Jogamos

Análise: Onee Chanbara Origin (PC/PS4) traz samurais e zumbis em um hack and slash simples, estiloso e divertido

Mesmo com alguns problemas técnicos, o jogo consegue entregar uma experiência envolvente e muito satisfatória.


Em um ano de tantos remakes, Onee Chanbara Origin (PC/PS4) é mais um a apostar em trazer experiências clássicas para novos públicos. Produzido a partir de dois títulos do meio dos anos 2000, o novo lançamento consiste em um hack and slash de qualidade. Dinâmico e divertido, o jogo está longe de ser perfeito, mas entrega uma boa experiência. Afie as suas espadas e não esqueça a roupa de banho, pois a análise vai começar.

Um remake legítimo

No que se refere ao termo remake, Onee Chanbara Origin realmente faz jus à definição. O game traz uma nova interpretação de dois títulos exclusivos do PlayStation 2, cujos nomes no ocidente foram Zombie Hunters e Zombie Hunters 2. Enquanto os enredos, os visuais e as jogabilidades básicas originais foram mantidos, todo o resto foi refeito utilizando recursos modernos.

Os jogos originais receberam títulos bem diferentes dos originais
Vale ressaltar que a franquia Onee Chanbara está completando 15 anos e teve vários games lançados desde a sua estreia. Passando por Onechanbara: Bikini Samurai Squad no Xbox 360 e OneChanbara: Bikini Zombie Slayers no Wii, o último título foi Oneechanbara Z2: Chaos para PC e PS4. Todos eles trouxeram aventuras no estilo hack and slash com direito a muita violência e sensualidade.
Z2: Chaos era o último título da franquia até Origin
Onee Chanbara Origin foi desenvolvido pela Tamsoft e publicado pela D3 Publisher em 14 de outubro, com versões para PC e PS4. Mesmo sendo um remake de dois títulos diferentes, o jogo integrou ambos em uma aventura repleta de ação e combates ferozes. Creio que a decisão foi acertada, pois assim a experiência ficou mais orgânica e organizada.
Conheça Aya, a protagonista da franquia
Confesso que essa foi a minha primeira vez com a série das samurais que usam biquínis e combatem zumbis. Mesmo tendo um claro foco em fanservice, o jogo não é prejudicado por isso de nenhuma forma. Particularmente, gostei do estilo visual, que é explícito sem ser vulgar e garante uma aventura agradável. O artista Katsumi Enami, famoso designer de animes, participou do projeto e garantiu um alto nível de qualidade no remake das personagens, sobretudo as protagonistas.

História simples com foco na jogabilidade

O enredo de Onee Chanbara Origin é um pouco forçado, mas funciona bem. Em um futuro próximo, a cidade de Tóquio é tomada por uma invasão de zumbis. Primeiramente, somos apresentados a Aya, uma voluptuosa samurai de uma longa linhagem de guerreiros. Quando sua mãe adotiva é morta, seu pai e sua meia irmã desaparecem.

Prepare-se para lutas violentas e intensas
Quando começou a procurar por eles, jovem Aya recebeu um convite da misteriosa Lei para trabalhar como caçadora de zumbis. Em contrapartida, a samurai receberia ajuda para encontrar a sua família perdida. A partir daí, a história evolui de forma interessante, com algumas surpresas e reviravoltas pelo caminho.
Lei é um dos destaques do game
Mesmo sendo um spoiler, preciso falar um pouco da irmã perdida, Saki. Depois de alguns acontecimentos, ela se une a Aya como uma personagem jogável e traz um sopro de personalidade extra a Onee Chanbara Origin. As interações entre os personagens são legais e, ainda que meio clichês, dão um pouco de profundidade ao título hack and slash (isso vale também para a jogabilidade, que veremos em seguida).
A jovem Saki é uma das personagens jogáveis
Depois de completar a campanha principal, um modo de sobrevivência é liberado para você testar as suas habilidades contra ondas e mais ondas de inimigos. Caso o jogador queira mais emoções, é possível adquirir pacotes de missões extras, além de uma grande diversidade de skins, armas e outros itens. Deixo o registro de que várias roupas são gratuitas, então não hesite em dar uma olhadinha na loja.

Ótimo estilo visual, mas com apresentação precária

Como citado anteriormente, as personagens protagonistas são o melhor que Onee Chanbara Origin tem a oferecer visualmente. Modelos, skins, animações de golpes e transformações são bonitos e cheios de estilo. Mesmo claramente abaixo das figuras principais, os inimigos foram suficientemente bem representados e não comprometem.

Tudo é muito legal durante as batalhas
O grande problema é que o restante do visual do jogo é precário. Mais especificamente, os cenários são ruins, com texturas feias e sem detalhes. A discrepância entre os ambientes e as personagens é enorme e compromete a apresentação geral do game.
Cenários e ambientes são bem ruins
As cutscenes são igualmente ruins, pois enquanto os modelos e as animações funcionam no jogo em si, durante os filmes temos movimentos pouco naturais e interações nada inspiradas. Cabelos e roupas, por exemplo, muitas vezes parecem ser feitos de plástico. Dadas as altas qualidades de design e de estilo de Onee Chanbara Origin, é realmente um desperdício.
As animações ficaram devendo bastante
O estilo único também permeia menus e demais elementos do jogo. O maior defeito é que a fonte dos textos é pequena demais para ser lida confortavelmente. As músicas são boas e a dublagem ok, embora sofra constantemente de falta de sincronia com as personagens. Agora, se Onee Chanbara Origin é levemente positivo na apresentação, a jogabilidade com certeza é o maior destaque.

Lutas simples, divertidas e envolventes

Os combates são dinâmicos e fluidos, dignos de hack and slash famosos como Devil May Cry e Bayonetta. O jogador tem dois tipos de ataques para realizar combos elaborados, mas intuitivos e muito legais. As sequências de golpes mais poderosas exigem um timing preciso, que pode ser acompanhado através de uma conveniente barra na parte de baixo da tela.

Origin é competente onde mais importa
Gostei muito desse recurso que, mesmo não sendo obrigatório, ajuda muito o jogador a se tornar uma samurai mortal. Conforme passamos de nível, novos golpes são liberados e podemos melhorar os atributos de vida, ataque e defesa. Transformações baseadas na quantidade de dano causado e a necessidade de limpar o sangue da espada para recuperar o fio são detalhes que engrandecem ainda mais a jogabilidade.
A Xtatic Form é muito poderosa e cheia de estilo
Um dos maiores destaques nas lutas são os sistemas de esquiva e parry. O primeiro consiste em escapar dos ataques inimigos no último segundo proporciona aberturas vitais para derrotar os vilões. Com o segundo, é possível defender uma investida inimiga no momento certo para quebrar a sequência dos deles e até mesmo nocauteá-los. Esses dois recursos tornam os combates ainda mais variados e imersivos.
Realizar contra-ataques precisos é muito divertido
Depois de certo ponto na aventura, é possível alternar entre Aya e Saki livremente, aumentando ainda mais as possibilidades durante as lutas. Derrotar hordas e mais hordas de zumbis, monstros e, principalmente, chefes é sempre muito legal e divertido. Creio que a maior limitação funcional do game seja em relação à variedade e duração dos desafios.
Faltaram mais fases e inimigos diferentes
O game é relativamente curto e tem, em geral, um nível baixo de dificuldade. Dada as ótimas jogabilidade e mecânicas de jogo, inimigos mais ágeis e variados, além de um número maior de fases, seriam adições interessantes para aproveitar todo seu potencial. O jeito é aumentar a dificuldade e aproveitar ao máximo as missões disponíveis desse ótimo título.

Um hack and slash divertido e competente

Dentre tantos fatores, o mais importante em um game é ser divertido e envolvente. Onee Chanbara Origin (PC/PS4) consegue cumprir essa missão com louvor, entregando uma aventura hack and slash dinâmica e cheia de recursos. O estilo original trazido pelo remake e sua boa jogabilidade tornam todas as lutas ótimas experiências. Mesmo pecando em alguns pontos importantes, o resultado final é um título obrigatório para os fãs do gênero e jogadores que curtem muita ação.

Pronto para toda a ação de Onee Chanbara Origin?

Prós

  • Título traz uma proposta equilibrada de estilo, jogabilidade, desafio e diversão;
  • Remake aproveitou todas as qualidades dos games originais e trouxe boas novidades;
  • Estilo visual do jogo e das personagens é original e bonito;
  • Mecânicas de jogo funcionam bem e oferecem combates envolventes;
  • Boa quantidade de opções estéticas e funcionais.

Contras

  • Apresentação tem cenários e cutscenes mal acabadas;
  • Pouca variedade e quantidade de inimigos e desafios.

Onee Chanbara Origin – PC/PS4 – Nota: 7.5
Versão utilizada para avaliação: PS4

Revisão: José Carlos Alves
Análise produzida com cópia digital cedida pela D3 Publisher


é redator de matérias sobre games desde julho de 2016 e um grande fã da décima arte, embora não tenha muito tempo disponível para ela. Seus games favoritos (que formam uma longa lista) incluem: Kingdom Hearts, Guitar Hero, Zelda, Crash, FIFA, COD, Pokémon, MvC, Yu-Gi-Oh, Resident Evil, Bayonetta, Persona, Burnout e Ratchet & Clank.


Disqus
Facebook
Google