Jogamos

Análise: Hogwarts Mystery (Android/iOS) faz o jogo de refém e cobra um alto resgate

Receba sua carta para Hogwarts e realize o sonho de todo fã do bruxinho, ou pelo menos tente.


Hogwarts Mystery é um game mobile, desenvolvido pela Jam City, e lançado no dia 25 de Abril de 2018. O game promete trazer a experiência de se tornar um aluno em Hogwarts anos antes dos eventos de Harry Potter e a Pedra Filosofal, mais especificamente quando ele ainda era um bebê.


Você joga na pele de um garoto, ou garota, que acabou de receber sua carta para ingressar em Hogwarts. O game começa com a customização do seu personagem, que inclui escolha do sexo, nome/sobrenome e detalhes de aparência/vestes, os quais existem diferentes opções (algumas desbloqueáveis apenas em certos níveis) que podem ser compradas com ouro adquirido no jogo ou joias, compradas com dinheiro real.

Em seguida é a clássica visita ao Beco Diagonal, com sua busca pelos materiais escolares e a compra de sua primeira varinha. Inclusive é ali, no Olivaras, que ouvimos falar do irmão do protagonista pela primeira vez: Um ex-aluno que foi expulso de Hogwarts e teve sua varinha quebrada devido a uma fixação com umas tais “Criptas Malditas”, após isso ele nunca mais foi visto.

Todo o enredo do jogo gira em torno do mistério de tais criptas e da busca pelo seu irmão desaparecido. Honestamente, essa trama é a única coisa que te prende ao game, mas falaremos melhor disso mais adiante.

Bonito de se ver e relaxante de escutar


Antes de chegarmos na jogabilidade vamos falar rapidamente da estética do jogo. Visualmente ele é muito agradável, com gráficos bem polidos e personagens carismáticos. Aqueles baseados em personagens já presentes nos filmes lembram bastante os atores reais, porém seguindo o estilo artístico escolhido para o game.

Os cenários são recriações muito bonitas e agradáveis de locais já conhecidos da telona, como as Salas Comunais de cada “Casa”, o Salão Principal onde acontecem as refeições, dentre outros. Não é nada ultra definido ou que exija muito potencial do seu aparelho, mas foi tudo bem construído e faz o papel de nos deixar confortáveis com a familiaridade dos locais.



As músicas são bem compostas, possuem aquele feeling de Harry Potter, e não enjoam com facilidade, sendo uma trilha relaxante para acompanhar o ritmo casual do game. Porém são poucas as variações de temas, após muitos dias de jogo você pode simplesmente preferir deixar no mudo.

Em questões de dublagem tudo que temos são algumas frases ou expressões soltas, mas são tão poucas e acontecem com uma frequência tão baixa que é como se elas nem estivessem ali, fora o fato de serem praticamente impossíveis de se entender. Este último ponto é ainda mais acentuado pelo baixo volume do game que, mesmo com o aúdio do meu celular no máximo, tive dificuldades para escutar com atenção as melodias e efeitos sonoros, mas parece ser um problema apenas em alguns aparelhos.

As mecânicas de Hogwarts


O game é um clássico “Point & Click”, baseado em desenhar formas na tela, cliques contínuos para realizar ações e a escolha de opções que podem mudar o rumo da história, o que é bem interessante e um forte diferencial. A sensação é de estar jogando um “Livro-Jogo”, aqueles que te fazem ir e voltar nas páginas de acordo com as escolhas que você faz, alterando o andar da narrativa.

Apesar da falta de imersão na jogabilidade, este ainda seria um excelente livro virtual ambientado no universo de Harry Potter. Algo casualmente perfeito e relaxante para se jogar no ônibus, em filas, após o almoço, etc. Porém, o modelo F2P (Free-to-Play) vem para acabar com essa possibilidade.



Hogwarts Mystery limita nossas ações com um sistema de energia. Para aprender magias, poções, dentre outras atividades, o jogador precisa clicar continuamente em objetos destacados no cenário. Além de repetitivo, a energia que temos é muito pouca e ela acaba rapidamente. Nada de realizar dois ou três eventos distintos em uma mesma sessão de jogo, aqui você realiza apenas um ou pode até mesmo ficar preso no meio da ação, precisando pagar com dinheiro real ou esperar 4 minutos por ponto de energia para continuar a atividade.

Uma das experiências mais decepcionantes foi estar no meio de uma cena interativa, sendo estrangulado por Visgo do Diabo, e precisar simplesmente largar o jogo e aguardar o tempo de recarga extremamente lento. Foi como se um “valentão” arrancasse um livro da minha mão no momento do clímax e dissesse “Ou me dá o seu dinheiro do lanche, ou você só vai saber o que acontece a seguir quando eu quiser te devolver”.

Não estou dizendo que o jogo deveria ser 100% gratuito, afinal F2P precisam lucrar de algum jeito e é preferível algumas vantagens em troca de dinheiro do que mandar inúmeros anúncios na cara do jogador. Porém, a forma como o sistema foi implementado torna a experiência extremamente ruim e travada, simplesmente não vale a pena gastar dinheiro mediante a rapidez com que a energia se esgota.




Existe a opção de sair de aulas no meio delas para voltar depois com a energia cheia, mas o jogo não oferece quase nenhuma outra atividade para se distrair enquanto se espera a recarga. E mesmo que haja alguma missão paralela disponível, ela eventualmente vai atingir algum ponto em que será necessário gastar energia.

Eu me vi diversas vezes abrindo o jogo, realizando uma aula em menos de um minuto e ficando sem ter o que fazer no game, sendo obrigado simplesmente a fechá-lo novamente para esperar a recarga, pois se eu fosse pagar todas as vezes que minha energia acabou eu já teria gasto o equivalente a um grande lançamento como God of War (PS4), ou até mais. Eu torcia para alguma longa sessão de diálogos acontecer só para poder passar mais algum tempo em Hogwarts curtindo a história.

A maior alternativa oferecida seriam os duelos, que não gastam energia. Eles trazem um esquema “pedra, papel e tesoura” para definir quem tem direito de atacar a cada turno, então são muito baseados em sorte. Infelizmente, além de tediosos, não é sempre que estão disponíveis.



Bom jogo, péssima execução


Hogwarts Mystery tinha tudo pra ser um ótimo jogo para os aficionados pela franquia, mesmo com a interatividade quase passiva. A história possui um mistério simples, mas que desperta a curiosidade. Infelizmente esse é o seu único atrativo. Como dito anteriormente, a narrativa é a única coisa capaz de prender o jogador em meio a jogabilidade repetitiva e ao sistema F2P extremamente abusivo que faz o game de refém durante horas. Acredito que teria sido melhor lançar esse jogo como um app pago por um preço razoável e nos deixar curtir a historinha no nosso ritmo.

A maioria dos jogadores vai simplesmente desistir de saber o final, pois levam-se semanas para avançar de fato na narrativa e o valor cobrado para acelerar isso é inaceitável. Minha recomendação é que procurem os jogos de LEGO Harry Potter (Android/iOS) para ter uma experiência muito mais fluída e divertida por um preço justo.

Prós

  • Gráficos agradáveis e trilha relaxante;
  • Narrativa simples, porém que desperta curiosidade;
  • Senso de familiaridade com o universo de Harry Potter.

Contras

  • Jogabilidade repetitiva e nada imersiva;
  • Sistema abusivo de F2P, que sequestra o jogo em troca de dinheiro;
  • Experiência travada e limitada, com um lento ou quase nenhum senso de avanço.
Hogwarts Mystery (Android/iOS) - Nota: 5.0

Revisão: Diogo Mendes

Link Beoulve é um jornalista freelancer, amante de jogos de todos os tipos, principalmente videogames. Enciclopédia ambulante de Zelda, Mestre Pokémon aposentado, caçador de monstros traumatizado. Você pode conferir seu portfólio aqui.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook