Jogamos

Análise: River City Girls (Multi) é um beat ‘em up caprichado e com muito estilo

Muita pancadaria de alta qualidade neste divertido e charmoso game.


Verdadeiros clássicos entre os clássicos, os jogos beat ‘em up foram uma das maiores marcas das terceira e quarta gerações de videogames. Afinal, enfrentar hordas e mais hordas de inimigos utilizando todo tipo de técnicas e itens diferentes certamente tem seu apelo.

Uma das mais novas adições a esse gênero tão tradicional, e que vamos conferir nesta matéria, é River City Girls (Multi), um título bonito e dinâmico que utiliza elementos conhecidos com várias inovações modernas. Prepare o seu soco inglês e o seu porrete, pois esta Análise vai ser pura porrada!

Tradição na arte da pancadaria

Antes de começarmos a análise do título, vale explicar que ele tem uma história no mundo dos games. Lançado para as máquinas arcade no Japão em 1986, o jogo Nekketsu Kōha Kunio-kun trouxe o estudante Kunio enfrentando várias gangues de bandidos. Lançado internacionalmente como Renegade (Multi), o game é um daqueles beat ‘em up clássicos das primeiras gerações de consoles.
Renegade foi um dos precursores do seu gênero
Desde então, a série Kunio-kun recebeu várias continuações e títulos diferentes, incluindo jogos de queimada e beisebol. Mas foi em 1989 que a franquia recebeu River City Ransom (Multi), versão americana de Downtown Nekketsu Monogatari. Com o passar do tempo, o termo River City se tornou uma referência para os games da série original lançados no ocidente.

Finalmente chegamos em 2019, quando temos o lançamento de River City Girls (Multi). Ele traz uma história inédita, mas situada no universo Kunio-kun. O título conta a história de Kyoko e Misako, duas estudantes que precisam enfrentar vários desafios para resgatar os seus dois namorados desaparecidos, Kunio e Riki, ambos personagens recorrentes da série.
Uma bela e explosiva dupla
Desenvolvido pela WayForward e publicado pela Arc System Works, o game traz uma pegada retrô utilizando, entre vários elementos, um belo visual pixelado. Mas o título não se limita a homenagear os jogos clássicos, pois ele traz diversas inovações interessantes ao gênero. River City Girls foi lançado em 5 de setembro de 2019 para PC (Steam), Nintendo Switch, Xbox One e PlayStation 4.

No começo, o game se assemelha muito aos beat ‘em up clássicos, onde temos ambientes confinados e poucas opções de golpes para muitos oponentes. Conforme vamos progredindo, é possível perceber que o jogo traz vários recursos interessantes: sistema de níveis, grande quantidade de itens e lojas, missões secundárias e muitos personagens interessantes para interagir.
River City nunca mais será a mesma depois de tanta ação

Unindo o clássico e o moderno

Realmente o título desta seção da análise é uma boa definição do game. Afinal, River City Girls traz muitos elementos tradicionais do seu gênero como, por exemplo, um sistema de progressão ao derrotarmos oponentes pelos cenários. Eles consistem em estudantes, membros da máfia japonesa, androides, zumbis, entre outros, sendo que cada um deles têm ataques e habilidades únicas.
Porrada para todo lado!
Mas o título também traz vários elementos interessantes para a fórmula clássica. Um deles é o enredo, que é divertido e atraente: as duas personagens principais, as amigas Kyoko e Misako, estão em detenção quando descobrem que os seus namorados foram sequestrados. Determinadas a encontrá-los, elas precisam escapar da escola e procurar pela cidade de River City.

Conforme as duas avançam pela história, reviravoltas surgem pelo caminho, tornando a missão delas cada vez mais difícil, misteriosa e, principalmente, muito divertida. A sinergia entre as duas gurias é contagiante, sendo que todos os personagens que elas encontram também são cativantes e originais. Suas animações e representações, assim como todos os gráficos do título, são belos e cheios de estilo.
O game combina muito bem os gráficos estilo 16 bits e as animações estilo anime e mangá
Pena que os menus durante o jogo não se aproveitam dessas qualidades. Embora eles ainda sigam o estilo do game, são pequenos e um pouco confusos. Pode parecer um ponto não tão relevante, mas considerando que ele contém o mapa, as missões, os itens e várias outras informações importantes e interessantes, poderia ter sido melhor apresentado.
O interessante sistema de recrutamento permite "colecionar" os inimigos e utilizá-los durante as lutas
Boa parte da simpatia do game também se deve aos excelentes trabalhos de dublagem, que permitem ao jogador identificar cada um dos habitantes de River City somente pelo seu jeito de falar. Os efeitos sonoros são bons e a trilha-sonora do game é ótima, com músicas e melodias agradáveis e adequadas para cada momento. Até hoje me vejo cantarolando o tema principal do jogo...

Os movimentos básicos são clássicos: dois ataques (um leve e um pesado), pulo, defesa e corrida (ao apertarmos o direcional na mesma direção duas vezes seguidas). Conforme derrota os inimigos, o jogador recebe experiência e passa de nível, podendo aprender vários novos golpes especiais, como em um RPG. Todos eles são bem implementados e divertidos de utilizar.
Kyoko detonando!

Estilo, dinamismo e um gostinho de quero mais...

Além de pontos de experiência e muita diversão, ao derrotar inimigos o jogador também recebe dinheiro, que é utilizado para adquirir equipamentos e itens. Os primeiros conferem efeitos variados como mais ataque ou mais resistência, enquanto os segundos são focados em recuperação de energia. Mas cuidado, porque a cada derrota perdemos um valor significativo para dar um “continue”.
As batalhas contra os chefes são uma atração à parte, como contra a roqueira Noize
Os itens comprados estão espalhados em lojas ao longo da cidade. Ela consiste em um mapa composto por seis zonas principais, interligadas por caminhos específicos ou por um sistema de transporte por ônibus. Para avançar na história, o jogador avança por essas “mini fases” e resolve as missões de cada uma delas, que, além das divertidas e dinâmicas pancadarias, incluem alguns elementos de plataforma e backtracking, incluindo objetivos secundários.

Um dos destaques do game é a possibilidade de dois jogadores poderem participar da aventura. Vários golpes e movimentos, inclusive, são otimizados para essa opção. A única desvantagem real em jogar sozinho, em minha opinião, é ter que jogar individualmente com Misako e Kyoko (e, posteriormente, com os personagens secretos) para passar cada uma de nível.
Reviver o aliado é uma das vantagens de jogar em dupla
Outro elemento moderno trazido é o sistema de parry. Ao apertarmos o botão de defesa no momento exato em que o inimigo ataca, podemos deixá-lo incapacitado por um momento. Embora uma boa ideia na teoria, na prática ela se torna muito complicada pela grande quantidade de inimigos na tela e pelo alto nível de precisão exigido, o que me levou a usá-la esporadicamente.
Utilize armas como ioiôs, pás, bumerangues e peixes para derrotar os inimigos
Infelizmente o final do game é meio decepcionante. Sem citar spoilers, é possível realizar uma missão secundária para obter um final melhor, mas creio que ele deveria ser bom em qualquer caso. Na minha opinião, a campanha principal merecia mais zelo, o que daria mais incentivo para o jogador continuar a jogar. Admito que a considero um pouco curta, sendo que o pós-jogo não tem muito apelo.
Participação especial dos protagonistas de Double Dragon nos dois dojos onde podemos adquirir novos golpes
O modo New Game + até oferece algumas novidades, mas creio que algum tipo de mini-game ou modos de jogo alternativos, como por exemplo "sobreviver ao maior número possível de ondas de inimigos", seriam adições muito bem vindas. River City Girls traz um universo rico e divertido, com ótimas mecânicas e ideias; sendo assim, de certa forma, é um desperdício ele ficar somente preso ao modo principal e suas boas, mas poucas, missões secundárias.

Um divertido e charmoso beat ‘em up

Proveniente de uma longa série de jogos, River City Girls (Multi) traz o melhor de dois mundos: ótimos elementos clássicos de pancadaria combinados com várias melhorias e mecânicas modernas. Isso sem falar nos gráficos bonitos, trilha-sonora de primeira e uma jogabilidade cheia de recursos. Mesmo sendo um pouco limitado por ter foco somente no seu modo campanha, esse é mais um excelente título para a sua biblioteca.
River City Girls é um prato cheio para quem curte muita ação!

Prós

  • Belo game design, com destaque para os personagens cativantes e divertidos;
  • Ótima combinação de gráficos pixelados, animações no estilo anime e segmentos de mangá;
  • Jogabilidade simples e funcional, com boas mecânicas de jogo;
  • Dublagem e trilha sonora são ótimos, combinando muito bem com o game;

Contras

  • Campanha principal um tanto curta, com final genérico e sem graça;
  • Pós-jogo pouco atrativo, sobretudo devido a falta de modos de jogo alternativos;
  • Menus de acesso durante o game são pequenos e mal aproveitados.
River City Girls - Multi - Nota: 8.0
Versão utilizada para avaliação: PS4
E você, leitor? O que achou do charmoso e dinâmico River City Girls? Deixe a sua opinião.

Análise feita com cópia cedida pela WayForward
Revisão: Raphael Barbosa

é redator do site GameBlast desde maio de 2018 e um grande fã da décima arte, embora não tenha muito tempo disponível para ela. Seus games favoritos (que formam uma longa lista) incluem: Kingdom Hearts, Guitar Hero, Zelda, Crash, FIFA, COD, Pokémon, MvC, Yu-Gi-Oh, Resident Evil, Bayonetta, Persona, Burnout e Ratchet & Clank.

Comentários

Google
Disqus
Facebook