Jogamos

Análise: Persona 5 Royal (PS4) é a versão definitiva de um dos melhores RPGs de todos os tempos

A nova iteração do game consegue ser ainda melhor, maior e mais divertida.

Considerado por muitos o melhor do seu gênero, Persona 5 (PS3/PS4) foi lançado em 2017 e obteve um sucesso estrondoso. Aproximadamente três anos depois, temos a chegada de Persona 5 Royal (PS4), uma espécie de versão definitiva do original. E põe definitiva nisso: mais missões, gráficos melhores, novos personagens e mecânicas aprimoradas são alguns exemplos das qualidades do game. Vista as suas máscaras, pegue o seu caderno e prepare as suas armas, pois vamos começar a análise desse excelente jogo!

Um sucesso absoluto

A série Persona teve origem como um spin-off da franquia Megami Tensei. O primeiro game, chamado Revelations: Persona (Multi), foi lançado para o PlayStation em 1996. Desde então, os títulos foram angariando cada vez mais sucesso e se tornaram reconhecidos como alguns dos melhores JRPG da indústria dos jogos eletrônicos. A série até mesmo recebeu seus próprios spin-offs, incluindo games de luta e dança.
Muitos personagens e histórias incríveis em Persona 5
Até então, o último grande título da franquia era Persona 5 (PS3/PS4). Lançado em abril de 2017, o game teve uma recepção praticamente perfeita. Jogadores e crítica concordaram em todas as qualidades do game: gráficos estilosos, história fascinante, trilha sonora envolvente, mecânicas de jogo variadas e bem refinadas, grande quantidade de conteúdo... ou seja, um título digno dos melhores entre os melhores.

Jogadores familiarizados com a série, entretanto, sabiam que a chance de uma nova versão do game era muito provável. Afinal, essa já havia se tornado uma tradição da franquia Persona. A espera chegou ao fim no dia 31 de março de 2020, com o lançamento da versão “definitiva” de Persona 5: Persona 5 Royal (PS4), ou simplesmente P5R.
Mais um título excelente para a franquia Persona
Produzido pela P-Studio e publicado pela Atlus, o game tinha a responsabilidade de ser uma experiência relevante frente ao sucesso da versão original. Sem medo de errar, posso afirmar que a missão foi cumprida com absoluto louvor. P5R mantém todos as qualidades de Persona 5, melhora alguns pontos específicos e apresenta muitas novidades incríveis, incluindo mecânicas de jogo, missões, itens e personagens.

Antes de realmente começarmos a análise, destaco que, por razões óbvias, ela vai dar um pouco mais de foco nas diferenças e novidades em relação ao game original. Mas se você não conhece essa “versão mais antiga”, não se preocupe. A matéria irá trazer informações suficientes para que qualquer um possa entender porque Persona 5 Royal será um dos melhores games do ano (sempre procurando reduzir os spoilers ao mínimo).
Pronto para roubar corações em P5R?

Tudo que a versão original tem a oferecer....

O game conta a história de um jovem estudante que, após um incidente onde foi acusado injustamente, teve que se mudar para o sótão de uma cafeteria em Tóquio. Sob provação pelo seu “crime”, ele precisa evitar confusões e viver discretamente. Tudo muda, entretanto, quando, durante um sonho, ele toma conhecimento do enigmático Metaverse.
O silencioso protagonista e o gato Morgana (na sua forma do mundo real)
Através dessa espécie de outra dimensão, o coração de pessoas malignas pode ser “roubado” e, assim, levá-las a confessar seus crimes. Logo no seu primeiro dia de aula, o protagonista (cujo nome é escolhido pelo jogador) conhece Ryuji Sakamoto, um colega da escola Shujin Academy. Juntos, ambos têm sua primeira experiência no Metaverse e acabam libertando o misterioso "gato" Morgana. Logo na sequência, conhecemos a charmosa, mas triste, Ann Takamaki.
Morgana (na forma do Metaverse) é um dos personagens principais de P5R
Juntos, os quatro personagens formam os Phantom Thieves of Hearts, um grupo de jovens (mais o Morgana) que busca mudar os corações de adultos malvados. Embora meio clichê, o enredo se desenvolve de maneira bem planejada e a inserção de novos elementos, inimigos e aliados é muito natural e interessante. P5R não muda boa parte da já excelente história principal, sendo que as maiores novidades nesse quesito estão mais para o fim do game.

As batalhas envolvem criaturas chamadas de Personas, que também habitam as máscaras dos heróis. Suas formas são variadas, sendo baseadas em contos de fada, demônios, animais, folclore japonês, entre outros gêneros. Os ataques especiais giram em torno de elementos, como fogo, gelo, vento e nuclear. Ataques físicos e uma grande variedade de itens completam as habilidades, que têm como foco explorar fraquezas e resistências.
Realizar fusões é fundamental para obter Personas novos e mais poderosos
Além das missões como vigilante, Joker (que é o codinome do protagonista) precisa cuidar da sua vida como estudante e como membro da sociedade. E é esse equilíbrio entre várias mecânicas de jogo que torna os títulos da série Persona tão interessantes. Não basta derrotar os vilões; é preciso tirar boas notas, relacionar-se com pessoas, conhecer novos lugares da cidade, adquirir habilidades pessoais, etc.
As batalhas, apesar de serem por turnos, são dinâmicas e cheias de recursos
Embora todas essas informações pareçam tornar tudo muito complexo, saiba que P5R (e a franquia como um todo) consegue equilibrar cada elemento perfeitamente. Todos estão ligados, pois cada ponto da vida do protagonista é importante e completa o andamento da aventura. E é esse um dos segredos da série Persona: desafios variados que se completam, sempre com qualidade, desafio e diversão.

... com várias novidades incríveis!

Persona 5 Royal traz uma grande quantidade de novas atrações e melhorias pontuais. Uma das mais significativas é a adição de dois novos personagens. A primeira é chamada de Kasumi Yoshizawa, uma estudante e ginasta que se torna membro dos Phantom Thieves. O segundo é o conselheiro chamado Takuto Maruki, que trabalha na escola Shujin. Ambos são interessantes e valem o tempo investido.
Kasumi e sua Persona, Cendrillon
O detetive Goro Akechi, antes um contato menos próximo, ganhou mais espaço para se relacionar com Joker. Os três personagens, inclusive, estão diretamente ligados ao novo segmento da campanha adicionado em P5R (passar bastante tempo com eles é essencial). Consistindo em um semestre extra, essa parte oferece uma nova missão para ser vencida pelo grupo de jovens, assim como vários outros conteúdos adicionais.

Persona 5 Royal também recebeu a adição de um novo distrito em Tóquio: Kichijoji. São muitas atividades disponíveis para realizar nele: jogar bilhar e dardos com os amigos (que pode aumentar o relacionamento e as habilidades de todos); visitar um clube de jazz (que permite passar os colegas de nível); novas lojas e itens (que compram recursos antes sem tanto valor, por exemplo).
Kichijoji traz muitas atrações para curtir sozinho ou com os amigos
O jogo de dardos, aliás, melhora o recurso Baton Pass, que foi modificado em P5R. Agora, ele tem um sistema de níveis que aumenta os benefícios de quem o utilizar. As batalhas contra os chefes também foram alteradas, tornando-se mais interessantes e exigindo um pouco mais de planejamento. Os Palaces, que são como grandes fases no game, também receberam a adição das escondidas Will Seeds e de seções com o item grappling hook.
Joker e seu grappling hook em ação!
Um dos pontos mais criticados pelos jogadores, Mementos e seu sistema de níveis gerados aleatoriamente foi incrementado. Agora, é possível coletar estampas e flores durante a exploração e trocá-las com o simpático Jose. O novo personagem permite ao jogador obter alguns itens raros, além de alterar as condições do cenário para favorecer o ganho de dinheiro, experiência e/ou itens durante os combates.

Esmero também  nos detalhes

Mesmo que o game em si não tenha mudado absurdamente (falarei mais sobre isso), é impressionante como cada novidade e modificação foram feitas corretamente. Tudo foi costurado de forma suave no já existente (e excelente) Persona 5, tornando a aventura ainda mais incrível, otimizada e completa. Mesmo sendo um jogo para mais de 100 horas, o tempo parece passar rápido nesse belo game.

Além das novidades já citadas, que considero mais significativas, Persona 5 Royal também recebeu um tratamento em vários pontos menores do game. Embora não sejam tão chamativos, eles certamente complementam a experiência e demonstram um cuidado da produtora em entregar uma versão realmente “definitiva”. Um exemplo são as limitações impostas por Morgana, outra reclamação recorrente dos jogadores.
A hacker Futaba ganhou sua própria finalização em P5R
O nosso curioso gato não é mais tão irritante e permite ao jogador fazer melhor uso do tempo. Assim, temos mais possibilidades para avançar em pontos secundários do game. Várias cenas “mudas” receberam dublagem e temos novas formas de interação entre os personagens, incluindo através da utilização de ligações e fotografias.

Também temos mais pequenas novidades no quesito batalhas. Personas agora têm habilidades passivas, incluindo redução no custo de golpes e aumento de dano. Para obter novas criaturas, o recurso chamado Fusion Alarm permite que Personas poderosas possam ser obtidas com um risco de resultados inesperados. Essa possibilidade surge eventualmente e o jogador deve ficar atento para aproveitá-la adequadamente.
Caroline e Justine oferecem lutas especiais em Persona 5 Royal
Novos tipos de Shadows, que são os inimigos que enfrentamos no game, foram adicionados. Logo, a coleção de Personas, que podem ser obtidos ao se “capturar” os oponentes enfraquecidos, aumentou ainda mais. As batalhas também receberam a presença de inimigo instáveis, que tanto podem facilitar como dificultar as lutas. Finalmente, deixo um destaque para os ataques Showtime: poderosos e divertidos, eles salientam ainda mais o charme e a beleza do game.
Makoto e Haru juntas em mais um dos divertidos golpes Showtime

It is almost scary how good I am

Os gráficos, ainda que não mudem muito em relação ao original, foram melhorados. Bordas e texturas estão mais polidas e caprichadas, e alguns efeitos ficaram mais agradáveis. Vale lembrar que o Persona 5 original foi inicialmente concebido em 2013 como um exclusivo do PS3. Entretanto, com a chegada do PS4 em 2014, o game começou a ser projetado para ambos os consoles, o que certamente limitou o título em alguns pontos.
Os visuais de Persona 5 Royal são incríveis, com muitas cores e estilos originais
Muitas músicas novas foram adicionadas, todas elas no mesmo nível de qualidade das já conhecidas. Deixo um comentário sobre a abertura inédita: a canção é ótima, mas perde em impacto em relação a original Wake Up, Get Up, Get Out There. Mas não se preocupe, pois ela, e várias outras, podem ser facilmente conferidas no Thieves Den. Ele, aliás, é uma das maiores novidades do game, consistindo em uma espécie de super biblioteca de P5R.

Nela, é possível curtir uma infinidade de colecionáveis dos Phantom Thieves, incluindo estátuas, quadros, músicas, vídeos... Tudo pode ser comprado e customizado com moedas obtidas ao se realizar feitos específicos ao longo do game. Dado o charme e a quantidade de material interessante que o jogo possui, ter um local assim foi uma excelente adição.
Também é possível jogar partidas de cartas com os Phantom Thieves no Thieves Den
No final das contas, o único ponto (relativamente) fraco de P5R acaba sendo quanto ao seu enredo. Apesar das inúmeras melhorias e novidades apresentadas nessa nova versão, vale lembrar que um dos maiores destaques do game original foi a história da sua campanha. Afinal, ela é envolvente e divertida, com várias reviravoltas e muitas histórias secundárias interessantes para se explorar.

Logo, considerando que o novo game é (num chute aproximado) 70% igual ao original, vários momentos chave não têm mais o mesmo impacto para quem já jogou. Não que a história não mereça ser revisitada ou que as as muitas mecânicas de jogo não sejam atraentes por si só. Pelo contrário: curtir Persona 5 Royal com as novidades, ainda que não tão absolutamente marcante quanto antes, é ainda mais divertido e desafiador, sendo altamente recomendado para todos os jogadores.
Revisitar essa turma é sempre garantia de muita diversão e grandes emoções

You are looking cool, Joker!

Realizando uma façanha improvável, Persona 5 Royal (PS4) consegue ser melhor do que Persona 5 (PS3/PS4), considerado até então o melhor do seu gênero. As qualidades são muitas: os gráficos são mais belos; as batalhas e os recursos aprimorados; os personagens e seus relacionamentos mais interessantes; a história principal e suas missões secundárias ainda melhores. Revisitar a aventura dos Phantom Thieves of Hearts foi novamente uma rica, divertida e desafiadora experiência. P5R é um título obrigatório, tanto para novos jogadores quantos para os veteranos.
Joker e seus companheiros estão prontos para roubar corações novamente!

Prós

  • Estilo do game é incrível, incluindo menus, cutscenes e designs de personagens e cenários;
  • Gráficos ainda mais bonitos;
  • Adições significativas como o Thieves Den, novos personagens, missões e cenários inéditos;
  • Mecânicas de jogo ainda mais divertidas, variadas e viciantes;
  • Vários detalhes que melhoram a qualidade de vida do game, como mais tempo livre e novas opções nas batalhas.

Contras

  • Ainda que tenha muitas novidades e valha muito a revisita, o game perde um pouquinho do seu impacto para quem já jogou (sobretudo se foi há pouco tempo);
Persona 5 Royal - PS4 - Nota: 10.0
E você, leitor? O que achou de Persona 5 Royal? Já havia curtido a também incrível versão original? Deixe a sua opinião.
Revisão: Mariana Mussi S. Infanti
Análise produzida com cópia digital cedida pela Atlus

é redator de matérias sobre games desde julho de 2016 e um grande fã da décima arte, embora não tenha muito tempo disponível para ela. Seus games favoritos (que formam uma longa lista) incluem: Kingdom Hearts, Guitar Hero, Zelda, Crash, FIFA, COD, Pokémon, MvC, Yu-Gi-Oh, Resident Evil, Bayonetta, Persona, Burnout e Ratchet & Clank.


Disqus
Facebook
Google