Perfil

Barret Wallace: conheça o líder rebelde de Final Fantasy VII

De empregado da Shinra a defensor do planeta, Barret passou por muita coisa em sua trajetória até se tornar o personagem que conhecemos.


Um dos pontos altos de Final Fantasy VII é sua vasta lista de personagens marcantes. Cloud perde o benefício de protagonista principal ao dividir a atenção com figuras carismáticas como Tifa, RED XIII, Vincent e até mesmo o vilão Sephiroth. Não é a toa que todos ganharam maior aprofundamento em spin-offs, a título de exemplo: a animação Final Fantasy VII: Advent Children. O Perfil dessa vez traz até vocês detalhes sobre Barret Wallace, líder rebelde, defensor do planeta e pai devoto.

Tudo por uma vida melhor

Barret é natural de uma pequena cidade chamada Corel, repleta de florestas e atividade de mineração de carvão. Sua esposa, Myrna, é acometida por uma doença desconhecida, debilitando-a ao ponto de correr risco de vida. Na tentativa de buscar mais recursos para cuidar de sua esposa e melhorar a vida de uma forma geral, ele decide se juntar a Shinra e ajudar a construir um reator Mako no local. Dyne, seu amigo de infância, fica relutante em aderir a ideia, mas é convencido por Barret, que na época acreditava que a proposta da empresa traria progresso na vida de todos.



Tudo corria bem até a chegada do grupo Avalanche com sua composição original (fundado pelos líderes: Elfé e Fuhito), que trazia uma postura muito mais totalitária e agressiva em sua maneira de combater a Shinra. A notícia de um novo reator Mako na cidade atraiu a atenção do grupo, que levou o conflito até o local e tomou o controle das instalações recém-construídas. Barret, sem conhecer a real intenção dos dois lados nessa guerra, toma partido de sua empregadora e alia-se aos Turks (uma divisão secreta da Shinra responsável por cuidar do trabalho sujo da empresa) na tentativa de retomar o controle da situação.



Mesmo obtendo sucesso na missão, Barret é surpreendido ao ver o reator, sua cidade, familiares e amigos pegos em um incêndio criminoso causado pela Shinra como forma de retaliação, pois a ardilosa empresa suspeitava que os habitantes de Corel teriam ajudado a Avalanche. Na tentativa de salvar seus entes queridos, ele e seu amigo, Dyne, são pegos em uma emboscada feita por tropas da Shinra. Como consequência, Barret salva o amigo segurando-o pela mão antes que ele caísse em um penhasco. Vendo toda a cena acontecer, Scarlet – uma das executivas do presidente Shinra – atira justamente no antebraço dos dois para impedir o resgate se concretize, condenado Dyne a morte e deixando Barret fugir com parte do membro decepado.



Em meio aos escombros da cidade, Barret encontra a filha de Dyne e decide adotá-la, tendo início então a história entre Barret e Marlene. Momentos depois, após estar recuperado dos danos sofridos, nosso herói decide implantar uma metralhadora no lugar do braço machucado, chamando a arma de “parceira” nos jogos. Ele acaba por conhecer sobre o grupo Avalanche, tomando parte do conceito da organização para si e criando sua própria célula de mesmo nome a fim de iniciar uma nova luta contra a Shinra. Parte dessa narrativa pode ser acompanhada em Before Crisis - Final Fantasy VII, um prequel lançado originalmente em 2004 para dispositivos móveis.



Salvando o planeta?

A frente de uma nova Avalanche em Final Fantasy VII, Barret orquestra sua luta contra a Shinra diretamente da cidade baixa do setor 7. Em seu grupo, ele conta com o apoio incondicional de seus amigos: Jessie, Biggs, Wedge e Tifa. Seu objetivo principal é explodir os reatores Mako um por um, responsáveis por drenar a energia vital do planeta. Na missão de destruir o reator do setor 7, por intermédio de Tifa, ele acaba se deparando com Cloud, um ex-SOLDIER que agora atua como mercenário e parte com a equipe para ajudar na missão de sabotagem. O temperamento explosivo de Barret o leva a entrar em atrito constante com Cloud, levando um bom tempo para que a amizade entre eles se estruturasse de forma positiva.



A missão da equipe estava fadada ao sucesso se não fosse pela manipulação da Shinra que, ao ver que perderia seu reator em uma explosão controlada, decide mandar todo o lugar pelos ares, causando um imenso estrago não só no complexo industrial, mas também na vida de civis do setor 7. Apesar da missão concluída, a operação gera o efeito reverso do esperado para o grupo rebelde, deixando a população revoltada contra o então taxado grupo terrorista.



Mesmo assim, Barret consegue reerguer a moral de seus amigos para mais uma empreitada. O alvo dessa vez seria o reator do setor 5. Contudo, a manipulação de Hedgehog, chefe de segurança da Shinra, os leva diretamente a mais uma armadilha. A bomba utilizada pela equipe é hackeada e todo lugar é explodido no intuito de prejudicar ainda mais a reputação da Avalanche, colocando a opinião pública a favor da Shinra. Tal feito abre margem para que os Turks desativassem o pilar de sustentação entre a cidade alta do setor 7 e a cidade baixa, onde Barret vive com seus amigos. Na tentativa de impedir mais uma catástrofe, Barret, a equipe da Avalanche junto com Cloud, Tifa e Aerith partem com tudo contra os Turks e suas tropas.



Apesar do ímpeto, Biggs, Jessie e Wedge  acabam morrendo durante o combate e todo o local é demolido na queda do pilar de sustentação. Mais uma vez Barret reviveria todo o trauma ocorrido em sua cidade natal. Isso deixa o valente líder à beira da loucura ao testemunhar todo o caos e destruição que simbolizaria a sepultura de seus amigos. O gigante de braço metálico estaria perdido se não fosse pelo aviso de Tifa informando que, a pedido dela, Marlene teria sido salva por Aerith. Acendendo uma chama de esperança e levando o grupo até a casa de sua companheira raptada pela Shinra durante o desastre.



No local, ao refletir por tudo que teria vivenciado até o momento e, ao ser questionado por Elmyra, mãe adotiva de Aerith sobre a irresponsabilidade de deixar uma criança sozinha enquanto se aventura pelo mundo, Barret explica que por trás de todo o discurso de salvar o planeta, na realidade, está o forte desejo de apenas garantir um futuro seguro para sua filha Marlene, sendo impossível manter-se indiferente diante aos abusos cometidos pela Shinra.



Essa reviravolta de acontecimentos marcam Barret durante toda sua trajetória no jogo. O sucesso nas duas missões de sabotagem e seus danos colaterais o levam a questionar-se e ser questionado a todo momento até mesmo em trechos mais adiante onde o foco da luta é o vilão Sephiroth, ao ponto que o personagem admite que todo o seu esforço é voltado para sua filha. Acabar com a Shinra, salvar o planeta: tudo é voltado para o bem estar de Marlene. Isso nos traz uma espécie de choque de realidade: atitudes heróicas são sempre louváveis, mas todas elas sempre carregam uma série de inspirações pessoais, por mais bem intencionadas que possam ser. Não devemos negligenciar isso, mas sim aprender a lidar com essas emoções,colocando planos e emoções no mesmo caminho.



O personagem continua sendo explorado nos episódios posteriores aos eventos de FFVII. Em In On the Way to a Smile – uma coletânea de pequenas histórias que se passam entre o jogo e a animação Advent Children – Barret, Cloud e Tifa revisitam diversos locais destruídos pelo conflito final, na tentativa de construir uma nova cidade (Edge). Tifa fica responsável por reabrir o bar, vivendo com Cloud e Marlene. Barret, por sua vez, parte em uma jornada buscando uma fonte de energia alternativa ao Mako enquanto tenta se redimir dos erros cometidos no passado. Uma das medidas de abandonar todo o passado repleto de guerras é trocar a metralhadora de seu braço por uma mão adaptada para um cotidiano pacífico.



Infelizmente o momento de paz não chega a durar tanto tempo, pois ao lado de Cid ele descobre que uma nova doença está assolando o planeta, ainda como consequência da luta final no enredo original do título. Os dois partem em busca da fonte de energia alternativa que possa impulsionar as pesquisas por uma cura. Curiosamente, a fonte encontrada é o Petróleo, levando os dois a focar seus esforços em explorar essa descoberta e disponibilizá-la para a população o quanto antes. Em Final Fantasy VII: Advent Children vemos mais desse cenário onde essa doença chamada de Geostigma está fora de controle, levando todo o grupo a agir em busca de uma solução.



Na animação, Barret aparece em poucas cenas, mas em todas elas exibe seu jeito escandaloso e de forte presença. A primeira é numa ligação com Cloud na qual afirma que encontrou um imenso depósito de Petróleo. A segunda é durante o combate contra o SIN Bahamut. Aqui podemos ver como ficou seu novo braço: de uma simples mão mecânica, ele é capaz de se transformar agora em um imenso canhão. O personagem ainda faz uma rápida participação em Dirge of Cerberus: Final Fantasy VII, que se passa após a animação de Advent Children. No spin-off focado em Vincent, ele se junta a Cloud e Tifa mais uma vez para ajudar o sagaz atirador em uma de suas missões e na luta contra Omega.



Um tanque de emoções e destruição

Barret é o tipo de personagem empolgante. Sua personalidade é extremamente enérgica, sempre com uma voz imponente que contagia seus companheiros, em alguns casos causando desconforto por sua rispidez. Tudo isso contrasta com seus momentos de vulnerabilidade nos quais ele vê que suas decisões, direta ou indiretamente, acabam levando ao sofrimento de outras pessoas. Graças o apoio de seus amigos e o dever de zelar por sua filha, Marlene, ele é capaz de aceitar seus pecados e seguir adiante buscando sempre a melhor saída.


Sua aparência é tão chamativa quanto seu jeito explosivo. Barret tem cerca de 1,97 de altura, sendo uma verdadeira montanha de músculos que impõe medo em qualquer pessoa normal. Seu rosto é marcado por duas cicatrizes abaixo do olho direito e seu cordão originalmente seria um pingente dado de presente por sua esposa Myrna, mas acabou sendo alterado para um par de dogtags. No remake lançado em 2020, ele é visto em grande parte do tempo usando óculos escuros. As armas acopladas em seu braço no decorrer da jornada são todas caracterizadas por armamentos pesados: metralhadoras giratórias, canhões e até mesmo uma garra gigante.



Em combate, ele se mostra como um verdadeiro tanque contendo os melhores atributos de ataque físico e defesa. Seu equipamento ultimate é o mais forte em termos de dano. Isso ainda se reflete em seus Limites envolvendo disparos carregados, explosões em massa e até tiros de satélite. Em sua técnica de Limite mais poderosa, Catastrophe, Barret dá um grande salto enquanto carrega sua arma ao máximo, liberando um gigante raio que atinge todos os inimigos. Apesar de menos famoso, rivaliza em poder destrutivo com o famoso Omnislah de Cloud.

Curiosidades


  • Barret foi um dos primeiros personagens criados por Tetsuya Nomura, designer de muitos personagens desde a quinta sequência da franquia. Há muito tempo que ele gostaria de utilizá-lo, mas não tinha o enredo adequado para encaixar um brutamontes com uma gigantesca arma acoplada no braço;



  • A princípio, o roteiro original mantinha viva a esposa de Barret e Marlene seria sua filha biológica;
  •  Barret é considerado o primeiro personagem negro da série Final Fantasy. Isso levantou algumas acusações de racismo na época por conta da tradução para o inglês que ficou carregada de gírias e uma maneira ríspida de falar, dando a entender para alguns que era algo típico de pessoas negras;
  • Em sua versão final, muitos consideraram que o personagem foi inspirado em Mr. T, famoso ator de Hollywood. Essa comparação fez Tetsuya redesenhar o personagem na animação Advent Children;
  • Originalmente, Barret seria o integrante da equipe de Cloud a morrer nas mãos de Sephiroth, mas os desenvolvedores acharam que seria óbvio demais e trocaram por Aerith;
  • Por conta de divergências no idioma japonês e inglês, Barret teve seu nome alterado diversas vezes em publicações especializadas. Barret tem a sonoridade semelhante a Bullet no Japão, o que levou a algumas revistas na época a publicarem o personagem com esse nome. Em algumas edições ele chegou a aparecer com o nome Barett;
  • A princípio, a trama principal envolveriam apenas três figuras principais: Cloud, Aerith e Barret.

“Não tem como sair desse trem antes do fim”

Barret pode não estar entre seus preferidos quando se fala de Final Fantasy VII, mas sua participação e contribuição para deixar a campanha ainda mais memorável merecem o devido reconhecimento. É parafraseando uma de suas muitas metáforas com trens que encerramos este artigo sobre esse personagem marcado por seu jeito bruto, repleto de altos e baixos em sua jornada, mas todos eles com a certeza de sua lealdade e zelo com seus companheiros e sua filha, Marlene. Espero que essa publicação tenha entretido vocês e agregado ainda mais informação acerca do rico universo de Final Fantasy VII.

Revisão: Farley Santos

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.


Disqus
Facebook
Google