Jogamos

Análise: Rocket League (PC/PS4) é um bate-bola divertido e viciante

É tudo que você não esperava em um jogo eletrônico de futebol.


Jogos de futebol não são nenhuma novidade no mundo eletrônico. Todo ano temos um novo FIFA e um PES (em que apenas alguns detalhes mudam, mas a essência permanece a mesma). Mas eis que surge algo totalmente diferente. Dessa vez, esqueça jogadores famosos convertidos para milhões de pixels. Toda a ação fica por conta de carros turbinados que correm em uma arena disputando a posse da bola. Parece maluco demais? Acredite, não é perfeito, ,mas mesmo assim, o jogo consegue ser um bom divertimento que foge do lugar-comum dos games de esportes.

Futebol com carros?

Logo quando você inicia a primeira disputa de bola em Rocket League, poderá perceber que ele é um game diferente de qualquer outra coisa que já tenha visto. Você acelera seu carro (que mais parece um daqueles famosos caminhões-monstro das disputas americanas) e começa uma guerra com outros veículos pela posse de uma bola gigante. A física do game torna os combates ainda mais divertidos e emocionantes. Em alguns casos, ela age como se esperaria, causando um baque no momento em que você se choca com a bola ou com outro carro. Mas em outros, ela simplesmente não faz sentido, como quando seu carro escala as paredes das arenas e fica dependurado como se fosse uma aranha. Dependendo de como você utiliza essa tática, ela pode ser benéfica como prejudicial na partida.
Uma partida de futebol nada convencional.

São muitas as possibilidades de partidas em Rocket League. Existe o bom e velho um contra um ou dois contra dois ou mesmo quatro contra quatro. A divisão da tela nos primeiros modos citados não incomoda nenhum dos jogadores, pois a câmera segue com precisão os movimentos do veículo, sem deixar o jogador desorientado em nenhum momento da partida. O problema se encontra no modo em que muitos jogadores estão presentes e o uso de servidores se faz necessário. A conexão muitas vezes é demorada e quando ela ocorre, quedas e lags durante a disputa são muito comuns. Jogar com vários amigos é um teste de paciência e não de posse da bola.

De um game que foca no controle de carros-caminhões, poderia se esperar que existissem várias opções de personalização do veículo, não é mesmo? Motores mais turbinados, lataria especial ou mesmo pneus mais resistentes seriam alguns dos exemplos que poderiam existir. Esqueça tudo isso. O máximo que você irá conseguir depois de cumprir alguns objetivos especiais no game será desbloquear um sombreiro para seu carro, apenas para citar uma possibilidade. É divertido poder customizar o estilo do carro dessa maneira e vê-lo no meio da partida. Mesmo assim, a ausência de possibilidade de um nível de personalização mais alto no game faz muita falta.
Apesar de tanta diversão, não existe muito para se mudar nos carros.

As jogadas mais incríveis

Não é o fato de termos futebol sendo jogado com carros que torna Rocket League diferenciado de outros games do seu gênero. A liberdade de movimentos é o que torna esse título único. Desde o momento em que você iniciar sua primeira partida e der a partida nos motores, poderá perceber que não existem limites para onde seu carro pode ir. Por um lado isso é bom, pois dá mais liberdade ao jogador e a disputa pela bola se torna uma dança de movimentos fluídos entre os veículos em disputa. Por outro, podem haver problemas. Jogadores desacostumados a jogar um jogo de futebol em que controlam carros irão demorar até se acostumarem ao controle do veículo. Serão muitas manobras incorretas até encontrar o “jeitinho” certo de fazer a jogada corretamente.
Pode parecer caótico, mas acredite: você se acostuma rápido.

E falando em manobras incorretas, um espectador que assiste a uma disputa de Rocket League pode pensar que tudo não passa de uma confusão caótica de metal se chocando de um lado para o outro. Ora, mesmo com a bola sendo quase do tamanho do carro, é comum ela sumir da linha de visão do jogador depois de uma batida forte. A impressão que fica é de uma disputa sem sentido e sem estratégia. Felizmente, essa é apenas a sensação que o game passa durante a primeira partida. Depois que se acostuma com o ritmo do game, planejamento será a arma mais forte do jogador para pegar a bola, fazer uma jogada bonita e fazer aquele gol perfeito. Não é só bate-bate de carros gigantes, mas sim uma partida de estratégias.

Apesar desses problemas, algo que o game consegue logo no primeiro passe de bola é conquistar a atenção do jogador. Mesmo com estádios que não se diferenciam muito uns dos outros, prepare-se para se viciar em tentar realizar um “turbo” com seu carro para ver quem vai chegar primeiro à bola. São tantas jogadas inusitadas e outras lindamente planejadas que cada partida se torna minutos de puro divertimento. Rocket League é um título único em sua maneira de reinventar o futebol para o mundo eletrônico e tornar ele algo tão maluco que consegue dar certo à sua maneira.
Muitas horas de batidas, derrapadas e uma bola indo para todos os cantos da tela!

Prós

  • Diversão simples (e viciante);
  • Controles intuitivos.

Contras

  • Problemas nos servidores;
  • Baixo nível de customização.
Rocket League - Multi - Nota: 8.0

Revisão: Luigi Santana
Capa: Felipe Araujo

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook