Borderlands 3 (Multi): tudo o que sabemos sobre a famosa sequência da Gearbox

Um universo inteiro para explorar, quatro novos caçadores da arca e… uma arma que atira hambúrgueres.


Desde a sua revelação em uma transmissão especial no Twitch, passando por apresentações na E3. É chegada a hora de abandonar Pandora e explorar o universo em nosso especial juntando tudo o que sabemos sobre a próxima aposta da Gearbox Software: Borderlands 3 (Multi).

Aviso de Spoilers: inevitavelmente iremos abordar assuntos relevantes na cronologia dos jogos da franquia Borderlands.

 O universo é o limite

A trama em Borderlands 3 faz uma ponte, com cinco anos de diferença, desde o desfecho mostrado em Borderlands 2 (Multi), com a base da resistência em órbita, Handsome Jack morto e a revelação de que o universo está repleto de arcas. É hora de se unir mais uma vez aos Crimson Raiders e desbravar mundos repletos de novas criaturas a procura das arcas e enfrentar uma nova ameaça no universo.
Ao final de Borderlands 2, descobrimos que Pandora é apenas um, dentre muitos planetas contendo uma arca



A sequência promete planetas diversificados, cada um com seu tipo de flora e fauna. Sim, estamos falando de criaturas que tentarão comê-lo vivo. Até o momento, além do já conhecido Pandora, temos Promethea com seus arranha-céus repletos de neon e o visual pantanoso característico do planeta Eden 6.

De acordo com os desenvolvedores, somente a campanha principal oferece 30 horas de jogo, sem contar as missões secundárias que, pelo histórico da série, serão muitas. 

Insanidade e fanatismo religioso

A nova faceta do mal em Borderlands 3 envolve um tema bastante polêmico e controverso. A descoberta de um universo repleto de arcas desperta o interesse de um novo culto chamado Filhos da Arca.

Com Handsome Jack morto de forma definitiva (e que morte!), temos uma dupla de vilões tomando seu lugar. Na liderança do fanático grupo religioso, os gêmeos Calypso entram em cena para trazer ainda mais caos na receita de Borderlands 3. A dupla é composta por Tyreen, uma jovem que demonstra ser uma das sirens remanescentes do universo e possui a habilidade de sugar o poder de outras criaturas;e seu irmão Troy, um jovem com braço robótico (pouco foi revelado sobre ele até o momento). Algumas especulações sugerem que ele também tenha traços do poder característicos das sirens, mas sem confirmações até o momento. 
Os gêmeos Calypso irão transformar seus seguidores em um exército e espalhar seu poderio pelo universo



Um fato curioso é que os irmãos foram inspirados em streamers irritantes da vida real. Aqueles que prezam fama acima de tudo, sem se importar com as circunstâncias. É nesse conceito que a equipe de desenvolvedores elaborou a ideia de: e se esses streamers usassem essa influência para criar um grupo fanático de soldados? É com essa proposta que a dupla surge através dos Filhos da Arca: juntem-se e sejam agraciados com o poder. O culto segue pelo universo com o objetivo de coletar todas as arcas e adquirir o poder de seus guardiões. 

Não tardaria para que o grupo encontrasse os Crimson Raiders, desta vez liderados pela poderosa Lilith após a morte de Roland em Borderlands 2. De forma curta e grossa, um ultimato é dado para a equipe de Lilith: juntem-se ou morram! Pelo feitio da famosa siren, é claro que ela não perderia uma boa briga, dando início ao grande conflito presente no novo título.
Lilith já tinha a resposta na ponta da língua, ou melhor, dos dedos para os Filhos da Arca



Mais poder, mais diversão

O elemento que sempre me despertou mais interesse em Borderlands é a habilidade especial dos personagens. A ideia de possuir um poder legal e ter a possibilidade de torná-lo ainda mais forte através de melhorias me prendiam durante toda a trama. Se antes tínhamos uma habilidade que se desmembrava em três árvores de melhorias, agora teremos três ataques especiais distintos, cada um com uma única árvore de aprimoramentos.
A nova divisão promete ainda mais opções de builds para os personagens



Com exceção do personagem Zane, que pode utilizar até duas habilidades ao mesmo tempo, os outros três poderão andar com apenas uma equipada, devendo acessar o menu para trocá-la quando desejar.

Novos integrantes para a caçada

Em Borderlands 3, encarnamos os novos recrutas da resistência. Todos com personalidades muito peculiares, além de habilidades específicas para melhorar ainda mais a experiência. Pouco se sabe sobre a história por trás de cada personagem e nem todos tiveram suas habilidades demonstradas.

> Moze, The Gunner - a jovem tem aparência de soldado e não é atoa que sua habilidade consiste em controlar um robô de combate apelidado de Urso de Ferro. Cada árvore de habilidade consiste em equipar armas diferentes no mecha para incrementar ainda mais seu poderio.
Quem não curte um robô gigante?



A variação Demolition Woman traz um lança-granadas e um lança-mísseis para o Urso de Ferro. Já o Shield of Retribution  equipa um raio laser e permite que o robô dê socos em seus oponentes. Por último e não menos destrutivo, Bottomless Mags promete recompensar os jogadores com dedo pesado no gatilho através de uma minigun e um lança-chamas. O mecha também conta com uma torre acoplada para ser utilizada por outros jogadores e uma habilidade de piloto automático.

> Amara, The Siren - a nova representante da famosa classe do jogo promete fazer bonito. Com poderosos braços, físicos e etéreos, ela tem tudo para ser a brutamontes da equipe.
Amara pode esmagar seus oponentes com seus braços ou prendê-los no ar para enfraquecê-los



Das três de suas habilidades, Amara pode desferir um golpe com seus braços etéreos e esmagar seus oponentes. Na segunda variação ela consegue prender seus inimigos no ar, algo semelhante ao poder de Maya em Borderlands 2. Na terceira opção, Amara dispara uma projeção etérea dela mesma em direção aos inimigos.

> FL4K, The Beastmaster - o misterioso robô promete trazer muita ação soltando suas feras de estimação nos inimigos. Diferente dos jogos anteriores em que o nosso summon desaparece após um tempo, aqui os animais de estimação de FL4K permanecem no campo de batalha.
Pouco se sabe sobre como funcionará a mecânica de jogo de FL4K e seus pets



> Zane, The Operative - o especialista em tecnologia mistura furtividade e dano crítico com sua habilidade de criar uma cópia holográfica de si próprio e a presença de um drone para garanti-lo no combate direto.
Em gameplay revelado, Zane é capaz de confundir o inimigo com sua cópia holográfica, perfeita para ataques furtivos



O espaço sideral como quintal

Após a destruição do Santuário em Borderlands 2, a base dos Crimson Raiders vai parar no ar graças aos poderes de Lilith. Em Borderlands 3 a cidade dá lugar a uma nave espacial e é através dela que levaremos a aventura para além de Pandora. A nova base de operações para os Crimson Raiders, batizada de Santuário III, oferece refúgio para repormos nossas munições, comprar e vender itens, adquirir novas missões e encontrar antigos aliados.
A nova base será o principal meio de transporte entre os planetas, oferecendo a opção de viagem rápida após descobrirmos um novo planeta



Como membro da tripulação também contamos com um cômodo dentro da espaçonave, podendo ser customizado com enfeites e até molduras para pendurar aquela arma inesquecível.

Casa cheia

Se tem uma coisa que a Gearbox soube fazer muito bem ao longos dos jogos da franquia, foi introduzir personagens repletos de carisma e com todo um background paralelo ao enredo principal.
Se sozinhos já eram insanos, o que podemos esperar desse trio formado em Borderlands 3?



No terceiro título da série, teremos a presença de diversos personagens que apareceram durante os últimos jogos. Desde antigos protagonistas como Maya, Zer0, Brick e Mordecai, até NPC’s marcantes como a sedutora Mad Moxxi, o ganancioso Marcus Kincaid, o engenhoso Sir Hammerlock, o robô tagarela que amamos odiar: Claptrap, entre muitos outros.

Tiroteio mais dinâmico

Borderlands 3 não aparenta trazer grandes alterações na essência de seu combate. A jogabilidade viciante marca presença aqui como já conhecemos nos dois últimos jogos, mas traz adições interessantes que prometem somar para uma melhor experiência de jogo.

Nos vídeos de gameplay é possível ver uma melhora na movimentação dos personagens e novos movimentos como a deslizada, ótima para se esquivar e chegar de forma mais ágil até uma proteção. Agora também será possível subir em locais mais altos, pois o personagem consegue usar as mãos para pegar impulso em bordas mais altas. Para incrementar ainda mais a movimentação, é possível equipar artefatos que conferem alguns bônus para essas mecânicas como maior velocidade, deixar um rastro de explosivos durante o slide, entre outras variações.



Fora isso, as proteções que encontramos durante o game e que conferiam abrigo para jogadores e inimigos durante o tiroteio, agora podem ser destruídas, forçando uma constante movimentação durante o jogo.

De Badass para Guardian

Os famosos Badass Rank que conferiam melhorias nos atributos dos personagens na medida em que completávamos desafios durante a jogatina, tiveram seu funcionamento alterado. Agora o sistema se chama Guardian Rank e só é possível desbloqueá-lo após o término do jogo. As melhorias continuam a ocorrer na medida que completamos certos desafios, mas agora elas valem para todos os personagens criados em nossa conta do jogo.
O sistema de ponto permite continuar a melhorar o personagem, mesmo que ele chegue no nível máximo



Para trazer mais organização, a pontuação pode ser distribuída em três quesitos que englobam diversos atributos:

> Enforcer - fornece melhorias no dano e na cadência do tiro.

> Survivor - aumenta o tamanho da sua vida e a capacidade do escudo, além de tornar o second wind mais fácil.

> Hunter - melhora nosso manejo e mira com as armas, reduz o tempo de espera da habilidade especial e melhora um atributo interessante para o jogo: a sorte.

Armas? Que tal um bilhão delas?

Uma das coisas mais incríveis em Borderlands é a sua vasta quantidade de armas. Se no segundo título já eram cerca de 17 milhões de armas para coletar, em Borderlands 3 os desenvolvedores prometeram um bilhão delas.
É opção para todos os gostos!
E a diferença delas não está apenas no fator estético, e novos atributos foram incorporados nas diversas opções encontradas. Agora uma determinada arma pode contar com dois tipos de tiro: um primário e um secundário. Podendo ser algo simples como tiro automático x semiautomático ou opções mais elaboradas, como variação de elementos e até tiros carregados. As armas únicas também marcam presença no game e podem ser coletadas principalmente ao eliminar algum chefe do jogo. Até o momento já foram reveladas a arma sônica do chefe Mouthpiece e a do chefe Gigamind que pode ser arremessada no chão para criar mini-torres de combate. E o que dizer da arma que atira hambúrgueres corrosivos nos inimigos?
Armas com pernas...por que não?




Os fabricantes de armas estão de volta, cada um imprimindo sua característica em suas armas: a empresa Torgue com suas munições explosivas ou Jakobs que traz balas que ricocheteiam para outro alvo na medida que acertamos um tiro crítico.

Uma substituição que vale ser mencionada foi no efeito slag. Aqui ele dá lugar à radiação, que na prática traz um resultado semelhante: o inimigo fica mais vulnerável a outros elementos, enquanto sofre dano pela radiação.

Não roubarás o loot alheio

O querido coop em tela dividida continua presente, aliás, Borderlands é uma das poucas franquias de grande orçamento que continuam a brindar os fãs com essa excelente opção. Para tornar a experiência ainda melhor e mais justa, a Gearbox elaborou novos elementos para seu multiplayer.

Um dos maiores rages nos títulos anteriores se dava pela disputa do loot, pois os espólios dos confrontos pertenciam a quem chegasse primeiro. Para encerrar as brigas a Gearbox inseriu uma espécie de loot espelhado. Através dele, a mesma arma que sair em uma caixa contará com uma unidade para os dois jogadores, inclusive, baseando-se na diferença de nível entre os personagens. Se um jogador de level 20 jogar com outro de level 5, ambos receberão a mesma arma, porém, com os atributos adaptados para cada level. Dessa forma, não há riscos de um personagem de nível avançado receber um item fraco de um loot especial.
A Gearbox quer ver o fim das brigas no multiplayer



E por falar em níveis, outro ponto que promete deixar as partidas cooperativas mais atrativas é o novo balanceamento dos inimigos. Agora, caso dois jogadores de níveis muito diferentes entrem no mesmo jogo, eles enxergarão o mesmo inimigo com níveis diferentes. Assim, ambos terão o mesmo desafio e com a recompensa merecida tanto nos itens, quanto na experiência recebida.

Para não deixar de atender ao máximo de gostos, a Gearbox deixou a opção de desligar esses recursos de balanceamento para aqueles que preferirem o estilo clássico de multiplayer.

Outra adição para a interatividade em Borderlands 3 está nas armas que vendemos nas lojas. Agora, os itens vendidos podem ser comprados pelos jogadores em nossa lista de amigos, independente de terem jogado juntos em algum momento.

Visual para todos os gostos

As mudanças no visual estão de volta. Durante a passagem por diversos mapas, estarão presentes as Quick Change Stations onde poderemos resetar os pontos de habilidades, trocar a aparência, a cor das roupas e agora poderemos selecionar emotes para os personagens.
Será que teremos roupas especiais e inusitadas como em Borderlands 2?



Do steampunk ao cyberpunk

Borderlands 3 traz de volta o uso de veículos para percorrer longos trechos no mapa e, por que não, travar alguns tiroteios e perseguições nesse meio tempo? Temos os antigos veículos de Borderlands 2 marcando presença e novas opções como a Cyclone: uma motocicleta de uma roda só. Para incrementar ainda mais esse recurso, a desenvolvedora colocou a possibilidade de roubar o veículo dos inimigos. Somado a isso, temos ainda mais opções de customizações para os veículos podendo deixá-los mais futuristas ou com um visual mais rústico e sujo à lá Mad Max.
Gostou do veículo daquele Psycho? Deixe aflorar o GTA que existe em você!




O terror das microtransações

O CEO da Gearbox, Randy Pitchford, tenha informado na transmissão de revelação de Borderlands 3 que o título estaria livre de microtransações. Entretanto elas estarão presentes no jogo, mas apenas para compra de itens cosméticos: roupas, cores e nova aparência para os personagens.
Se depender da Gearbox, o único dinheiro que vamos torrar é o virtual nas famosas slot machines



De acordo com Pitchford, ele quer a franquia livre da baboseira “free to play” que muitas empresas fazem atualmente. Paul Sage, diretor criativo complementou: as compras com dinheiro real serão apenas para questões estéticas, não se atendo a armas ou qualquer outra coisa que possa trazer vantagem dentro do jogo e caracterizá-lo como pay to win.

Embates épicos

As clássicas lutas com chefões, repletas de desafio e uma excelente recompensa estarão mais frequentes em Borderlands 3. Com figuras cada vez mais inusitadas como o Gigamind, um robô controlado por uma mente gigante.
O boss Gigamind parece ter saído direto da franquia Metal Slug



Durante o jogo ainda temos encontros com chefes e subchefes de forma aleatória. O pequeno Loot Tink volta a aparecer, trazendo grandes recompensas caso você consiga matá-lo antes que fuja. O lutador de vale-tudo, El Dragón, de Battleborn (Multi), é referenciado através do chefe El Dragón Jr., que tem cerca de 20% de chance de aparecer durante o gameplay. Caso aconteça, uma missão extra é criada para alguém da sua lista de amigos te ajudar e ser recompensado pelo auxílio.
A homenagem ao personagem de Battleborne, El Dragón Jr. surge de forma randômica, podendo aparecer quando você menos esperar



Nossa lista de desejos

Tomamos a liberdade de fazer uma lista do que ainda não foi mostrado nos vídeos e que esperamos encontrar em Borderlands 3 e enriquecer ainda mais a mistura viciante de RPG e FPS.

1 - Uma abertura tão boa quanto a dos seus antecessores 

A franquia Borderlands é famosa por trazer cinemáticas interessantes e que introduzem muito bem os personagens. Fica a torcida para que Borderlands 3 mantenha a excelente tradição.


2 - Modo foto

Um modo foto para registrar os melhores momentos durante o jogo. Com direito a filtros, poses específicas e molduras para trazer ainda mais humor para a mistura insana da franquia.
Seria ótimo registrar o momento com seu amigo ao lado do cadáver de um chefe recém-eliminado


3 - Eridian Aliens

As criaturas que fazem parte do lore do jogo desde o primeiro título permanecem como um mistério para os jogadores. Pouco se sabe sobre a motivação e a origem desses seres, além de que deram origem, de alguma forma, às sirens e que ajudaram os humanos em momentos específicos na cronologia, alertando sobre perigos iminentes.
The Watcher foi a única criatura do tipo a aparecer até o momento e, tudo o que sabemos, é que ele possui poderes telecinéticos e consegue prever o futuro



4 - Guarda-roupa cheio

Trazer, além da mudança de cor das roupas e das cabeças dos personagens, novos visuais comemorativos e, quem sabe, sazonais.

5 - Traga o Mr. Torgue para o jogo

O carismático personagem do DLC de Borderlands 2 parece uma mistura do Lobo com Sargento Hartman. Com seu jeito falatório e desbocado, sem deixar de respeitar as mulheres, o icônico criador das armas Torgue merece uma aparição na continuação do game trazendo muita badasstitude!.


6 - Maior fator replay

A Gearbox fez um excelente trabalho ao prolongar ainda mais a experiência com Borderlands 2 através de DLC’s com missões paralelas envolvendo os NPC’s do jogo. Melhor do que repetir a dose, seria poder contar também com diferentes caminhos para concluir o enredo da campanha principal, incentivando segundas jogadas em um bem-vindo new game +.

Conectando eventos

Enquanto esperamos pelo lançamento de Borderlands 3, a Gearbox lançou um DLC gratuito para Borderlands 2 chamado Commander Lilith & the Fight for the Sanctuary que não só interliga os dois jogos, como também oferece uma nova campanha para o título com direito a missões secundárias, novos inimigos, armas, áreas para explorar e skins para os personagens, além de ampliar o level máximo do jogo.



O DLC ficará gratuito até o dia 8 de julho de 2019, se não garantiu o seu ainda, corra para a loja de sua plataforma para aproveitar!

Maior é melhor

A Gearbox aposta forte na fórmula original de Borderlands, ampliando e enriquecendo seu conteúdo, ao invés de alterar sua essência. A mecânica da franquia envelheceu bem, com os títulos atuais sendo opções convidativas de multiplayer cooperativo até os dias hoje. Esperamos que Borderlands 3 faça bonito na geração atual, fazendo jus ao legado da série.
A caçada pelas arcas em Borderlands 3 promete muito



O título tem lançamento programado para 13 de setembro de 2019 trazendo versões para PlayStation 4, Xbox One, PC (exclusivo da Epic Store por 6 meses) e Google Stadia. Até lá, continuem ligados no GameBlast para mais informações sobre Borderlands 3.


Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook