Análise DLC

Análise: Highway Blossoms: Next Exit (PC) é o verdadeiro ponto alto da kinetic novel

DLC oferece um epílogo para a visual novel sobre o romance entre duas mulheres na estrada.

Highway Blossoms é uma visual novel sobre o romance entre duas garotas que foi originalmente lançada para PC em 2016. Ao longo do tempo, o jogo teve a oportunidade de receber mais polimento e agora conta também com um DLC chamado Next Exit. Lançado no dia 25 de setembro de 2020, o novo conteúdo oferece um epílogo para a história de Amber e Marina.

Quando as personagens retornam a Las Vegas, um dos pontos pelos quais passaram em sua jornada em busca do ouro no jogo, um conjunto de situações forçam as duas a encarar as pontas soltas de seu relacionamento. Ao mesmo tempo, o aniversário de Tess está chegando, oferecendo a oportunidade perfeita para rever o trio de personagens secundários que rivalizava o casal.

O texto a seguir contém spoilers de Highway Blossoms para melhor explicar como Next Exit se encaixa na história.

Resolvendo as pontas soltas

Alguns meses se passaram desde os eventos do jogo base. Tess vai fazer 12 anos em breve. Para comemorar o seu aniversário, ela, Joey e Mariah decidem ir a uma convenção sobre alienígenas em Las Vegas. Marina não podia deixar passar a ocasião, convencendo Amber de que as duas precisam ir também.

Com essa premissa, Next Exit é um epílogo voltado a dar uma conclusão melhor aos eventos da história. Na reta final de Highway Blossoms, o relacionamento de Amber e Marina havia azedado porque a protagonista tinha medo de estar usando a sua namorada e, ao se estressar, agiu de forma bastante infeliz com ela. Apesar do jogo ter uma conclusão feliz, confesso que me incomodou a forma como esse conflito foi resolvido, já que Marina parecia ter apenas relevado os eventos e as duas não haviam de fato resolvido a situação.

A sensação para mim é que o relacionamento entre as duas tinha altas chances de não dar certo, e eu até mesmo fiquei sem saber se ainda queria que elas ficassem juntas. Felizmente, Next Exit trata exatamente desse ponto. O DLC mostra o problema que havia sido ignorado originalmente e deixa claro como ele pode escalar através de certos eventos.

É uma situação verdadeiramente frustrante, mas felizmente as personagens têm agora a chance de finalmente conversar sobre os seus anseios e sentimentos para resolver o problema. Há outros pontos emocionantes na história, envolvendo Tess, Joey e Mariah, que estão presentes não apenas como secundários, mas também no papel de protagonistas em algumas cenas.

Essa mudança no protagonismo é uma excelente escolha do jogo, que agora alterna entre as perspectivas dos cinco personagens centrais. Em alguns momentos, o jogador pode escolher entre Amber e Marina para acompanhar mais dos seus pontos de vista, e há outros em que a cena mostra um pouco dos pensamentos internos dos outros três. Graças a isso, todos os personagens têm a chance de se destacar, ter relevância e demonstrar proatividade, algo que nem sempre ficava tão visível no jogo base, cuja perspectiva era focada em Amber.

O único problema do DLC é o fato de que algumas imagens de personagens são incorretas para o que a história está apresentando. Por exemplo: em uma cena, Tess deveria estar sem sua bandana, mas é mostrada com ela. Porém, essas pequenas incongruências não afetam muito a experiência.

Encerrando com chave de ouro

Highway Blossoms: Next Exit aproveita elementos da jornada de Amber e Marina para criar um epílogo verdadeiramente necessário para sua conclusão. O resultado eleva a visual novel a outro patamar, oferecendo uma experiência que é claramente o ponto alto da história toda.

Prós

  • A perspectiva de múltiplos personagens oferece novas nuances à história;
  • Aproveita o que foi apresentado no jogo base para criar uma conclusão necessária;
  • Alguns dos novos eventos têm uma forte carga emocional.

Contras

  • Em certas cenas, as imagens dos personagens estão erradas em relação à história.

Highway Blossoms: Next Exit – PC – Nota: 9.0

 Revisão: Davi Sousa
Análise produzida com cópia digital cedida pelo Studio Élan


é formado em Comunicação Social pela UFMG e costumava trabalhar numa equipe de desenvolvimento de jogos. Obcecado por jogos japoneses, é raro que ele não tenha em mãos um videogame portátil, sua principal paixão desde a infância.


Disqus
Facebook
Google