Jogamos

Análise: Black Legend (Multi) é um RPG tático sombrio e complexo

Lutas estratégicas de capa e espada em uma cidade tomada pela morte.

Black Legend é um RPG tático em turnos com temática medieval sombria, em que você lidera o esquadrão de mercenários que deve livrar uma cidade da maldição do nevoeiro da morte, combater um culto de fanáticos e tentar localizar o alquimista Mephisto.

A cidade-estado de Grant, outrora rica e próspera, foi engolfada pela guerra de suas nações vizinhas. O conselho de mercadores contratou os serviços de um talentoso alquimista chamado Mephisto, que criou uma fórmula poderosa que envolveu a região em uma névoa venenosa, forçando os invasores de ambos os lados a se retirar. Os moradores de Grant recebiam regularmente o antídoto fornecido pelo alquimista, garantindo a vida e a segurança de todos, mas um dia, Mephisto desapareceu.


Um grupo de mercenários que lutou no lado perdedor da Grande Guerra recebeu uma proposta do rei: Aceitar a pena de morte ou ir a Grant e acabar com a névoa maligna em troca de sua liberdade. Os mercenários escolheram a segunda opção e, munidos do antídoto, partiram para salvar a população da cidade.

O exército de quatro pessoas

Seu grupo de mercenários é sempre composto por quatro soldados. O combate acontece em turnos e cada personagem age em sua vez, como se fosse um jogo de tabuleiro. Guardadas as devidas proporções, lembra os jogos do reboot da série XCOM.




O posicionamento das unidades é fundamental, como de costume em RPGs táticos. Ataques pelas costas ou pelos flancos causam muito mais dano que ataques frontais. A maioria dos mapas possui obstáculos como caixas, paredes, árvores, lápides ou outros elementos de cenário que influenciam na movimentação e alcance dos ataques.

Porém, ao contrário da maioria dos RPGs táticos, não basta saber posicionar e atacar seus inimigos com as armas. O grosso do dano em combate vem da utilização de alquimia, o grande diferencial deste título.

A complexa química do jogo

Black Legend incorpora conceitos de alquimia e do antigo sistema medicinal do Humorismo, que foi amplamente utilizado na medicina medieval. Esta teoria afirma que as moléstias são causadas pelo desbalanceamento de quatro componentes alquímicos no organismo, que no jogo são representados por albedo (branco), nigredo (preto), rubedo (vermelho) e citrinitas (amarelo).




Certos ataques especiais infringem instabilidades nos alvos, que podem ser acumuladas em até três níveis e depois disparadas com Catalyst Attacks. Esta é a principal forma de causar dano em combate, mas é um sistema complicado, pois não é qualquer combinação alquímica que funciona. As combinações possíveis são silver (nigredo + albedo), gold (citrinitas + albedo), bronze (rubedo + citrinitas) ou crimson (nigredo + rubedo).


Algumas combinações são mais eficientes do que outras, dependendo do inimigo que se está enfrentando, além de que os elementos podem causar efeitos como sangramento, cegueira ou queimaduras. Os humores também disparam efeitos em certos tipos de equipamento, aumentando temporariamente pontos de força, pontaria, resistência, etc.

Os inimigos também utilizam esse sistema contra sua equipe, por isso é bom ficar de olho: qualquer vacilo resulta em morte certa. Isso é especialmente importante se você jogar no modo difícil, onde as mortes são permanentes.

Estratégia com classe

Existem quinze classes de personagem em Black Legend, cada uma compatível com um certo conjunto de armas e habilidades de combate. É importante conhecer bem as vantagens e desvantagens de cada classe, pois apesar da abundância de opções, você só poderá levar quatro delas para o campo de batalha. Montar um time com boa sinergia é fundamental e boa parte da diversão é experimentar as diferentes combinações de equipe.




Algumas classes, como Duelist, são especializadas em combate corpo-a-corpo. Outras, como Sharpshooter, utilizam bestas para ataques a distância. Existem ainda classes como o Dragoon, que utiliza armas de fogo e explosivos para ataques em área, e outras como o Plague Doctor, que oferecem suporte.

As classes determinam o tipo de arma que o soldado pode usar e as armas determinam quais os tipos de ataque e habilidades que podem ser aprendidos e realizados. Além disso, o crescimento nos atributos depende da classe à qual o personagem está designado ao subir de nível.

Por exemplo, um personagem de classe atiradora crescerá no atributo “pontaria” muito mais do que no atributo “força”. Você pode fazer os soldados trocarem de classes constantemente para distribuir o crescimento de forma mais generalista, ou concentrar o personagem em uma única classe para fazê-lo super especializado em uma função específica.

Complicado no começo, divertido no final

Conforme vai ficando evidente, Black Legend é bastante complexo e o jogador tem muita coisa para assimilar. A sua equipe começa a campanha extremamente frágil e você pode ser facilmente morto pelos cachorros de rua logo nos primeiros combates. Eu achei o jogo extremamente punitivo no começo e a curva de aprendizado lenta, mesmo jogando no nível normal.


Porém, quando os sistemas começam a fazer sentido e você aprende a combinar as classes, armas, habilidades e alquimia, tudo começa a se encaixar; eventualmente, eu me peguei desenvolvendo estratégias elaboradas para vencer meus inimigos. Vencida a barreira inicial das primeiras horas, o jogo “clica” e torna-se bastante satisfatório.

Da metade para o final da história, eu estava andando pelos distritos conhecendo as localizações de cabeça e me atirando sobre grupos de inimigos para derrotá-los. A satisfação de derrotar fortes hordas de criaturas através do uso implacável de estratégia e alquimia foi algo extremamente gratificante, mas demora para chegar a este ponto.

A luta de uma cidade em luto

Black Legend também é muito competente em criar uma ambientação tensa e um clima de melancolia, onde a névoa e a morte permeiam todo o cenário. A cidade de Grant situa-se nos Países Baixos do século XVII e toda arquitetura, roupas e equipamentos refletem esta época e local.


Os personagens vestem-se com o estilo capa, espada e chapéu, e usam armas como florete, lança, pistolas de pólvora, mosquete e granadas primitivas. Você pode montar um personagem no estilo mosqueteiro, pirata ou cavaleiro com armadura espanhola, numa ambientação rica e não muito comum nos games.

Todos os diálogos são dublados e legendados em inglês, e não há opção de localização para o português. O idioma não é tão importante; a história aqui é bem simples e a narrativa não é o atrativo principal do jogo, apesar de possuir uma surpresa interessante no final. Desde que você consiga entender os efeitos dos ataques, conseguirá jogar sem problemas.




Os menus do jogo poderiam ter melhor usabilidade. Para selecionar alguns itens, por exemplo, ao invés de mover o direcional para a direita ou esquerda, em certos momentos deve-se usar os botões LB e RB e em outros momentos o botão Y, algo que não é intuitivo e não faz sentido.

Eu levei cerca de quarenta horas para terminar a campanha pela primeira vez, na dificuldade normal. Ao longo da minha experiência encontrei alguns bugs, normalmente de câmera no meio dos combates. Quando um personagem se posiciona próximo a uma parede, a câmera “entra” na parede e não permite selecionar o local do cenário para onde eu quero movimentar o personagem. Neste período de jogo ocorreram dois travamentos, que me fizeram reiniciar a partir do último save. São detalhes de polimento que provavelmente serão corrigidos em atualizações futuras.



Black Legend é um RPG tático com uma boa ambientação sinistra e histórica, divertido porém excessivamente complexo. Se você vencer a barreira inicial de dificuldade, será recompensado com um jogo estratégico rico, envolvente e com muitas possibilidades de experimentação.

Prós

  • Ambientação sombria bem trabalhada;
  • Combate rico, profundo e desafiador;
  • Personagens altamente customizáveis;
  • Muitas combinações de classes e equipamentos diferentes para explorar;

Contras

  • Excessivamente complexo;
  • Menus complicados e pouco práticos;
  • Bugs eventuais de câmera e travamentos.
Black Legend - PC/PS4/XBO/Switch - Nota: 7.5
Versão utilizada para análise: Xbox One
Revisão: Davi Sousa
Análise produzida com cópia digital cedida pela Warcave Games


é engenheiro eletrônico e tem uma filha fofinha que tenta morder os controles do papai. Curte jogos de luta, corrida e ação. Gosta de acompanhar a evolução da indústria dos games e considera-os um dos melhores entretenimentos do mundo.


Disqus
Facebook
Google