Perfil

Sagat: tudo sobre o Imperador do Muay Thai

No dia de seu aniversário conheça a trajetória de um dos maiores ícones dos jogos de luta.

Em seu aniversário de 64 anos, o lendário lutador de Muay Thai da franquia Street Fighter bate com tudo em nosso especial contando ascensão, queda e redenção de um dos maiores rivais de Ryu.

O começo do campeão

Sagat teve uma infância dura, vivendo como órfão e morador de rua na Tailândia. Em meio às dificuldades, o jovem já demonstrava ambição por se tornar cada vez mais forte através de brigas de rua. Não tardou para que ele percebesse que poder sem refinamento não seria suficiente e buscou no Muay Thai o direcionamento que precisava para conquistar seus objetivos.

Devido ao porte físico avançado para sua idade, ele pôde competir já com 15 anos de idade contra grandes lutadores. Entre derrotas e vitórias, Sagat conquistou sua fama, chegando ao topo dos lutadores de Muay Thai. O que garantiu a chance de enfrentar Nuakan, até então Imperador do Muay Thai, em um embate sangrento no famoso estágio das Ruínas Khmer.
Muitos vão lembrar das Ruínas Khmer como o mapa de Adon em Street Fighter Alpha 3 (Multi)



Mesmo com seu golpe assinatura, Hanuman Kick, Nuakan não foi páreo para o jovem Sagat, que seria conhecido de agora em diante como o novo Imperador do Muay Thai. Ao testemunhar o novo campeão em ação, Adon fica espantado com tamanho poder e pede a Sagat para aceitá-lo como discípulo.

Tomado pela raiva

Tempos depois, Sagat se veria em confronto com um oponente chamado Go Hibiki, pai do famoso lutador trapalhão, Dan Hibiki. Na luta, Sagat estava lutando com seu oponente de igual para igual, quando Go acaba acertando seu olho direito em cheio. Em estado de fúria, Sagat perde o controle e acaba liberando todo seu poder em cima de Go, matando o oponente (mesmo que por acidente) com um Tiger Shot. Ao presenciar a morte do pai, Dan jura vingança a Sagat.
No mangá feito pelo Udon, um spin-off da cronologia mostra a cena em que Sagat perde o olho com o golpe de Go





Fonte de inspiração

Até hoje é meio vaga a fonte inspiradora para o personagem. Algumas biografias indicam que ele foi inspirado no lutador da vida real, Sagat Petchyindee, que é tido por muitos como o melhor lutador de Muay Thai de todos os tempos. O fato é que nunca houve confirmação por parte da Capcom sob tal hipótese.
A lenda viva do Muay Thai, Sagat Petchyindee, colecionou títulos durante a carreira e é considerado por muitos como referência para criação de Sagat



Outras fontes indicam que Sagat venha do personagem Reiba, famoso pelo mangá Karate Baka Ichidai devido a aparência e trejeito semelhante. Inclusive, em Ultra Street Fighter IV (Multi), Sagat apresenta uma roupa variante igual ao de sua suposta inspiração.
Karate Baka Ichidai (Karate Master no ocidente) foi um famoso mangá de artes marciais e que alguns acreditam ter servido de inspiração para Ryu e Sagat



Oficialmente, temos a informação do co-criador da franquia, Finish Hiroshi, que disse que o estilo do personagem veio através da moda de filmes de Kickboxing e Muay Thai que surgiam na época. Um fato curioso é que Sagat tem a figura do tigre como marca registrada em todos os seus golpes especiais. No Muay Thai existe o conto do Rei Tigre Siamês, famoso por adorar competir em lutas de Muay Thai e que acabou conquistando o respeito da Birmânia após derrotar inúmeros soldados birmaneses em sequência.

O orgulhoso tigre asiático

O famoso gigante de 2,26 cm é o típico lutador orgulhoso. Embora preze o poder acima de tudo, Sagat é justo ao acreditar que isso só pode vir em decorrência  de muito treinamento e combate. Apesar da sua aparência amedrontadora, ele aprecia oponentes fortes e dedicados como ele, tratando a disputa com ainda mais afinco, e despreza atitudes covardes e desonrosas.



Algumas fontes mencionam que ele sofra de gigantismo, mas em uma franquia que possuí personagens gigantes como T. Hawk, Zangief, Hugo e Abigail. Eu prefiro acreditar que o porte físico seja apenas uma característica estética da equipe desenvolvedora.

Não basta ser o Imperador

Sagat se mostrava insaciado com suas recentes conquistas. Para ele, não bastava ser o melhor do Muay Thai, agora queria ser o melhor do mundo. É com esse objetivo que ele entra no World Warrior Tournament de Street Fighter (Multi). Nenhum desafiante parecia estar a altura de Sagat, até ele se deparar com um jovem carateca chamado Ryu.
Sagat era o último chefe do primeiro Street Fighter



Ambos travam um combate intenso até que Sagat consegue derrotar Ryu. É quando o jovem lutador parece ser acometido por uma misteriosa energia. Fora de si, ele desfere um poderoso Metsu Shoryuken que acaba derrotando Sagat e deixando uma grave ferida em seu peito, tornando-se mais tarde na cicatriz característica que o personagem carrega. Sentindo-se humilhado, inicia-se um intenso sentimento de raiva e vingança em Sagat.

O começo na Shadaloo

Ciente de que precisaria criar um golpe que rivalizasse com o poderoso Shoryuken, Sagat desenvolve o Tiger Blow. Tomado pela vingança e certo que é através dela e de sua raiva descontrolada que ele iria alcançar o verdadeiro poder. Sagat entra mais uma vez em confronto com Ryu em Street Fighter Alpha (Multi), visando limpar sua honra e retribuir a cicatriz causada por seu novo rival.

No duelo entre os dois, Ryu menciona que Sagat ainda não entende o verdadeiro caminho para a força e acaba perdendo o duelo. Mesmo com a vitória, Sagat fica com a sensação de vazio e com a certeza de que seu rival não havia lutado com tudo que tinha.
Ao final de Street Fighter Alpha, Sagat é recrutado para a Shadaloo por M. Bison



O personagem é interrompido pela chegada de uma aeronave. Dela surge a figura de M. Bison para dizer a Sagat que ele foi o verdadeiro vencedor e que deveria esquecer a vingança. Afirmando que se ele desejava ser temido, deveria dominar o Psycho Power.

Acerto de contas

Como membro da Shadaloo em Street Fighter Alpha 2 (Multi), Sagat é reconhecido por Bison como um membro de grande poder, colocando-o como integrante do Four Heavenly Kings da Shadaloo.
O Four Heavenly Kings da Shadaloo é composto por Balrog, Vega, Sagat e M.Bison



Paralelo a isso, Sagat é confrontado por Adon, sendo ridicularizado por seu aluno pela derrota com Ryu, trazendo vergonha ao poder do Muay Thai (mal ele lembra que também perdeu para Ryu em SF). Chamando Sagat de “tigre que perdeu suas presas”, Adon desafia seu antigo mestre pelo título de Imperador do Muay Thai, onde acaba sendo bem sucedido. No entanto, o antigo pupilo de Sagat é severamente ferido no combate, ficando hospitalizado por meses.
Da mesma maneira que Adon renega seu mestre, Sagat lembra de seu ex-aluno como “um acontecimento vergonhoso em sua história”

Tomado pela fúria e ódio, Sagat consegue seu sonhado duelo contra Ryu devido aos recursos da Shadaloo. Esse por sua vez se mostra relutante, dizendo que não deveriam lutar naquele momento, pois Sagat ainda não estava recuperado do último embate entre eles. Ignorando as palavras de seu rival, Sagat parte com tudo o que tinha, saindo vitorioso do embate. Contudo, ele não consegue se dar por satisfeito, percebendo que Ryu teria entregado a luta por prezar um combate de igual para igual com seus oponentes. Assombrado pelo olhar de pena que Ryu disparou para ele, o gigante lutador decide se isolar de tudo e treinar por conta própria, longe da influência da Shadaloo.

Após o duelo reflexivo contra Ryu, Sagat percebe que títulos não representam nada e decide se empenhar ainda mais para a luta decisiva contra seu rival
Durante o jogo, Dan consegue seu acerto de contas pela morte do pai. Até então, Sagat desconhecia que o jovem lutador era filho de Go. Após perder tempo atrás de uma vingança cega contra Ryu, Sagat passa a desaprovar que um lutador seja movido por um sentimento tão fútil. Ao ver que Dan estava descontrolado pela vingança, ele decide entregar a luta para satisfazer o espírito de Dan e, ao mesmo tempo, se redimir por ter perdido o controle e tirado a vida de Go.
Com sua vingança concluída, Dan consegue retomar sua vida sem nem ao menos desconfiar que Sagat permitiu que ele ganhasse




No caminho certo

Com sua cicatriz ainda queimando em seu peito, Sagat sentia que estava pronto para acertar as contas com seu rival em Street Fighter Alpha 3 (Multi). Após um intenso treinamento, ele percebe que o poder utilizado por Ryu e que levou a sua cicatriz foi consequência da força maligna do Satsui no Hadou. Ele finalmente descobriu a verdade, entendendo que seu rival não deveria ser tomado pela raiva e que isso ia ao encontro com os planos de Bison para o rapaz: fazê-lo perder o controle para tomar posse de seu corpo.


Bison interfere nos planos de seu subalterno, que almejava uma luta justa contra seu antagonista. Entregando para ele um Ryu com a mente dominada. Sagat decide prosseguir com o duelo, entretanto, ele se esforça para fazer seu rival lembrar que um verdadeiro guerreiro não deve sucumbir a um poder tão traiçoeiro. O ardiloso vilão tenta tirar proveito da situação para eliminar os dois com seu Psycho Power, mas falha quando Ryu desperta dominado pelo Satsui no Hado através do apelo de Sagat, revertendo o golpe de Bison e eliminando-o de vez.
Ryu consegue reverter o domínio de Bison ao despertar enfurecido gritando o nome de seu rival



Na conclusão, embora estivesse preparado para a luta, é a vez de Sagat admitir que seu oponente ainda precisava de mais preparo. Ciente de sua fraqueza, Ryu parte para treinar sua técnica, prometendo retornar para um confronto a altura contra seu rival. Mesmo sem ter sua revanche, Sagat mostra-se satisfeito e empolgado como nunca antes em sua carreira pelo retorno de Ryu e promete jamais permitir que alguém interfira em seu duelo.

A luta que não ocorreu

Em Street Fighter II (Multi), por se tratar de um título antigo e por se passar após a série alpha na cronologia, muitos finais não se tornaram canônicos nesse jogo. O fato é que Sagat não consegue ter sua disputa com Ryu no segundo torneio.

Considerando o final do personagem na última versão do game em Ultra Street Fighter: The Final Challengers (Switch), Sagat é visto em um momento reflexivo em que se dá conta que deixou o ódio e a vingança serem os motivos de seu treinamento. Ele então percebe que a honra de lutar contra grandes oponentes e poder levar sua capacidade além do limite são os únicos combustíveis que um verdadeiro campeão precisa.


Decidiu se empenhar cada vez mais em seu treinamento. Não por vingança, mas para se tornar um lutador melhor e travar o maior combate da história contra Ryu.

A busca pelo verdadeiro poder

Buscando sentido e direcionamento para seu poder, Sagat encontra com seu ex-pupilo, Adon, em um ringue de Muay Thai em Street Fighter IV (Multi). Após derrotá-lo com seu novo golpe: Tiger Destruction, Sagat deixa o local sendo ovacionado pela torcida e decide entrar no torneio promovido pela nova organização criminosa chamada S.I.N. na esperança de encontrar com Ryu.

Ao término do embate com o vilão Seth, vemos um Sagat muito mais consciente de suas ações em comparação a máquina movida pelo ódio nos jogos anteriores. Em um momento reflexivo, ele comenta como esteve obcecado por Ryu nos últimos anos, se sentindo como um perdedor. Que a vitória não passa de uma simples consequência onde o que realmente importa, é se comunicar através de seus punhos com seus oponentes. Na conclusão ele afirma que os punhos de Seth são mudos e sem alma, e que ele já foi assim no passado, e finaliza se perguntando : “será que eu mudei? Apenas uma pessoa pode responder essa pergunta.”
É ótimo ver o Sagat dando o merecido troco no ingrato Adon


A partir da versão Super Street Fighter IV (Multi), ele passou a receber novas cutscenes. Em seu prólogo, vemos um Sagat ainda demonstrando seu orgulho como lutador, mas muito mais reflexivo sobre o seu passado movido por sentimentos fúteis e seu novo desejo de descobrir o real sentido por trás da luta. Com sua cicatriz queimando em seu peito, ele sai em sua jornada de autoconhecimento. Uma postura muito mais condizente com sua trajetória até aqui.
Sagat espera encontrar a resposta de seus questionamentos na experiência de luta de seu rival



Ao lutarmos contra Ryu no jogo, temos um pequeno diálogo em que Ryu afirma que faz um bom tempo que eles não se veem. Sagat toca sua cicatriz e diz: “uma promessa, é uma promessa” e os dois iniciam o combate ao som de uma trilha sonora que parece vir do confronto final de um grande filme de arte marcial. Ao término de seu modo história, o novo final de Sagat mostra o lutador voltando pra vila onde vivia e acaba encontrando com crianças que perguntam como foi sua jornada. Ele responde com um tom humorado dizendo que foi divertida. As crianças o questionam pela simplicidade da resposta, ele então completa: “digamos que encontrei um velho amigo”. Indicando um novo sentido na sua forma de enxergar a luta e sua rivalidade com Ryu.
A maturidade marcial de Sagat atinge um outro nível em SF IV



Presença maligna

Sagat foi adicionado ao elenco de Street Fighter V (Multi) como um personagem DLC. Até então o personagem era apenas citado no modo história de Rashid. Em sua campanha, vemos o famoso lutador em um dia de treinamento comum acompanhado de seu tigre, Phicit Willa Maiu (gato vitorioso e corajoso) em seu vilarejo na Tailândia. Quando o personagem se depara com uma versão maligna de si mesmo.
Nem mesmo a sombra de Sagat é párea para ele em SF V



Após derrotá-la, surge a personagem Namupum, uma das crianças da vila. Dessa vez, Sagat é tomado pela força do Satsui no Hadou, presente em sua cicatriz. A energia maligna tenta obrigar o lutador a matar a jovem moça, mas é subjugada pela força de vontade e foco de um Sagat amadurecido e consciente. Ele nunca havia experimentado esse tipo de poder e agora entendia que esse tem sido o maior oponente de Ryu ao longo do tempo. Agora ciente do que deveria buscar respostas sobre esse fenômeno, ele parte em uma nova jornada.
Sagat decide entender melhor a energia que reside nele e passa a buscar o mesmo caminho trilhado por Ryu



Ao enfrentar seu rival na última luta do modo história, vemos o lutador em um local que mais parece uma caverna sombria. Agora, esclarecido com as recentes experiências envolvendo o Satsui no Hado, o personagem parece saber o que procurar para preencher o vazio em seu caminho como lutador. Em um intenso clarão, representando a luz em meio às sombras das dúvidas que o personagem sempre teve, vemos um Sagat confiante em buscar valores e virtudes dignas de um verdadeiro “rei”.
Após inúmeros combates, Sagat finalmente descobre o que almejar para satisfazer seu ímpeto de lutador

Reinando na casa rival

Sagat marcou presença em diversos crossovers realizados pela Capcom. Dentre eles temos Capcom vs SNK: Millennium Fight 2000 (Multi),  Mark of the Millennium 2001/EO (Multi) e SNK vs. Capcom: SVC Chaos (Multi). Com um grande destaque em Street Fighter x Tekken (Multi), onde o personagem faz dupla com Dhalsim para solucionar um caso de desaparecimento de crianças de ambos os vilarejos. Ao encontrar as crianças desaparecidas na Antártica, Sagat tem a oportunidade de obter poder dos deuses através da caixa de Pandora, contudo, ele apenas deixa o local com as crianças dizendo que um rei não precisa desse tipo de poder.
Sagat toma atitudes surpreendentes em Street Fighter x Tekken, prezando a vida de inocentes no lugar de conseguir mais poder


Sagat também esteve presente em Street Fighter x Mega Man (PC) como um dos chefes secretos. Na trilogia spin-off da série Street Fighter EX (Multi) a história de Sagat é recontada com pequenas adaptações aos personagens presentes na franquia 3D. Da sua derrocada pelo jovem Ryu, passando pela manipulação realizada por M.Bison, até sua redenção como lutador.


Dos jogos para outras mídias

Sagat pôde figurar em diversas outras mídias além dos jogos. Em todas elas o famoso imperador teve boas versões, ou melhor, em quase todas:
Apesar do talento do ator Wes Studi, suas características simplesmente não casaram com o que os fãs esperavam para o Sagat



Em Street Fighter: The Movie (1994), mesmo juntando um elenco de peso com atores como Raul Julia e Jean Claude Van Damme, o filme mostrou uma versão totalmente distorcida do jogo. Dentre as maiores descaracterizações, temos os personagens Ryu e Ken como ladrões e Sagat como mafioso filiado a Shadaloo. O filme ainda rendeu um jogo homônimo que utilizava a mesma tecnologia de Mortal Kombat (Multi) nos anos 90, mas ao contrário da franquia criada por Ed Boon, esse título ficou apenas como um momento cômico e inexpressivo da série. Felizmente o contrário é visto em suas versões animadas e literárias.

Street Fighter II: The Animated Movie

Aqui Sagat é mostrado como membro da Shadaloo, junto de Balrog e Vega. Ele tem poucas deixas ao longo do filme, exceto pela clássica representação de seu primeiro combate contra Ryu onde recebe sua cicatriz.



Street Fighter: The Animated Series

A famosa franquia de luta recebeu uma adaptação ao estilo de desenho ocidental. No Brasil foi televisionada pelo canal aberto SBT no anos 90. Aqui temos Sagat em seu papel como vilão ao lado de M.Bison contra as forças do coronel Guile. Pouco é explorado acerca de sua rivalidade com Ryu, a luta entre os dois apenas aparece como um flashback em um dos últimos episódios. Na conclusão do desenho, Sagat ainda se volta contra Bison ao descobrir seus planos de dominação mundial.
No desenho Guile lidera uma equipe com diversos lutadores da franquia contra M.Bison e as forças da Shadaloo



Street Fighter II Victory

Na famosa série de animação japonesa, transmitida no Brasil também pelo SBT, temos uma versão diferente de Sagat, onde o famoso lutador está sem o tapa olho e sem a sua cicatriz no peito. Como a trama do anime envolve a origem dos personagens de forma alternativa, Sagat é mostrado como um famoso lutador de Muay Thai que é incriminado pela organização criminosa chamada Ashura. Após ganhar amizade de Ryu através de um combate na prisão, ele tem seu nome limpo pelo novo amigo com o auxílio de Ken. Em gratidão ao gesto dos dois, ele conta a respeito de Dhalsim para que a dupla possa buscá-lo e aprimorar suas técnicas.
Não só a luta entre Sagat e Ryu é incrível em Street Fighter II Victory, todo o anime é extremamente recomendado para fãs da franquia



Na série Street Fighter: Assassin’s Fist, Sagat é apenas mencionado em uma das cenas deletadas, como o assassino do pai de Dan Hibiki.

Street Fighter Alpha (mangá)

Aqui Sagat é mostrado apenas em flashbacks em sua primeira luta contra Ryu, onde é derrotado pelo jovem carateca. Sua derrota faz Adon entrar para Shadaloo para redimir a vergonha causada por seu mestre ao Muay Thai. Ainda vemos a dupla rival tendo uma revanche em dois momentos do manga.
O mangá mostra diversos momentos interessantes cronológicos e spin-offs. Foi publicado no brasil pela editora New Pop



Street Fighter III: Ryu Final (mangá)

Aqui é explorado o lado mais humano de Sagat. Passado seu momento de fúria pela derrota contra Ryu, o grande lutador acaba protegendo dois órfãos de traficantes de crianças, tornando-se uma espécie de ermitão protetor na Tailândia. Antes de sua luta decisiva contra Akuma, Ryu busca seu rival para um segundo confronto. Uma luta brutal é travada, com Ryu sendo o primeiro a cair enquanto Sagat tem a cicatriz aberta. Ele agradece seu rival pela ótima luta e o adverte para estar preparado, pois na próxima revanche seria ele a buscá-lo.
Sem lançamento oficial no Brasil, o mangá mostra o confronto decisivo entre Ryu e Akuma


Udon Comics

Udon Entertainment Corporation é um estúdio canadense da Capcom responsável por criar conteúdo para a famosa franquia de luta. Diversos mangás foram criados com a contribuição de diversos autores. Suas publicações são história pequenas sobre cada personagem, mas que se conectam em uma trama maior. Temos diversos aspectos de Sagat sendo explorados nas muitas publicações. Desde uma das versões mais infames do personagem na série focada na Chun-li, até publicações abordando sua personalidade mais honrada que, apesar de membro da Shadaloo, despreza injustiças, principalmente quando envolvem seus oponentes.
Embora não tenham chegada por aqui, é possível encontrar a versão americana com facilidade. É uma leitura extremamente válida


Street Fighter vs Darkstalkers (revista)

Aqui Sagat junta forças com Ken, Chun-li e Felicia para combater as criaturas que surgem na trama.


Brutalidade e imponência

Seu estilo de luta é composto por golpes de longo alcance, compensando o hitbox do personagem.

Tiger shot

A magia característica do personagem pode ser utilizada em duas variações: atingindo a parte superior ou inferior do oponente. Por conta disso, Sagat chegou a ser banido de algumas competições oficiais de Street Fighter II.


Tiger blow/uppercut

A resposta de Sagat ao famoso shoryuken de Ryu. O golpe famoso por acertar diversos hits no oponente, facilitando seu atordoamento.


Tiger knee

É um dos primeiros golpes mostrados por Sagat. Nele o personagem avança em direção ao oponente com uma joelhada voadora.


Tiger raid

Um especial introduzido na série Alpha. Consiste numa série de chutes finalizando com uma voadora que deixa o oponente em chamas, se realizada no nível 3.



Tiger cannon

Variação do Tiger Shot em que Sagat lança um projétil carregado, acertando o inimigo diversas vezes.



Tiger genocide/destruction

Especial que consiste em uma combinação de Tiger Knee e Tiger Blow, causando uma série de acertos no oponente.



Em sua versão ultra em Street Fighter IV, o movimento ganha um segundo Tiger Blow em chamas mais forte, lançando o adversário ainda mais alto.



Tiger rampage

Critical art de Sagat colocada em Street Fighter V. O especial inicia com uma joelhada seguida por uma sequência de chutes, seguido por um gancho e um Tiger Blow.



Além disso, a V-Skill de Sagat apresenta duas variações: Tiger Charge, que permite utilizar a energia do Satsui no Hadou em sua cicatriz, causando mais hits em seus ataques especiais. Já a Tiger Assault adiciona mais dano ao Tiger Knee e deixa seus chutes com dano de fogo.
Em SF V Sagat pode utilizar o poder presente em sua cicatriz para melhorar seus golpes especiais


O lar do Imperador

O cenário de Sagat se chama Ayutthaya Ruins (Nachapa Reclining Buddha Statue em SF Alpha 3 e King’s Court em SF V). Ele é facilmente identificado pela gigantesca estátua do Buda deitado no fundo.
O imponente Imperador do Muay Thai em um dos cenários mais clássicos da franquia Street Fighter



A jornada está só começando

Sagat é um dos poucos personagens com um background imenso para um jogo de luta. Com uma série de altos e baixo na história do personagem e uma progressão na sua forma de encarar os combates, o famoso gigante da franquia Street Fighter mostra que ainda tem muito chão pela frente nos próximos títulos.


Esperamos que tenham gostado da matéria, tanto quanto apreciamos elaborá-la para vocês! Algum fato curioso ficou de fora do especial? Não perca esse golpe certeiro e deixe seu relato nos comentários!

Revisão: Carlos França Jr.


Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook