Blast Test

RESIDENT EVIL 2 (Multi): primeiras impressões a partir da "One Shot" demo

Reimaginação do clássico Resident Evil 2 chega em 25 de janeiro para PS4, Xbox One e PC.


Nesta sexta-feira (11), a Capcom disponibilizou uma versão de demonstração do vindouro RESIDENT EVIL 2 (Multi). Com duração limitada a 30 minutos, a demonstração permite que os jogadores experimentem um pouquinho das novas mecânicas que adaptam o clássico do PlayStation para os dias atuais. Na pele de Leon Kennedy, os jogadores perambulam pelos corredores escuros do Departamento de Polícia de Raccoon City, em uma tentativa de sobreviver em meio ao caos trazido pela infestação zumbi.


Uma nova perspectiva

RESIDENT EVIL 2 “remake” traz uma outra perspectiva de câmera para os jogadores. Ao invés dos clássicos ângulos fixos, o jogo conta com perspectiva sobre os ombros, dando maior liberdade na hora de explorar os detalhes minuciosos dos lindíssimos cenários. Além disso, torna os encontros com zumbis ainda mais aterrorizantes ao permitir que se agrupem em locais fora do campo de visão do protagonista.

O cenário da delegacia é extremamente detalhado, refletindo bem o terror causado pelas criaturas carnífices. A escuridão dos ambientes atua como se fosse uma personagem, mantendo os perigos ocultos, exigindo presença quase constante da lanterna empunhada com uma arma e enaltecendo a vulnerabilidade de Leon.



Sobrevivendo

Diferentemente de títulos anteriores que traziam perspectiva sobre os ombros e eram mais voltados para a ação, RESIDENT EVIL 2 retorna ao gênero survival horror ao oferecer recursos limitados aos jogadores. Ao exigir que o espaço do inventário de Leon seja dividido entre itens variados de sobrevivência e itens-chave para o progresso nos cenários, o game deixa nas mãos de quem joga a delicada decisão de o que carregar consigo. Assim como a escuridão mencionada anteriormente, tal exigência também elucida a vulnerabilidade de Leon.

Sobre os itens de sobrevivência, pode-se contar não apenas com o básico, como munição para armas e as famosas ervas de cura, mas também com tábuas de madeira para bloquear janelas, e pólvora para a fabricação de munição. Todos os itens e pontos de interesse descobertos, mesmo que não coletados, ficam registrados no mapa da região quando o mesmo é coletado.

Atirar nos zumbis nem sempre é a melhor maneira de sobreviver. São resistentes, e mesmo com tiros na cabeça, demoram a morrer e acabam se levantando para dar ainda mais sufoco. Em certos momentos, é melhor economizar munição e fugir deles, aproveitando sua lentidão para contorná-los e “dibrá-los” à la Ronaldinho. Se um deles conseguir agarrar Leon, é possível usar uma faca de combate para afastá-lo e evitar um dano maior. Em seguida, basta derrotar o dito cujo para recuperar a lâmina.

Grotesco em um nível superior

Sendo feito na RE Engine, RESIDENT EVIL 2 abusa do fotorrealismo de seus personagens, incluindo os zumbis. Desde as expressões faciais de Leon e seu cabelo mexendo conforme ele se move, até às criaturas dilaceradas e com órgãos expostos; tudo é extremamente detalhado e fidedigno. É sangue e tripas para todo lado.

RESIDENT EVIL 2 (Multi) promete ser uma experiência inesquecível para os fãs de terror, e sua demonstração, “One Shot”, provou que a equipe por trás do game sabe bem o que os jogadores desejam. Embora não seja um remake direto do Resident Evil 2 original, o sentimento nostálgico para os fãs de longa data se fará presente através de detalhes da história e elementos de jogo, ao mesmo tempo que atualizará conceitos e implementará mecânicas mais modernas. Medo e pavor são sensações constantes, e lidar com a escuridão de Raccoon City e sua praga de zumbis é algo incrível.


Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook