Jogamos

Análise: Darksiders Genesis (Multi): conhecendo a relação entre dois Cavaleiros em um excelente hack n'slash

Desenvolvido pela Airship Syndicate, o novo título da série Darksiders faz bonito em um jogo de aventura e pancadaria estiloso.


Darksiders Genesis (Multi) é o quarto título da franquia iniciada em 2010. Alterna a perspectiva de câmera, mas mantém o estilo de jogo muito semelhante ao título original, mesclando combate ágil e imponente, quebra-cabeças típicos da série e uma história que precede os acontecimentos do primeiro Darksiders.


Os protetores do Equilíbrio

Darksiders Genesis tem Conflito e Guerra como protagonistas. Ambos são Cavaleiros do Apocalipse e servem ao Conselho. Sua missão é manter o equilíbrio universal entre a existência de anjos e demônios. Quando Lúcifer, Senhor do Inferno, começa a tramar contra o Equilíbrio, o Conselho envia os Cavaleiros ao próprio inferno para descobrir quais os planos do Ardiloso, para que então possam enfrentá-lo e impedir suas artimanhas.

Genesis se passa antes dos eventos do Darksiders original, e introduz Conflito como o quarto Cavaleiro do Apocalipse de forma jogável (ele já havia sido apresentado em Darksiders III). O título mostra bastante da relação entre os irmãos, especialmente no que concerne os conflitos e motivações de cada um. Conflito age não apenas por ter jurado lealdade ao Conselho, mas também para manter a mente ocupada e deixar seu passado para trás; Guerra, por outro lado, inicia a jornada como o soldado mais obediente, mas começa a questionar suas próprias escolhas e as razões por trás das ordens do Conselho graças ao senso de indagação de seu irmão. Os diálogos entre ambos ilustram muito bem a personalidade sagaz e piadista de Conflito e determinada de Guerra.



O título traz de volta personagens conhecidos da franquia, como os demônios Samael e Vulgrim. Ambos possuem papel fundamental na jornada dos Cavaleiros, trabalhando em conjunto para impedir os planos de Lúcifer ao mesmo tempo que buscam atingir seus próprios objetivos. Durante toda a jornada, o passado dos Cavaleiros do Apocalipse vai sendo revelado, e o jogador pode entender um pouco sobre sua origem e compreender mais sobre seu papel no universo.

Uma nova perspectiva

Darksiders Genesis altera a perspectiva de câmera em terceira pessoa para a visão transversal, semelhante à Diablo III (Multi), ao mesmo tempo que mantém o mesmo estilo de combate principalmente dos dois primeiros Darksiders.

O jogador pode controlar ambos os Cavaleiros e cada um conta com um estilo de batalha diferente. Conflito é ágil em seus golpes físicos e pode utilizar suas pistolas, Mercy e Redemption, para causar dano à distância com disparos contínuos e carregados; Guerra é mais físico durante as batalhas, utilizando sua espada Devoradora do Caos de forma brutal em ataques pesados e de dano superior.

As batalhas de Genesis são bem variadas, especialmente pela grande variedade de inimigos. De demônios menores, passando por vermes melequentos e anjos decaídos, cada um dos oponentes dos Cavaleiros do Apocalipse oferece um desafio interessante e divertido. O grande destaque, inclusive, fica por conta das batalhas contra chefes, que incluem elementos do cenário em seu desenvolvimento ao invés de serem simplesmente pancadaria por si só.



Causar dano nos inimigos faz com que ícones de finalização apareçam sobre suas cabeças. Essas finalizações são bastante estilosas, e cada um dos Cavaleiros possui uma finalização única para cada tipo de inimigo. É divertido ver Conflito subindo em um inimigo de grande porte e atirando em sua cabeça sem dó nem piedade. O impacto dessas finalizações é sentido pelo jogador, graças à fluidez das animações e dos efeitos sonoros. É um show à parte. Entretanto, a nova perspectiva de câmera pode prejudicar pessoas com baixa acuidade visual, pois na grande maioria dos momentos ela fica afastada demais dos personagens. Essa crítica é baseada em uma experiência bastante pessoal. Foi preciso sentar ainda mais próximo de minha tela para conseguir enxergar direito alguns dos movimentos.

Outro aspecto incômodo a respeito da câmera faz-se presente quando o jogador realiza movimento de finalização em inimigos de maior porte. A câmera aproxima do personagem para focar na execução dos monstros, mas borra ao centro da tela por estar muito próxima de um objeto.

Para completar o pacote de frustrações, o jogo destaca protagonistas e monstros através de objetos quando os mesmos bloqueiam o campo de visão da câmera. Esse destaque pode ser desligado nas configurações, mas fará com que o jogador se sinta perdido quando batalhas ocorrerem com sua tela bloqueada por alguma parede ou coluna dos cenários. É preciso ressaltar que essas ocorrências são infrequentes e não atrapalham a qualidade geral do título, nem mesmo diminuem o valor da nova perspectiva adotada, que funciona de maneira brilhante quando não se tem obstáculos em tela ao mostrar de forma panorâmica os belíssimos cenários.

Explorando todos os cantos do inferno

Ao contrário dos outros jogos da franquia, Genesis utiliza uma estrutura de fases para oferecer suas batalhas e desafios para o jogador. São 17 capítulos que exploram cenários diversos do inferno, como calabouços e refinarias de veneno, assim como os campos destruídos do Éden.

Entre as fases, o jogador entra no Vazio, uma área que conecta os mundos através de Buracos de Serpente. É aqui onde pode-se acessar a loja de Vulgrim e adquirir melhorias para os Cavaleiros ao utilizar almas - obtidas ao derrotar inimigos - e Moedas do Barqueiro, encontradas pelos cenários e obtidas ao concluir missões secundárias.

Embora estruturado em fases, os níveis em Darksiders Genesis não são extremamente lineares, e contam com uma pitada de leve de exploração, incentivada pela busca tanto de Moedas quanto por monstros, novos poderes, golpes e equipamentos guardados em baús mágicos. Essa exploração é oferecida de forma orgânica ao jogador graças a todas as suas recompensas.

Aparatos como a Lâmina Vorpal e Bomba do Vazio são encontrados conforme a história avança, e são utilizados tanto como mecanismos de combate quanto na resolução de quebra-cabeças, sendo estes bastante simples e reminiscentes da franquia Darksiders. Ajudam a quebrar um pouco o ritmo acelerado das batalhas e torna o título um pouco mais aventuresco.



É possível encontrar diversos aprimoramentos para Guerra e Conflito. Esses aprimoramentos são como golpes novos para o arsenal de cada um, e são baseados em seus estilos de combate. As melhorias incluem golpes giratórios e estocadas com a espada de Guerra e alternância do tipo de munição utilizado pelo tiro secundário e carregado de Conflito, como tiros anti-gravidade e feixe de laser. Trazem maior variedade para os combates e possibilitam manobras defensivas durante momentos de dificuldade.

Uma pitada saborosa de RPG

Conflito e Guerra possuem Nível de Poder como representação de sua capacidade e força. São três características principais: Ataque, Fúria e Saúde. Para aprimorar essas características e aumentar o poder dos protagonistas, é preciso derrotar monstros e coletar Cernes de Criaturas. Estes cernes conferem bônus passivos e melhorias para os atributos dos Cavaleiros, são divididos em três tipos: ataque, saúde e fúria - como as características - e podem ser evoluídos até o nível três. Para isso, basta coletar quantias específicas de cernes repetidos. Como as fases recomendam um nível de Poder específico para o jogador enfrentá-las, pode ser necessário repetir níveis anteriores na busca de novos cernes ou a fim de subir o nível das esferas utilizadas e ampliar assim suas melhorias.

O jogador pode alocar os cernes coletados em um grid de “esferas”. Colocar o tipo de cerne em seu espaço específico ativa uma segunda melhoria passiva. No começo da aventura, é comum gastar os cernes em qualquer espaço apenas para ativar o primeiro bônus e fortalecer os protagonistas. Conforme o jogador progride, porém, novas criaturas aparecem e seus cernes coletados, o que oferece uma ampla variedade de combinações de melhorias na hora de preencher o grid. Chefes e subchefes também deixam cernes, estes chamados de Cernes de Criatura Maior, e concedem características ainda mais fortes do que os cernes menores.

As Arenas de Darksiders Genesis são desafios de sobrevivência para o jogador encarar. São 20 arenas ao todo, cada uma contando com 10 ondas de inimigos baseados nos que são enfrentados durante a história principal. Avançar na história desbloqueia novas arenas. Quanto mais avançada a arena, maior sua dificuldade e maior o número de pontos obtidos ao derrotar monstros. Ao concluir as 10 ondas, o jogador recebe uma pontuação final e pode resgatar prêmios de acordo com essa pontuação. As recompensas variam entre almas, pedras de melhoria de Saúde e Fúria para os protagonistas, Cernes de Criatura e almas.

A Forma do Caos, transformação dos Cavaleiros em Darksiders, marca presença em Genesis

Um Darksiders de respeito

Darksiders Genesis (Multi) não fica devendo em nada aos títulos já lançados da série. Honra o legado construído pelos jogos anteriores ao mesmo tempo que mostra uma força que Darksiders III não teve. Genesis é um jogo lindíssimo, com uma variedade imensa de inimigos, ótimas batalhas contra chefes e combates divertidos. Incentiva a exploração de seus lindos cenários de forma orgânica e recompensadora, seja no inferno repleto de demônios ou no Éden destruído e tomado por anjos caídos. Mantém qualidade em seu desempenho em praticamente todo o tempo de jogo. É um título que mostra que tudo bem alternar estilos dentro de uma mesma franquia, desde que tudo seja feito com bastante qualidade e atenção.

Prós

  • Interações entre Conflito e Guerra;
  • Combates variados e divertidos;
  • Golpes de finalização;
  • Sistema de Cernes de Criatura permite variedade de customização de habilidades passivas e fortalecimento;
  • Grande variedade de inimigos e cenários;
  • Bela fidelidade visual, com personagens detalhados e cenários ricos;
  • Multiplayer cooperativo para até duas pessoas (local e online).

Contras

  • Câmera poderia ser um pouco mais próxima do protagonista em tela;
  • Elementos e estruturas do cenário que tampam a visão do jogador em alguns poucos momentos.
Darksiders Genesis — PS4/XBO/PC/Switch — Nota: 8.5
Versão utilizada para análise: PS4
Análise produzida com cópia digital gentilmente cedida pela THQ Nordic 

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.


Disqus
Facebook
Google