Bullet Girls Phantasia terá lançamento ocidental no PC

Shooter em terceira pessoa que mistura um mundo de fantasia com garotas escolares que usam armas de fogo e magia chega ao Steam em 2020.


A D3 Publisher anunciou o lançamento ocidental de Bullet Girls Phantasia. O jogo lançado para PS Vita e PS4 no Japão e territórios asiáticos chegará ao PC (via Steam) no início de 2020.


O jogo é descrito da seguinte forma na página da loja:
Uma batalha espera em um reino distante!
Um shooter de fantasia em terceira pessoa no qual as gaortas usam espadas, magia e armas de fogo contra seus inimigos!

"Bullet Girls Phantasia" é o mais novo jogo da série de shooters em terceira pessoa com elenco exclusivamente feminino "Bullet Girls".
Este jogo é recheado com ação frenética na qual garotas fofas atiram com rifles e bazucas em um mundo de slimes, orcs e dragões.

◆ Fofas cavaleiras, elfas, magas!
Além de oito personagens recorrentes, seis novas habitantes desse mundo alternativo são jogáveis.
As forças velhas e novas irão se unir para derrotar um inimigo todo poderoso.

◆ Uniformes, armaduras e roupas íntimas à mercê de danos à vestimenta!
As armaduras serão destruídas pouco-a-pouco conforme você toma dano do inimigo.
Enquanto sofrem os ataques dos inimigos, as calcinhas e sutiãs das garotas começarão a tomar dano até não restar nada!

◆ Coloque as personagens sob pressão com o novo Intensive Drilling 360º!
O modo Intensive Drilling evoluiu.
Personagens podem ser vistas de qualquer ângulo, e um novo modo Galeria permite apenas aproveitar a vista.

◆ Reverse Drilling para quem está sedento por um pouco de doce punição!
Experimente outro lado das garotas, trocando de papel com o Reverse Drilling! Aproveite a chance de sofrer abusos com palavras e ações hostis nesse modo especial.
Fonte: D3 Publisher (Youtube)

é formado em Comunicação Social pela UFMG e costumava trabalhar numa equipe de desenvolvimento de jogos. Obcecado por jogos japoneses, é raro que ele não tenha em mãos um videogame portátil, sua principal paixão desde a infância.

Comentários

Google
Disqus
Facebook