Jogamos

Análise: Far Cry 5: Hours of Darkness (Multi) — em um Vietnã não tão brutal quanto poderia ser

Conteúdo extra é o primeiro a ser lançado de um total de três expansões que chegarão para Far Cry 5.


A Ubisoft vem com um plano fortíssimo de conteúdos extras para Far Cry 5 (Multi). Serão três expansões bastante distintas a serem lançados durante os próximos meses, com a primeira delas intitulada de Horas de Escuridão. Tal expansão não chega a ser tão marcante quanto a aclamada Blood Dragon (Multi), lançada para Far Cry 3 (Multi), mas aborda uma temática completamente diferente do jogo base, oferecendo, assim, um ânimo ao jogador para que ele gaste algumas horas de seu tempo buscando escapar das matas vietnamitas.

Horas de escuridão e anos 1980

A história de Hours of Darkness é algo extremamente simples. O jogador assume o papel de Cowboy, um soldado do exército americano que tem seu helicóptero abatido por norte-vietnamitas e acaba sendo capturado pelos inimigos. O objetivo de Cowboy é escapar com vida, indo até o ponto de encontro estabelecido no mapa. E só. A brutalidade da guerra do Vietnã quase não aparece durante a jornada de escapada. Não há nenhum momento de fato marcante ou incômodo durante a história, algo que, de certa forma, é característico da franquia.

Havia algo incômodo em Far Cry 5, que era o fato de o protagonista ser alguém mudo e sem carisma. Aqui, Cowboy não é mudo e até tem certo carisma, mas não é algo que seja de grande destaque. Mesmo a conclusão da história e seus momentos finais de ação são simplistas e sem muitos rodeios.



A ambientação de Hours of Darkness é bem envolvente e leva o jogador ao Vietnã de forma competente. Florestas dividem espaço com bunkers e túneis subterrâneos, que servem de base e esconderijo para o EVN -Exército do Vietnã do Norte; postos avançados inimigos, vilas destruídas, rios e lagos também fazem parte dos cenários exploráveis. A todo momento, bombardeios são vistos para nos lembrar da guerra que ali ocorre. O nível de detalhes é tão grande quanto o jogo base, fazendo com que a jornada pelo Vietnã seja tão bela quanto perigosa.

Muito aqui é opcional

Hours of Darkness possui um objetivo principal único: escapar com vida. Todo o restante do game é opcional. Muito do que vimos em outros jogos da franquia, especialmente em Far Cry 5, está de volta. São diversos colecionáveis espalhados pelo mapa, desde isqueiros de paraquedistas americanos até alto-falantes de propagandas norte-vietnamitas. Há também missões secundárias, indo dos tradicionais postos avançados até a libertação de prisioneiros sul-vietnamitas e assassinado de comandantes do EVN. Libertar os prisioneiros, vasculhar o corpo de comandantes do EVN mortos e coletar documentos espalhados pelo cenário concede informações sobre novas localidades e missões secundárias no mapa.

No papel de Cowboy, podemos seguir direto para o objetivo principal ou ir atrás de nossos companheiros: Jeca, Moisés e Coringa. Os membros de nosso esquadrão servem como Armas de Aluguel, o mesmo sistema de companheiros presente em Far Cry 5. Porém, aqui, caso eles sejam mortos, não voltarão mais. A morte é permanente. Embora sejam de grande ajuda, eles também conseguem atrapalhar em momentos de furtividade, sendo descobertos por inimigos e causando confusão, atrapalhando assim a abordagem furtiva do jogador.



Há três níveis de dificuldade: Normal, Sobrevivente e Filme de Ação. O modo Sobrevivente oferece uma experiência mais desafiadora, com o jogador tendo de enfrentar as selvas e os campos vietnamitas com pouquíssima munição e menos HP. Já o modo Filme de Ação é para aqueles que querem viver perigosamente no game e explodir os inimigos com arsenal completo e ataques aéreos sem nenhuma restrição.

John Rambo ou Solid Snake: você escolhe

É possível avançar pela campanha de Hours of Darkness de duas maneiras distintas: furtivamente ou agressivamente. A opção mais segura e benéfica é seguir de maneira furtiva. O jogador recebe vantagens concedidas pelo Instinto de Sobrevivência, um conjunto de habilidades que auxiliam o jogador em sua missão. São quatro habilidades: Adrenalina, que consiste em andar mais rápido quando agachado; Fantasma, que concede redução de ruído ao andar, correr e pousar, bem como redução de dano por quedas; Sexto sentido, que marca inimigos automaticamente quando eles estão prestes a nos detectar; e Predador, que oferece marcação de inimigos através de paredes ao usar o binóculo e marcação de inimigos automática dentro de um raio de 20 metros.


A furtividade se torna a principal aliada do jogador pelo fato de agora os kits médicos serem produzidos através da coleta de plantas. Não é incomum ficar sem pacotes de recuperação ao percorrer o game atirando em tudo e todos. A inteligência artificial é agressiva, chamando reforços em diversas situações, como helicópteros e soldados com armas pesadas. Mas, caso opte por essa abordagem, o jogador tem à sua disposição ataques aéreos devastadores, que podem ser usados desde que as armas antiaéreas da região tenham sido destruídas. O uso é limitado por fichas, que podem ser ganhas ao completar missões secundárias.

Far Cry 5: Hours of Darkness (Multi) é uma boa adição ao conteúdo de Far Cry 5, e se destaca especialmente por sua ambientação e temática completamente diferentes dos cenários rurais e contexto religioso do jogo base. Embora possa ser completado de forma rápida, o game oferece desafios suficientes aos jogadores para que eles possam explorar os cenários, seja em busca de novas missões, segredos ou apenas pela oportunidade de ver mais aqueles locais. Talvez não seja uma expansão tão marcante quanto foi Blood Dragon para Far Cry 3, mas certamente tem seu valor dentro da franquia.

Prós

  • Ambientação variada, imersiva e detalhada;
  • Temática completamente distinta do jogo base;
  • Modo cooperativo para dois jogadores.

Contras

  • Escassez de momentos marcantes;
  • Inteligência artificial prejudica a furtividade em certos momentos.
Far Cry 5: Hours of Darkness — PS4/XBO/PC — Nota: 8.0
Versão utilizada para análise: PS4

Revisão: Ana Krishna Peixoto 
Francisco Camilo é ex-viciado em platinas na família PlayStation e sonha em ser escritor no futuro. Divide suas jogatinas entre jogos de todos os tipos e partidas de Battlefield e Call of Duty.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook