Vem aí

Prévia: Batman: Arkham Knight (Multi) trará destruição sobre quatro rodas

Após o lançamento dos quatro últimos títulos, finalmente chega ao PlayStation 4, Xbox One e PC o que parece ser uma das melhores experiências para os fãs do Homem-Morcego.


Quando Batman: Arkham Asylum foi lançado para PlayStation 3, Xbox 360 e PC, sua capa já mostrava que seria diferente de tudo o que já havia sido lançado sobre o herói: uma imagem brilhante, que mudava conforme a luz, revelava a presença de óculos 3D que aumentariam a interação do jogador. Em uma época em que televisões vendiam a tridimensionalidade dos cinemas, parecia estranho ter que voltar a usar um acessório de papelão no rosto, com lentes de cores diferentes. Felizmente, com ou sem ele, surgia uma nova franquia de qualidade.
Batman: Arkham Asylum trouxe uma mecânica de luta inovadora, que perdura até hoje e inspira outros jogos.
Situado em uma Gotham de mundo aberto, Arkham Asylum trouxe o combate para um novo estilo, onde um pequeno deslize era o suficiente para causar grandes problemas: era preciso estar atento. Diferentemente de muitos jogos que estão por aí, simplesmente apertar o mesmo botão não traria vitórias e frustrariam aqueles que buscavam por jogos simples e com dificuldade simplória: se a vida do Homem-Morcego não é fácil, que o game mantenha-se fiel.
Além de trazer alguns dos famosos vilões, o jogo também trouxe novos visuais. Adaptando as roupas e ambientes ao momento atual, passou a ser estranhamente crível a ideia de um homem rico conseguir se transformar em um defensor através de tecnologias avançadas e extremamente caras. Podemos dizer que isso ocorreu também nos cinemas, o que mostrou a necessidade de renovar o universo dos heróis — e é por isso que tantos estão em alta ultimamente.
Após o primeiro jogo, outros três foram lançados: Batman: Arkham City (Multi), continuação direta, Batman: Arkham Origins (Multi) e Arkham Origins Blackgate (Multi), contando contando histórias que antecedem o primeiro jogo. Apesar de algumas controvérsias em torno da qualidade dos últimos jogos, que não foram desenvolvidos pela Rocksteady, era inegável que o futuro garantiria grandes feitos na nova geração. Eis que, em 2014, chega o anúncio de Batman: Arkham Knight (Multi), trazendo grande expectativa.
Batman: Arkham Origins pode não ter agradado muitos fãs, mas o seu visual é fantástico.

Novas aventuras, velhos inimigos

No trailer de apresentação, a primeira reação do público foi de surpresa. “Tudo parece diferente! As roupas mudaram novamente!”, eram frases encontradas em diversos fóruns de debate pela internet. De maneira semelhante aos filmes, que estarão mais uma vez com outros atores e caracterizações, os personagens e ambientes do jogo foram refeitos em conjunto com os desenhistas da DC Comics — o trabalho ficou ainda mais bonito.
Curiosamente, várias dicas do que encontraríamos na versão final do jogo estavam presentes no vídeo exibido, onde ouvíamos o pai de Bruce Wayne dizendo que ele deveria utilizar a fortuna para trazer o bem enquanto Batman se preparava para uma batalha. As cenas de luta traziam inimigos com armas, diversos vilões em conjunto, e o principal, o Batmóvel em destaque: ele será utilizado pelo jogador em muitos momentos.
A cidade de Gotham parecia ainda maior — os prédios extremamente altos e as ruas largas. Nada foi por acaso, já que os mapas serão cinco vezes mais amplos do que em Arkham City e todos os espaços foram projetados para que seja possível dirigir com o Batmóvel sem bater pelas paredes. Aliás, fazer isso poderá trazer diversas consequências, já que grande parte do cenário poderá ser destruído.

Por fim, pudemos sentir que era mais um jogo do Batman, e isso é extremamente importante. Uma série chega ao seu fim quando perde sua essência, deixando os fãs desapontados perante uma experiência completamente diferente do que já havia sido feito — esse não parece ser o caso. As rápidas e inteligentes batalhas estavam de volta e a trama conseguira prender não somente os fãs do personagem, mas também os que procuram um bom jogo de ação. Este pode ser o jogo que tanto esperamos de um super herói.

Novos consoles, novas ideias

Os passeios pelo mapa serão feitos pelo céu, voando, ou pelo chão, com o Batmóvel.

Tudo o que havia de bom dos antigos jogos estará de volta em Arkham Knight. Será possível planar e atingir inimigos com chutes no ar, além de entrar no modo detetive para investigar o ambiente e muito mais. E bota muito nisso! Em vários vídeos já divulgados vemos uma cidade maior e com diferentes maneiras de exploração: Batman literalmente voa pelos lugares. De maneira semelhante aos jogos do Homem-Aranha, bastará agarrar-se em diversos prédios em sequência para ganhar velocidade e manter-se no ar. Com isso, temos que nos preparar para câmeras rápidas e sensações gigantescas de queda livre.
A história ocorrerá cerca de um ano depois dos acontecimentos de Arkham City e envolverão um plano maléfico do famoso vilão Espantalho. Após reunir diversos outros, como Duas Caras, Pinguim e Arlequina (que poderá ser controlada por quem comprar o título na pré-venda), todos se unirão para liberar uma espécie de substância química pela cidade. Batman será o responsável por impedir que isso aconteça, e terá que enfrentar o seu maior inimigo do jogo no processo: o Cavaleiro de Arkham. 

Para auxiliar Batman, o Batmóvel poderá ser quase sempre utilizado. Com o apertar de um botão ele virá ao seu alcance, levando o personagem pelas ruas em alta velocidade e com uma enorme blindagem. Obviamente, os inimigos também se utilizarão de máquinas enormes guiadas por computador, que devem ser destruídas com as enormes armas do veículo do herói. São elas:
  • Arma Vulcão: tiros rápidos que fazem o inimigo pegar fogo;
  • Canhão: tiros lentos, mas capazes de causar enormes explosões;
  • Mísseis: extremamente poderosos, podem rastrear e atingir até seis inimigos de uma só vez;
  • Interruptor de Multidões: uma arma física, que empurrará as pessoas da rua para que não atrapalhem a passagem.

Além de ser extremamente útil nas batalhas contra outros veículos, o Batmóvel também poderá ser utilizado sem precisar estar com Batman na direção — com o pressionar de uma sequência de botões, ele poderá ser ejetado do carro, que atropelará inimigos e servirá de impulso para golpes mais fortes. A equipe de desenvolvimento insiste em dizer que a integração entre os dois será tão grande que sentiremos que ambos são um só.

Não é somente o Batmóvel que terá novas armas. Batman carregará as já conhecidas, mas também encontrará novos arsenais pelo caminho, incluindo um estilo de bumerangue que, controlado pelo jogador, escaneará o ambiente e o auxiliará em criar estratégias de combate. Os inimigos também terão bastões e armas de fogo, que poderão ser roubados nas batalhas e usados naquele momento — desde que nunca matem uma pessoa. O medo passará a ser utilizado para ganhar vantagem, já que Batman poderá segurar um dos combatentes e deixar os outros em desespero, diminuindo suas forças e encurralando-os para o abatimento.

Herói pra dar e vender

Recentemente, diversos vídeos foram mostrados e, com eles, muitas informações que surpreenderam os jogadores. Diversos personagens conhecidos apareceram em batalhas, auxiliando Batman. Não somente Robin, Asa Noturna, Azrael e Mulher Gato estarão presentes como poderão ser utilizados em combos contra inimigos — ou seja, você poderá começar a bater com um deles e finalizar com o outro. Aliás, o jogo nem mesmo saiu e já sabemos que a Mulher Gato terá uma história só dela disponibilizada por DLC. Haverá jogo para muitas horas de diversão.

O modo história, supostamente, será 20 vezes mais longo do que em Arkham Asylum. E não espere por missões entediantes: o Cavaleiro de Arkham parece conseguir mudar de tamanho e ficar imensamente gigante, criando batalhas dignas de um filme do Godzilla, com a cidade sendo destruída em cada passo. A enormidade do mapa será preenchida por mais pessoas e mudanças de clima, que influenciarão outros fatores ao redor: o mar, por exemplo, ficará completamente agitado e suas ondas molharão os que estiverem por perto. Tudo isso ocorrerá sem pausas para leitura de disco, como o que ocorre em GTA V (Multi).

Parece óbvio que todas essas informações se unem ao fato de a equipe ter desenvolvido gráficos fantásticos e que deixarão muitos pensando que estão vendo o próximo filme do Cavaleiro das Trevas. Para completar a experiência, um time de peso é responsável pela dublagem americana, contando inclusive com o ator Jonathan Banks, que interpretou o personagem Mike em Breaking Bad — haverá também uma versão brasileira, mas sem dubladores confirmados.
Fã ou não de Batman, este é um jogo que todos devem ficar de olho. Enquanto a realidade virtual não chega e os holofotes com o símbolo do morcego não aparecem nas ruas, isso é o mais perto que conseguiremos chegar de viver mais um pouco a vida de Bruce Wayne. E, felizmente, está bom demais.
Batman: Arkham Knight (PS4/XBO/PC)
Desenvolvedora: Rocksteady Studios
Lançamento: 23/06/2015
Expectativa: 5/5
Revisão: José Carlos Alves
Capa: Diego Migueis


Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google