Halo (Multi): a lore que sustenta um dos mais importantes FPS de todos os tempos (Parte 4)

Com o fim da guerra contra o Covenant e a possível eliminação do Flood, a espécie humana e seus aliados extraterrestres pareciam ter um pouco de paz para seguirem com suas respectivas histórias.

Halo 4 (Multi) foi o primeiro jogo desenvolvido pela 343 Industries (outrora apenas responsável pelo gerenciamento da franquia) e inicia uma nova e importante saga, denominada Reclaimer (que integra ainda Halo 5: Guardians e Halo Infinite).


Como já antecipado, há até o momento três jogos que representam essa nova fase do título, sem ignorar títulos que pertencem a outra saga, a Spartan Series, que englobam eventos antes e durante a guerra promovida pelo Covenant. No entanto, por uma questão meramente de linha histórica, nos manteremos nos eventos ocorridos a partir de Halo 4.

Com ou sem John-117, o show não pode parar — mas o espetáculo é todo sobre ele

Após três longos artigos, já ficou mais do que perceptível que a história de Halo é ampla, complexa e muito bem desenvolvida e que, embora Master Chief seja um dos principais nomes da franquia, dividiu atenções com diversos outros personagens de igual importância.

Halo 4, por sua vez, foca quase que exclusivamente em John-117, que se ergueu após passar mais de quatro anos em suspensão criogênica dentro dos destroços da fragata Forward Unto Dawn, de acordo com os eventos finais de Halo 3.
A exploração se torna muito agradável com estes gráficos.
Tendo ao seu lado a leal IA Cortana, a espaçonave onde o soldado repousa se aproxima de Requiem, um planeta escudo desenvolvido pelos Forerunner a fim de se protegerem do Flood, além de ser uma arma mais eficaz contra o parasita do que as estações Halo.

O título foca em exploração e descobertas, tais como a superação dos humanos e do United Nations Space Command após a guerra, a adaptação e a absorção de tecnologias Forerunner para seus equipamentos de exploração e guerra, além da presença de espécies alienígenas ainda leais aos ideais religiosos do Covenant.

Por outro lado, mais do que os remanescentes da praticamente destruída aliança extraterrestre, Master Chief teria de lidar com inimigos antigos da espécie humana. E com antigos, queremos dizer muito, muito antigos.

Os autoproclamados Herdeiros do Manto

A bordo da Forward Unto Dawn, Cortana desperta John-117 de seu sono, informado que a aeronave está sob ataque. Além disso, enquanto Master Chief dormia, desenvolveu um novo firmware para a armadura do espartano, atualizando sua HUD e sua capacidade.

Indo ao encontro da ameaça, John-117 se depara com um soldado Sangheili, indagando à inteligência artificial a razão pela qual a espécie outrora aliada os atacava, não obtendo qualquer resposta de Cortana. Após vencer os inimigos iniciais, o soldado se dirige ao convés da popa e averigua que diversas espaçonaves que integravam o antigo Covenant cercavam a fragata, lideradas por Jul 'Mdama, um importante líder militar Sangheili leal ao Covenant e que se tornou o líder do que ainda restava da antiga aliança extraterrestre.
"Lamento ter de lhe acordar, mas..."


A fim de se afastarem da hostilidade, John-117 e Cortana fazem um pouso forçado em um Requiem. Após abandonarem a fragata, encontram um Warthog (veículo militar leve de reconhecimento terrestre) e exploram o “planeta escudo” a fim de encontrarem um meio de contatarem o United Nations Space Command.

Em sua jornada, enfrenta não apenas grupos de caça liderados por ‘Mdama, como também construções Forerunner, as quais Cortana denominou como Promethean — o mais poderoso grupo de soldados leais aos Forerunner e cujo principal local de estabelecimento era o próprio Requiem.
Um remanescente do Covenant: Jul 'Mdama.


Enquanto John-117 envia um comunicado ao UNSC Infinity (um cargueiro militar desenvolvido em segredo pelo United Nations Space Command), informando sobre os riscos envolvendo a gravidade induzida que levou ao colapso do Forward Unto Dawn (o mesmo que manteve Master Chief preso em outro plano), um novo e perigoso inimigo surge: Ur-Didact, líder dos Promethean.

Para Didact, os humanos são fracos e inglórios para serem os “Herdeiros do Manto”, razão pela qual proclama o retorno dos Precursores. Como fiéis ao entendimento de que estes são deuses, Jul ‘Mdama e seus homens juram lealdade ao líder dos Promethean, que embora os vejam como uma espécie “primitiva”, aceitam sua subordinação.
Altamente inteligente e perigoso: Ur-Didact.


Com a instalação entrando em colapso após Chief desativar alguns de seus “nós”, John-117 e Cortana se dirigem à superfície do planeta escudo, reconhecendo que a mensagem alertando o UNSC Infinity sobre os riscos da região chegou tarde: a espaçonave havia caído a 70 km do local onde se encontravam, sendo imediatamente cercada por soldados Covenant e Promethean.

Diante da possibilidade de combater o inimigo, ainda que sob ataque, Master Chief e os espartanos a bordo da Infinity elaboram um plano de ataque terrestre a fim de unirem forças contra a ameaça de Ur-Didact. Na oportunidade, John-117 imediatamente reconhece antigos subordinados, tais como o Comandante Thomas Lasky. Com a união de forças — e a utilização, por Chief, de um novo veículo de combate (YGGDRASIL Mark IX Mantis) —, as forças humanas se vêem em vantagem.

Pelo bem dos deuses

Os Precursores foram a primeira espécie a sofrer com os males oriundos do Flood. Temendo que as estações Halo não fossem suficientes para combater o parasita, o próprio Ur-Didact desenvolveu uma tecnologia — The Composer — para transferir consciência orgânica para um software, o que levaria ao desenvolvimento do poderoso exército Promethean. A tecnologia foi desenvolvida durante o conflito original entre humanos e a espécie Forerunner. Ao passo que os humanos fugiam do Flood e exterminavam todos os infectados encontrados, Didact e seu exército, representando os Forerunner, eliminaram quase completamente a espécie humana, trancafiando-a na Terra.
The Composer.


Neste reencontro, o agrupamento humano precisa impedir que Didact utilize a tecnologia Forerunner para atacar a Terra, o que faz com que Master Chief realize uma série de ataques contra a fortificação do inimigo. A campanha não é bem sucedida, já que Ur-Didact se evade com a espaçonave Mantle's Approach, municiada com o The Composer.

A bordo da aeronave inimiga, John-117, carregando consigo um dispositivo nuclear portátil, tenta a todo o custo inviabilizar um ataque direcionado à América do Norte. A despeito de seus esforços, o poderio físico e mental do militar Precursor é superior ao de Master Chief, forçando Cortana, já no final de sua vida útil, a estabelecer seus últimos esforços para imobilizar Didact, permitindo que Chief acione manualmente a bomba nuclear. Após o acionamento do dispositivo, a IA teletransporta John para fora da espaçonave.
A despedida de dois amigos e, possivelmente, apaixonados um pelo outro.


Já no espaço, Master Chief é recebido por uma espaçonave de resgate do United Nations Space Command e, a despeito da vitória recém obtida contra o exército Promethean, um feixe de luz oriundo do The Composer é visto na cidade de New Phoenix, fazendo com que todos os seus habitantes simplesmente desaparecessem. Uma nova disputa pelo território terrestre se iniciaria.

Revisão: Ives Boitano

Mineiro, apaixonado por livros, música, filmes, discussões, Magic: The Gathering e, claro, jogos eletrônicos.


Disqus
Facebook
Google