Hands-on

BGS 2018: My Hero One's Justice (Multi) deve agradar fãs do anime

Jogo baseado na popular série de heróis e vilões aparenta nos combates seguir a formula de games de animes.

Apesar de Jump Force ser o grande destaque dos jogos de anime no futuro próximo, também estava presente na BGS desse ano uma demo de My Hero One's Justice, próximo jogo baseado na popular série My Hero Academia. Testamos algumas batalhas no modo versus do game na sua versão de PS4 — e curiosamente em um controle arcade.


A demonstração contava com oito personagens: Midoriya, All Might, Todoroki, Bakugo, Uraraka, Dabi, Tomura Shigaraki e Himiko Toga. A tela de seleção ao total tem 20 espaços, obviamente que serão ocupados por outros heróis e vilões já conhecidos, como Stein e Iida, por exemplo.

Chamou minha atenção o sistema de sidekicks. Ao contrário do sistema de Tag Team, comum hoje em dia, só lutamos com um único personagem. Os outros dois escolhidos entram como auxiliares, mas nunca há a troca de personagens. É interessante no papel, mas não veria problema do jogo ser no tradicional um contra um.


A utilidade do uso dos sidekicks vai depender se você sabe o que eles fazem e da hora exata que os os convoca. Chamá-los no desespero pode não render em nada, pois como a movimentação é bem livre, se o oponente prever o movimento, ou não estiver perto o suficiente, pode ser uma chamada no vazio.

Na luta em si heróis e vilões estão lá com todos os seus movimentos e golpes especiais. Graficamente o jogo é bonito, com desenhos que se aproximam do anime — o visual específico do All Might me incomoda um pouco. Gostei bastante dos cenários, que tem vários locais destrutíveis.

Não é também um jogo profundo como um Street Fighter ou um Dragon Ball FighterZ. Como um anime fighter, ele é mais plástico do que técnico, com diversos golpes especiais, golpes combinados e explosões. Em algumas partidas que enfrentei um sujeito bem melhor do que eu, ele me arrebentou com sequencias extensas e eu não conseguia cortar o combo. Imagino que devam existir técnicas desse tipo no jogo completo, mas isso me deixou um pouco frustrado.


My Hero: One's Justice deve seguir a tradição dos jogos de anime em geral. Os combates buscam mais reproduzir as ações da série do que serem profundos tecnicamente, algo feito para os fãs. Se o resultado final irá agradar, saberemos em breve, pois o game chega no dia 26 de outubro para PC, PS4, XBO e Switch.


Flávio Augusto Priori é formado em design de jogos e tenta ganhar a vida com esse negócio chamado video game. Para ele Metal Gear é a melhor série já feita e ainda acredita na volta da SEGA. Escrevia para o saudoso Minha Tia Joga LoL e hoje pode ser achado no Facebook e no Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook