Jogamos

Análise: Microsoft Flight Simulator (XSX) é um simulador realista e belíssimo

Pela primeira vez nos consoles, o simulador de voo da Microsoft é uma proeza da tecnologia moderna e uma das experiências mais belas da nova geração.


Microsoft Flight Simulator
é o ápice de quase quarenta anos de tradição da empresa com simuladores de voo. Com gráficos fotorrealistas impressionantes, simulação apurada e a possibilidade de sobrevoar qualquer lugar do planeta Terra, este jogo leva à sua casa a autêntica sensação de estar a bordo de uma aeronave. E no assento do piloto!

O mundo a seus pés

A Microsoft já marcava presença no desenvolvimento de games muito antes do lançamento do primeiro Xbox em 2001. A família de simuladores de voo começou em 1982, com Microsoft Flight Simulator 1.0 e desde então tem sido referência no gênero.

A tecnologia evoluiu muito de 1982 para cá e recursos que sequer existiam agora estão à disposição do universo gamer. Fotogrametria, inteligência artificial, internet de alta velocidade e imagens de satélite de alta resolução de todo o planeta foram combinadas para entregar uma experiência que até então parecia impossível: um simulador de voo ultrarrealista que permite sobrevoar qualquer lugar do planeta com qualidade de imagem fotográfica — e pela primeira vez disponível para consoles domésticos, que é a versão aqui analisada.

As aeronaves de Flight Simulator, como era de se esperar, são milimetricamente reproduzidas em cada detalhe, inclusive em seus painéis de controle completamente funcionais. A quantidade de aeronaves em si não é muito grande, com pouco mais de trinta, porém a variedade é excelente. O catálogo começa com pequenos modelos a hélice, passando por jatinhos e chegando até grandes aeronaves como o Boeing 747. A jogabilidade e manuseio variam radicalmente de acordo com o modelo, proporcionando todo tipo de experiência.

A beleza dos cenários é de cair o queixo. É possível sobrevoar qualquer ponto do planeta, com condições atmosféricas verdadeiras atualizadas em tempo real pelos servidores da Microsoft. Também é possível personalizar as condições climáticas à vontade para você criar o cenário que desejar, seja ele com chuva, à noite ou durante um pôr do sol. A qualidade gráfica é tão assombrosa que frequentemente é possível capturar imagens que poderiam ser confundidas com a realidade.



Evidentemente seria impossível para a desenvolvedora modelar manualmente todo o planeta. O Asobo Studio divulgou que 341 cidades foram recriadas detalhadamente através de fotogrametria e os demais locais foram modelados com uma técnica avançada que combina informações do banco de dados de satélite do Bing Maps e inteligência artificial. 

Este sistema não é perfeito e causa alguns bugs, como avenidas que se transformam em rios, falhas na textura quando voamos próximos ao solo ou ausência de marcos importantes em locais menos conhecidos. Porém, quando se está voando a milhares de pés de altura, o sistema é bom o suficiente para impressionar e você provavelmente reconhecerá o quarteirão da sua casa ou as principais avenidas da sua cidade. E quando algo é mudado no mundo real, ele também será atualizado no jogo tão logo as informações cheguem ao Bing Maps.
Como visitar o Parque do Ibirapuera em São Paulo sem pegar trânsito
Os gráficos são bons o suficiente para fazer “turismo virtual” pelo mundo, visitando aqueles lugares que você sempre quis conhecer, mas que dificilmente teria oportunidade de fazê-lo em um voo real, especialmente na posição de piloto. Sobrevoar um vulcão, dar um rasante na ponte de Golden Gate, sobrevoar a Cidade Proibida ou tirar uma selfie aeronáutica ao lado da Torre Eiffel são algumas das experiências que este simulador pode proporcionar.

A cabine de um avião na palma da sua mão

Uma das minhas curiosidades em relação a Flight Simulator era em relação à sua jogabilidade. Obviamente, um controle de videogame possui muito menos botões e comandos do que um painel de avião, então como isso funcionaria?

O resultado foi melhor do que eu esperava. O controle do Xbox assume as principais funções, como leme, câmera, flaps, profundores e controle de potência. Outros instrumentos, como o compensador de arfagem, podem ser acessados com combinações de botões. Para aviões pequenos com simulação simplificada este esquema é suficiente. Em um avião comercial, com sua cabine ultra-complexa, pode-se acessar o painel usando um cursor, configurar combinações de botões no controle ou até mesmo usar teclado e mouse.
Pretinho básico
Sim, a versão para consoles aceita controles através de teclado e mouse, como no PC. No modo mais realista de jogo, os instrumentos da cabine são funcionais e podem ser acessados através de um cursor, guiado pelo analógico do controle ou pelo mouse. Eu gosto de jogar sentado no sofá, e usar o mouse na mesinha de centro não foi uma experiência tão boa, mas é algo que eu recomendaria a quem pretende pilotar mais a sério.

Eu não gostei muito do sistema de fechar janelas, selecionar opções e controlar o avião com um cursor guiado pelo controle. Me pareceu uma adaptação rudimentar da versão de PC, mas por outro lado, considerando a complexidade da cabine de um avião comercial, não havia meio mais realista para realizar os comandos sem usar um hardware dedicado. Existem controles dedicados compatíveis com Flight Simulator, mas são produtos caros, difíceis de encontrar e com pouca utilidade para outros jogos.

É nóis que voa!

Também me perguntei se um jogador totalmente inexperiente em técnicas de pilotagem e conceitos de aviação conseguiria se divertir com este simulador. Se você, como eu, nunca pilotou um avião antes, provavelmente achará o painel de controle de um Airbus A320neo bastante intimidador.
Para que serve este botão?
Felizmente existem modos acessíveis e divertidos para iniciantes. Os Voos de Descoberta são atividades sem desafios em locais lindos como o Cristo Redentor no Rio de Janeiro, o Monte Everest no Nepal, a Pirâmide de Gizé no Egito, a Estátua da Liberdade em Nova York ou as ilhas de Nápoles na Itália e Bora Bora na Polinésia Francesa. Em todos esses voos você encontrará um cenário pré-estabelecido de pilotagem extremamente fácil, e mesmo quem nunca jogou um simulador poderá se deliciar com a experiência.

Quando você tomar gosto pela coisa, poderá fazer os treinamentos que ensinarão as técnicas fundamentais, aumentando a dificuldade progressivamente. No último dos treinamentos, aprendemos a pilotar um avião comercial de grande porte. Neste estágio, a cabine do Airbus já não parecerá tão intimidadora.

Para aqueles que desejam mais emoção, existem desafios de pouso, como controlar um Boeing 747 enfrentando ventos fortes no aeroporto de Innsbruck nos Alpes austríacos ou tentar aterrissar o gigantesco A320neo no aeroporto do Galeão (Tom Jobim) no Rio.
Imagina fazer baliza com um bichão desses
Talvez a característica que mais me impressionou neste jogo foi sua atratividade para todos os níveis de entusiastas de aviação, desde pilotos profissionais até pessoas completamente leigas como eu. Mesmo alguém que comece do zero sairá conhecendo conceitos como o compensador de arfagem, pressurização, controle de empuxo e rampa de planeio. Eu me pergunto quantas pessoas seguirão carreira de piloto comercial estimuladas pela sua experiência com Microsoft Flight Simulator.

A atenção aos detalhes é impressionante. A comunicação com a torre de controle, o taxiamento, os procedimentos de pouso e decolagem são exatamente os mesmos da vida real. Os instrumentos da cabine e a física de voo, bem como o desempenho e a resposta de cada aeronave, foram milimetricamente simulados.

Este é, portanto, um simulador realista, um produto de nicho. Ainda que seja possível ligar todas as assistências para que uma pessoa como eu pilote um avião sem se matar, este produto pode decepcionar quem estiver em busca de ação intensa e fique aborrecido com procedimentos de pouso e decolagem, ou com a sensação suave de sobrevoar paisagens por horas.
Eu sou o terror que voa na noite!

O comandante agradece e deseja a todos um ótimo jogo

Microsoft Flight Simulator é uma proeza técnica que consegue satisfazer a exigência de pilotos profissionais e entusiastas de simulação de voo, e ainda assim ser interessante e acessível a leigos sem nenhuma experiência com aviação. Apesar de ser um jogo de nicho e se complicar um pouco com os controles, é essencial a entusiastas de simuladores de voo. Trata-se de uma referência no gênero sem paralelos em qualidade, beleza e realismo.

Prós

  • Simulação realista com opções de acessibilidade;
  • Atividades para leigos e veteranos;
  • Gráficos belíssimos;
  • Possibilidade de voar em qualquer lugar do planeta;
  • Dados meteorológicos verdadeiros atualizados em tempo real;
  • Mapas atualizados constantemente;
  • Boa variedade de aeronaves;
  • Compatibilidade com teclado, mouse e controles dedicados.

Contras

  • Jogo de nicho, voltado a aficcionados por simuladores de voo;
  • Interface com cursor pouco adaptada a consoles;
  • Eventuais bugs na renderização dos cenários.

Microsoft Flight Simulator - XSX/PC - Nota: 9.5
Versão utilizada para análise: XSX
Revisão: Davi Sousa
Análise produzida com cópia digital disponível no Xbox Game Pass

é engenheiro eletrônico e tem uma filha fofinha que tenta morder os controles do papai. Curte jogos de luta, corrida e ação.


Disqus
Facebook
Google