Blast from the Past

Castlevania: Lament of Innocence (PS2): o início da luta do clã Belmont contra as criaturas da noite

Relembre a aventura que narra o início da batalha do clã de caçadores contra o vilanesco Conde Drácula.


Toda história, toda lenda, possui um fato ou conto que o originou. Não é a toa que as fábulas costumam começar com o clássico “Era uma vez...” no início de suas narrativas. Até mesmo os jogos, quando contam com uma mitologia que atravessa décadas e gerações, precisam ter algo que conte como começaram, seja pelo motivo de seu desenvolvimento ou mesmo a história que inspirou sua criação.



Quando Castlevania (NES) foi lançado em 1986, sua premissa era bem simples. Uma reunião de famosos monstros da literatura e do cinema comandados pelo mais sedutor, maquiavélico, manipulador e sangrento deles, o vampiro Conde Drácula. Conforme os anos foram passando e a mitologia de Castlevania foi amadurecendo, a premissa original se tornou simples demais para servir como alicerce do conto dos Belmont contra o Lorde das Trevas.
Castlevania (NES), lançado em 1986
Foi a necessidade de contar essa origem que levou Koji Igarashi a produzir Castlevania: Lament of Innocence, título que conta as reais origens do secular embate entre os Belmont contra o ser que hoje conhecemos como Drácula, que também nasceu neste episódio da série.

Como contar o início de uma lenda?

‘Lament of Innocence’ conta com a participação da “divina trindade” de Castlevania, com Koji Igarashi como produtor, Michiru Yamane na composição musical e Ayami Kojima como responsável pelo design artístico do título. No Japão, é intitulado apenas como Castlevania, pois a intenção de Igarashi era fazer do jogo um novo ponto de partida para a série, um reinício da lenda iniciada em 1986. IGA iniciou seu trabalho na Konami em Castlevania como diretor assistente em ‘Symphony of the Night’, e desde então passou a produzir os títulos subsequentes da franquia até o lançamento de ‘Harmony of Despair’ em 2010.

Koji Igarashi, Michiru Yamane e Ayami Kojima
Em 2014 o produtor deixou a Konami e hoje é responsável por Bloodstained, um sucessor espiritual de Castlevania, que foi muito bem recebido pela comunidade justamente por resgatar o feeling das obras que produziu anteriormente.

Com a nova abordagem, que adotou o gênero hoje conhecido como metroidvania, com narrativas mais elaboradas e às vezes até amarradas entre si, IGA viu a necessidade de contar as origens do clã Belmont e o motivo de serem eles os responsáveis por combater as forças de Drácula a cada nova ressurreição do Conde. Foi a partir desta necessidade que surgiu a trama principal que vemos em ‘Lament of Innocence’.

Monarquias, barões, Igreja e alquimia

No século XI, com o enfraquecimento das monarquias, lordes feudais começaram a crescer em poder. Os primeiros cavaleiros viviam basicamente para defender os domínios de seus mestres, mas com as reformas no final do século passaram a lutar em nome da igreja para manter a paz. Um grupo de cavaleiros era considerado invencível graças à dois homens.

Leon Belmont, um barão que dizem não temer absolutamente nada, detentor de habilidades de combate inigualáveis, e Mathias Cronqvist, cuja genialidade era visível em seu conhecimento tático no campo de batalha. Os dois se tornaram melhores amigos e suas habilidades, quando combinadas, eram uma garantia de vitória em qualquer combate.
Mathias Cronqvist e Leon Belmont
Um dia, ao retornar vitorioso de mais uma campanha, Mathias recebe a fatídica notícia da morte súbita de sua amada esposa Elisabetha. Tamanha foi sua dor ao receber a notícia que o fez adoecer e, consequentemente, deixar de lutar.

Um ano após o fato que afastou Mathias, os esforços de Leon garantiram que vitórias ainda fossem um padrão para sua companhia, mas as invasões de monstros de origem até então desconhecida começaram a crescer nos domínios de Belmont. Apesar de sua imensa vontade de retaliação, a Igreja não permitia que Leon combatesse os monstros por considerar sua luta nas Cruzadas mais importante.

Foi em uma noite, ainda doente, que Mathias contou a seu amigo que a origem dos monstros tinha relação com um vampiro residente em um castelo na Eternal Night Forest. Revelando que Sara Trantoul, noiva de Belmont, fora sequestrada e está sob custódia do vilão. Impedido de ir por conta de suas obrigações com a Igreja, Leon renuncia a seu título de barão para viajar até a floresta e resgatar sua amada.

A chegada à floresta o apresenta a um mestre alquimista que vive no local, chamado Rinaldo Gandolfi, e os motivos que o fazem morar ali, ajudando os que ousam desafiar o senhor do castelo. Espantado em ouvir a história de Leon, que recusara seu valioso título apenas para salvar seu amor, oferece ajuda ao jovem oferecendo itens em sua cabana – a troco de moedas, claro – e lhe presenteando com informações sobre o vampiro senhor do castelo, Walter Bernhard.
Leon conhece o mestre alquimista Rinaldo Gandolfi
Rinaldo também oferece a Leon um chicote feito de alquimia, única arma capaz de causar algum dano contra as criaturas sob o controle de Walter, além de encantar sua manopla, tornando-a capaz de absorver golpes que permitem ações especiais durante o jogo. E uma das informações que chama a atenção de Leon é quando Rinaldo revela que a família de seu amigo Mathias era extremamente habilidosa nas antigas artes da alquimia. Leon então parte em sua desesperada missão de resgatar sua amada.

Uma estrutura já conhecida, agora em 3D

Castlevania: Lament of Innocence é o terceiro título da franquia a ser apresentado com uma ambientação em três dimensões. As primeiras vezes foram em Castlevania e sua continuação, Castlevania: Legacy of Darkness, lançados em 1999 para o Nintendo 64. ‘Lament of Innocence’ foi o primeiro jogo da série para o PlayStation 2 e traz uma jogabilidade semelhante a de outros títulos consagrados no gênero hack’n’slash, como Devil May Cry e God of War, que também debutaram no console da Sony.
'Lament of Innocence' foi o primeiro jogo da franquia no PlayStation 2
No jogo temos uma estrutura que remete ao título que consagrou IGA em 1997 e renovou a franquia, com foco nos combates e exploração do castelo. Em seu arsenal Leon dispõe de seu chicote de alquimia e outros com propriedades elementais, como gelo, fogo e eletricidade, e das clássicas armas auxiliares de Castlevania, como a adaga, machado e água benta. Diferente de outros títulos, não existe um sistema de níveis para Leon. Ao invés disso as habilidades de combate do herói são aprimoradas de acordo com a quantidade de inimigos derrotados, permitindo que realize combos mais longos e movimentos especiais devastadores.
A exploração é um dos pontos altos do título de 2003.
Para auxiliar o herói em seu combate contra as criaturas do castelo, Leon também faz uso de orbes, obtidos de cada um dos chefes derrotados que, combinados com as armas auxiliares de Leon, adicionam propriedades especiais aos ataques efetuados com estas, que aumentam muito o leque de opções para derrotar os inimigos. Relíquias também compõem seu arsenal, permitindo que habilidades extras sejam usadas, como se movimentar mais rápido, criar campos de ataque ou defesa ou até aumentar o ganho de moedas de ouro para gastar na cabana de Rinaldo.
Conforme progride, Leon se torna mais poderoso
A exploração é novamente um dos destaques, com imensas salas e corredores recheadas de inimigos e segredos. As já conhecidas salas de salvamento retornam para que Leon possa salvar seu progresso durante sua incursão ao castelo de Walter. Salas e chefes secretos estão espalhados pelos inúmeros corredores do local, convidando o jogador a explorar cada espaço do castelo em busca de todos os itens e relíquias disponíveis.

Leon deve derrotar os cinco guardiões do castelo para chegar até Walter
Walter Bernhard, o senhor do castelo e raptor de Sara
A primeira etapa consiste na luta contra cinco guardiões que protegem o acesso aos aposentos do vampiro, onde também está Sara. Leon triunfa ao resgatá-la, mesmo seu ataque com o chicote alquímico não resultando em qualquer tipo de dano contra o vilão. Mas a vitória é celebrada por pouco tempo. Ao retornarem para a cabana de Rinaldo, Sara é repelida pela magia que envolve o local, o que leva o mestre alquimista a concluir que ela está se transformando em um vampiro.

Rinaldo então usa essa infortúnia oportunidade para instruir Leon sobre um ritual para evoluir o chicote usando Sara como sacrifício para criar a lendária Vampire Killer, que se tornaria então a icônica arma usada pelos herdeiros do clã Belmont. Leon refuta realizar o ritual, mas o desejo de Sara em ser sacrificada por um bem maior sobressai à vontade de seu amado de encontrar uma outra forma para resolver a situação. Sara sacrifica sua vida para a criação da poderosa arma e Leon retorna para o castelo, dessa vez para se vingar de Walter e realizar o desejo de sua amada, que deu sua vida para proporcionar uma chance à humanidade de triunfar sobre a noite eterna.
Leon realiza o ritual para criar a Vampire Killer
Na segunda etapa, as habilidades do jogador são colocadas à prova ao conseguir acesso à última área do castelo, recheada de armadilhas e poderosos inimigos, culminando no derradeiro embate entre Leon Belmont e Walter Bernhard. O herói triunfa novamente, o que leva a história ao seu momento mais revelador e inesperado – spoilers grandes a partir daqui, caso você não queira estragar a surpresa.

Com a derrota do vampiro, a verdadeira mente por trás de tudo se revela: Mathias Cronqvist. O sequestro de Sara, Walter, o castelo e a floresta, tudo foi meticulosamente planejado pelo homem como um plano de vingança contra Deus, que considera-o responsável pela morte de sua querida Elisabetha. Cronqvist se sentiu traído por Deus, por quem jurou lutar e arriscar sua vida inúmeras vezes sob o estandarte da Igreja. O plano de Mathias consistia em fazer com que Walter fosse derrotado, para então usar os poderes de um artefato alquímico chamado de Crimson Stone para absorver sua alma e então se tornar o mais poderoso ser do Reino das Trevas.
Mathias absorve a alma de Walter para ter poder absoluto sobre as Trevas
Leon é tentado a se juntar ao amigo, que alega que o mesmo aconteceu a ele devido ao que aconteceu a Sara, mas Belmont não se deixa levar pelas palavras e sentimentos levianos de Mathias, que desistiu de sua humanidade para se vingar de Deus. Mathias desaparece na escuridão e, após um intenso combate final contra a Morte, Leon manda um recado para seu antigo amigo, na forma de uma maldição, dizendo que a partir deste dia os descendentes do clã Belmont caçarão a noite. Nasce então a lenda dos Belmont contra Mathias, o ser que a partir de então passaríamos a conhecer como Drácula.
"Este chicote e meus descendentes o destruirão um dia."
"...o Clã Belmont caçará a noite."

Mais um título digno de ser chamado de clássico

Castlevania: Lament of Innocence foi bem recebido pela crítica em 2003, com boas avaliações da mídia especializada. Não integra o panteão dos melhores jogos da franquia segundo o Metacritic, com uma nota 79/100, mas é considerado um dos melhores títulos da biblioteca do PS2. Atualmente está disponível em formato digital no PlayStation 3, de forma emulada, para ainda ser apreciado por quem deseja conhecer a história que culminou no conflito que atravessa gerações entre os Belmont e seus aliados contra Drácula.
'Lament of Innocence' é a origem da mitologia de Castlevania
Anos depois, em 2010, a Konami resolveu rebootar a série em Castlevania: Lords of Shadow (PS3/X360), dessa vez contando o início da mitologia de Castlevania sob a perspectiva de Drácula e explicando de outra forma qual a ligação do clã Belmont com o Lorde das Trevas, desta vez envolvendo laços de sangue. A trilogia, composta por mais dois jogos lançados em 2013 e 2014, não tem qualquer ligação com os jogos produzidos por Igarashi, mas esta é uma conversa que podemos ter em uma outra ocasião.

Revisão: José Carlos Alves



Tecnólogo em Gestão Ambiental, produtor do BlastCast e sincero até demais. Jogador casual de muitos e hardcore em poucos. Adora jogos multiplayer que causam discórdia e fogo no parquinho. @XelaoHerege


Disqus
Facebook
Google