Future Blast

Kingdom Hearts 3 (PS4/XBO) expandirá seus horizontes

Com apenas 2 minutos e 43 segundos de duração, um novo vídeo de Kingdom Hearts 3 foi apresentado durante a E3, trazendo novidades em cada imagem.


Fã de Kingdom Hearts sofre. Além da longa espera por um novo jogo da franquia que continue a cronologia oficial, ainda há a escassez de informações e o medo de ocorrer problemas no caminho, que podem atrasar o seu lançamento. Após o primeiro anúncio de Kingdom Hearts 3 (PS4/XBO), houve praticamente um ano sem qualquer atualização sobre o seu desenvolvimento, fazendo com que muitos indagassem sobre o seu futuro. Para acabar de uma vez com essa preocupação, a Square Enix exibiu um novo vídeo durante a E3 2015, com várias cenas de ação e jogabilidade.


Apesar de não haver qualquer pronunciamento oficial dos desenvolvedores sobre uma data específica para o lançamento, e de não responderem muitas dúvidas que ainda temos, conseguimos desvendar alguns mistérios e reunir novas informações ao analisar, cuidadosamente, o último trailer. Acredite: têm muitas novidades que poucos conseguem perceber. Confira, abaixo, tudo o que conseguimos coletar e algumas teorias feitas por fãs ao redor da internet.

Novos mundos, novos horizontes

Quem já jogou qualquer jogo da franquia Kingdom Hearts sabe que os personagens viajam entre mundos, sendo a grande maioria ambientada em filmes da Disney. Infelizmente, nenhum novo mundo foi confirmado de maneira oficial, mas Tetsuya Nomura, diretor do jogo, já disse que haverá muitos mais no terceiro jogo do que no segundo — todos existindo sem telas de carregamento e trazendo a sensação de mundo aberto. Ainda assim, houve três novas localizações exibidas no vídeo. São elas:

Olympus

Do lado direito da imagem é possível ver colunas que são comuns no universo de Hércules.

Logo no início do vídeo, vimos diversos itens por um cenário que está, obviamente, dentro do mundo de Hércules: há estátuas, montanhas de pedras e colunas que remetem ao desenho da Disney. O que realmente é curioso é o fato de não vermos o Coliseum, que apareceu em todos os outros jogos da série e onde os personagens entravam em diversas batalhas.

Já é possível ver a diferença entre os jogos de duas gerações anteriores para o atual. Além dos gráficos espetaculares, há uma visão enorme de todo o mundo de Olympus, em tempo real e sem telas de carregamento. Muito provavelmente todos os mundos serão muito maiores do que os anteriores e permitirão uma grande liberdade ao jogador.

Outros personagens que nunca estiveram presentes podem aparecer durante o jogo. Em todos os outros títulos, Sora recebe uma nova Keyblade (a famosa espada-chave) em cada mundo que visita, e já no vídeo há o indício que Zeus possa fazer parte da história: uma Keyblade com o seu rosto e símbolos de raio é mostrada.
A nova Keyblade, que deve trazer melhorias aos poderes elétricos.

Há também a presença de novos inimigos, nunca vistos anteriormente. Diferentemente do que víamos no passado, agora os Heartless (pequenos monstros sem coração) surgem de elementos do próprio cenário, como lagos e plantas. Em Olympus, vimos dois novos tipos: um ser envolto em bolhas de água, um voador e um “touro”. Presenciamos alguns detalhes interessantes em cada um, que merecem ser descritos.
A bolha de água protege os Heartless, mas pode ser estourada com um golpe.

O Heartless envolto em água nos mostra um novo sistema de magia. Jogar fogo nele, por exemplo, o fará evaporar, o que nos faz acreditar que os elementos possam ter uma interação mais realista. Há outro momento em que vemos Sora soltando um feitiço de gelo, congelando um inimigo, deixando-o imóvel. Isso abrirá uma enorme lista de possibilidades em diversas situações. Quanto ao monstro, ele basicamente ataca com a água e faz com que chova — indicando que deverá soltar raios logo em sequência.
Os Heartless que lembram touros tocam uma espécie de corneta para chamar uns aos outros, atacando em conjunto.

O ser que lembra um touro anda em grupos. Seu único golpe exibido mostra vários atacando em conjunto, atirando com os chifres o Pateta para cima.
Do lado esquerdo da imagem há um Heartless que, se observarmos bem, conseguimos ver seus olhos vermelhos.

O monstro voador é o mais interessante de todos, por um motivo bem peculiar: os seus olhos. A característica comum aos Heartless é o fato de que todos têm a cor amarela, e isso não ocorre com essa criatura, que tem olhos vermelhos. Isso poderia indicar a presença de outros seres presentes em outros jogos, como os Nobodies e os Unversed.

Enrolados

Não há como deixar de ver a enorme torre de onde a Rapunzel joga suas tranças.

Deixando todos surpresos, outro mundo presente no vídeo é o de Enrolados (Tangled, em inglês), um filme da Disney sobre a Rapunzel. O que o torna realmente interessante é o fato de ser exatamente igual ao filme, com os mesmos cenários e disposições de elementos. Isso pode significar que veremos mundos mais fieis aos originais? Seria incrível poder andar em uma Agrabah (de Aladdin) gigantesca.
A pequena criatura no chão é o que surge dos polens do Heartless maior.

O único Heartless que vimos neste mundo não mostrou muitos ataques. Com um visual lembrando a planta dente-de-leão, ele solta sementes pelo cenário que se tornam pequenos seres que devem atacar o personagem.

Twilight Town

Presente em muitos jogos de Kingdom Hearts, já havíamos visto um pouco de Twilight Town no primeiro vídeo divulgado pela Square Enix, e agora pudemos confirmar a sua presença. Trazendo Heartless já conhecidos, a única grande novidade é o fato de ela parecer muito mais detalhada e com criaturas surgindo de diversos portais. Há um novo inimigo presente em uma cena, mas, por aparecer apenas no fundo, não é possível que saibamos como ele será.
Apesar da baixa qualidade, conseguimos ver ao fundo um novo Heartless.

Um novo Sora

Com visuais mais detalhados e gráficos de cair o queixo, os personagens parecem ter sido totalmente recriados, para que integrem os consoles da nova geração. Indo um pouco mais além, há outras novidades que nos mostram novas maneiras de jogar com eles, melhorando os já conhecidos sistemas de batalha.

Logo no início do vídeo, temos uma grata surpresa: a movimentação de Sora. Interagindo mais com o cenário, ele escala paredes, dá piruetas sobre pedras e pula sobre pedaços de madeira. Tudo parece ocorrer sem a necessidade de pressionar botões, bastando andar na direção necessária, mas trará uma sensação de imersão muito maior dentro de cada cenário. Aos antigos fãs, há também a ótima notícia de que algumas ações padrão continuam no jogo, como a possibilidade de dar cambalhotas no chão ou piruetas no ar.
Em um dos momentos vemos Sora deslizando por uma ladeira em alta velocidade.

Sora também muda de roupas durante o vídeo. No início, utiliza as mesmas vestimentas do segundo jogo, mas recebe outras completamente novas ao entrar no mundo de Enrolados. Parecendo mesclar elementos dos dois primeiros jogos, ela é mais escura e nos faz indagar se trará alguma habilidade. Seria interessante poder mudar de roupas e acessórios durante o jogo, não é mesmo?
A nova roupa de Sora, que transmite um ar muito mais sombrio.

Em quase todos os outros games, é possível entrar em alguns modos especiais, fazendo com que o personagem utilize ataques mais poderosos e movimentos mais rápidos. Curiosamente, alguns desses movimentos aparecem no vídeo, mas sem a necessidade de entrar em qualquer modo especial, fazendo-nos acreditar que Sora tenha carregado habilidades dos jogos anteriores.

Outras duas funções que merecem destaque são o retorno do flowmotion e a possibilidade de usar magias de maneiras diferentes. Apresentado no jogo Dream Drop Distance, do Nintendo 3DS, o flowmotion nos permite pegar impulsos nas paredes e objetos do cenário para planar pelo ar e realizar acrobacias — é possível ver a sua ativação quando uma luz azul aparece em torno de Sora.
Ao pular em paredes, será possível usar o flowmotion para atacar inimigos pelo ar.

Já as magias parecem ter outras utilidades. Em certo momento, Sora libera uma grande quantidade de gelo no chão, deslizando por ela e atacando em sequência. Caso isso seja possível com todas as outras, Kingdom Hearts 3 pode se tornar um jogo com uma enorme gama de possibilidades de ataques.

Pouco vimos de Pateta e Donald durante o trailer. Percebemos que eles estão sempre com suas armas originais, e que têm as mesmas funções de auxílio dos outros jogos. Não sabemos se haverá alguma opção de controlá-los, sendo que os menus exibidos no vídeo não interagiam com o que ocorria durante a ação (eles tomavam dano e suas barras de vidas não se alteravam). A única grande novidade foi o fato de vermos um dos ataques em grupo: os três se juntaram para atacar os Heartless com o escudo do Pateta, jogando todos para o ar.
Ataques em conjunto já existiam nos outros jogos, mas devemos esperar muitos mais nem Kingdom Hearts 3.

Novos velhos ataques

As batalhas de Kingdom Hearts sempre foram um quesito discordante entre muitas pessoas. Enquanto uns reclamam da falta de elementos de RPG, outros fazem questão de pontuar que ele não é um jogo focado apenas na ação. Mantendo-se fiel ao estilo que a desenvolvedora diz manter, Kingdom Hearts 3 continuará com combates rápidos e inteligentes, fazendo uso de combinações, itens, poderes e armamentos.

Como já citado no início do texto, haverá uma Keyblade inspirada em Zeus. Mas ela trouxe outra novidade para a franquia: a possibilidade de transformá-la em outra arma. No vídeo, vimos que ela se transforma em uma carruagem controlada por Pégasus, que ataca diversos inimigos. Tudo indica que cada Keyblade terá funções parecidas, já que vimos também algumas transformações para pistolas e arco e flecha. Combinando isso tudo com as novas magias, podemos esperar por batalhas com centenas de escolhas para atacar e defender os personagens.
Quem nunca quis transformar uma Keyblade em um rifle enorme?

Outro ponto muito importante, e já mostrado no trailer, é a existência dos summons, que estão (em japonês) no menu de ataque. Três deles apareceram e nos mostraram que são inspirados nos brinquedos da Disneyland: um trem, um barco viking e as famosas xícaras giratórias. Aparentemente, eles seguirão a ideia dos outros jogos, podendo ser ativados em qualquer momento com a utilização de pontos.
Assim como nos brinquedos originais, o Pateta parece passar mal girando dentro das xícaras. O humor dos jogos continua firme e forte!

O fim de uma era

Quem acompanha Kingdom Hearts teve a árdua tarefa de comprar diversos consoles para conseguir entender a história. Além de complexa, os jogos eram lançados em ordem totalmente aleatória, fazendo com que muitos não entendessem a narrativa completamente. De qualquer maneira, Kingdom Hearts 3 chega para acabar com esse problema, encerrando de vez a trilogia e colocando um ponto final em tudo.

Apesar de muitos acharem que o trailer lançado diz pouco sobre a história, ele nos trouxe diversas informações nas entrelinhas. Caso não queira receber possíveis informações sobre o futuro dos personagens, recomendamos evitar os próximos parágrafos. Caso contrário, temos novidades e teorias suficientes para manter os ânimos até o lançamento.

As duas últimas peças: do lado esquerdo os "chifres" representam Xehanort e do lado direito a coroa representa Sora.
O trailer mostra diversas cenas com os jovens Eraqus e Xehanort jogando um tipo diferente de xadrez, com peças pretas e brancas em um tabuleiro desproporcional. Tudo isso parece ser uma simples metáfora para a grande guerra, que envolveria os 13 guerreiros da escuridão lutando contra os 7 da luz (e, com isso, conseguirem abrir o portal para Kingdom Hearts). O que realmente é curioso são os símbolos em cima de cada peça, que parece representar diversos personagens. Na última cena, somente duas peças sobrevivem, sendo que carregam os símbolos de Sora e Xehanort. Seria essa a batalha final do jogo, ocorrendo durante a guerra?

Outro ponto importante é quando vemos a Keyblade de Xehanort pendurada na parede, em uma espécie de “santuário”. Por ele ainda ser novo no vídeo, podemos entender que ela pertenceu a outra pessoa importante antes dele. Mas quem?
A famosa Keyblade de Xehanort. Ou será que pertencia a outra pessoa?

Por fim, a teoria mais importante de todas: há um calendário na parte de trás da sala onde os dois jogam xadrez. As datas exibidas nele batem com três meses no futuro próximo: Outubro deste ano, dezembro de 2016 e março de 2018. Como o diretor Tetsuya Nomura é famoso por esconder segredos em seus vídeos, seria algum desses meses a data de lançamento para este novo título? Caso positivo, acreditamos que ocorra no ano que vem, completando assim cinco anos de desenvolvimento.
O calendário, do lado direito da tela, pode conter a informação que mais nos interessa.

Kingdom Hearts 3 tem grandes chances de ser um jogo maravilhoso. Gráficos de tirar o fôlego, muita ação, lugares grandes para explorar e inimigos que chegam a ser verdadeiros colossos devido ao seu tamanho estarão presentes. Mesmo que algumas das teorias e informações estejam erradas, há muito a ser descoberto e enormes dados que precisamos entender para completar a história de Sora. Enquanto esperamos, ao menos, temos vários jogos da franquia para revisitar — e tentar entender um pouco mais dessa brilhante (e confusa) história.

Revisão: Jaime Ninice
Capa: Guilherme Kennio

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google