Jogamos

Análise: Just Dance 2021 (Multi) traz mais do mesmo, mas agrada seu público-alvo

Título da popular franquia de dança da Ubisoft chega à sua 12° edição e agrada fãs dos gêneros Pop e K-Pop.


Just Dance 2021
, a mais recente edição da popular franquia de dança da Ubisoft, chegou para animar as festas de fim de ano e alegrar os fãs de longa data. Ele chega com novas músicas e coreografias, mas será que só com esse atrativo vale a pena adquirir o título?

Apenas dance

Sem sombra de dúvidas, o que mais chama a atenção em cada nova edição de Just Dance são suas músicas e coreografias. Anunciado no segundo Ubisoft Forward e sem fazer muito alarde como os que são vistos na E3, Just Dance 2021 tem hits que vão de artistas do momento como Dua Lipa até a banda Village People, que fez sucesso na década de 1970. O título conta com coreografias divertidas acompanhadas de backgrounds bem coloridos e únicos. 
Rotina de Blinding Lights.
Este é o principal DNA da franquia: trazer a sua própria visão, que é composta principalmente por cores neon e coreografias acessíveis para pessoas de todas as idades e gêneros. Para aqueles que gostam de um desafio a mais, existem também as alternativas, que consistem em outros treinadores e backgrounds, e em coreografias difíceis ou diferentes para determinadas músicas.
Rotina alternativa de Without Me.
As minhas músicas e coreografias favoritas da nova edição são: Blinding Lights, Rain On Me, Don’t Start Now, Say So, Volar, Paca Dance, Runaway (U & I), Que Tire Pa Lante e Without Me. As novas músicas e coreografias não decepcionam, agradam inclusive fãs de gêneros como Pop e K-Pop, que são os principais públicos-alvo da franquia. Este ano não tivemos nenhum representante brasileiro no título, como já vimos em edições anteriores, com nomes como Anitta, Lexa, MC Fioti, Ivete Sangalo e outros mais.


Navegando pelo jogo

O menu de Just Dance 2021 é o mesmo já visto nas duas edições anteriores, simples de usar e feito para ser minimalista e direto, até porque muitos usam o celular como meio de jogar o título, já que tudo é funcional nele. 


Para os pequenos, o título continua trazendo o modo Kids, que tem como principal função ensiná-los a jogar o título de forma didática, com músicas infantis e treinadores vestidos de bichinhos fofos, personagens da Disney, etc.


A novidade da edição é o modo Quick play. Como o próprio nome já diz, é um modo para aqueles que encaram qualquer desafio. O jogo escolhe aleatoriamente as músicas para o jogador, e existe também a opção de você pular uma música caso não goste da escolha sugerida.



Outros modos que retornam na nova edição são o World Dance Floor, Playlists, Sweat e o Co-op. No World Dance Floor, os jogadores competem uns contra os outros a fim de alcançar rankings. Ele também é usado para a seleção da Copa Just Dance que acontece todos os anos. 



As Playlists são listas de músicas personalizadas pelo jogo através de temas ou criadas pelo próprio jogador.



Já o modo Sweat entra aqui mais como uma opção; quando ativado, ele calcula o quanto de calorias você perdeu ao terminar de dançar uma música. Nada tão elaborado como já foi visto no Just Dance 4, que contava com rotinas de alongamento após finalizar uma música.

O modo Co-op é outro que funciona como opção. No qual você pode coletar estrelas com um ou mais cinco amigos; no Just Dance 2016 e 2017, ele era um modo à parte, onde os jogadores coletavam jóias ao invés de estrelas e existia um ranking. 
Quando o modo Co-op é ativado a barra de pontuação fica laranja e com um ícone de dois jogadores abraçados.
O Just Dance Unlimited, que foi trazido no Just Dance 2016, está de volta, e desta vez conta com mais de 600 músicas das outras edições, além das já lançadas exclusivamente para o serviço. Quando ativado, você ganha um período de 30 dias grátis para jogar as músicas presentes nele.



A máquina de presentes está de volta nesta edição. Com o Mojo, as moedas coletadas a cada dança ou desafio completados, você desbloqueia novos avatares, estilos, títulos para o seu perfil e adesivos para completar um álbum de adesivos presente no jogo desde o Just Dance 2020. A edição deste ano focou no tema super-heróis, fazendo alusão à capa do jogo, que lembra as de histórias em quadrinhos.



O jogo é compatível em todas as versões com os celulares através do aplicativo Just Dance Controller, Joy-Cons no Switch, controles do PlayStation Move ou PS Câmera no PlayStation 4 e Kinect no Xbox One. No PlayStation 5 e Xbox Series X, só se tem a disponibilidade de jogar com o celular.



Novo jogo e mais do mesmo

Just Dance é uma franquia que dispensa apresentações. Com seus mais de 10 anos no mercado, ela se consolidou como a maior e mais importante do gênero, usando e abusando dos controles e sensores de movimento, que não serão mais usados no PlayStation 5 e Xbox Series X. Hoje não existe um concorrente que bata de frente com a série, e isto faz com que ela esteja acomodada. 

Passam-se os anos e a Ubisoft investe cada vez menos em novidades para atrair novos jogadores, tendo como seu ponto forte apenas a seleção das músicas muito bem escolhidas.
Menu de seleção de músicas é o mesmo já visto nas duas edições anteriores.
Just Dance 2021 é outro exemplo que sofre desse mal. De novidade, o jogo conta apenas com o Quick play, que é um modo de músicas aleatórias e que só vale para quem tiver uma assinatura ativa do Just Dance Unlimited. Os modos World Dance Floor, Playlists e Kids estão de volta, mas são mais do mesmo já visto nas duas edições anteriores.    

Antes podíamos ver uma equipe focada em trazer novidades interessantes. Já tivemos os modos Battle, On-Stage, All Stars, Just Dance Machine, Dance Lab, e muitos outros que traziam algo a mais ao jogo. Infelizmente a franquia está se perdendo, sustentando-se atualmente apenas com a sua popularidade e a lista de músicas, sejam os sucessos antigos ou do momento.
O retorno do Modo Battle é um dos mais pedidos pelos fãs da franquia.
Com a popularização cada vez maior do streaming e com o fim do suporte aos controles e sensores de movimento na versão do título na nova geração, podemos ver futuramente o Just Dance Unlimited se tornando o principal carro-chefe da franquia e extinguindo a necessidade de se lançar um jogo por ano, pois não anda valendo a pena gastar em um jogo que consiste apenas em novas músicas e coreografias, sendo que o serviço sob demanda já serve para isso. Sobretudo devido ao aumento do valor dos jogos no Brasil, anda se tornando uma prática insustentável adquirir um jogo novo da franquia todo ano. Recomendo adquiri-lo numa promoção se possível.

A minha conclusão aqui é que a franquia está caminhando para se tornar mais um serviço do que um jogo, algo que está acontecendo a passos lentos, mas daqui um tempo se tornará realidade. A comunidade de fãs da franquia sempre questionou os produtores do jogo referente aos modos que sumiram com o lançamento nas últimas edições e a falta de novidades, pois são coisas que fazem falta, inclusive para mim, que acompanho Just Dance desde a época que ele surgiu no Wii. 

Just Dance 2021 é um título com boas músicas e coreografias, mas peca em não trazer novidades aos fãs de longa data da franquia e se parece mais com um serviço disfarçado de jogo. Espero que a falta de novidades no título tenha sido um reflexo do momento em que estamos vivendo, pois a pandemia do novo coronavírus acabou atrasando e afetando o desenvolvimento de vários jogos. Quem sabe o Just Dance 2022 possa nos surpreender; que o jogo será desenvolvido, disso não há dúvidas.

E você, o que espera do futuro da franquia? Diga aí nos comentários e conta também o que achou da nossa análise.


Prós

  • Boa seleção de músicas, composta por hits antigos e do momento;
  • Coreografias divertidas e algumas desafiantes;
  • Backgrounds coloridos e com uma direção de arte únicas;
  • A presença do serviço Just Dance Unlimited ajuda na longevidade do título.

Contras

  • O jogo conta com apenas uma novidade além das novas músicas e coreografias, o que torna a experiência a mesma dos jogos recentes da franquia;
  • O Just Dance Controller continua não sendo muito preciso, o que se torna frustrante;
  • Nova geração sem suporte a controles ou sensores de movimentos, limitado apenas ao Just Dance Controller;
  • O título não teve nenhuma mudança visual significativa em relação ao design dos menus.
Just Dance 2021 — PS4/PS5/XBO/XSX/Switch/Stadia — Nota: 7.0
Versão utilizada para análise: PS4

Revisão: Davi Sousa

Análise produzida com cópia digital cedida pela Ubisoft


Poderia estar dando um rolê na Epoch, ou participando do torneio Mortal Kombat, e quem sabe escapando de alguns zumbis, mas estou aqui, feliz por estar escrevendo sobre games.


Disqus
Facebook
Google