Jogamos

Análise: Hell is Other Demons (PC/Switch): detonando tudo em um inferno perigoso

Controle um demônio furioso nesse divertido e visualmente interessante indie de ação e plataforma 2D.


Tiros, muitos inimigos na tela e explosões estão constantemente presentes nas partidas de Hell is Other Demons. No jogo, precisamos sobreviver a ondas de inimigos em cenários com armadilhas e outros perigos. Um visual inusitado, reforçado por uma trilha sonora repleta de sintetizadores, dita o tom acelerado da aventura. Andamento intenso, muita variedade e desafio acentuado são as características mais marcantes desse indie de ação e plataforma com uma pegada arcade.

Se revoltando contra o inferno

Em Hell is Other Demons controlamos um demônio que precisa enfrentar todas as criaturas do inferno a fim de acabar com as forças opressoras do local — o novo líder tornou a profundeza das trevas um lugar letárgico e sem graça. Para isso, o improvável herói vai pegar suas armas e acabar com todos que aparecerem pelo caminho.

A ação se passa em arenas estáticas, e o objetivo é derrotar todos os inimigos, que atacam em ondas. Além de atirar e pular, o demônio consegue realizar uma investida horizontal para escapar de tiros e perigos. Há também um ataque especial poderoso que pode ser ativado após coletar um item. Por fim, os inimigos podem ser derrotados com saltos.


Com o dinheiro obtido nos estágios, podemos comprar armas, ataques especiais e habilidades, que alteram sensivelmente as partidas. Os armamentos vão de coisas simples, como uma metralhadora e um lançador de laser, até coisas mais malucas, como um bumerangue imenso, garras para ataques à curta distância e uma arma de relâmpagos que atingem vários inimigos em sequência. As habilidades são variadas, com opções que aumentam a sobrevivência (mais vida, por exemplo) e outras que modificam características do personagem (explodir ao ser atingido, atirar um laser para baixo ao pular, criar uma onda de energia ao cair e mais). A vasta quantidade de opções traz uma grande variedade de possibilidades na hora de montar o herói.

O modo principal é a Campanha. Nele, exploramos as profundezas do inferno na forma de um grande mapa dividido em espaços. As fases têm arenas com formato e perigos distintos: um cemitério tem espinhos que saem do chão quando menos esperamos, uma fábrica está repleta de serras perigosas, uma outra região está tomada de ácido corrosivo, e assim por diante. Cada estágio tem objetivos opcionais, como sobreviver a todas as ondas sem receber dano. Um chefe espera no fim de cada uma das regiões, e há também estágios infinitos. As joias coletadas nos estágios podem ser utilizadas em várias lojas para comprar armas e melhorias para o protagonista.


Já no Arcade o objetivo é sobreviver a vários estágios jogados em sequência. Ao contrário do Campanha, escolhemos uma classe de personagem no início e vamos melhorando suas habilidades conforme vencemos as ondas de inimigos. Os estágios e habilidades que aparecem nas partidas são aleatórios, o que faz com que cada tentativa seja diferente. As joias coletadas são utilizadas para desbloquear novas classes de heróis e há a opção de enviar a pontuação para placares online.

Uma jornada insana, colorida e variada

A ação em Hell is Other Demons é ágil e frenética e é isso que torna o jogo divertido. As fases estão sempre infestadas de inimigos, tiros e perigos, logo somos forçados a nos mover constantemente para sobreviver — é tanta coisa na tela que há partes que parecem o tradicional estilo bullet hell. Há momentos muito complicados, no entanto os controles são muito precisos, fazendo com que sobreviver seja algo recompensador e focado na habilidade. A dificuldade pode ser alta, mas morrer não é punitivo: o dinheiro coletado é mantido, o que ajuda a fortalecer o herói demoníaco.

Me surpreendi com a variedade de situações no modo Campanha. O objetivo é sempre derrotar tudo, contudo estágios com elementos diferentes trazem sensações distintas. Em uma fase, por exemplo, o chão some e precisamos pular nos inimigos para não cair em um ácido fatal. Outro local é uma arena apertada com várias colunas que atrapalham a mobilidade, o que torna necessário usar a investida constantemente para atravessar as paredes. Os confrontos com os chefes seguem a mesma lógica com lutas criativas e bem diferentes. Já o modo Arcade empolga com partidas que mudam sempre, gostei também da presença de vários personagens diferentes para jogar e dominar.


As várias armas e habilidades também trazem diversidade às partidas de Hell is Other Demons. Customizar e testar as possibilidades é empolgante e as melhorias são capazes de alterar significativamente o ciclo de jogo. Em um momento, meu diabinho explodia tudo com uma poderosa escopeta de curto alcance, um imenso laser como ataque especial e uma habilidade que deixava as pisadas mais poderosas. Já em outra fase, preferi combinar garras de ataque à curta distância com uma investida mais longa para maior mobilidade. As próprias fases incentivam a experimentação com suas características diferentes e muitas vezes consegui superar um estágio problemático ao utilizar outras habilidades ou armas.

Toda a ação frenética é representada por um pixel art simples, porém charmoso, e com esquema de cores ímpar. Cada uma das áreas do jogo tem uma paleta visual única que traz identidade a esses lugares: rosa e roxo ditam o tom exótico do Ossuário, verde e azul reforçam os perigos do ácido do Pustulário, laranja e cinza representam a atmosfera industrial da Fábrica. O resultado é uma atmosfera que lembra jogos da era 8-bits, mas com movimentação e tratamento moderno. Porém, há um problema desagradável: com tanta coisa mexendo e explodindo na tela e tão poucas cores, às vezes é difícil conseguir ver perigos e tiros. Uma trilha sonora empolgante repleta de composições synthwave complementam a ambientação intensa do jogo.


Infernalmente empolgante

Hell is Other Demons prova que é muito divertido destruir tudo no inferno com sua jogabilidade precisa e ação frenética. Além de oferecer desafio considerável, o jogo se destaca com grande diversidade de situações nos estágios e modos, além de muitas opções na hora de equipar o herói. A ambientação chama a atenção com música eletrônica de qualidade, e pixel art com ares retrô e paletas de cores únicas, por mais que às vezes é difícil entender o que está acontecendo por causa da bagunça visual. Se gosta de experiências de ação arcade intensas, Hell is Other Demons é imperdível.

Prós

  • Jogabilidade simples e frenética;
  • Muitas opções de customização do personagem;
  • Variedade de situações nos estágios;
  • Visual retrô com várias paletas de cores;
  • Música synthwave empolgante.

Contras

  • Às vezes é difícil identificar perigos na bagunça por causa do visual com poucas cores.
Hell is Other Demons — PC/Switch — Nota: 8.5
Versão utilizada para análise: PC
Revisão: Renata Bottiglia
Análise produzida com cópia digital cedida pela Kongregate


é brasiliense e gosta de explorar games indie e títulos obscuros. Fã de Yoko Shimomura, Yuzo Koshiro e Masashi Hamauzu, é apreciador de boardgames, game music, fotografia e livros.

Comentários

Google
Disqus
Facebook