Vem aí

Assassin's Creed Syndicate (Multi) terá mais ação e menos bugs?

Em breve será a vez do jogador se tornar um assassino na Londres da Era Vitoriana.


Seguindo uma tradição criada desde Assassin’s Creed III, a Ubisoft transformou a franquia dos assassinos em seu caça-níqueis particular, lançando um jogo a cada ano. Apesar de o último título, Assassin’s Creed Unity, ter retomado a fórmula original da série e criado uma experiência virtual sólida, o game foi duramente criticado pela quantidade absurda de bugs. Isso mostrou o quanto a Ubisoft estava descuidada com a qualidade final dos games da série, e faz qualquer fã ficar muito preocupado se o próximo título terá o mínimo de qualidade que os primeiros games apresentaram.

Nova geração, novos problemas

Não é nenhuma novidade, mas Assassin’s Creed Syndicate será lançado apenas para os consoles da nova geração (PS4/Xbox One) e também para PC. No entanto, assim como seu antecessor, o game sofre o azar de encarar a mesma dúvida dos jogadores: isso realmente é nova geração? Apesar do problema com os bugs, a única característica de Unity que o diferenciava de games de gerações passadas era a sua qualidade gráfica. Syndicate promete seguir o mesmo rumo e apresentar uma reprodução fiel de Londres de meados do século XIX. Considerando o tempo que a Ubisoft teve para produzir o game desde o lançamento de Unity, podemos esperar que a empresa irá utilizar o mesmo motor e modelos gráficos utilizados para recriar Paris. Portanto, ao menos um jogo bonito e com alta qualidade visual os jogadores terão.
Pronto para retornar a uma das eras mais movimentadas da história do Reino Unido?

Esse problema de tornar clara a distinção entre games da geração passada e da nova não é um obstáculo apenas para Assassin’s Creed. Quase todos os títulos atuais sofrem com esse problema e o mérito da franquia, desde Unity, tem sido mostrar o aprimoramento gráfico que pode ser alcançado utilizando o potencial dos novos consoles. Não existe, até o momento, um exemplo de mecânica de jogo que somente seria possível na nova geração. Temos que esperar para saber qual será o verdadeiro diferencial de Syndicate em relação aos títulos anteriores e se ele de fato se mostrará um game next-gen.
Podemos esperar uma recriação completa da Londres de meados do século XIX. A questão é: ao preço de quantos bugs?

Mais adições desnecessárias

Unity não trouxe muitas adições às mecânicas já conhecidas da franquia dos assassinos. Aliás, muitos elementos foram retirados em prol do retorno de fórmulas consagradas da série. O principal, obviamente, foi a navegação e batalhas navais que existiam desde Assassin’s Creed III e que marcaram Black Flag. Pessoalmente, considero que isso foi uma decisão sábia, pois Black Flag possuía tantos segmentos no mar que mais parecia um jogo de Piratas do Caribe do que um Assassin’s Creed. Unity retornou às origens, retomando mecânicas como o assassinato em modo stealth ser apenas possível com o uso da hidden blade.
Dessa vez será possível correr, pular e até lutar em cima de carruagens em pleno movimento.

Pelos vídeos divulgados até agora pela Ubisoft, Syndicate vai permitir uma experiência mais próxima a realidade de um verdadeiro assassino. O jogador poderá comandar facções para lhe auxiliar em sua luta contra os Templários e também será capaz de usar objetos do cenário para distrair ou matar seus inimigos. Como dito anteriormente, não teremos mais barcos para navegar, mas agora será possível andar de carruagem e fazer corridas frenéticas pelo centro de Londres.

Mas essas adições, que muito bem poderiam passar despercebidas para quem está acostumado com a inserção e remoção delas ao longo da série, não são o grande trunfo de Syndicate. Dessa vez, a história gira em torno de um casal de irmãos, Jacob e Evie. Pela primeira vez na série, o jogador poderá trocar entre os dois personagens a qualquer momento no jogo. Isso abre um grande  leque de possiblidades em que poderá se explorar as diferentes mecânicas e habilidades de cada um dos irmãos em situações diferentes.
Em um vídeo pré-alfa do game podemos ver Jacob e Evie, os personagens principais do game.

Um potencial com risco de desperdício

Unity foi um título com muito potencial para ser explorado, mas que, como diz o ditado popular, “nadou e nadou para morrer na praia”. Foram muitas decisões erradas durante o desenvolvimento do game e a pressa foi a inimiga da perfeição. Novamente, a Ubisoft tem a chance de trabalhar com um período histórico muito interessante, envolvendo todo o contexto das mudanças da Revolução Industrial em meio a luta de assassinos e templários. Algo que a empresa realmente precisa retomar é a construção dos personagens principais e sua relação com a trama do game. Desde Ezio em Assassin’s Creed II, os jogadores não veem um personagem carismático e pelo qual possam se interessar, e agora o trabalho deve ser em dobro para com os irmãos Jacob e Evie. A dupla pode se tornar um destaque na série ou apenas mais dois assassinos esquecidos entre tantos.




Assassin’s Creed Syndicate (Multi)
Gênero: Ação/Aventura
Desenvolvimento: Ubisoft
Lançamento: 23 de outubro (PS4/Xbox One), Final de 2015 para PC
Expectativa: 3/5

Revisão: Luigi Santana
Capa: Angelo Gustavo

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook