Discussão

Rage 2 (Multi): conceitos que tornariam o jogo uma experiência mais positiva

Pequenos ajustes que simplificariam de formas benéficas o shooter da ID Software e da Avalanche Studios.


Rage 2 (Multi) é a continuação numerada do título homônimo de 2011, agora desenvolvido em conjunto pelas produtoras ID Software e Avalanche Studios. Rage 2 combina os desertos áridos do primeiro título com novos biomas, trazendo grande diversidade de cenários como pano de fundo para os combates intensos, explosivos e viscerais. Embora funcione, de forma geral, o título distribuído pela Bethesda peca por adotar conceitos e sistemas bagunçados e que limitam o raio de ação do jogador.

Modificando o sistema de melhorias

Rage 2 traz consigo diversas opções de melhorias, cada uma sendo realizada através de itens específicos. Melhorias de pontos de vida e dano de arma exigem a coleta de glândulas especiais, concedidas principalmente ao derrotar subchefes mutantes pelo ermo e abrir baús de arca; habilidades especiais, chamadas de Nanotritos, exigem a utilização de feltrita (moeda adicional do jogo) para desbloqueio de camadas das habilidades, assim como Aceleradores de Nanotritos, para a aquisição das melhorias disponíveis em cada camada; melhorias de armas são adquiridas através de Mods de Armas; e aprimoramentos de veículo são habilitados com Autopeças.



Como é possível perceber, Rage 2 conta com um sistema de melhorias que se ramifica em diversas opções. Cada item dos mencionados acima, exigidos para cada tipo de aprimoramento, pode ser coletado ao se completar missões primárias, secundárias e atividades de mundo espalhadas pelo Ermo. Essa ramificação do sistema acaba exigindo que o jogador busque por vários itens diferentes ao mesmo tempo, tirando um pouco de sua liberdade e afunilando suas opções.

Teria sido de grande proveito para o título se os desenvolvedores tivesse optado por oferecer um sistema único e geral de melhorias, ou com menos exigências de peças distintas. Além de simplificar a jogatina, simplificaria também os menus do jogo que, de tão bagunçados e repletos de informações em cada aba, são lentos e pouco intuitivos.

A adoção de feltrita para compra de camadas de níveis das habilidades também é outro ponto que poderia deixar de existir. Por que não utilizá-la como moeda principal para a compra de melhorias de habilidades? Ou para a compra de melhorias das armas?

Uma excelente alternativa para Rage 2 teria sido a doação de um sistema de barra de experiência e subida de nível, disponibilizando assim pontos de habilidade gerais para serem distribuídos em árvores de habilidades específicas. Manteria a grande variedade de opções de melhorias e habilidades ativas e passivas do protagonista, assim como simplificaria de forma tradicional e inteligente a progressão do personagem. Além disso, daria mais ênfase à busca pelos combates pelo Ermo. Quem não gosta de caçar inimigos e completar tudo quanto é atividade para ganhar alguns pontinhos de experiência?

Razões para utilizar o arsenal

Rage 2 conta com um vasto arsenal de armas, contando com opções tradicionais, como rifle de assalto, escopeta e pistola de ação simples e rajada de três tiros; assim como armas fora do padrão, como um rifle de precisão cujo disparo desintegra inimigos, deixando apenas seus esqueletos e uma pistola de alto calibre com projéteis incendiários que são ativados com um estalo de dedos. Cada opção é destrutiva à sua maneira, mas dificilmente o jogo instiga o jogador a utilizar o arsenal por completo.

Praticamente todas as ocasiões de combate de Rage 2 podem ser concluídas com o conjunto básico “rifle de assalto + escopeta”, que é complementado pelo uso de granadas aqui e acolá. A presença de objetos explosivos por todo lado contribui para a facilidade dos embates. Vez ou outra surge um subchefe, podendo ser um vagabundo utilizando um veículo robótico, ou mesmo mutantes gigantes, mas que podem ser derrotados com o conjunto supracitado, adicionando apenas a alternância para o lança-foguetes com o intuito de acelerar o processo. Qualquer outra arma parece inútil com relação a essas três principais.



A adoção de mecânicas específicas de combate seria de grande benefício para Rage 2, que poderia contar com um sistema de danos baseado na utilização de armas específicas, mesmo que fosse apenas para os confrontos contra chefes e subchefes. Daria maior sentido para que o jogador buscasse utilizar outras opções para enfrentar seus inimigos, dando maior variedade aos combates de forma orgânica.

Se por um lado as oportunidades de utilização das armas de Rage 2 e implementação das mesmas nos combates deixa a desejar, o mesmo não pode ser dito das habilidades especiais do protagonista Walker. As habilidades, chamadas de Nanotritos, oferecem grande poder destrutivo, defensivo e de mobilidade para o jogador. É, sem dúvidas, o que mais será usado durante toda a jogatina, visto sua facilidade de uso e aplicabilidade em combate.

Walker conta com quatro habilidades principais que podem ser utilizadas ao pressionar um conjunto específico de botões. São adquiridas ao explorar as Arcas espalhadas pelo Ermo. Todas elas possuem melhorias passivas de características, que devem ser adquiridas com Aceleradores de Nanotritos.

Visto que a utilização e alternância das habilidades de Nanotritos é mais frequente, intuitiva e fluida do que as armas, teria sido interessante a disponibilização de mais habilidades, indo além das quatro principais disponíveis. A liberdade conferida ao jogador ampliaria o leque de ações e permitiria a criação de um estilo de jogo diferente para cada um.



É importante frisar que a quantidade de habilidades disponíveis em Rage 2 não é baixa, misturando ativas e passivas durante a jogatina. O que prejudica o jogo é a existência de apenas quatro principais e de uso constante em combate. Muitas outras serão adquiridas pelo jogador, mas dificilmente serão empregadas em combate. Atirar enquanto desliza por uma tirolesa? Rebater granadas usando uma coronhada? São opções assim que são completamente esquecidas.

Rage 2 (Multi) oferece combates fluidos e divertidos, embora simplificados de forma excessiva. Possui um sistema de melhorias bagunçado, que seria extremamente beneficiado por algo mais simples e tradicional. É claro que não tira o brilho da ação que o título oferece, mas são conceitos que poderiam ter sido refinados ou mesmo repensados pelos desenvolvedores, e que poderiam oferecer uma experiência mais variada e interessante para o jogador.

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook