trágica e ligada ao Big Boss, que a resgatou e a treinou para ser uma atiradora de elite. No entanto, após os eventos dos primeiros jogos, que ocasionaram a suposta morte do Big Boss, ela se juntou ao plano de Liquid para ter sua vingança contra o mundo.

O primeiro encontro com a Sniper Wolf acontece quando ela atira na perna da personagem Meryl, visando atrair Snake para um confronto. A verdadeira batalha ocorre após alguns eventos, em uma parte externa da base durante uma nevasca. E assim começa o clássico duelo de snipers, alternando entre encontrar o alvo, acertá-lo e evitar ser atingido.

Ao final do embate, Snake e Sniper Wolf ficam frente a frente e travam um duelo estilo Velho Oeste: quem acertar vence e quem errar morre. Snake então leva a melhor e atinge o pulmão da Sniper Wolf, que ao final de sua vida conta a trágica história de como nasceu e cresceu em campos de batalha. Lobos aparecem e se sentam para ouvir os lamentos de como ela vendeu sua alma para se vingar e que no fim, como uma atiradora de elite que sempre aguarda para abater sua presa, ela não estava esperando para matar e sim que alguém a matasse. Como ela mesma diz para Snake: “Você é um herói. Me liberte”.


The End


O atirador de elite conhecido como The End faz parte da unidade de elite liderada pela Boss, chamada de Unidade Cobra. Esse grupo de soldados foi criado através de experiências para adquirir habilidades sobre-humanas e conseguir a vitória na Segunda Guerra Mundial. The End foi infectado com parasitas modificados que permitiram que ele desenvolvesse habilidades excepcionais como atirador, além de ganhar uma expectativa de vida mais alta, realizar fotossíntese e se camuflar naturalmente.

O combate entre Snake (Big Boss) e The End ocorre na selva e é, na minha humilde opinião, uma das melhores lutas contra chefes de toda a saga. Existe uma condição para vencer: The End não pode pegar o jogador desprevenido pelas costas, pois isso resulta em uma derrota imediata. Além disso, enfrentar o atirador diretamente não é uma boa ideia, pois ele possui um rifle bem poderoso e nem sempre você poderá enxergá-lo; por isso, a melhor estratégia é utilizar seus equipamentos para localizá-lo desprevenido e infligir a maior quantidade de dano antes que ele fuja.

The End segundos antes de levar alguns tiros e chutes.
Utilizando os binóculos com visão térmica e o radar sonoro, você pode seguir suas pegadas ou escutar seus roncos enquanto ele dorme para recarregar suas energias, e obviamente é necessário se aproximar bem lentamente, fazendo o mínimo de barulho possível.

No entanto, quanto mais utilizarmos os equipamentos para encontrá-lo, menos efetivos eles se tornam. O confronto se desenvolve trocando constantemente de um cenário para o outro a cada fuga de The End, até que quando finalmente vencemos, o velho atirador profere suas últimas palavras e descobrimos que ele tinha mais de 100 anos! Todos os membros da Unidade Cobra possuem uma bomba em seu corpo que detona quando o portador morre. E assim termina a saga do lendário atirador de elite que possuía a alcunha de “Father of Sniping”.

Quiet


Durante as missões iniciais de Metal Gear Solid V: The Phantom Pain (Multi), ouvimos boatos sobre um atirador de elite que ataca silenciosamente alguns esquadrões e depois desaparece como um fantasma. Inevitavelmente, seguimos realizando as missões principais, até que em determinado momento somos atacados por alguém utilizando um rifle de longa distância e assim começa o confronto.

Quiet possui uma particularidade que torna o combate mais complicado: após levar um tiro, ela fica invisível e se move em alta velocidade para trocar de posição. Para encontrá-la, é necessário ouvir atentamente a canção que ela sussurra enquanto está esperando o movimento inimigo ou procurar pelo brilho de sua mira telescópica (usar noctocianina também funciona, mas perde um pouco a graça).

Outra complicação é a arena de combate, que permite movimentação livre e vários pontos para se esconder, mas também te deixa vulnerável a ataques por trás, provocando constante tensão quando Quiet se movimenta. Isso porque o dano causado pela atiradora é muito alto: com apenas um tiro, o jogador fica com a vida extremamente baixa, e se levar outro é morte certa. Ao final do confronto, Big Boss precisa decidir se poupa a vida da inimiga ou se a extermina, com Kazuhira Miller sendo extremamente contra a decisão misericordiosa.


O desenvolvimento da história da personagem está ligado ao combate contra The End em MGS3. Após sua morte, um pesquisador conhecido como Code Talker recupera os parasitas que davam habilidades sobrenaturais ao atirador para realizar alguns estudos. Quiet ganhou suas habilidades ao ser infectada por um parasita similar, resultado das pesquisas de Code Talker que depois seriam utilizadas por Skull Face para seus propósitos.

Logo, a personagem é uma excelente atiradora de elite, podendo se camuflar tão bem que parece se tornar invisível, possui regeneração e movimentação sobre-humanas e consegue respirar pela pele, além de ter outras habilidades melhoradas. Quiet é uma inimiga extremamente perigosa, mas uma aliada melhor ainda.

Ainda tem mais!

Como a série Metal Gear possui vários jogos, seria impossível resumir tantos confrontos marcantes em apenas uma matéria, então prepare-se para mais nostalgia e segure a ansiedade para voltar ao universo de espionagem criado por Hideo Kojima. Na segunda parte teremos um embate entre irmãos, um louva-a-deus psíquico psicopata e um pouco sobre um personagem que também é conhecido como Jack the Ripper ou Demônio Branco. See you, stealth cowboy!

Revisão: Davi Sousa


Biólogo que vive em jogatinas há muitos anos, passou por alguns consoles, mas segue por mais tempo na dinastia Playstation. Curte franquias como Metal Gear, Silent Hill e God of War, mas gosta de outros tantos jogos também. Fala de tudo um pouco em @afogadosnodeserto
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google