PlayStation 2 – 20 anos do console que marcou uma geração

Conheça a história, curiosidades e os jogos que se popularizaram e nasceram no console mais vendido da história.

O ano 2000 marcou o início de um novo milênio. Os costumes, o comportamento, a maneira como interagíamos com a tecnologia nos moldava para a grande revolução que a internet das coisas causaria em nossas vidas poucos anos depois. Você se lembra do que era “top” em matéria de tecnologia naquela época? O MP3 player, a câmera digital, os DVDs. Os pendrives também começaram a aparecer naquela época – os de 2 GB custavam o mesmo que um cartão de memória de 128 GB custa atualmente – para substituir os disquetes de 3,5 polegadas. Nossa! Disquetes! – E hoje tudo isso está resumido a um dispositivo chamado smartphone, onde você pode até estar lendo este texto agora.


Neste mesmo ano, no Japão, a Sony lançou o sucessor do seu primeiro console, o PlayStation 2. Provavelmente alguns de vocês que estão lendo nem eram nascidos naquele ano, e devem até ter parado para pesquisar sobre os produtos que citei no parágrafo anterior. Mas hoje queremos que você dedique alguns minutos de seu tempo para conhecer este que se tornou o console mais vendido da história. Fatos e curiosidades de algo que, independente de qual seja seu console de preferência hoje, se tornou um fenômeno inquestionável da indústria de games mundial.

4 de março de 2000

A popularidade do primeiro PlayStation foi o combustível que moveu os japoneses para as lojas no lançamento do PlayStation 2. Enormes filas tomaram conta das calçadas das principais lojas do país e o sucesso do console já podia ser medido nas primeiras 24 horas de venda do aparelho. Os números mostram o tamanho do sucesso do PS2, alcançando a impressionante marca de 250 milhões de dólares de faturamento na venda de consoles, jogos e acessórios. A quantidade de consoles vendidos passou de 980 mil em 5 de março e as lojas sofreram com desabastecimento.


Em outubro do mesmo ano, o console foi lançado nos Estados Unidos e as vendas foram tão tumultuadas quanto no Japão. Além da popularidade do console, que também era alta no país, outros fatores ajudaram a impulsionar as vendas do console na “terra do Tio Sam”, onde era vendido a 299 dólares.
PlayStation 2 chega às lojas do Japão
O DVD já era popular no país e alguns norte-americanos até usavam isso como desculpa para comprar o console justamente por ser mais barato ou custarem o mesmo preço que os modelos mais básicos de tocadores de DVD. Um dos acessórios disponíveis para o console era justamente um controle remoto para dar mais comodidade aos consumidores que gostavam de usar o PS2 para assistir filmes. O console também contava com uma saída óptica para conectá-lo a um home theater.

Uma verdadeira estação de entretenimento

Assim como seu antecessor, o PlayStation 2 serve para muito mais do que apenas jogar videogame. O PS2 é equipado com um leitor de CD e DVD, podendo ser usado para funções multimídia. Além de assistir filmes, o PS2 também funcionava para reprodução de CDs de música. É retrocompatível com quase todos os jogos do primeiro PlayStation, ponto que favoreceu muito as vendas do console tornando a migração para o novo console mais atrativa para os jogadores. Os controles e memory cards do PlayStation são compatíveis com o PS2.

Os controles do PlayStation 2 seguiram um padrão diferente do adotado pelos concorrentes na época, mantendo sua ergonomia idêntica ao modelo do seu antecessor, mas agora adotando os controles analógicos como padrão. O DualShock 2 tem como principal diferença física a sua cor, que passou a ser preta para facilitar a diferenciação com o primeiro modelo e os botões de gatilho com um sistema chamado de force feedback, que consegue medir a pressão aplicada nos botões. Essa feature foi mais utilizada em jogos de tiro para simular a pressão realizada no gatilho das armas de fogo.
DualShock 2
Um dos pontos que o Dreamcast, da SEGA, sempre enfatizava em seu console foi o acesso à internet por meio de um modem no console para navegar e também para jogar online. Uma das críticas que o PS2 recebeu no lançamento foi a ausência dessa função, mas o console ganhou essa capacidade em modelos atualizados que continham uma baia de expansão para uso de um adaptador de rede que era vendido separadamente. O adaptador, além de proporcionar uma funcionalidade online para jogos compatíveis, permite a conexão com um disco rígido formato IDE, o mesmo utilizado nos computadores da época. O disco era utilizado para baixar atualizações de jogos que possuíam função de jogo online, mais comum nos esportivos do console, como os das séries MLB, NFL e FIFA.
Adaptador de rede do PlayStation 2
O PS2 possui duas portas USB que são usadas para conectar acessórios específicos como headsets, a câmera Eye Toy e o teclado e mouse do kit Linux que foi lançado para o console em 2002. Apesar de parecer, o console não permite nenhuma outra interação pelas portas USB, como reproduzir músicas e visualizar fotos de um dispositivo de armazenamento conectado ao aparelho de forma nativa.
Eye Toy
Alguns jogos possuem suporte para até oito jogadores graças ao uso de adaptadores para os controles, os multitap. Cada um suporta a conexão de até quatro controles e dois podem ser conectados ao console para possibilitar sessões de jogo com oito pessoas. Era mais comum encontrar jogos com suporte para até quatro jogadores, mas títulos esportivos eram os mais propícios a oferecer suporte para oito jogadores simultaneamente, fazendo do PS2, provavelmente, o único console da geração a proporcionar isso.
Multitap
Em 2003, um modelo aprimorado com capacidade de gravação de vídeos em formato digital e discos em DVD foi lançado exclusivamente no Japão, chamado de PSX. O preço e as funcionalidades que não eram tão usadas foram o motivo do PSX não ter conseguido nem sair do país, fazendo com que o se tornasse um item de colecionador. O CrossMediaBar (XMB), interface de menu utilizada no PSP e no PS3, teve sua primeira versão utilizada no PSX.
PSX era "Top" mas foi um "flop"

Uma biblioteca de jogos gigantesca e memorável

O salto gráfico em comparação ao seu antecessor foi algo que chamou muito a atenção no lançamento do PlayStation 2. O 3D já era popular e agora o foco dos desenvolvedores foi criar jogos com mais realismo e detalhes para os jogadores. Os jogos de esporte possuíam mecânicas mais detalhadas, os jogos de luta mais beleza e precisão nos movimentos, os de aventura mais cenários deslumbrantes e efeitos que deixavam os jogadores boquiabertos, e os RPGs mais épicos e elaborados.
Lineup de lançamento do PS2 nos EUA
A biblioteca de jogos do PS2 é uma das maiores do mundo, com 3874 títulos dos mais variados gêneros. Dentre eles, franquias memoráveis nasceram e se popularizaram graças à gigantesca base instalada e crescente do console. Alguns desses são verdadeiras pérolas que resistem ao tempo e são populares até hoje tanto no próprio console quanto através de relançamentos para as plataformas atuais. Vamos relembrar aqui alguns dos principais jogos que debutaram no PlayStation 2 e se tornaram clássicos ou franquias que fazem sucesso até hoje.

Grand Theft Auto: San Andreas – 2004

Este é o jogo que mais vendeu no PS2. Era muito difícil conhecer alguém que tinha o console e não possuía GTA: San Andreas em sua coleção. Esse foi o jogo que melhor apresentou a proposta de mundo aberto na época e é até hoje uma referência para a franquia da Rockstar. O jogo é vendido até hoje para plataformas atuais, incluindo o PC e até o dispositivo Kindle Fire, da Amazon. O jogo vendeu 17,3 milhões de cópias.

Gran Turismo 4 – 2004

A quarta entrada do simulador de corrida chegou a um ápice no PS2. A física e o nível de realismo gráfico apresentados em Gran Turismo 4 são pontos de destaque para o jogo até hoje. A reprodução de localidades reais como Côte d’Azur, em Mônaco, e Nürbugring, na Alemanha, continuam fenomenais para os padrões da época. Você sabia que Gran Turismo 4 é um dos pouquíssimos jogos com suporte nativo para resolução em 1080i? Vendeu 11,7 milhões de cópias.

Final Fantasy X – 2001

Final Fantasy VII foi um marco para o gênero no PlayStation. No PlayStation 2, Final Fantasy X chegou no ano seguinte ao lançamento do console para se tornar uma referência para o gênero na nova geração. Os gráficos e cutscenes do jogo mostravam o potencial do console para as épicas aventuras em RPG que receberíamos nos anos seguintes. E como falar de Final Fantasy X e não lembrar de 'To Zanarkand'? Impossível! Vendeu 8,6 milhões de cópias.

Kingdom Hearts – 2002

Tetsuya Nomura, diretor de vários jogos da franquia Final Fantasy, é o responsável por juntar dois mundos que dificilmente se encontrariam em outra ocasião. A jornada de Sora, Donald e Pateta pelos vários mundos da Disney na luta contra a escuridão começou no PS2 e atravessou anos e vários outros consoles até os dias de hoje, agora com todos os jogos disponíveis para o PlayStation 4. Vendeu 6,3 milhões de cópias e recebeu uma sequência para o console em 2005.

God of War – 2005

Usado e traído pelo Deus da Guerra Ares, Kratos quer vingança. E ele fará de tudo para realizá-la. Em 2005, conhecemos a história do homem que se tornou um dos personagens mais característicos do console. Com 4,6 milhões de cópias vendidas, God of War começou uma das mais importantes franquias exclusivas do PlayStation, atravessando gerações e colecionando fãs até hoje. O jogo recebeu uma sequência em 2007, quando o PlayStation 3 já estava disponível no mercado e mostrando que o PS2 ainda tinha muito fôlego mesmo com um novo console inserido no mercado.

Metal Gear Solid 3: Snake Eater – 2004

Considerado pela maioria dos fãs como o melhor jogo da franquia, Snake Eater era outro título obrigatório para os donos de um PlayStation 2. Com um clima cinematográfico e a jogabilidade com elementos de sobrevivência e técnicas de camuflagem, foi um jogo que ajudou a introduzir mais jogadores à obra de Hideo Kojima para os que não chegaram a conhecer a série no primeiro PlayStation. E claro, não poderíamos deixar outra pérola musical ficar de fora ao relembrar este jogo.

Need for Speed Underground – 2003

Para os que curtem a franquia Need for Speed, sempre que um novo jogo sai, temos a clássica do “Underground que era bom” ou “Por que vocês não fazem um remake de Underground?”. Need for Speed Underground foi um jogo tão marcante para a franquia, que é referenciado até hoje. O fenômeno de Underground pegou carona em outra febre da época. O filme +Velozes +Furiosos estreou no mesmo ano e a vibe do filme ajudou na popularidade do jogo da EA, que recebeu uma sequência direta no ano seguinte. E este foi mais um jogo com uma música que ficou eternizada com ele.

Dragon Ball Z Budokai 3 – 2004

Considerado um dos melhores jogos de Dragon Ball Z de todos os tempos, Budokai 3 foi um dos primeiros jogos a trazer um elenco de personagens que agradava a maioria dos jogadores e uma jogabilidade simples e convidativa para quem gostava de jogar mais casualmente. Além de trazer um modo história que resumia bem toda a saga do anime. E claro, também tem uma música de abertura memorável que também merece ser lembrada e me atrevo a dizer que é a melhor fora dos animes.

Shadow of the Colossus – 2005

Considerada uma obra-prima da história dos videogames, a aventura solitária de um guerreiro contra os 13 colossos de uma terra vazia e quase sem vida para trazer seu amor de volta à vida impressiona até hoje pela jogabilidade que instiga o jogador a descobrir como lutar contra cada um dos gigantescos monstros. O jogo foi convertido para o PS3 com gráficos em alta definição e suporte a televisores 3D e um remake para o PS4 foi lançado em 2018.

O PlayStation 2 no Brasil

O console só foi lançado oficialmente no Brasil em outubro de 2009, quando o PS3 já estava prestes a completar 3 anos de lançamento no resto do mundo. Mas a popularidade do PS2 no país já era muito alta desde o seu lançamento oficial em 2000, por conta da grande quantidade de jogadores donos do primeiro PlayStation. Lojistas e importadores já vendiam o PS2 aqui antes do lançamento oficial.

A força do console no Brasil foi alimentada pela pirataria. A grande maioria dos aparelhos vendidos no país eram modificados com chips que permitiam a leitura de discos não oficiais com os jogos, além de permitir a leitura de discos de regiões diferentes das do aparelho. Também existem métodos via software para permitir que ele faça a leitura de jogos de forma alternativa.

Quando o PS2 foi lançado no Brasil, o console já contava com sua versão mais popular, o PS2 Slim. Ele era muito menor que seu primeiro modelo, consumia menos energia e já contava com o adaptador de rede integrado ao console, o que facilitou o acesso à funcionalidade online, pelo menos nos Estados Unidos, na Europa e no Japão. Mesmo com o lançamento oficial do PlayStation 2 no Brasil, o comércio paralelo de jogos e consoles continuava forte por conta do preço menor do aparelho e dos jogos.
PS2 "Fat" e seu modelo magrinho, o PS2 Slim

Um dos maiores legados da indústria

A Sony só encerrou oficialmente a produção do PlayStation 2 em 28 de dezembro de 2012 no Japão e em 4 de janeiro de 2013 no restante do mundo, mesmo ano de lançamento do PlayStation 4. Durante seus quase 13 anos de vida, foram vendidos mais de 157 milhões de consoles em todo o mundo, o que fez do PlayStation 2 o console de videogame mais vendido da história.
Uma das maiores bibliotecas de jogos de todos os tempos.
Recentemente, o Guinness World Records reconheceu a marca PlayStation como a de consoles domésticos mais vendida do mundo, com mais de 450 milhões de unidades vendidas desde 1994, ano do lançamento do primeiro console.

Alguns grandes títulos que estrelaram no PS2 continuam vivos no PS4 em forma de remakes, remasterizações ou novos jogos, como God of War, Devil May Cry, Monster Hunter, GTA San Andreas e Final Fantasy XII, apenas para começar. Além de uma comunidade apaixonada que continua a demonstrar seu carinho pelo console.

Qual sua história com o PS2? Compartilhe nos comentários sua lembrança com o console. Seu jogo favorito, um momento memorável, um lançamento. 20 anos de história merecem ser celebrados com uma boa história pra contar.
Este é o meu. Adquirido em 2004, fruto de pouco mais de dois salários do meu primeiro emprego. Funciona perfeitamente até hoje.
Revisão: Ives Boitano

Tecnólogo em Gestão Ambiental, produtor do BlastCast e sincero até demais. Jogador casual de muitos e hardcore em poucos. Adora jogos multiplayer que causam discórdia e fogo no parquinho. @XelaoHerege

Comentários

Google
Disqus
Facebook