Jogamos

Análise: The Walking Dead: The Telltale Definitive Series (Multi) e a busca por sobrevivência num mundo caótico tomado por zumbis

Após 4 temporadas a jornada de Clementine chega ao fim com muito aprendizado e amadurecimento.


The Walking Dead foi lançado lá em 2012, pela Telltale Games em parceria com a Skybound Games, nele foi apresentado aos jogadores a primeira temporada de um jogo baseado no mundo de The Walking Dead, que na época fazia sucesso com o seriado de televisão e com as HQ’s. Com uma história original, um gameplay no estilo point-and-click e com gráficos cartunescos, o jogo cativou não só jogadores, fãs das HQ’s e do seriado, como também boa parte da crítica, levando na época até o prêmio de Jogo do Ano pelo The Game Awards.


Hoje 7 anos após o lançamento original o jogo se tornou o principal carro-chefe da Telltale, recebeu mais três temporadas e um jogo spin-off, baseado na personagem Michonne, que é bem querida pelos fãs do universo de The Walking Dead.

A Telltale Games hoje não tem mais os direitos do jogo, após toda a polêmica envolvendo sua falência.Seus Funcionários são hoje da Skybound Games, que é uma desenvolvedora do próprio criador de The Walking Dead, Robert Kirkman, e com isso a empresa lançou, no dia 10 de setembro de 2019, essa coleção definitiva, incluindo todos os jogos lançados por eles em parceria com a Telltale Games. Temos nessa coleção o início e o fim de toda uma saga de crescimento e amadurecimento da personagem Clementine e a história de Michonne,  também há materiais extras, como entrevistas com os desenvolvedores, reprodutor de músicas do jogo e galeria de arte.

O início de tudo


Na primeira temporada temos um vislumbre do que iremos enfrentar pela frente, o jogador controla Lee Everett, um professor universitário que está sendo levado à prisão quando sofre um acidente de carro e acorda no meio do caos. Isso o leva a tentar entender o que aconteceu, até que ele encontra Clementine, uma garotinha de oito anos que está sozinha e precisando de cuidado e segurança. Nesse momento temos o início da jornada de toda uma saga, Lee é o mentor e Clementine é a protagonista da história.

Nós jogadores criamos um vínculo com o personagem, tomamos suas dores e lutamos suas batalhas. Lee ao longo de toda a primeira temporada tem apenas um objetivo, manter Clementine viva e segura, ela é a motivação dele continuar lutando pela sobrevivência num mundo que já não é o mesmo de antes.

Clementine e Lee abraçados.

Ao longo da primeira temporada passamos por muitos momentos difíceis, temos em nosso grupo pessoas que sempre precisam de ajuda, seja para ações, decisões ou conselhos. Na primeira temporada conhecemos muitos personagens, mas temos como principais Kenny, sua esposa Katjaa, seu filho Duck, Lilly que se junta já no primeiro episódio e Christa e Omid que é um casal que conhecemos mais pro final da temporada, e são de suma importância na transição da primeira para a segunda temporada. Também aparecem personagens das HQ’s e do seriado, como Hershel Greene, Shawn Greene e o mais conhecido Glenn Rhee.

Da esquerda para a direita temos Glenn, Doug, Lee, Clementine, Shawn, Hershel, Lilly, Larry, Carley, Kenny, Katjaa e Duck, personagens presentes na primeira temporada.


A primeira temporada termina com um grupo separado e uma Clementine triste pela morte de Lee, que acaba se tornando o principal trunfo da história, pois você, o jogador, decide como quer que a morte de  Lee ocorra. O jogo, todo tempo, faz com que o jogador molde a relação de Lee e Clementine, isso te faz ter um certo apreço por ele, que mesmo cometendo erros no passado, ou até durante a história, se torna o grande mentor de Clementine, ele é o exemplo dela. Se você for uma pessoa bem emocional pode se esperar algumas lágrimas rolarem pelo fim da história entre os dois.

Aqui é onde o jogador decide qual será o destino de Lee.
A temporada também contém um episódio especial, intitulado de 400 Days, que conta a história de 5 sobreviventes. São histórias breves de sobreviventes, que podem aparecer ou não na segunda temporada, isso só depende das escolhas que o jogador tomar lá pro final do episódio. Cada um tem uma história de vida diferente, dilemas e situações, é um episódio especial para os fãs sentirem um gostinho do que está por vir.

Esses são os personagens do episódio de 400 Days, sendo eles Bonnie, Vince, Wyatt, Russel e Shell.

Cresça Clementine!

Na segunda temporada já temos a perspectiva do que aconteceu após o fim da primeira, Clementine se junta a Omid e Christa, Christa aparentemente está grávida, mas uma tragédia acontece e perdemos Omid. Passam-se alguns meses e Christa ainda continua amargurada por ter perdido Omid, Clementine carrega a culpa da morte dele, Christa não está mais grávida e esse é um ponto que nunca é discutido durante o jogo, mas dá a entender que ela deu à luz a um bebê natimorto.

Clementine no início da segunda temporada.
Christa e Clementine se separam, após a emboscada de alguns bandidos e então Clementine se junta a um novo grupo. Ela, todo tempo, é vista como uma ameaça ao grupo, mas já de cara conquistamos alguns dos integrantes, como Mike e Sarah. Sarah é uma garotinha ingênua, com isso o jogador pode optar manter sua fragilidade ou de ser mais dura e fria em algumas respostas, e Mike é um rapaz gentil que já de cara vê algum potencial em Clementine, conforme você vai jogando a amizade entre os dois vai crescendo, ele não a vê como um risco ao grupo.

Dentre outros integrantes do grupo temos Carlos, que é o pai super-protetor de Sarah, e o médico, Rebecca que é gestante e casada com Alvin, ela é um pouco grossa no início mas conforme jogamos entendemos suas inseguranças, Alvin é um homem bem tranquilo e ama muito Rebecca, temos também Nick, um rapaz imaturo e medroso, e seu tio Pete, que vive cobrando Nick a ser mais forte.  Pete acaba sendo mordido no primeiro episódio e morre no segundo.

Conforme avançamos descobrimos o grande conflito deste grupo, Rebecca tinha um caso com o líder de um outro grupo de sobreviventes, que antes todos ali faziam parte. O conflito ocorre pois,  após a recusa dela de continuar se envolvendo com o líder, William Carver,  ela acaba decidindo fugir pois ele estava se tornando violento, e com isso Carver começa a perseguir eles. Quando Carver descobre a localização do grupo, eles acabam tomando como decisão fugir mais uma vez dele, e descobrem um outro grupo de sobreviventes numa casa nas montanhas. Dentre eles temos o Kenny, lá da primeira temporada, Clementine fica surpresa pois achava que ele estava morto. Com isso o jogador acaba tendo aquela nostalgia de como era a relação com Kenny no passado, tendo muitas decisões emocionais com ele, como escolher jantar com ele ao invés de seu novo grupo.

O grupo após serem sequestrados por Carver.
Sendo acolhidos pelo grupo de Kenny conhecemos mais sobreviventes, incluindo a nova namorada dele, chamada Sarita, mas esse clima acaba durando pouco, pois Carver os encontra novamente e acaba sequestrando o grupo. Carver acaba se tornando pior ainda, e Clementine e as pessoas do grupo tem que arrumar um jeito de fugir dali, após muitas perdas eles conseguem. No grupo de Carver acabamos revendo personagens do episódio especial da primeira temporada, como a Bonnie, que acabou permanecendo no meu grupo ajudando também na fuga.

Após a fuga eles acabam tendo de lidar com o trabalho de parto de Rebecca, Clementine e a nova personagem, Jane, acabam ficando com a tarefa de procurar alguns objetos que podiam ajudar no parto. Nesse momento elas que encontram um sobrevivente russo, chamado Arvo, tentando esconder uma bolsa de remédios, dando ao jogador a decisão de pegar os remédios ou deixar o rapaz ficar com eles.

Clementine com AJ no colo conversando com Bonnie que ajuda o grupo a fugir de Carver.

A Rebecca acaba dando a luz a um menino, o Alvin Junior, que acaba sendo apelidado de AJ, mas agora o grupo tem um outro inimigo, a fome e o frio que está chegando, e eles decidem procurar outro lugar. Logo após isso Arvo, o rapaz russo dos remédios, os encontra, com outros sobreviventes do seu grupo, e nos ataca, Rebecca morre e o grupo acaba seguindo em frente sendo levados por Arvo até um casarão, prometendo comida e abrigo como forma de redenção, e acaba não sendo bem isso. Além de tudo isso também temos de lidar com o temperamento do Kenny, que muda bastante, boa parte do grupo foge e acabamos somente com Jane e Kenny, somos deixados com uma escolha, qual dos dois salvar. Tomada a decisão, nós ficamos responsáveis por AJ e após isso uma família de sobreviventes aparece, causando mais uma escolha a ser tomada sobre abrigá-los ou mandá-los embora, e a temporada acaba.


Clementine após escolher entre matar Jane ou Kenny.

Família em primeiro lugar

Na terceira temporada controlamos um novo protagonista, seu nome é Javier Garcia, e o tema principal desta temporada é família. A família de Javier Garcia tem descendência latina, temos de passar por muitos conflitos, como a perda de entes queridos, dilemas de relacionamentos mal resolvidos e amadurecimento.

Javier Garcia, o protagonista de The Walking Dead: New Frontier.
Javier é como se fosse a ovelha negra da família, mas com o apocalipse zumbi acaba tendo que aprender a sobreviver. Essa temporada tem uma pegada mais cinematográfica, bem presente no início de cada episódio, mostrando um pouco do que acontecia com os personagens antes do apocalipse zumbi, assim acabamos entendendo um pouco mais da história de cada personagem da família de Javier.

Javier tenta a todo custo ajudar sua família a sobreviver ao caos. Mas aqui temos como principais inimigos as pessoas, e como as nossas escolhas irão tornar como os outros personagens te vêem. Também temos a aparição de Clementine, que inclusive podemos controlá-la em flashbacks para entendermos sobre o período de tempo após os eventos da segunda temporada.

Na família de Javier temos David, que é seu irmão, e que embora todos pensavam que estava morto aparece vivo depois de um tempo, Kate, que era esposa de David, Gabe e Mariana, que são sobrinhos de Javier e filhos de David com a sua primeira esposa. David é um personagem que tem uma personalidade difícil e toma algumas decisões através do impulso e do egoísmo, sempre culpando Javier por algumas coisas do passado, além disso ele  tem um relacionamento tóxico com Kate.

Javier Garcia junto de Kate, Mariana e Gabe.

Ele faz parte do grupo da Nova Fronteira, um grupo de sobreviventes que Clementine anteriormente fazia parte, e que tomaram AJ de sua responsabilidade, após ela roubar um remédio para curar AJ, tida como ladra e traidora acaba sendo expulsa da Nova Fronteira. Um grande mal entendido acontece em toda a temporada, pois os soldados da Nova Fronteira acabam matando Mariana, e Kate acaba sendo baleada, mesmo assim eles conseguem fugir para Prescott, que é a sede de um grupo de sobreviventes que acabam sendo confrontados pela Nova Fronteira. Prescott acaba sendo destruída e com isso eles precisam fugir, e acabam decidindo ir para Richmond, uma outra sede de sobreviventes, ao chegarem lá acabam sendo surpreendidos em saber que a Nova Fronteira é que toma conta de Richmond, com isso eles precisam tentar arrumar um jeito de tirar Joan, uma líder manipuladora, que escondida tem uma equipe para derrotar sedes de outros grupos para roubar mantimentos e destruí-los, isso sem a ciência de que David saiba, pois ele é um dos líderes.

Joan, a grande vilã de The Walking Dead: New Frontier.
Após Joan ser morta e eles recuperarem Richmond dos zumbis, David é morto após um acidente de carro em sua tentativa de fuga junto de Gabe, que acaba sendo atacado por um zumbi e Javier o acaba encontrando ainda vivo, tendo a opção de matá-lo ou deixar que Gabe suicide. A temporada termina com Clementine descobrindo a localização de AJ, e Javier e Kate tomando conta de Richmond.

As lições de Lee e o amadurecimento de Clementine

Na quarta e última temporada voltamos a controlar Clementine, agora já crescida ela tem como principal responsabilidade cuidar de AJ. AJ é o grande ponto alto desta temporada, ele é totalmente ligado a Clementine, algo que já vimos e sentimos lá na primeira temporada com a relação de Clementine e Lee. Essa, de longe, é a melhor temporada da saga, aqui temos uma Clementine consciente de seus atos, um AJ astuto e sempre disposto a ouvir o que Clementine tem a dizer, e é difícil não se encantar com a relação dos dois, AJ é bem mais adição do que distração, e ele é realmente um personagem incrível.

Agora temos uma visão maior e melhor do personagem, do cenário e mudanças no gameplay.

Nesta temporada também temos algumas mudanças no gameplay, agora o jogador tem total visão do personagem, assim como vemos nos jogos de hoje, não se tem mais daquilo de você usar uma espécie de cursor para realizar uma ação, uma boa mudança tendo em vista o que ocorria nos jogos anteriores. E vale mencionar a dublagem brasileira presente nos dos primeiros episódios da temporada, quando ainda eram de domínio da Telltale Games, após toda a polêmica de falência a Skybound Games ficou responsável e não tivemos mais a dublagem contando apenas com as legendas em português.

Clementine e AJ no início da temporada em busca de comida.

Temos aqui uma Clementine cansada de ficar andando e correndo perigo, ela e AJ querem um lar para chamar de seu. Eles estão tendo um dia como todos os outros, em busca de comida, até que encontram uma casa, mas após uma explosão de granada os zumbis aparecem e eles têm de fugir, este início é bem frenético e empolgante, um acidente acontece e AJ e Clementine são resgatados por Marlon. Marlon os leva até uma escola onde só vivem crianças sobreviventes, nesta escola vemos um pouco da criança que AJ é, ele escuta bastante Clementine, e você como jogador terá a tarefa de moldar o caráter dele.

Todas as crianças ali deste grupo são importantes. Marlon é o líder, Louis é o palhaço tagarela sempre querendo fazer os amigos rirem, Violet é uma garota tímida e fria mas que com o tempo ganha sua confiança conforme suas escolhas, Mitch é o valentão, Tennessee é um garoto ingênuo, Brody é uma garota que pouco conhecemos, Willy é um garoto tímido mas engenhoso, Ruby é uma garota que de primeira parece ser durona mas na real é doce, Aasim é um garoto inteligente e Omar é o cozinheiro do grupo.

Marlon sempre tenta te passar a sensação de que o lugar é totalmente seguro, ele aceita a ajuda de Clementine e AJ para procurarem comida com os outros integrantes, com a escassez Clementine acaba sugerindo de irem até a casa em que ela foi encontrada por Marlon, pois lá ela tinha bastante comida, o grupo acaba aceitando e eles vão.Quando tudo está dando certo um homem estranho, de nome Abel, acaba encontrando Clementine e AJ, e  ali se tem um embate entre os dois, Clementine e AJ conseguem fugir com a comida, e quando chegam na escola contam o ocorrido, Brody fica nervosa com a situação e discute com Clementine. Na mesma noite Clementine e AJ escutam uma discussão, e Clementine descobre que é entre Brody e Marlon, pois Marlon entregou as duas irmãs de Tennessee em troca de que o grupo de Abel não os procurassem novamente, isso acaba desencadeando na morte de Brody pelas mãos de Marlon. Clementine consegue provar que não teve culpa pela morte de Brody e Marlon é confrontado pelas outras crianças, AJ vendo aquela situação acaba matando Marlon e todas as crianças o veem como um perigo, isso acaba deixando o AJ bem vulnerável, pois ele se sente um assassino, e quer muito se redimir pelo seu erro.

Clementine surpresa após AJ ter atirado em Marlon.
Após a morte de Marlon as crianças decidem fazer uma votação que acaba resultando na expulsão de Clementine e AJ, quando eles estão indo embora eles são surpreendidos por Abel e mais uma pessoa, que acaba revelando ser Lilly, que conseguiu escapar lá na primeira temporada, ela acaba atirando em AJ, e Clementine então é salva por James, um garoto que antes fazia parte do grupo dos Sussurradores, ele não mata zumbis, pois vê algo bom neles, e consegue se misturar usando uma máscara de zumbis. Lilly é a grande vilã desta temporada, ela quer recrutar as crianças a força para o seu exército, mas as crianças acabam armando um plano para não serem capturados.

Lilly apareceu na primeira temporada e agora retorna como antagonista da temporada final.

Quando Lilly e seu grupo atacam a escola das crianças algumas delas acabam sendo levadas, e nisso eles planejam um ataque ao barco do grupo de Lilly, para recuperarem as crianças que foram levadas, e acabam conseguindo a ajuda de James. O ataque acontece e muitos rumos do fim deste ataque se deve às escolhas do jogador, aí já temos também o final da temporada, pois ela mostra a evolução de AJ, mediante das suas decisões, e também o fim de Clementine.

Clementine e AJ após o fim dos acontecimentos da última temporada e com o seu final feliz.
Inclusive vale mencionar o sonho onde Clementine se encontra com Lee, é emocionante a forma como o diálogo acontece ali, Clementine cresceu e Lee morreu, e você fica com aquela saudade de quando ele era o mentor e protetor dela, e acaba enxergando o tamanho da jornada que ela encarou e a evolução dela como personagem. Simplesmente um grande presente para todos aqueles que a acompanharam do início ao fim.

Lee e Clementine se abraçando após ela pedir conselhos a ele, uma cena nostálgica para os fãs do jogo.

Suas escolhas realmente moldam a história?

O jogo todo o tempo faz com que o jogador se sinta desconfortável com escolhas perigosas, passamos por um tipo de provação todo o tempo, nossas escolhas ao mesmo tempo dizem algo sobre nós e também nos faz refletir sobre as situações ali mostradas. Mesma coisa com o que você diz aos personagens, a todo momento você tem uma informação dizendo que ele se lembrará do que você disse ou de sua ação, isso pode acarretar em como eles te tratam ou o que pode acontecer caso algum personagem não goste tanto de você futuramente.

Podemos fazer escolhas pelo protagonista, mas nem sempre as escolhas são tão decisivas para o desfecho da história.

Mas sempre fica a sensação de que não muda quase nada em relação a história, se você salvar algum personagem em um episódio no outro você será surpreendido com a morte dele, isso torna a experiência um pouco genérica, e conforme você vai jogando acaba sendo desgastante, como se a sua decisão não valesse tanto no fim das contas. Mas dá para entender do ponto de vista do roteiro, o jogo quer contar uma história, então ela tem que seguir caminhos que cheguem tudo ao mesmo ponto final. A decisão é sua mas a história é nossa.

Uma coisa que achei bem interessante foi o backup de escolhas, onde de uma temporada a outra o jogo puxa algum jogo salvo da temporada anterior e coloca as suas escolhas quando você iniciar a jogatina.

Bugs e glitches? Isso tá no roteiro?

Durante a minha jogatina enfrentei muitos, repito de novo, mas muitos bugs e glitches, a maioria foi de cenário, onde objetos desapareciam, personagens desapareciam, personagens apareciam dentro de outros e por aí vai.

Bug onde a Violet e o Louis ocupam o mesmo lugar, isto aconteceu durante a cena toda.

Da primeira temporada eu enfrentei muitas quedas de frames, o que às vezes me irritava um pouco na experiência, eu joguei ele no ano de lançamento e na época eu tinha um computador bem fraco, mas hoje jogando ele em um console de última geração pensei que as coisas seriam diferentes. Ainda temos o Graphic Black, que foi adicionado ao jogo, que é um filtro que deixa os gráficos  em preto e branco, assim como é visto nas HQ’s, e que eu particularmente não gostei, de início quando eu iniciava o jogo sempre tinha de desativar esta função manualmente.

Um problema super chato foi no terceiro episódio da segunda temporada, onde eu tive de jogar sem ver nada, pois a tela do jogo ficou totalmente preta e o jogo acontecia, tive que jogar as cegas mesmo.

Bug onde tive que jogar as cegas, foi bem frustrante.
Outra coisa que me deixou um pouco irritado foram os loadings, absolutamente TODOS os jogos tem loadings demorados, coisa de 25 segundos, isso as vezes quebra a experiência, conforme o jogador está jogando uma cena de ação e aí ele corta para um loading, sem contar que os jogos não são assim tão pesados para este tipo de demora.

A maioria dos bugs e glitches são coisas vistas lá no lançamento desses jogos, são problemas que poderiam estar corrigidos nesta versão definitiva, espero que a Skybound Games corrija esses bugs para não comprometer a experiência dos jogadores.

Um prato cheio pra quem gosta de uma boa história e drama

Telltale Games foi uma desenvolvedora onde teve como principal foco contar uma história através de seus jogos, e The Walking Dead era o DNA da desenvolvedora, ele trouxe uma boa visibilidade para a empresa que ficou estagnada e parada no tempo deixando de aproveitar a oportunidade e cativar novos jogadores.

Uma coisa que esses jogos sempre fizeram foi contar uma boa história, cheia de reviravoltas e ganchos, digno de séries americanas, esta é a real intenção deste jogo, onde o jogador, em boa parte, é apenas o observador de suas escolhas enquanto acompanha o desenrolar da trama.

Você se apega aos protagonistas, a alguns personagens, sofre com as situações, chora com algumas mortes e fica triste com algumas oportunidades perdidas. Esse jogo não é só sobre um apocalipse zumbi, ele nos mostra como as pessoas mudam diante de situações de perigo, onde a luta pela sobrevivência é maior do que pensar no próximo, ele mostra como funciona o ser humano com o seu orgulho e egoísmo.

Todo fim de episódio o jogo te apresenta as decisões que você tomou, o da última temporada é o mais detalhado.
O jogo também nos apresenta em cada final de episódio uma comparação de nossas escolhas com a de outros jogadores através de porcentagens. Isso é algo bem interessante e que evoluiu de temporada para temporada, sendo o da última o mais completo e detalhado.

Eu chorei muito com o último episódio, me lembrei da Clementine bem pequena e vê-la crescida, tendo grandes responsabilidades e tomando decisões, acabou passando um filme em minha cabeça. Um filme gratificante e que termina com um gostinho de saudade, nostalgia e quero mais.


Foi gratificante acompanhar a história de Clementine nestas 4 temporadas. 


Prós

  • Boas histórias e bom desenvolvimento de personagens;
  • Gráfico cartunesco bonito e evoluído a cada jogo;
  • Trilha sonora certa para cada tipo de situação apresentada.

Contra

  • Bugs e glitches vistos desde o lançamento original dos jogos;
  • Demora nos loadings.
The Walking Dead: The Telltale Definitive Series - Multi - Nota - 8.0
Versão utilizada para avaliação: XBO
Análise produzida com cópia digital cedida pela Skybound Games
Revisão: Henrique Moreno


Poderia estar dando um rolê na Epoch, ou participando do torneio do Mortal Kombat, e quem sabe escapando de alguns zumbis, mas estou aqui, feliz por estar escrevendo sobre games.

Comentários

Google
Disqus
Facebook