Top 10

Hora da nostalgia! Dez jogos clássicos de desenhos animados

Muitas animações clássicas, e que continuam a fazer sucesso até hoje, já garantiram diversas adaptações para os consoles.




Os jogadores que cresceram nos anos 90 e começo dos anos 2000 presenciaram seus desenhos animados favoritos ganharem versões para os consoles e arcades. Super Nintendo, Master System, Mega Drive e PS1 são alguns dos aparelhos que mais receberam adaptações de animações, muitas das vezes tão boas e fiéis quanto suas inspirações.

Selecionamos aqui dez jogos que foram baseados em desenhos e seriados animados da televisão e tiveram grande sucesso, fazendo jus ao êxito de suas versões originais.

Bugs Bunny: Lost in Time

Vamos abrir a lista com um dos melhores jogos do coelho mais famoso da televisão. Neste game de aventura para PS1 e PC, lançado em 1999, Pernalonga vai parar em "Lugar Nenhum" após encontrar uma máquina do tempo durante uma viagem. Ele então conhece o mago Merlin, que diz ao Coelho que deve reunir alguns relógios espalhados por várias épocas se quiser voltar para casa.

O jogo era extremamente divertido e contava com diversos personagens da turma dos Looney Tunes, como Hortelino, a Bruxa Hazel e Marvin, fazendo parte dos chefões de cada época. Em vários momentos o jogo mostrava-se bem desafiador e era carregado do humor clássico das animações do Pernalonga, garantindo bastante diversão e risadas por algumas horas.

The Simpsons: Arcade Game

Uma das maiores febres da TV norte-americana, Os Simpsons foi criado em 1989 e já conta com 30 temporadas. Seu humor inteligente, com críticas ao estilo de vida americano e questões sociais, cativa fãs até hoje. Assim como outros programas de longa data, a família animada mais querida da televisão também já garantiu diversos jogos nestes 30 anos de existência.

O primeiro deles foi The Simpsons: Arcade Game, desenvolvido pela Konami em 1991, posteriormente com versões para Commodore 64 e MS-DOS. No game de estilo beat 'em up a família Simpson percorre os cenários mais famosos de Springfield para resgatar Maggie de Mr. Burns, que raptou a bebê que está com um diamante que Smithers roubou de uma loja. Cada personagem possui uma "arma" para confrontar os capangas de Burns: Bart usa um skate, Lisa possui uma corda, Marge ataca com seu aspirador de pó e Homer na base do soco e chute.

Sendo multiplayer de até 4 jogadores, é possível combinar personagens para produzir golpes únicos. Ao longo das oito fases passamos pelas localidades mais famosas de Springfield, como Krusty Land, a Taverna do Moe e a Usina Nuclear. O jogo tinha uma dificuldade bastante elevada, mas que tornava-o  viciante e bastante divertido.

Teenage Mutant Ninja Turtles: Turtles in Time

Teenage Mutant Ninja Turtles, encurtado no Brasil para Tartarugas Ninja, foi um grande sucesso na televisão com seu surgimento em 1987, fazendo parte da infância daqueles que cresceram nos anos 90. Em pouco tempo começaram a surgir jogos dos heróis para consoles e arcades.

Turtles in Time, quarto título da franquia e segundo para arcades, foi desenvolvido pela Konami e lançado em 1991, e um ano depois teve um port para Super Nintendo. Neste game de beat 'em up, com versões para dois ou quatro jogadores, as tartarugas são enviadas para diversas épocas pelo Destruidor, após Krang roubar a Estátua da Liberdade, elas devem enfrentar o Clã do Pé para voltar para seu presente.

A jogabilidade é muito parecida com muitos jogos do gênero da época, com a versão de SNES tendo algumas diferenças do original, como tom de verde diferente para cada herói, mudança de fases e uma finalização de inimigos em que é possível arremessá-los na tela, dando um pouco mais de graça ao game.

Digimon Rumble Arena 2

"Rival" de Pokémon, o anime dos monstrinhos digitais também já rendeu ótimos jogos desde sua criação, em 1999. Um deles, que fez parte da coleção de muitos fãs do desenho, é Rumble Arena 2. Apesar de Digimon World ser um clássico da franquia, o jogo de luta também tornou-se tão relevante quanto o game de aventura.

Em Rumble Arena 2 os Digimon favoritos dos fãs, da primeira à quarta geração, disputam em arenas no mesmo estilo de Smash Bros, com plataformas flutuantes e itens arremessáveis. A segunda versão foi escolhida para fazer parte da lista por suas novidades em comparação ao primeiro título, como sistema de pontuação como critério de vitória (quem eliminar mais oponentes ganha), dois níveis de digievolução nos combates e multiplayer de até quatro jogadores.

SpongeBob SquarePants: Battle for Bikini Bottom

Apesar de dividir opiniões de sites de críticas e do público, Battle for Bikini Bottom ainda é considerado um dos melhores jogos de Bob Esponja e da Nickelodeon, essa que raramente lança algum jogo no mínimo decente de suas animações.

Neste game de aventura e plataforma em 3D, lançado em 2003, Bob Esponja deve defender a Fenda do Biquíni do ataque de robôs do Plankton. Além do protagonista, é possível controlar também Patrick e Sandy, cada um com suas características únicas. Voltado para o público mais novo e fãs da animação, Battle for Bikini Bottom é uma experiência comum de um jogo de aventura e plataforma, mas que diverte por algumas horas e contém diversos elementos e referências do desenho animado.

South Park: The Stick of Truth

Tudo bem que The Stick of Truth ainda é um tanto quanto recente para ser chamado de clássico, mas entra na lista por ser a primeira tentativa de fato bem sucedida de jogo para South Park. Voltada para um público mais adulto e partindo para a 23 temporada, South Park estreou em 1997 e, desde então, constantemente é alvo de críticas e cria altas polêmicas com seu humor negro e completamente sem filtro.

O jogo de 2014, lançado pela Ubisoft, não foge muito disso. Neste RPG de estratégia por turnos, as crianças de South Park levam um pouco a sério demais sua brincadeira de "O Senhor dos Anéis", onde humanos e elfos disputam pelo graveto da verdade. Roteirizado pelos criadores da animação nos mesmos moldes do desenho, o título nos passa a sensação de estarmos jogando episódios de South Park com seu linguajar esculachado e piadas sem o menor bom senso. Se for jogar The Stick of Truth faça-o de mente aberta, pois o humor negro faz jus à série.

The Simpsons: Hit & Run

Hit & Run é mais uma aventura clássica do desenho Os Simpsons. Lançado em 2003 para PS2, Xbox, Game Cube e PC, o game de aventura e corrida é facilmente resumido à "GTA dos Simpsons", mas muito mais comportado e politicamente correto, em que a família deve salvar Springfield dos aliens Kang e Kodos que, por meio do refrigerante Buzz Cola, deixaram a população da cidade maluca a fim de gravar o reality show "Tolos Terráqueos".

O jogo possui 49 missões divididos em sete níveis, entre cumprir tarefas, coletar itens e corridas contra o tempo. Todos os veículos da cidade estão disponíveis para dirigir, além de contar com diversos carros e referências de episódios da animação. Protagonizado pelos dubladores originais do desenho, Hit & Run traz todo o humor do seriado e garante algumas horas de diversão enquanto dirige-se desgovernado por Springfield.

Mickey Mania

Criado em 1928 por Walt Disney, Mickey Mouse é uma das figuras mais conhecidas no mundo. O camundongo faz sucesso não apenas nas animações, quadrinhos, filmes e parques da Disney, mas também no mundo dos games, rendendo diversos jogos solo e de sua turma.

Um dos jogos clássicos do personagem, que merecem destaque, é Mickey Mania, lançado originalmente para Super Nintendo e Master System em 1994. O game de plataforma 2D conta com seis fases inspiradas em animações do Mickey, como Steamboat Willie, que marca a primeira aparição do ratinho e tornou-o um sucesso instantâneo. Dois anos depois foi lançada uma versão para PS1, com incrementos gráficos e adições às fases, como novos caminhos e finais de confrontos com chefões. Mickey Mania possui uma dificuldade até que razoável, com muita habilidade é possível terminá-lo em pouquíssimas horas.

Ducktales

Aclamado pelas críticas e considerado um dos melhores jogos do Nintendinho, Ducktales traz uma nova aventura do Tio Patinhas, que viaja o globo para manter seu posto de pato mais rico do mundo. O jogo de plataforma, desenvolvido pela Capcom em 1989, conta com cinco fases nas quais Tio Patinhas deve coletar todo o dinheiro que puder e uma coleção de tesouros que seu rival financeiro, o Pão-Duro Mac Mônei, também está em busca de adquirir.

As fases contam com diversas participações de personagens do desenho e dos gibis, como os sobrinhos de Tio Patinhas, Huguinho, Zezinho e Luisinho, os Irmãos Metralha e o Capitão Boing. A jogabilidade é bem simples, na qual o senhor pato usa sua bengala para atacar inimigos, passar por obstáculos e alcançar certos pontos. O game marcou tanto a geração do NES que em 2013, 24 anos após seu lançamento, Ducktales ganhou uma versão totalmente remasterizada.

World of Illusion Starring Mickey Mouse and Donald Duck


Lançado para Mega Drive em 1992 e sucessor de Castle of Ilusions, outro grande clássico da maior criação de Walt Disney, World of Ilusions é mais uma aventura de Mickey Mouse para os consoles, desta vez acompanhado de seu amigo Pato Donald.

Neste jogo a dupla vai parar em um mundo fantástico após encontrarem uma caixa mágica enquanto praticavam seus truques para uma apresentação. Para voltar para sua realidade, Mickey e Donald precisam encontrar e derrotar o vilão que controla o mundo mágico. Diferentemente de Castle of Illusion, o game pode ser jogado por dois jogadores, cada um controlando Mickey ou Donald, que devem coordenar suas ações para avançar entre as fases e derrotar inimigos usando suas capas mágicas. Apesar de ter sido bastante criticado na época por ser muito fácil, o jogo é uma experiência bastante divertida, principalmente se jogado em dupla.


Diversos jogos clássicos, de desenhos que marcaram a infância de muitos jogadores, acabaram ficando de fora, mas quem sabe faremos uma parte dois com mais games que merecem ter seu destaque. Conte pra gente seus jogos de desenhos animados favoritos!

Revisão: Raphael Barbosa

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook