Jogamos

Análise: Wuppo: Definitive Edition (PC/Switch) traz uma incrível aventura em um charmoso universo

Plataforma, quebra-cabeças e batalhas incríveis se misturam nesse ótimo game.

No passar dos últimos anos, tivemos um aumento significativo da presença dos jogos indie no mercado. Uma das razões para esse fato é o surgimento de títulos com alta qualidade, que cada vez mais se aproximam dos lançamentos de grandes produtoras. Wuppo: Definitive Edition (PC/Switch) é um ótimo exemplo, com uma aventura divertida, original e encantadora. Pegue os seus chapéus, pois a análise vai começar!

Mais um grande game indie

Lançado em setembro de 2016 para PC e um ano depois para Xbox One e PS4, Wuppo (Multi) foi muito bem recebido pela comunidade gamer. O título foi publicado pela SOEDESCO e produzido pelo estúdio holandês Knuist & Perzik, que, inclusive, é composto por apenas dois membros. Apesar disso, é possível ver o esmero em todos os detalhes, como nos diálogos bem-humorados e nos cenários criativos.

Outras qualidades, como história original e boas mecânicas de jogo, complementam o game. Ele é mais um ótimo exemplo do porquê títulos indie ganharam tanto espaço no mercado: os grandes orçamentos e as equipes das grandes empresas são substituídos por trabalho duro e boas ideias. Afinal, o game teve cerca de sete anos de produção, que no final valeram (e muito) a pena.
Gosta de soprar bolhas ao vento? Então Wuppo é pra você
Dado o sucesso do game original, uma nova versão foi lançada em setembro de 2019. Chamada de Wuppo: Definitive Edition (PC/Switch), ela chegou para PC e Nintendo Switch trazendo várias novidades e melhorias. Elas incluem: gráficos melhorados, novas músicas, chefes retrabalhados, alterações nos cenários, além de todos os DLCs lançados até então.

O título coloca o jogador no papel de um simpático wum, uma pequena e redonda espécie de criatura. Depois de fazer uma bagunça na chamada Wumhouse, ela é expulsa de seu lar. A partir daí, o enredo pouco a pouco vai evoluindo, trazendo acontecimentos passados que levaram à atual sociedade do game, além do relacionamento dos wums com outras espécies.
Os wums não tem grandes habilidades, mas são muito inteligentes
No final, a história que acompanhava o personagem de volta para sua casa se torna uma missão para salvar o mundo. Embora um pouco clichê, tudo ocorre de maneira orgânica e bem contada. Os diálogos e acontecimentos são interessantes e bem escritos, proporcionando uma ótima aventura. Além desse enredo principal, o game proporciona muitos segredos e missões extras para o jogador experimentar.

Exploração, quebra-cabeças e combates

A denominação metroidvania certamente pode ser aplicada a Wuppo. Afinal, temos vários cenários conectados que apresentam desafios para serem vencidos e, assim, liberar novas áreas e avançar a história. Esses desafios incluem combates ferozes, quebra-cabeças interessantes e seções de exploração por plataformas, todos muito bem equilibrados.
Trabalhar na usina de energia é uma ótima opção para ganhar dinheiro
Os quebra-cabeças são variados, incluindo questionários, labirintos e desafios rítmicos. Já as partes de plataforma requerem um bom controle dos movimentos e do pulo duplo, mas nada muito exigente. Os cenários são formados por áreas interligadas (como em Super Metroid), que por sua vez são compostas por camadas com profundidades diferentes (semelhante a Paper Mario).

Os cenários, aliás, merecem muito destaque. Ainda que consistam em temas clássicos como floresta, caverna e cidade, todos os cenários têm seu charme próprio. Personagens e demais elementos também compartilham desse belo estilo, com gráficos coloridos e bonitos. Explorar o mundo de Wuppo é sempre uma rica experiência.
Os ambientes de Wuppo são cheios de vida
As músicas do game são igualmente interessantes. Seja qual for o ambiente, uma bela canção estará lá para embalar a aventura. E mesmo que o game não seja dublado, as vozes dos personagens, compostas por bipes, grunhidos e outros ruídos curiosos, são divertidas e combinam bem com cada um deles.

Como último elemento, temos os combates. O armamento básico consiste em um chapéu que dispara goma de mascar (chamada Gumgumgun). Ao contrário de outros games, o controle do personagem e da arma são plenamente independentes. Logo, é possível correr para um lado e atirar para o outro. E, assim como nas demais seções do game, a jogabilidade funciona bem.
Alguns chefes são gigantescos!
O ponto alto do combate são as batalhas contra os chefes. Elas se destacam pelo equilíbrio preciso entre serem desafiadoras e divertidas, sendo certamente as partes mais exigentes do game. Sabendo dessa qualidade, o título conta com o modo Boss Rush, que coloca o jogador para enfrentar todos os chefes novamente, agora também contra o relógio.

Um jogo original e divertido

As principais mecânicas do game giram em torno de chapéus. Isso mesmo: são vários tipos diferentes de equipamentos para as cabeças dos personagens de Wuppo. Enquanto alguns deles têm somente a função de adornos, outros proporcionam habilidades importantes, incluindo a já citada arma de goma de mascar Gumgumgun.
Comidas apetitosas recuperam a energia
Outros exemplos incluem o chapéu vela (para iluminar ambientes escuros), o chapéu lançador de jornais (para entregar as últimas notícias), e o “chapéu pássaro” Denksnavel. Melhor amigo do protagonista, ele faz vários comentários interessantes e proporciona ajudas valiosas ao longo do game (mais sobre isso em breve).

Acessar esses chapéus e outros itens utilizados no game, entretanto, pode ser meio atrapalhado. O menu que gerencia os elementos disponíveis funciona em alguns momentos, mas pode ser complicado em outros. Atalhos mais convenientes poderiam ser adicionados, incluindo no caso da utilização de controles, ao invés de mouse e teclado.
Bem-vindo a vibrante Popo City!
Além dessa pequena crítica, outro ponto que pode ser visto como um contra é o seu sistema de progressão. As indicações de como avançar no game, incluindo o que deve ser feito e onde é preciso ir, são muitas vezes simples. Logo, com a grande liberdade para explorar os cenários, é possível se perder do caminho principal.

O próprio jogo reconhece esse problema e tenta minimizar os efeitos. Um exemplo é que, em determinado momento, me deparei com um portão que só poderia ser aberto com um item que eu não havia adquirido. Para evitar que eu precisasse retornar o caminho, o pássaro Denksnavel se propôs a buscar o item para mim. Acredito que mais soluções assim, ou uma opção para dicas mais precisas, seriam interessantes.
Avançar na história pode ser um pouco complicado em certos momentos
Deixo um destaque final para a forma com que o jogador pode aumentar a sua vida total. Através de divertidas conversas e interações com outros personagens, o pequeno wum fica mais feliz e, assim, mais forte. Afinal, a felicidade não melhora as nossas vidas? Essas ideias brilhantes, tal como o modo cooperativo, reforçam o quanto Wuppo foi bem planejado e construído, proporcionando um ótimo game.

Pronto para uma grande aventura?

Wuppo: Definitive Edition (PC/Switch) é a melhor versão de uma aventura incrível, que conta com um visual bonito, cenários e personagens encantadores, boa jogabilidade e muitas coisas divertidas para se fazer. Ainda que uma das suas maiores qualidades, que é a liberdade de exploração, torne algumas partes do game um pouco confusas, o título é uma ótima escolha para a sua biblioteca.
A turma de Wuppo é encantadora e muita divertida

Prós

  • Estilos visual e sonoro encantadores;
  • Grande quantidade de missões secundárias, e segredos para serem encontrados além da ótima campanha principal;
  • Jogabilidade é competente e divertida;
  • Ótimo equilíbrio entre as seções de plataforma, quebra-cabeças e combate;
  • Opções extras como modo cooperativo e Boss Rush.

Contras

  • Liberdade de exploração pode complicar um pouco o avanço no jogo;
  • Sistema de gerenciamento de itens pode ser complicado em certos momentos.
Wuppo: Definitive Edition – PC/Switch - Nota: 8.0
Versão utilizada para análise: PC
E você, leitor? O que achou de Wuppo: Definitive Edition? Deixe o seu comentário.

Revisão: Ives Boitano
Análise produzida com cópia digital cedida pela SOEDESCO Publishing

é redator do site GameBlast desde maio de 2018 e um grande fã da décima arte, embora não tenha muito tempo disponível para ela. Seus games favoritos (que formam uma longa lista) incluem: Kingdom Hearts, Guitar Hero, Zelda, Crash, FIFA, COD, Pokémon, MvC, Yu-Gi-Oh, Resident Evil, Bayonetta, Persona, Burnout e Ratchet & Clank.


Disqus
Facebook
Google