Blast Test

MediEvil (PS4): demo mostra que remake deve ser bem produzido e divertido

Apesar de ter vida curta, versão de demonstração traz várias boas notícias para os jogadores.

Enquanto aguardamos o lançamento de algum título, nada melhor do que preencher a espera com uma versão demo do mesmo. Um dos exemplos mais recentes para o PS4 é chamado de MediEvil: Short-lived Demo, produzido a partir de MediEvil (PS4). Remake do jogo que originalmente ficou famoso no PlayStation, sua demonstração traz elementos promissores que vamos conferir neste Blast Test.

Uma nova aventura medieval

Antes de falarmos da demo, vale a pena lembrar das origens do game que está para chegar. MediEvil (PS) foi lançado em 1998 para o PlayStation original, onde tivemos a estreia do estilo ação e aventura característico da série. Os níveis eram uma mistura dos gêneros hack and slash e plataforma, temperados com alguns quebra-cabeças e exploração.
Capa da versão original de MediEvil
O game foi bem recebido graças a elementos como bela temática, boa jogabilidade e a divertida combinação dos gêneros já citados. A história acompanha o cavaleiro Sir Daniel Fortesque, que recebeu uma fama injustificada após uma batalha contra o maligno mago Zarok. Com o retorno do vilão, o herói tem uma nova chance de provar o seu valor ao povo do reino de Gallowmere.

Apesar de pequenos problemas, como a câmera confusa, o sucesso do título promoveu uma continuação, dois anos depois, na forma de MediEvil 2 (PS). A recepção foi muito positiva, pois, apesar de ser semelhante ao anterior, o jogo conseguiu melhorar vários pontos e manter as boas qualidades. Entre elas, temos a ambientação de terror, os personagens divertidos e a boa jogabilidade.
Capa de MediEvil: Ressurection
Depois de um longo hiato, temos MediEvil: Ressurection (PSP), que chegou para o PlayStation Portable em 2005. O game é uma espécie de remake do jogo original, onde vários elementos foram reimaginados e algumas novidades, como a presença de minigames, foram adicionadas. Infelizmente, graças a vários problemas técnicos, como a famigerada câmera, o título não teve muito destaque.

Finalmente temos MediEvil (PS4), que será lançado de forma exclusiva para o atual console de mesa da Sony, no dia 25 de outubro (bem a tempo para o Halloween). Já tivemos alguns vídeos e informações divulgadas, apontando para um remake bastante fiel ao original. E, conforme vamos conferir nesta matéria, a versão demo aponta para o mesmo caminho.
Todos prontos para uma nova aventura "MediEval"?

Gostinho de quero mais

A demo, chamada de MediEvil: Short-lived Demo, realmente faz juz ao nome. Ela realmente tem “vida curta”, pois além de contar apenas com duas fases diferentes, ela estará disponível somente entre 24 de setembro e 6 de outubro. Logo, se você ainda não a experimentou, apresse-se para baixá-la.

Logo de cara percebi uma característica bastante interessante: os gráficos e design são bonitos e bem produzidos, mas sempre remetendo ao visual original. O estilo do game remonta a elementos do filme O Estranho Mundo de Jack e do game Ghost’n Goblins, misturando terror e fantasia de forma leve e divertida.
O visual da demo está detalhado e bem construído
Nesse ponto, creio que a demo mostra um maior esmero em utilizar bem os elementos clássicos de MediEvil, talvez até de forma mais competente do que a versão de PSP. Colocando as capacidades de processamento de lado, creio que as escolhas de texturas e efeitos luminosos da versão portátil tenham sido um pouco ruins, enquanto a de PS4 parece ser realmente uma extensão do original.

Quanto a jogabilidade, os controles são praticamente os mesmos dos títulos anteriores. Controlar o protagonista Sir Daniel é fácil e divertido, pois o personagem se movimenta de forma desengonçada e caricata, como esperado de um esqueleto ambulante. Lutar contra os inimigos é satisfatório, com destaque para uma maior “agressividade” dos mesmos e, assim, um nível de dificuldade maior.
Embora muito semelhante ao original, o combate parece um pouco mais exigente
Quero dar destaque a esse ponto porque a própria Sony aponta que o jogo será “parecido” com a série Dark Souls. Ou seja, cenários reduzidos, inimigos perigosos e jogabilidade que exige precisão e habilidade. Embora o original realmente tivesse algumas fases ingratas, ele não chegava a ser tão difícil.

Modificando e inovando

Talvez a melhora na câmera, que agora funciona perfeitamente através do analógico direito, e o maior poder de processamento permitam aos produtores um aumento nos desafios em MediEvil. Sinceramente, creio que algumas novidades seriam interessantes para renovar o jogo. Afinal, ele já tem um remake e 20 anos de vida; logo, mudanças são bem vindas, mas de formas bem pensadas.
Esquivar e defender é tão importante quanto atacar
As músicas e efeitos sonoros mostrados são interessantes, sobretudo graças a regravação da trilha-sonora pela Orquestra Sinfônica de Praga. E embora não tenhamos muito exemplos dentro da demo, a dublagem parece ser bastante divertida e, assim, combina bem com premissa do game. Deixo um destaque para a presença do português brasileiro, que parece ser do mesmo nível dos demais idiomas.
Altas expectativas para que MediEvil tenha uma boa versão em português brasileiro
Um detalhe interessante da demo, e que pode indicar outra novidade do game, é a recompensa que os jogadores irão receber após completá-la. Quando a versão completa for jogada, um capacete será disponibilizado para o nosso herói Dan. Embora não se saiba se o item é apenas cosmético, isso indica que o título poderá ter opções de customização interessantes.

Agora, temos um comando que coloca a visão do jogo sobre o ombro do protagonista. Com ela, podemos observar os cenários de forma mais fácil, e assim encontrar itens, decifrar enigmas, etc. MediEvil é um jogo linear, mas com uma boa dose de segredos, e assim vai se beneficiar dessa inovação.
A nova opção de câmera destaca ainda mais as qualidades do game

E o que podemos esperar a partir da demo?

Infelizmente, a curta demonstração deixa algumas dúvidas no ar. Uma das mais significativas diz respeito a quantidade de conteúdo do game: será que teremos somente as aventuras vividas na versão original? Ou teremos novas fases e desafios? Os minigames vistos em Ressurection estarão de volta? E será que teremos alguma coisa de MediEvil 2?
Uma coisa é certa: Dan ainda pode usar seu próprio braço como arma
Essas perguntas vão demorar um pouquinho para serem respondidas, mas acredito que a resposta mais provável seja que o remake será fortemente inspirado no original. Pelas duas fases da demo, que são muito semelhantes às suas versões clássicas, e pelo que vimos no PSP, creio que possíveis novidades serão mais pontuais.
Todos os elementos clássicos, como a utilização de runas para abrir novas áreas, estão presentes
Os recentes remakes dos jogos de Crash Bandicoot, por exemplo, seguiram essa tendência. Eles são fortemente baseados nas suas origens, contando com novidades específicas e modificações focadas em padrões atuais (como rankings dos jogadores online). Nesse contexto, surge outra questão: o quão relevante MediEvil será na atualidade?

A série não é tão famosa quanto, por exemplo, os já citados títulos do Crash. Logo, creio que o game terá que trazer boas qualidades, indo além do fator nostalgia, para ter sucesso. Particularmente, creio que o game tem potencial para ser ótimo; não será um AAA, mas certamente pode ser tão bom quanto qualquer um dos recentes remakes que tivemos no mercado.
Uma bem vivida vida curta!

Promessa de um ótimo game

Apesar de bastante curta, a demo de MediEvil (PS4) é muito promissora. As duas fases e os demais elementos apresentados apontam para um remake divertida e bem produzida. A interessante temática medieval e de terror está muito bonita, a jogabilidade foi refinada e já temos uma amostra que a dublagem em português brasileiro será competente. Apesar de não ser uma grande produção, podemos esperar um ótimo título para os donos do PlayStation 4.
Agora é esperar e torcer para que esse seja mais um bom game para a biblioteca do PS4
Revisão: Henrique Moreno

é redator do site GameBlast desde maio de 2018 e um grande fã da décima arte, embora não tenha muito tempo disponível para ela. Seus games favoritos (que formam uma longa lista) incluem: Kingdom Hearts, Guitar Hero, Zelda, Crash, FIFA, COD, Pokémon, MvC, Yu-Gi-Oh, Resident Evil, Bayonetta, Persona, Burnout e Ratchet & Clank.

Comentários

Google
Disqus
Facebook