Jogamos

Análise: NASCAR Heat 5 (Multi) é bom para novatos, mas deixa os fãs da franquia com um gosto amargo de derrota

Nova entrada na franquia automobilística se presta apenas a requentar tudo o que seus antecessores já trouxeram.

O automobilismo é uma modalidade esportiva que atrai diferentes públicos pelo mundo. Seja com categorias mundiais ou locais, todo lugar que tem corridas também tem milhares de espectadores. Um torneio que ganhou visibilidade ao redor do mundo foi a NASCAR. Com suas pistas ovais e grids repletos de ação, é claro que ela logo ganharia uma franquia virtual publicada anualmente.


NASCAR Heat 5
(Multi) chegou para ser a mais recente entrada da série. Desta vez o jogo foi produzido pela 704Games, sua antiga publisher, e distribuído pela Motorsport Games. Com essa troca de desenvolvedores, o título acabou trazendo alguns erros do passado de volta e cometendo deslizes bobos que o impediram de ser algo bem mais vistoso.

Da poeira aos confetes

Em NASCAR Heat 5 é possível competir em todos os circuitos da temporada regular dos campeonatos de cada categoria. Ao todo são quatro:

NASCAR Cup Series: É a categoria principal da NASCAR. Nela figuram nomes famosos como Kyle Busch, Joey Logano, Martin Truex Jr., Kevin Harvick e Jimmie Johnson. Esta classe possui 29 pistas diferentes, sendo 23 ovais e seis circuitos mistos. Além dos pilotos profissionais, esta edição do game traz também os jogadores da eNASCAR Heat Pro League, torneio de eSport que teve início em 2019, antes do lançamento de NASCAR Heat 4 (Multi).

NASCAR Xfinity Series: Funciona como se fosse uma segunda divisão. Geralmente os pilotos que conseguem bons resultados nessa categoria acabam chamando a atenção e conseguindo um lugar nas equipes da categoria superior. Os eventos da Xfinity Series ocorrem no dia anterior à corrida da Cup Series. Esta classe conta com os mesmos 29 circuitos.

Nascar Gander RV & Outdoors Truck Series: Esta categoria está abaixo da Xfinity Series e seu diferencial é ser disputada com caminhonetes modificadas. Aqui, além dos mesmos 29 circuitos das outras duas classes, também está incluso uma trigésima pista, de terra (dirt track).

Xtreme Dirt Tour: Apesar de não pertencer à NASCAR, esta categoria serve como uma porta de entrada para quem quer iniciar neste nicho do automobilismo. Diferente das anteriores, as corridas aqui são disputadas em circuitos ovais de terra, além de uma pista mista. Caso o jogador não tenha nenhuma experiência com jogos da série, recomenda-se começar por esta.

Por dentro do círculo

Logo ao iniciar, é possível escolher como serão a direção e a IA, em padrões que variam do Casual ao Expert. No Casual, o jogador lidará com pilotos menos agressivos e terá uma gama de auxílios já ativados ao seu dispor, como evasão da parede e direção inteligente para facilitar curvas e freadas. Já o Expert, como é de se esperar, trará um desafio rigoroso, com competidores te caçando incessantemente e um carro que dependerá plenamente da capacidade de quem o dirige. Ainda existem o Normal e o Difícil, que oferecem um meio termo gradual entre os dois extremos.

Também há possibilidade de criar um ajuste customizado, podendo, por exemplo, desligar o auxílio de pilotagem e diminuir a dificuldade dos oponentes, ou o inverso. A regulagem é livre e é nessa hora que brilha o ponto mais forte de NH5: sua jogabilidade.

O título utiliza de um recurso muito bem pensado para incentivar quem está no controle (ou volante) a experimentar uma direção mais real. Quanto mais assistentes estiverem ligados, mais lento será o carro, independente da categoria escolhida.


Cada corrida é sempre disputada no mesmo sistema. Primeiro o jogador tem 60 minutos para correr livremente pela pista, aprendendo seu traçado. Inclusive, este é o único momento em que uma linha verde estará na pista, mostrando a melhor rota. O número de voltas dadas nesse período é livre e existe um tempo a ser batido, exigido pela sua equipe, que é importante para saber quão rápido está seu veículo. Logo, é natural que quem estiver pilotando comece a desligar cada um dos facilitadores para conseguir marcas cada vez melhores. Porém, é necessário cautela, pois os outros pilotos também estarão pelo caminho, o que pode causar alguns problemas e colisões.

Mesmo que a maioria dos circuitos seja oval, não significa que todos sejam iguais. Cada um tem suas particularidades, como pontos de ultrapassagem, frenagem e até curvas mais acentuadas. Essas sessões livres são perfeitas para que o jogador vá desabilitando cada auxílio e sentindo a diferença na direção e na velocidade refletida no tempo de cada volta. Não é preciso muito tempo para que fique confortável jogar com a direção acertada para Difícil ou Expert. Até mesmo buscar referências diferentes do assistente de traçado se torna algo divertido.


Após essa sessão, que pode ser finalizada a qualquer momento, o carro volta para os boxes, onde podem ser feitos mais alguns ajustes. Em seguida vem a volta classificatória, que determina qual será a posição no grid de largada. Nos boxes é sempre mostrado o tempo necessário para ser o pole position, porém sua equipe pode colocar limites mais folgados, visando iniciar de uma posição posterior.

Por fim, é chegada a hora da corrida. O número de voltas corresponde ao disputado no torneio real, com provas que possuem até 500. Porém, isso pode ser alterado por porcentagens, que variam do real 100% até meros 2%, o que resulta em etapas de 1 à 5 voltas em média. Entretanto, esta é a única alteração possível de se fazer em um circuito. Não existe a possibilidade de adicionar chuva ou quaisquer outros efeitos climáticos. Algumas pistas possuem mais de um evento, o que pode fazer com que a prova seja disputada à noite, mas isso não funciona para todas.

Pequenas equipes, grandes negócios

O principal modo de jogo de NASCAR Heat 5 é o Carreira. Aqui nós fazemos o nosso corredor e o lançamos rumo ao estrelato. A ideia é bacana e até divertida, mas falha em alguns pontos bem básicos, a começar pelo nosso personagem. As opções de criação são bem limitadas, se prendendo a alguns modelos já estabelecidos que podem ser levemente alterados, mas nada muito drástico. O mesmo vale para os carros, que também possuem elementos escassos para brincarmos com a nossa imaginação.

Podemos iniciar nossa jornada em qualquer uma das quatro categorias livremente. Tudo começa com a espera por ofertas para o chamado hot seat, que são ocasiões em que uma equipe precisa de um piloto apenas para aquela corrida. São nessas oportunidades que temos que mostrar nosso valor e desempenhar um bom trabalho, sempre visando alcançar os tempos e posições que nos são pedidos.

Após algumas provas como “freelancer”, o ano termina e as equipes que gostaram do nosso trabalho entram em contato e nos oferecem um lugar, que pode ser como um novo integrante ou tomando o lugar de um dos que já fazem parte do time.

Assim começamos a construir nossa reputação. Ela é definida pela quantidade de amigos e rivais que fazemos, sendo as amizades pontos positivos e as rivalidades pontos negativos. Isso é determinado pela maneira como pilotamos e interagimos com os demais competidores em uma espécie de Twitter. Se pilotarmos bem e respeitarmos os demais, seremos elogiados. Se batermos em todos de propósito, as coisas ficarão hostis para o lado do aspirante.

Os comentários após as provas podem ser elogios, reclamações, congratulações e até ameaças, que podem ser replicados de maneira positiva (agradecimentos ou desculpas) ou ofensiva (insultos ou provocações). Isto fará com que os demais comecem a ser gentis ou agressivos, a ponto de te abaterem na pista como retaliação.


Entretanto, o maior desafio deste modo não está em se manter no topo, e sim em gerenciar a sua própria equipe. Caso opte por gerenciar um time do zero, em vez de integrar um já existente, você terá que ficar a cargo de tudo, desde os mecânicos até as vitórias na pista e escolha de patrocinadores. Como é preciso preparar todo um staff e maximizar seus recursos, não será fácil conseguir boas posições logo de início, uma vez que seu bólido estará com um rendimento bem abaixo das demais equipes.

A cada etapa é necessário fazer os acertos para o carro que irá para a pista. Nesta hora entra em cena o time de mecânicos. Eles possuem especialidades distintas, como suspensão, aerodinâmica e motor, e podem ter seus atributos melhorados, assim como seus departamentos podem ser ampliados também. Isso melhora o desempenho do veículo nas pistas, mas demanda um serviço maior e mais gastos também. Uma dica é participar de mais de uma categoria por vez e fazer uma equipe na mais baixa, que possui custos menores, e aí sim gastar seu dinheiro sem medo de ser feliz para alcançar o pódio.

Porém, fazer sua equipe em NH5 também pode ser bem frustrante. Ao terminarmos a temporada, como de costume, nos é oferecida novamente a opção de entrarmos em algum time que já existe ou criar o nosso do zero mais uma vez. Ou seja, tudo o que gastamos e investimos é deixado de lado com a troca de calendários e devemos começar tudo de novo, mesmo que seja na mesma categoria que já participamos de maneira independente.

Fiel à suas origens (até demais)

Com a troca de desenvolvedoras que a franquia sofreu, passando da Monster Games para a 704Games, já não era de se esperar muitas melhorias. Infelizmente, tirando as atualizações de alguns elementos, NASCAR Heat 5 é praticamente igual ao seu antecessor em tudo. Logo, ele traz os mesmos modos: Corrida Livre, Carreira, Torneios, Desafios e Disputas Online. A única adição relevante foi a da Sessão Livre, onde é possível correr em qualquer trajeto e fazer paradas nos boxes para testar novos acertos no carro.

De resto, todos continuam os mesmos. Pode-se disputar torneios de qualquer categoria, selecionando o número de etapas para simular a competição integral, somente a parte final (playoffs), ou outras diversas configurações com pistas específicas. Os Desafios destinam-se a retratar situações que ocorreram na vida real e colocar o jogador na pele de um piloto para tentar replicar o feito ou até mesmo mudar a história. Cada desafio cumprido rende uma recompensa que, pasmem, ainda não foi incluída no jogo e chegará por meio de conteúdos baixáveis gratuitos.

A jogatina em rede é uma grata surpresa no meio de tudo isso. É possível fazer salas que comportam até 40 jogadores de uma vez. Tudo acontece de maneira bastante satisfatória e com regras estabelecidas pelo criador do lobby. O único ponto contra é não poder reportar ou sinalizar os jogadores desleais, que ficam se chocando propositalmente contra os demais. Você pode expulsá-los da sala, mas ele podem voltar livremente.

Outra coisa bastante incômoda que ocorre durante as corridas é uma queda de frames que ocorre quando fazemos algumas curvas. Até acontece uma leve “engasgada” e isso é algo que não é influenciado pelo número de coisas acontecendo ao mesmo tempo. Ou seja, o slowdown vai ocorrer tanto em treinos quanto no meio de uma prova. Curiosamente, isso não ocorreu no modo online, que prosseguiu perfeitamente.

Quem jogou NH4 vai sentir que se trata apenas de uma atualização com algumas evoluções, mas trazendo a mesma identidade visual e até defeitos. Uma amostra disso é que ao vencer qualquer corrida da Truck Series, o troféu estará com o logo do jogo anterior. Confiram abaixo a diferença entre o título no macacão do piloto e o título pequeno no troféu:

Mais um problema herdado foram as conquistas que não são desbloqueadas. Quem gosta de obter 100% dos objetivos e ostentar aquele belo troféu de platina no seu status terá uma dor de cabeça aqui. Por muitas vezes, alcançar um objetivo nos modos Carreira e Desafio não libera as conquistas respectivas. Só depois que o game é reiniciado e uma nova corrida feita é que elas serão desbloqueadas. Este é um defeito que persiste desde NASCAR Heat 2 (Multi), lançado em 2017, e que segue aterrorizando os “complecionistas” de plantão.

Perdendo a direção

NASCAR Heat 5 é um jogo de corrida até que decente para quem nunca teve nenhuma interação com o universo da NASCAR. Sua jogabilidade ajustável é bastante convidativa e seus modos de jogo conseguem entreter quem não é habituado com o automobilismo virtual. Porém, os fãs da série que esperavam por algo inovador vão se decepcionar muito com a falta de criatividade e a persistência de bugs, que já estão fazendo aniversário de tão presentes nos títulos da franquia.


Prós

  • Excelente jogabilidade tanto para quem está começando quanto para quem já é veterano;
  • Corridas em rede tem conexões rápidas e estáveis;
  • Inclusão de pilotos da liga de eSport da NASCAR como personagens selecionáveis;
  • Modo Carreira pode ser iniciado em qualquer categoria e ainda assim é possível disputar todas à medida que as temporadas avançam;
  • Desafios são divertidos e oferecem dificuldade na medida certa.

Contras

  • O jogo todo possui a mesma identidade visual do seu antecessor;
  • Poucas opções de customização de piloto e carro;
  • Não é possível manter a sua equipe criada por mais de uma temporada;
  • Conquistas/troféus do jogo não são desbloqueados ao cumprir objetivos;
  • Todas as corridas têm a mesma animação de início e de encerramento;
  • Queda de frames em momentos aleatórios durante as corridas;
  • Recompensas do modo Desafio ainda não foram adicionadas ao jogo.
NASCAR Heat 5 — PC/PS4/XBO — Nota: 7.0
Versão utilizada para análise: PS4
Revisão: Mariana Mussi S. Infanti
Análise feita com cópia digital cedida pela Motorsport Games


é pai do próximo Batman, tio de uma princesa e viúva da Sega. Só sabe jogar títulos de luta, se mata frequentemente em FPS e adora uma velharia (que todo mundo agora gosta de chamar de retrô). Ah, ele está esperando até agora pelo Ridge Racer dessa geração também.


Disqus
Facebook
Google