Jogamos

Análise: Streets of Rogue (Multi) é um roguelike para todos os públicos

Divertido, viciante e variado, o título tem elementos que prendem a atenção tanto dos gamers mais viciados quanto de quem nunca experimentou o gênero.

Imagine uma cidade em meio ao caos gerado por um prefeito corrupto. Você, como todo cidadão que não aguenta mais tanta impunidade, decide se juntar ao grupo rebelde chamado Resistência. Assim começa a aventura criada de Streets of Rogue (Multi).

Cabe ao jogador juntar-se aos revoltos e ajudar na derrubada do governante que está acabando com a cidade. Para isso, será necessário utilizar com sabedoria todas suas habilidades, que são… Quais são mesmo?

Múltiplas personalidades

Logo de cara, um dos elementos mais bacanas do jogo é a variedade de classes a serem escolhidas. São 24 tipos diferentes de personagens, cada um com suas peculiaridades e itens. Além disso, eles possuem características próprias, que trazem vantagens e desvantagens ao interagir com os NPCs.

Ao escolher um policial, por exemplo, as pessoas serão menos hostis e os outros oficiais não virão para cima de você caso mate um inocente. Já ao escolher o gorila (sim, o animal) temos força física ampliada e mais pontos de saúde. Porém, nenhuma pessoa entenderá o que você vai falar e, ao entrar em qualquer cômodo, todos serão hostis por causa do seu cheiro.

Algumas personalidades estão bloqueadas e precisam de alguns pré-requisitos para serem liberadas. Entretanto, com o ritmo de jogo fica bastante simples e divertido completar cada um deles, sem contar que a curiosidade de experimentar cada habilidade disponível fala mais alto.

Caso o jogador não esteja familiarizado com um roguelike, sempre vai bem escolher um personagem armado, como o soldado ou o bandido. Já quem gosta de desafios vai adorar jogar com os mais pitorescos, como o vampiro, o senhor de escravos e o já citado gorila.

Você contra a cidade

Ao todo são cinco áreas, cada uma com três etapas: Favelas, Área Industrial, Parque, Centro da Cidade e Bairro Classe A. Para atravessar tudo isso, basta concluir os objetivos de cada uma delas que a saída se abre e o jogador pode avançar.

Cada objetivo rende recompensas como dinheiro, armas poderosas, comida para recuperar energia ou até mesmo itens com funcionalidade passiva. Ao final de cada fase, são atribuídos também pontos de experiência para certas metas, como matar todo mundo, não matar ninguém, saquear todos os cofres e etc. 

Parece muita coisa, só que a base de operações também pode te dar uma forcinha. Ao longo do jogo, são adquiridos nuggets de frango que são usados para comprar novos itens na base. Esses itens ficam disponíveis como recompensas ganhas após cada missão de fase.

Outra coisa muito bacana são os modificadores. Pode-se ativar munição infinita, força dobrada para ataques físicos, diminuir a hostilidade dos inimigos, cortar a ronda policial, entre mais uma série de modificadores. Diferente do que se possa achar da aventura ficar mais fácil, na verdade essas opções ajudam a entender melhor o funcionamento do game e podem ser uma mão na roda para os mais inexperientes.

Mato ou não mato?

A mecânica de Streets of Rogue é bastante simples. Você pode andar livremente por cada mapa, conversando e atirando (ou não) em todo mundo. Itens de cura podem ser usados com o toque de um botão e cada missão está muito bem destacada na tela.

Por mais que as fases sejam geradas aleatoriamente, a jogabilidade é tão descomplicada que logo tudo torna-se bastante intuitivo. Já fica mais fácil identificar onde se esconder ou por onde entrar em cada cômodo mais perigoso.

Existem inúmeras maneiras de concluir cada tarefa, tudo depende do personagem escolhido e da vontade do jogador. Existem objetivos que pedem para você matar todo mundo, mas isso não rende recompensa. Já outros requerem uma ação mais camuflada, apenas na conversa. Vai de como cada NPC irá reagir à sua presença.

Outra escolha livre é a de percorrer o local todo e revirar cada canto ou simplesmente fazer as missões e dar no pé. Toda essa liberdade combina muito com o sentimento de rebelião que a história do jogo prega. 

Rebelde com causa

Streets of Rogue (Multi) conseguiu se apoiar em uma fórmula simples com sucesso. Soube usar muito bem a mistura de roguelike com o já parceiro visual 8-bit e uma trilha sonora envolvente. 

Esse título é recomendado tanto para quem curte o gênero, quanto para quem apenas quer uma diversão rápida e simples, mas sem ser rasa. Além do mais, quem nunca quis causar o caos na cidade sem ser notado, não é mesmo?

Prós

  • Grande variedade de personagens, cada com suas habilidades distintas;
  • Jogabilidade simples e divertida;
  • Trilha e efeitos sonoros combinam perfeitamente com cada fase e situação;
  • Modo cooperativo para até quatro pessoas;
  • Bater em todo mundo com um gorila é estranhamente satisfatório.

Contras

  • Alguns personagens podem ser deixados de lado por não começarem com armas de fogo. O início do jogo com eles pode tornar a experiência dos novatos um pouco frustrante logo de cara;
  • O inventário se enche muito rápido para o volume de itens que o jogo oferece;
  • Alguns erros de escrita nas legendas.
Streets of Rogue — PC/PS4/Switch/XBO — Nota: 8.5
Versão utilizada para análise: PS4
Análise feita com cópia digital cedida pela TinyBuild Games
Revisão: Francisco Camilo

é pai do próximo Batman, tio de uma princesa e viúva da Sega. Só sabe jogar títulos de luta, se mata frequentemente em FPS e adora uma velharia (que todo mundo agora gosta de chamar de retrô). Ah, ele está esperando até agora pelo Ridge Racer dessa geração também.

Comentários

Google
Disqus
Facebook