Jogamos

Análise: Ben 10: Power Trip (Multi) – uma viagem cheia de aventuras pela Europa

Ajude Ben Tennyson a recuperar seus poderes e combater o feiticeiro Hex enquanto salva os cidadãos locais e suas férias.


Ben 10 é um dos heróis mais famosos dos desenhos animados no mundo todo. Tendo estreado em 2005, o garoto é conhecido por possuir uma espécie de relógio de pulso que o permite se transformar em até dez alienígenas com diferentes habilidades. A série animada já recebeu diversas continuações e releituras, com a atual sendo exibida exclusivamente no canal fechado Cartoon Network.



Ben 10: Power Trip se baseia no atual universo da animação e traz uma história original com Ben, sua prima Gwen e o vovô Max indo curtir merecidas férias em uma região fictícia da Europa. Na análise de hoje vamos ver como pode ser divertido e trabalhoso tirar férias quando se é um super-herói.

Férias frustradas

A família Tennyson está curtindo merecidas férias em Strudelbek, uma região fictícia da Europa, depois de salvar o mundo diversas vezes. Ben, como sempre, só quer saber de relaxar e curtir a viagem, enquanto Max e Gwen já fazem planos sobre todos os lugares que desejam visitar e as atividades que querem fazer. Ben só quer mesmo saber a hora do próximo lanche.



Mas como a vida de super-herói não costuma dar descanso, a viagem é interrompida pelo nefasto feiticeiro Hex, que está em busca de quatro pedras mágicas localizadas na região. Ao tentar impedir o vilão, Ben perde os alienígenas de seu Omnitrix, o relógio que o permite se transformar nos diversos alienígenas, que lhe possibilitam lutar contra as forças do mal. Ben e Gwen encontram uma misteriosa tabuleta, deixada pelo feiticeiro, que revelou suas intenções: o vilão quer usar o poder das gemas para controlar o tempo-espaço e dominar o universo.



Agora cabe a Ben achar uma forma de recuperar seus poderes, impedir o feiticeiro de concluir seu plano maléfico e, se sobrar um tempo, curtir suas merecidas férias.

Explorando uma região interiorana da Europa

A missão de Ben é encontrar e impedir Hex, mas até que isso aconteça, nosso herói passa boa parte do tempo – o jogo todo, praticamente – ajudando os cidadãos de Strudelbek nas mais variadas atividades. Com um gigantesco mapa para ser explorado, nosso herói deve cumprir uma série de atividades principais que fazem a história andar e tarefas secundárias que premiam o herói com itens e aprimoramentos de vida e força.
A região de Strudelbek
Conforme avança na história, Ben recupera a capacidade de se transformar nos alienígenas que o permitem lutar contra os inimigos e acessar novas áreas do mapa. Cada um deles possui habilidades únicas que ajudam Ben na luta contra os inimigos e na exploração. Por não poder lutar em sua forma humana, é bom conhecer as habilidades de cada um, podendo selecionar até três para uma pequena roda de atalhos usando os botões direcionais do controle, agilizando a troca na hora das lutas.
  • Chama: causa dano progressivo de queimadura e pode realizar um impulso no ar, que lhe permite executar o pulo duplo;
  • Quatro Braços: é o mais forte dos aliens de Ben, sendo um dos mais versáteis em combate, além de ser capaz de arrastar blocos e quebrar paredes;
  • XLR8: peca pela falta de força, mas compensa isso fazendo uso de sua super-velocidade, que ajuda a atravessar grandes áreas do mapa bem rápido;
  • Choque Rochoso: é um peso-pesado bom de briga que pode energizar dispositivos eletrônicos desativados e usar uma espécie de corda elétrica para alcançar pontos de interação específicos no mapa, além de puxar inimigos para perto;
  • Rath: uma fera forte e ágil que pode farejar itens escondidos e escalar locais com extrema facilidade e agilidade;
  • Diamante: seu corpo feito de um duro cristal faz com que receba menos dano dos inimigos, além de ser capaz de criar uma parede que reflete projéteis inimigos, lançar fragmentos e surfar em pleno ar por uma certa distância.
Com isso, já deixo aqui uma crítica válida como alguém que acompanhou o desenho por um bom tempo, principalmente nas primeiras temporadas da série. Ben 10 tem esse nome por ser capaz de se transformar em dez aliens diferentes, mas no jogo só temos seis. Qualquer um que saiba desse detalhe vai achar estranho a falta de mais quatro para completar a coleção.

Tudo bem que estes seis foram selecionados por terem suas habilidades bem aproveitadas no jogo, mas acho que poderiam ter arrumado uma forma de colocar mais quatro, nem que fossem em mini-games. Bom, é o que temos pra hoje, então vamos prosseguir.
Ben 6?
Sempre que Ben recupera um alienígena, ele deve passar por um estágio de tutorial para aprender as principais mecânicas do integrante recém-resgatado. Por terem mecânicas bem distintas, isso se mostrou bem interessante para quem não conhece o “Benverso” e quer aprender um pouco mais sobre cada um.

Ao chegar a uma nova região de Strudelbek, vovô Max leva seu fiel trailer para o local, ativando um ponto de viagem rápida e facilitando a vida do jogador na exploração. No trailer também é possível falar com Kevin, o rival de Ben, para ativar o modo cooperativo, permitindo que um segundo jogador te acompanhe na exploração do mapa. A tela é dividida na vertical e os dois jogadores têm total liberdade para executar suas atividades.

Pelo mapa também encontramos portas de acesso a festas do Lord Decibel, outro vilão do universo do desenho animado. Ben deve atravessar o local, disposto como um simples labirinto de armadilhas, para chegar até o palco e acabar com a festa. Além deste, alguns outros locais com pequenos quebra-cabeças facilmente decifráveis compõem as atividades de Ben para ganhar consumíveis, itens de missão e melhorias de status.

Uma festa na floresta?

Um desenho mal animado

Apesar de ser um jogo evidentemente voltado para um público mais infantil, a quantidade de atividades propostas em Power Trip é bem decente. Muitos locais com inimigos, exploração bem aproveitada, diversas atividades extras, entre outras coisas. O acabamento dado ao jogo é que deixou muito a desejar, a meu ver. Animações mal feitas, com vários momentos em que nem mesmo a boca dos personagens se mexem durante os diálogos, além de uma direção de arte que remete muito a jogos da época do PlayStation 2.
Sim! O jogo é legal mas é feio, amigo!
Joguei muitos jogos assim naquela época e o fato do jogo estar em uma resolução alta (1080p no PS4) realça estes detalhes, dando uma cara feia ao game. Talvez a escolha de uma arte em cel shading daria mais carisma aos personagens, deixando-os bem próximos do material original. A trilha sonora também não ajuda muito, com músicas bem genéricas, repetitivas e que remetem bem pouco – quase nada, na verdade – ao desenho animado.

Ah! E a câmera também não ajuda muito em alguns momentos. O game continua sendo divertido mesmo com esses problemas que só quem é mais velho vai dar moral. Com certeza a garotada vai se divertir muito com o jogo. E no PS4, especificamente, ainda temos um recurso quando nos transformamos: o LED do controle muda de cor para cada personagem selecionado.
É só um detalhe, mas é bem legal!

Uma aventura “Ben” divertida

Ben 10: Power Trip não é o mais bonito e bem-feito dos jogos do herói, dando até uma pequena saudade dos antigos títulos estrelados pelo jovem Ben Tennyson. Mas, temos que reconhecer os méritos do título por trazer muito da essência de jogos atuais de mundo aberto, mesmo que de forma mais regrada, para um título claramente voltado para o público infantil, de forma bem interessante e eficiente. É um jogo que, sem dúvidas, eu adoraria jogar nos meus 10 anos de idade, se tivesse sido lançado uns 10 anos atrás.

Prós

  • Mundo aberto recheado de atividades, inclusive após o fim da campanha;
  • Alienígenas com habilidades bem representadas e aproveitadas no gameplay;
  • Modo cooperativo local para dois jogadores;
  • Menus e legendas localizados para o português brasileiro.

Contras

  • Direção de arte bem genérica, com animações mal feitas e gráficos que deixam o jogo feio;
  • Trilha sonora limitada e repetitiva;
  • Câmera com comportamento bem ruim, principalmente durante as lutas;
  • Ben 10 com apenas seis alienígenas! Onde estão os outros quatro?
Ben 10: Power Trip – PC/PS4/XBO/Switch – Nota: 7.0
Versão utilizada para análise: PS4
Revisão: José Carlos Alves
Análise feita com cópia digital cedida pela Outright Games

Tecnólogo em Gestão Ambiental, produtor do BlastCast e sincero até demais. Jogador casual de muitos e hardcore em poucos. Adora jogos multiplayer que causam discórdia e fogo no parquinho. @XelaoHerege


Disqus
Facebook
Google