CBLoL 2020: início da migração para o sistema de franquias, novos parceiros e outras novidades

Riot Games apresentou os planos para as próximas edições do Campeonato Brasileiro de League of Legends.



A primeira etapa da edição de 2020 do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL) começa no próximo sábado (25). Para apresentar as novidades da competição, a Riot Games reuniu a imprensa em uma coletiva, realizada no escritório do estúdio, em São Paulo. Entre todos os destaques, o de maior importância é o início do processo de migração para o sistema de franquias — semelhante ao que já existe atualmente em outras regiões, como Europa (LEC) e China (LPL).


“Dando um pouco mais de contexto, estamos falando de uma liga em que os participantes não são rebaixados. As equipes ganham a segurança e estabilidade de permanecerem na competição por longos períodos e esse tempo permite que façam mudanças mais estruturais”, destacou Carlos Antunes, diretor de Esports da Riot Games Brasil. O processo de inscrição e análise de organizações para o CBLoL terá início ainda neste ano e a ideia é implementar o novo modelo em 2021.

Segundo Antunes, todo o passo a passo da mudança será comunicado ao público para manter a transparência e consistência da migração. "Nos próximos meses, iremos estabelecer um canal para que durante todo o ano possamos informar como estamos caminhando. Olhar 2021 com CBLoL franquia é viável e positivo", afirmou. O diretor comentou ainda sobre todos os pontos que estão sendo estudados para que esse objetivo seja alcançado. "Por exemplo, pensamos em como manter a liga competitiva", disse.



Outra questão levantada é sobre os mecanismos para revelação de novos talentos. "Quando olhamos as ligas de outros países, temos o sistema de Academy, com times que jogam torneios paralelos em que o foco é justamente a revelação de jogadores. Outra possibilidade é o draft, em que estamos constantemente avaliando a SoloQ, buscando quem se destaca e apresentando essas promessas em um processo formal para as organizações", detalhou Antunes.

"Todos esses formatos são possíveis e trazem sua própria complexidade. Então, o desenho da solução de franquia para o CBLoL é pensar em uma operação que contemple todos os pontos. Esse desenho já foi estudado e entendemos que é viável. Já começamos as conversas com interlocutores de algumas organizações e de outras regiões da Riot, e ficamos muito confiantes de que já temos um caminho que parece ser muito adequado para a realidade brasileira", avaliou Antunes.

Os números do CBLoL

Em 2019, o CBLoL passou por uma alteração em seu formato, com a implementação de séries melhor de um (Md1) que colocaram todos contra todos em três turnos. Com isso, houve uma ampliação na quantidade de dias com transmissões de partidas. "Foram praticamente 20% a mais de datas com jogos", informou Antunes. Como resultado, foi registrado crescimento no engajamento e audiência. Com 565 mil pessoas na média diária de expectadores únicos, ocorreu um aumento de 6% se comparado com os números de 2018.

"Quando olhamos a quantidade de horas assistidas de conteúdo ao vivo, o aumento foi de 25%. Se incluirmos também o Circuito Desafiante e os torneios internacionais, o crescimento é ainda maior. Todos os conteúdos de campeonatos estão cada vez mais encontrando seu espaço na preferência da comunidade", afirmou Antunes.

Novos talentos na transmissão e análise

A Riot anunciou diversos nomes já conhecidos do público para reforçar a equipe responsável pela transmissão e análise do CBLoL. O time composto pelos casters Melão, Skeat, Tixinha, Schaeppi e GSTV receberá o narrador Gruntar, ex-caster do Circuito Desafiante, e dois ex-atletas: Carlos Henrique "Nappon" Rücker e Murilo "Takeshi" Alves. Já o Circuitão terá sua história contada por Arthur "Vecet" Rage, Gabriel "MiT" Souza e Dudu "Etsblade". Por fim, o programa Depois do Nexus contará com novo elenco: Letícia Motta, Matheus "Mylon" Borges, Ravena Dutra e Gustavo "Baiano" Gomes.

"Estamos trazendo uma série de pessoas que se destacaram na comunidade. Assim, olhamos para dentro, inovamos e damos uma refrescada na produção de conteúdo. Estamos falando, por exemplo, de termos tricaster no CBLoL e Circuito Desafiante. Vamos trabalhar para que durante as transmissões tenhamos conversas e discussões ainda mais interessantes", ressaltou Antunes. 

TFT Competitivo

No ano passado, a Riot revelou diversos novos jogos e logo surgiu a pergunta se todos seriam tratados como esports. "A resposta é que cada um deles está sendo analisado e terá um projeto que se adeque a maneira como ele é jogado, além das características de gameplay. Nosso time está estudando globalmente e localmente, então cada um dos títulos será considerado individualmente para decidirmos de como iremos e se iremos desenvolver um cenário competitivo", disse Antunes.

O primeiro game que ganhará uma modalidade própria, ainda no primeiro semestre de 2020, é o Teamfight Tactics — o auto chess de League of Legends. "O jogo teve bastante repercussão no Brasil e continua sendo muito comentado pela comunidade", afirmou Antunes. Com a promessa de mais detalhes em breve, a ideia da Riot não é criar um modelo semelhante ao do CBLoL. "Mas sim trabalharmos junto de influenciadores que jogam TFT e são a principal maneira de gerarmos impacto", contou.


Circuito Desafiante

Neste ano, o Circuito Desafiante voltará a ser organizado e transmitido pela própria Riot Games. O campeonato vem em uma crescente de audiência e interesse, por isso, deve receber novos conteúdos. "Sentimos que faltava investir mais na produção de materiais sobre esse torneio. Precisávamos explorar melhor sobre quem são as equipes e os jogadores envolvidos nas disputas. Inclusive, todas as organizações do Desafiante estão seguindo os passos de investimentos que os times do CBLoL já fizeram. Tudo isso merece ser contado e faz parte do nosso cenário de esports. Então, neste ano, voltamos a organizar o Circuito com essa missão de investir mais na produção de conteúdo", disse Antunes,

Parceiros e promoções

A Riot Games aproveitou a coletiva para apresentar os parceiros do CBLoL 2020. Além do retorno da Gillette, Dell Gaming e Red Bull, neste ano a competição recebe o apoio inédito da Mastercard. Representantes das empresas estiveram na coletiva para revelar algumas das ações que pretendem desenvolver durante o ano. "Estamos lançando uma nova campanha, chamada de 'Barbear Lendário'. Trata-se de um comercial que acabamos de gravar e será oficialmente lançado no próximo sábado (25), no intervalo do CBLoL", contou Bruno Martins, gerente de Marketing da Gillette no Brasil.

Martins também deu detalhes sobre a promoção Legends Experience, que começa neste sábado. "A cada R$ 20 em compras em produtos Gillette, os consumidores ganharão automaticamente 1.100 Riot Points (RP). Além disso, irão concorrer a uma experiência pro player em parceria com a Riot Games. Dois deles, e mais quatro amigos de cada um, terão a oportunidade de ir à decisão do primeiro split do CBLoL, que acontece em abril, e jogar no palco da final", detalhou.



"Este será o segundo ano em que a Dell participa dessa incrível experiência com a Riot. É impressionante a ascensão do segmento de gaming no Brasil. Dentro da Dell, o país é a principal região desse mercado, juntamente com os Estados Unidos. A Dell fornece os monitores oficiais do CBLoL, que são equipamentos da família Alienware. Também os servidores e toda a infraestrutura conta com a tecnologia da Dell", afirmou Fernanda Serrani, Gerente de Marketing do segmento de Consumer.

Já a estreante Mastercard lembrou que a relação com o League of Legends teve início no final de 2018, por meio de uma parceria global da empresa com o campeonato mundial. "Naquele ano, abraçamos essa paixão com o maior esports do planeta. No entanto, não queríamos ficar somente no global, mas também partir para algo local. Então, conversamos com os representantes do CBLoL e, finalmente, podemos anunciar formalmente que começa uma parceria entre a Mastercard do Brasil e o Campeonato Brasileiro de League of Legends", disse Sarah Buchwitz, VP de Marketing e Comunicação Mastercard Brasil e Cone Sul.

"Nossa participação pode ir desde uma pré-venda até promoções com descontos ou oferecer experiências que não têm preço para a comunidade. Teremos ativações e benefícios para portadores de cartões Mastercard, a ideia é ir muito além do institucional", complementou Buchwitz.

A Red Bull voltará a organizar em 2020 o campeonato Player One, porém com um novo nome: Red Bull SoloQ. Pela primeira vez, depois de sete anos, a final mundial – que em 2019 aconteceu nos estúdios da Riot em São Paulo – vai a viajar pelo mundo. Já as decisões nacional e das Américas serão sediadas no Brasil. A empresa também promete uma nova coleção de latas personalizadas com os personagens de League of Legends. Ano passado, quatro campeões (Draven, Ezreal, Ahri e Lux) ilustraram as latinhas do energético e agora a coleção deve aumentar com mais quatro campeões, além disso, devem acontecer novas ativações envolvendo essas embalagens.



É jornalista e obcecado por games (não necessariamente nessa ordem). Seu vício começou com uma primeira dose de Super Mario World e, desde então, não consegue mais ficar muito tempo sem se aventurar em um bom jogo. Diretor de Redação do Nintendo Blast.


Disqus
Facebook
Google