Asterix & Obelix: a influência dos filmes live action nos games

História em quadrinhos francesa foi influenciada pela produção cinematográfica nos games.

Sucesso editorial desde 1959, a história em quadrinhos criada por René Goscinny e ilustrada por Albert Uderzo, Asterix & Obelix, já conta com mais de 37 volumes lançados e ganhou as telas da televisão pela primeira vez em 1967, com o longa-metragem em preto e branco Deux Romains en Gaule (Pierre Tchernia, 1967), que mesclava sequências em live action com uma versão animada dos gauleses. Foi a entrada da franquia no universo cinematográfico, o que marcou a evolução dos filmes e sua influência na linha de jogos eletrônicos de Asterix & Obelix.

Gauleses animados para a televisão

No mesmo ano da estreia da franquia em formato televisivo, foi lançado o segundo filme da dupla de gauleses, intitulado Asterix, o Gaulês (Ray Goossens, 1967), desta vez voltado para o cinema. A nova versão trazia uma aventura inteiramente no formato animado de um cartoon cujo enredo tinha a mesma premissa do original.

A estreia da obra em quadrinhos na versão em jogo eletrônico veio na década de 1980, através do início da popularização dos computadores pessoais e o crescimento da indústria de videogames, que viveria sua explosão nos anos de 1990. Em 1983, era lançado o jogo de plataforma Asterix para o Atari 2600.


Dois anos após o lançamento do primeiro jogo, debutou o filme animado Asterix e a Surpresa de César (Gaëtan Brizzi, Paul Brizzi, 1985) e mais três produções cinematográficas em formato cartunizado. Porém foi apenas no final da década de 1990 que Asterix & Obelix ganhou uma franquia de filmes em live action, que embasaram futuros jogos eletrônicos, bem como exerceriam influência nos novos filmes animados da dupla de gauleses.

Gauleses no cinema

A entrada da obra francesa no universo cinematográfico trouxe influências positivas para a linha de jogos eletrônicos baseada na franquia. O filme Asterix e Obelix Contra César (Claude Zidi, 1999) foi o pioneiro da série de produções cinematográficas estreladas pelos atores franceses Gérard Depardieu e Christian Clavier, mais tarde substituído por Edouard Baer.


O sucesso de bilheteria na França resultou em jogos adaptados como Asterix & Obelix Take on Caesar (PS1/PC), da Cryo Interactive e, da mesma forma, gerou sequências cinematográficas como Asterix e Obelix: Missão Cleópatra (Alain Chabat, 2002), Asterix nos Jogos Olímpicos (Frédéric Forestier, Thomas Langmann, 2008) e Asterix e Obelix: A Serviço de sua Majestade (Laurent Tirard, 2012).

O êxito no cinema resultou em um maior investimento da franquia nos jogos eletrônicos como a adaptação Asterix at the Olympic Games (Multi), da Étranges Libellules e a criação da famosa série XXL com Asterix & Obelix XXL (Multi) e Asterix & Obelix XXL 2: Mission: Las Vegum (Multi), lançados em 2003 e 2006, respectivamente.


Através da popularização dos gauleses em outras plataformas midiáticas, Asterix & Obelix se tornou uma franquia cujo material original embasou novas aventuras da dupla francesa no cinema e nos games, bem como também sofreu uma influência positiva de seu próprio sucesso.

Revisão: Link Beoulve
Karen K. Kremer é mestre jedi em história pela UEPG e game designer pela Universidade Positivo. Viajante do tempo e cinéfila, considera Quantum Break uma obra-prima. Cresceu fazendo Meteoro de Pégasos e jogando videogame. Apaixonada por literatura, ilustração e dinossauros. Diz a lenda que com um bat-sinal no Twitter ou DeviantArt ela aparece.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook