Jogamos

Análise: We Become What We Behold (PC): um jogo sobre mídia e como ela nos faz pensar

Título Indie feito para fazer o jogador perceber o quanto as notícias podem nos manipular.

A internet é um ambiente incrível para novos desenvolvedores, como por exemplo o site itch.io, um lugar onde novos empreendedores do ramo de criação de jogos podem postar seus mais recentes projetos. Grandes exemplos de trabalhos famosos que saíram de lá foram Doki Doki Literature Club e Forager, porém existem jogos menores que também merecem seu reconhecimento como, por exemplo, o incrivel  We Become What We Behold.


Desenvolvido por Nicky Case, que também criou Coming out Simulator 2014, We Become What We Behold é um jogo experimental que tem como intuito mudar a forma que encaramos a mídia, mostrando como ela muitas vezes pode ser manipuladora. Mergulhando o jogador  no papel de um fotógrafo jornalístico correndo atrás de um furo, aprendemos um pouco mais sobre como uma manchete pode mudar desde o que pensamos até o que vestimos.

Você é o fotógrafo

A jogabilidade do título é bem simples: você controla uma câmera e deve tirar fotos do que for interessante que estiver acontecendo, e elas serão apresentadas na televisão no centro da tela com uma manchete. Se as suas imagens forem chamativas e captarem a coisa certa, o público irá reagir e começará um comportamento novo; se forem fotos comuns do cotidiano, todos irão ignorar por não ser uma notícia empolgante.

Cada manchete...
Cria uma tendência.
Um fato interessante sobre esse jogo é que ele foi feito em apenas 2 meses, por isso seu estilo visual é bem mais básico e polido. Outra observação sobre o jogo é que os personagens são simples para que o jogador consiga facilmente localizar o que ele deve destacar em suas “reportagens”.
Ache seu furo jornalístico.
Os sons do jogo acabam sendo bem genéricos e não trazem nada de diferente: um som ambiente comum com alguns pássaros; uma música de telejornal para apresentar sua foto; e um grilo para mostrar que ninguém se interessou sobre o que você tem a dizer.

Mídia manipuladora

Cada clique da câmera deixa o universo mais sombrio e fica claro que esse não é um jogo só para criar tendências na população. Manipulando um pouco as notícias com manchetes sensacionalistas você começa a criar medo, desgosto e até incitar violência entre os personagens.

Cuidado, quadrados são loucos.
As atitudes que cada um toma de acordo com as manchetes publicadas por você é o combustível do jogo. A cada reação das notícias, uma alteração é feita na sociedade, indo cada vez mais para um ponto onde todos podem se odiar ou sentir medo da pessoa ao lado.

Um grande problema do jogo é sua duração: por ser experimental era esperado que não durasse muito, mas mesmo assim dura pouquíssimo. Em menos de 10 minutos já é possível terminar 100% dele.

Cuidado com o que lê por aí

We Become What We Behold é um jogo extremamente curto mas que traz uma mensagem poderosa de auto-análise. Além disso, o título apresenta gráficos bonitos e donos de uma simplicidade que chega até ser fofa. É uma experiência feita para fazer o jogador pensar sobre si mesmo e como ele reage às notícias do mundo. We Become What We Behold está disponível gratuitamente na página itch.io.

Prós: 

  • Um jogo simples em gráficos porém bonito;
  • Jogabilidade rápida de se aprender;
  • Apresenta uma mensagem forte.

Contras:

  • Extremamente Curto;
  • Efeitos sonoros genéricos.

We Become What We Behold - PC - Nota: 9.0

Revisão: Farley Santos

Jojotard assumido, verdadeira identidade de Jarro Plumaluz, inventor hextech, keyblade master, pirata do bando do chapéu de palha e homunculo da inveja.

Comentários

Google
Disqus
Facebook