Top 10

As 10 armas mais icônicas dos videogames

Imponentes e super poderosas ou singelas e repletas de sagacidade, elas são parte fundamental na composição de um personagem



Vocês conseguem imaginar o Capitão América sem o seu escudo ou um Jedi desprovido de seu poderoso sabre de luz? As armas são equipamentos que integram o processo de construção de heróis e vilões  com potencial de se tornar o grande chamariz de uma franquia. O mundo dos jogos não foge dessa regra, ostentando uma extensa lista de armamentos marcantes.

Pensando nisso, elaborei esse Top 10 elencando os armamentos que mais me marcaram ao longo das gerações. Evidentemente que dez posições não chegam nem perto do meu desejo de listar todos os itens que considero importantes. Tentei ao máximo utilizar critérios como aparência, eficiência e popularidade para filtrar a seleção.

10 – Ebony & Ivory (Devil May Cry)

Foi uma grande dúvida se eu deveria citar a dupla de pistolas Ebony & Ivory ou a espada Rebellion. Apesar das pistolas terem uma aparência comum em boa parte das edições, Dante com toda sua perícia é capaz de elevar a dupla inseparável a outro patamar, seja em cutscenes repletas de movimentos exagerados (e que amamos!) ou para incrementar sequências de combos devastadores contra hordas de demônios. Para o filho de Sparda, munição e poderio nunca serão problemas, graças a essas duas belas “damas” que o acompanham em suas caçadas.

9 – Buster Sword (Final Fantasy VII)

Visualmente eu acho a Gunblade de Squall muito mais chamativa e até estilosa, contudo, é inegável o apelo que a Buster Sword de Cloud conquistou com os fãs da série Final Fantasy. O famoso espadão é rapidamente identificado até mesmo quando não está nas mãos de seu dono, já que uma das imagens mais famosas é a dela cravada no chão com um fundo preto. Imagem essa que, quando visualizada, nos remete não só ao ex-Soldier, mas ao título como um todo.

8 – BFG-9000 (Doom)

Big Fucking Gun: o que esperar de uma arma que carrega esse nome? Não é para menos; ela faz jus a ele ao simplesmente desintegrar tudo que estiver no raio de seus disparos e explosões. Apesar de não ser a melhor das referências, a expressão do ator Dwayne Johnson ao utilizá-la no filme homônimo exemplifica bem a nossa reação na primeira vez que nos deparamos com sua performance contra as criaturas do inferno.

7 – Espadas do Caos/Athena (God of War)

As lâminas que fizeram o Olímpo se dobrar perante toda a fúria e vingança de Kratos. Elas permitem que o espartano realize combos brutais, podendo lançar adversários no ar, causar golpes de impacto no chão e atingir uma vasta área repleta de toda a sorte de seres mitológicos que ousem cruzar o seu caminho. Originalmente concebida como um presente de Ares para Kratos e, posteriormente, foram reformuladas por Athena após terem sido danificadas no embate mal sucedido contra Zeus. Se Kratos não tivesse executado ambos os deuses, eles certamente morreriam de arrependimento!  

Apesar do machado Leviatã ter mostrado que veio para ficar no último título da franquia, admitam: reencontrar essas belezinhas foi um misto de euforia e nostalgia para qualquer fã da série.

6 – Master Sword (The Legend of Zelda)

Evidente que essa lendária espada não poderia ficar de fora da nossa lista. Repleta de nomes, dentre eles: Master Sword, Blade of Evil’s Bane, Sword of Time e Sword of Ressurection. Ela foi forjada inicialmente pela deusa Hylia, sendo posteriormente aprimorada pelo espírito Fi. Claramente inspirada na lenda de Excalibur, ela permanece fincada no Pedestal do Tempo e um herói escolhido por ela deverá trilhar por desafios que testem seu poder, coragem e sabedoria. Em alguns jogos da franquia, ela é mencionada como a única arma capaz de eliminar o vilão Ganon. Ganhou ainda mais destaque após The Legend of Zelda: Ocarina of Time (Multi), quando teve parte do visual redefinido. Atualmente é impossível visualizar Link sem associá-lo à icônica espada.




5 – Vampire Killer (Castlevania)

O armamento secreto do famoso clã Belmont na luta contra Drácula e todos os seres ligados à sua casta. Inicialmente batizado de Whip of Alchemy pelo alquimista Rinaldo Gandolfi, no intuito de ser utilizado por Leon Belmont em Castlevania: Lament of Innocence, era menos potente do que sua versão atual. Somente após o fatídico fim da esposa de Leon, Sara Trantoul, que ao ser transformada em vampira decide dar a vida para que o ritual para colocar o chicote em sua forma perfeita fosse completado.

Desde então, ele vem acompanhando toda a linhagem dos Belmont, sempre que o mal retonar na forma do Drácula. Após a morte do conde Vlad Tepes em Castlevania: Symphony of the Night, a arma é entregue ao clã Morris até que o clã Belmont retornasse, dessa vez, com Julius Belmont, em 1999.




4 – Kunai com corrente (Mortal Kombat)

Até mesmo o mais inusitado dos equipamentos vira um objeto mortífero nas mãos de um habilidoso guerreiro. Hanzo Hasashi, líder do clã ninja Shirai Ryu e mais tarde conhecido como o kombatente vingativo, Scorpion, vem conquistando cada vez mais fãs desde os primórdios da franquia Mortal Kombat, tornando-se o verdadeiro “garoto propaganda” no lugar de Johnny Cage e Liu Kang. Muita dessa fama se deve ao seu golpe mais famoso, em que ele lança sua kunai presa à uma corrente contra o oponente, puxando sua presa enquanto grita uma das falas mais famosas dos jogos: Get over here!




Mesmo nos títulos recentes, em que o seu reportório vem se variando, agora contando até com golpes de espada, o uso da famosa kunai continua presente e ganhando até algumas variações, que nas mãos de jogadores habilidosos se transformam em combos incríveis, além de figurar nos tão esperados Fatalities. 

3 – Lancer Mark 2 (Gears of War)

Temos mais um caso de uma arma que não traz um visual fora da curva de um armamento comum, nada tão gritante como uma BFG ou Buster Sword. Estamos falando de um rifle de assalto padrão com uma serra elétrica acoplada. Contudo, a forma como ela é utilizada é que cria todo o seu apelo com os fãs. A Lancer Mark 2 veio como um aprimoramento do modelo Mark 1, que contava com uma baioneta no lugar da serra, um coice muito mais elevado em sua cadência de tiros e pente de munição reduzido. Assim como todo equipamento de ponta utilizado pela COG, ela também foi idealizada pelo professor Adam Fênix, pai do protagonista da série.




O esquadrão Delta, comandado por Marcus Fênix, não poderia contar com armamento melhor para dar cabo das hordas Locust, sendo ideal para o confronto à distância e brutalmente letal no combate corpo-a-corpo. Sua fama é tamanha que, mesmo perdendo na preferência dos jogadores no PVP para a Gnasher, é impossível pensar em Gears of War sem lembrar da Lancer e o som característico de sua chainsaw. Se você já “riscou um Grub”, sabe do que estou falando; é uma verdadeira terapia.

2 – Mega Buster (Mega Man)

Curiosamente, meu primeiro contato com o famoso robô azul criado por Dr. Light foi através de uma animação que passava aos sábados no SBT. Se você foi criança nos anos 1990 ou, pelo menos, fã de desenhos animados, sabe o quanto esse desenho era divertido, por mais que ele esteja datado. Ali Mega Man já nos dava grandes demonstrações da versatilidade e do poder da Mega Buster, arma desenvolvida também por seu criador e que utiliza energia solar, a mesma que abastece nosso herói, para disparar projéteis compactados de grande poder destrutivo. Isso justifica o fato dos disparos serem ilimitados.




Nos jogos, diferente das armas obtidas dos chefes, ela era nomeada apenas pela letra P. Algumas teorias dizem que se trata de Player ou Power, já que a barra correspondente mostrava o nível de energia do nosso Blue Bomber, ao contrário dos demais armamentos que mediam o nível de munição. 

A partir da quarta edição (terceira no Game Boy Color), o equipamento recebeu um aprimoramento do Dr. Light, permitindo que o jovem herói pudesse concentrar energia a fim de realizar um disparo maior e ainda mais poderoso ao passo que o coice do tiro nos fazia recuar. Em Mega Man 5 foi feita uma nova modificação que estabilizou o recuo, contudo, a energia carregada era perdida caso algum dano fosse recebido. Esse modelo foi o que perdurou ao longo da série, com exceção de Mega Man 9 e 10, nos quais supostamente nosso robô azul voltaria ao canhão original.


Atualmente, Mega Man é um dos personagens mais bem quistos pelo público gamer e, apesar da Capcom não dar a devida atenção, ele e seu Mega Buster estão presentes em alguns crossovers. Em alguns deles, apenas a famosa arma está presente, fazendo a devida menção honrosa. Recentemente, até mesmo o caçador de demônios em ascensão, Nero, se rendeu ao charme da arma ao utilizá-la como uma das muitas opções de próteses de mão em Devil May Cry 5 (Multi). Admita, até hoje você finge estar equipado com um Mega Buster sempre que usa um casaco de mangas longas!




1 – Lâmina Oculta (Assassin’s Creed)

Acreditem, foi muito difícil decidir qual arma merecia emplacar o primeiro lugar. A Lâmina Oculta conta com o fator da simplicidade da Lancer, por se tratar de uma simples lâmina acoplada no punho do portador que ainda é agravado, pois dependendo da versão ela ainda exige o sacrifício do dedo anelar. Contudo, quando olho o contexto em que ela se encontra, vejo que ela casa perfeitamente com a proposta furtiva e sombria do Credo dos Assassinos.

Os desenvolvedores poderiam facilmente inserir um punhal em seu lugar, contudo, a Lâmina Oculta foi importante para imprimir a personalidade dos eternos rivais dos Templários como agentes capazes de mesclar-se na multidão e realizar um abate limpo, que deixa apenas a marca da estocada característica que diz: alguém da Irmandade de Assassinos passou por aqui.

Seu primeiro uso data da época do império Persa, quando Darius a utilizou para eliminar o rei Xerxes I. Anos depois ele viajaria com a arma até o Egito Antigo, onde no passar dos tempos ela viria parar com Cleópatra, até ser presenteada ao Medjai Bayek por sua esposa Aya. Desde então a lâmina é presenteada como ritual de formação de um assassino, recebendo modificações com o passar das eras.


 

Ela encontra seu auge no período Renascentista, ao ser retrabalhada pela engenhosa mente de Leonardo Da Vinci, para que Ezio Auditore tivesse a melhor versão possível e se consagrar como o protagonista mais querido da franquia. Nas mãos habilidosas de Ezio, ela deixa de ser um simples acessório para execução e passa a ser utilizada como arma de combate franco e à distância, permitindo desfechos letais contra cada oponente.

Lembro até hoje do meu espanto ao testemunhar uma das finalizações, em que o mestre assassino realizava diversas estocadas no inimigo ainda de pé, além do ápice do ritual de execução, em quea vida da vítima se esgotava ao som da marcante frase requiescat in pace.

Menções honrosas

Infelizmente muitas armas icônicas ficaram de fora por conta do formato da publicação, contudo uma breve menção se faz necessária.
  • Golden Gun (GoldenEye 007);
  • Soul Edge (Soul Edge);
  • Keyblade (Kingdom Hearts);
  • Rifle de assalto M5AC (Halo);
  • Masamune (Chrono Trigger);
  • Soul Reaver (Legacy of Kain: Soul Reaver).
O que acharam do nosso Top 10? Se alguma arma de sua preferência ficou de fora, compartilhe com a gente. Vamos ampliar a lista nos comentários.

Revisão: José Carlos Alves

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.


Disqus
Facebook
Google