Top 10

Os games RTS mais memoráveis dos computadores

Um gênero marcado por títulos inesquecíveis e viciantes. Veja agora a nossa lista dos jogos de estratégia em tempo real mais marcantes para PC.

Desde o início dos anos 1990, os jogos de estratégia em tempo real (RTS — Real Time Strategy) se tornaram muito populares, principalmente entre os usuários de computador. Como os consoles de mesa não possuíam capacidades muito estupendas nessa época, esse estilo de game — que envolvia sempre o manuseio rápido de várias unidades ao mesmo tempo e, em certas ocasiões, até 12 jogadores simultâneos — estabeleceu suas raízes nos computadores.


Hoje em dia, poucos são os títulos lançados que ainda fazem jus aos anos dourados dos jogos de estratégia em tempo real, mas bons títulos do passado são fáceis de lembrar e aposto que vocês já pensaram em alguns enquanto liam o texto até aqui. É por isso que trazemos hoje uma lista com dez dos jogos do gênero que mais marcaram suas épocas nos computadores. Prepare-se para as batalhas, porque de Age of Empires (PC) a Star Craft II (PC), muitos títulos e franquias memoráveis passaram por nossas telas de PC.

10 - Warhammer 40.000 — Dawn of War

Começaremos essa lista com nada menos que Warhammer 40,000: Dawn of War. O jogo produzido pela  Relic Entertainment e publicado pela THQ é um RTS de ficção científica lançado em 2004 que deu o que falar. Com três expansões lançadas posteriormente, eletrazia como principais marcas a grande quantidade de raças para se escolher com campanhas totalmente distintas entre elas e, é claro, o tema futurista que estava em falta nos games do gênero desde Starcraft.



Sua jogabilidade é bem interessante e gira em torno de capturar e manter posições estratégicas através do campo de batalha, diferenciando-se da maioria dos games da época, que se resumiam em “crescer e atacar”. Com esses pontos de controle dominados, é possível fortalecer  esquadrões e aumentar recursos. O jogo fez um sucesso considerável e a série como um todo chegou a vender mais de 7 milhões de cópias.

9 -  Empire Earth

Outro ótimo jogo lançado no início dos anos 2000, Empire Earth trouxe um dos mais complexos mecanismos de civilização já vistos em um RTS (talvez só não supere Rome: Total War). Isso foi a sua grande marca na época pois continuava a lógica iniciada em Age of Empires, com algo a mais. Além das tradicionais civilizações pré-históricas, antigas, medievais e clássicas dos outros jogos, Empire Earth tazia a evolução da sua civilização até os períodos mais modernos e mais, nos levava para as eras futuras, um vislumbre daquilo que não aconteceu ainda.
O jogo não fez o sucesso estrondoso que outros membros dessa lista conquistaram, mas com certeza é um título memorável. Inclusive rendeu duas continuações em 2005 e 2007, respectivamente: sua primeira continuação, Empire Earth 2 (PC), foi muito boa e trouxe mais inovações aos RTS, porém o terceiro capítulo da franquia fez seu túmulo.

8 - Command & Conquer: Red Alert 2 

Red Alert 2 se destaca entre os vários capítulos da franquia de estratégia da EA Games pela sua simplicidade incrível e, ao mesmo tempo, fatores muito bem balanceados. Marcado pelo equilíbrio elegante entre elementos tecnológicos, como teletransportes e manipulação do tempo, com elementos místicos, como videntes e magias, o jogo traz uma jogabilidade excelente no melhor estilo “Age of Empires”, com uma campanha digna de ser lembrada.


No enredo inicial do game, após os acontecimentos do primeiro Red Alert, a União Soviética está em ruínas e Stalin, morto. Os Aliados então determinam que um agente chamado Romanov entre no lugar de Stalin, a fim de controlar a nação sem necessitar de uma troca invasiva de regime político. Romanov porém começa a formar um exército de resistência e, com a ajuda de Yuri, líder dos Psycho Corps, começa um novo ataque aos Estados Unidos. Um excelente jogo para os amantes de sci-fi e também para os de guerra clássica.

7 - Age of Mythology/The Titans

Como fazer uma lista de jogos de estratégia sem citar essa pérola? Age of Mythology (PC) é um spin-off da série Age of Empires que chamou muita atenção. O jogo da Microsoft trouxe toda a mecânica já conhecida pelos fãs dos jogos anteriores da franquia, porém, com uma ambientação que colocou muito marmanjo de boca aberta: mitologias. Em uma história excitante, o game tem um dos melhores modos campanha entre os RTS, unindo de forma exemplar as mitologias grega, nórdica e egípcia.
Com uma nova mecânica que envolve recursos místicos, deuses a serem adorados e o melhor: criaturas mitológicas como unidades combatentes, Age of Mythology fez muito sucesso em sua época e até hoje atrai olhares daqueles que sonham com um “Age of Mythology II”. O título, inclusive, teve uma expansão — The Titans — que acrescentava uma nova história ao modo campanha e trazia os titãs como deuses a serem escolhidos como devoção. Perfeito para os amantes de mitologia e guerras medievais, com uma versão totalmente dublada ainda por cima.

6 - Starcraft

Lá em 1998, a Blizzard Entertainment resolveu sair da sua tradicional ambientação medieval e avançar no tempo, lançando Starcraft  para PC. O sucesso do jogo foi estrondoso e não poderia ser diferente, uma história excelente, um sistema de combate inovador para a época e ainda um pacote de expansão que, como de costume, expandia a história um pouco mais. Nesse jogo somos apresentados a três personagens que passariam a ser grandes conhecidos por alguns: Kerrigan, a Rainha das Lâminas; Raynor, o então soldado dos Terrans; e Zeratul, defensor dos Protoss.

Com três raças jogáveis (Terrans, Protoss e Zergs), o jogo é marcante por sua dificuldade altíssima e rítmo frenético. Seu carisma foi tão grande que até pouco tempo antes de Starcraft II ser lançado (mais de dez anos depois do lançamento do primeiro título), o jogo ainda era jogado por milhares de pessoas através do Battle.net. Sem falar que foi dele que a empresa tirou algumas das mecânicas que cativaram e muito um outro jogo que aparecerá nessa lista já, já...


5 - Company of Heroes

Como o tema de Estratégia em Tempo Real sempre envolve guerras, jogos com temas envolvendo a primeira e segunda guerra foram produzidos em massa na década de 2000. Entretanto, poucos apresentaram a qualidade ímpar de Company of Heroes. Com o foco totalmente voltado para a luta entre esquadrões (e não entre grandes exércitos), as táticas e criações de unidades do jogo são muito mais viscerais e detalhadas do que os demais.

Na jogabilidade, os recursos funcionavam com  base em pontos de comando assim como a própria evolução dos personagens, forçando uma ênfase maior nos combates (afinal, isso é a Segunda Guerra Mundial!). Os cenários, por sua vez, são bem construídos e suas unidades interagem de forma perfeita com eles. Nada de rochas, paredes e muros indestrutíveis; em Company você precisa improvisar e pensar nas várias possibilidades, pois tudo pode acontecer durante a batalha.


4 - Rome: Total War 

Composto por dois modos de jogo que unem em um único game a estratégia em tempo real e a estratégia baseada em turnos, Rome: Total War é um excelente jogo que combina o melhor dos dois gêneros, ambientado em um contexto ainda melhor: a roma antiga. Aqui você pode viver em diferentes períodos de Roma, tanto a república quanto o império, num período de tempo que vai de 270 a.C. até o ano 14 d.C. Mas é importante lembrar que, mesmo com várias batalhas históricas presentes no título, nem todas as batalhas aqui são baseadas nas reais.

Aclamado por público e crítica, um dos diferenciais de Rome são as suas batalhas em escalas épicas. Aqui, cada unidade na verdade são mais de duzentas, uma vez que cada unidade é um batalhão inteiro do exército romano (outros jogos posteriormente, como Battle of the Middle-Earth e Star Wars - Empire At War repetiram o formato). Com um sistema de batalhas inovador, menu de desenvolvimento complexo e campanhas instigantes, Rome é um ótimo título e, sem dúvida, muito memorável.


3 - Starcraft II — Wings of Liberty/Heart of the Swarm

Este é, atualmente, o jogo de estratégia em tempo real mais jogado do mundo. A mega produção da Blizzard, tão esperada pelos fãs do primeiro título da franquia, fez sucesso desde o momento que foi anunciado. Com mecânicas combinando o que Warcraft III e Starcraft tinham de melhor, Starcraft II trouxe o melhor dos jogos de estratégia focados em batalhas para um só lugar. O resultado? Um título simplesmente sensacional.
As campanhas de Wings of Liberty e da sua expansão já lançada, Heart of the Swarm, levam os jogadores a vivenciar a história da galáxia na pele de Raynor e Kerrigan. Com um visual incrível, história muito bem criada (com o selo Blizzard de qualidade) e mecânicas de jogo inovadoras, o título ensinou a muitos como se fazer um ótimo jogo de estratégia e mais, como o gênero ainda tem muito a oferecer para nós jogadores. Porém, ele ficou com o bronze da lista por dois estupendos motivos...

2 - Warcraft III — Reign of Chaos/The Frozen Throne

Starcraft II conseguiu superar em muito seu antecessor, mas não teve a mesma representação memorável que Warcraft III em sua época. Dando um upgrade sensacional na franquia já conhecida pelos fãs, o terceiro capítulo da guerra entre humanos e orcs trouxe diversas novidades que mudaram para sempre o curso da história do jogo. Para começar, a inclusão de duas novas raças (Night Elves e Undeads) balanceou de forma peculiar as disputas online.

Mas não só nas batalhas e na jogabilidade esse título se justifica em seu segundo lugar. A sua história é brilhante, com diversas campanhas que levam o jogador a vivenciar a história de Azeroth por vários ângulos distintos, mas seu carro chefe veio com a expansão The Frozen Throne, na qual apresentou a complexa história de Arthas, e o processo de transformação dele em um dos maiores vilões dos videogames da última década: O Lich King. Tudo em que a franquia Warcraft se transformou hoje foi fruto do sucesso estrondoso desse jogo. Mas ainda não foi suficiente para o primeiro lugar...

1 - Age of Empires II — Age of Kings/The Conquerors

Citado ao longo de todo o texto, não é bem uma surpresa para alguns que Age of Empires II receba o ouro do nosso Top 10. A franquia que ditou o estilo do gênero por mais de uma década, Age of Empires, trouxe mecânicas simples e geniais que cativaram muitos de nós por muito tempo. Tudo que foi feito após Age of Empires e Age of Empires II foi derivado de suas mecânicas simples, porém, essenciais para que um RTS fosse de qualidade.
Mesmo simples, a riqueza e genialidade de Age of Kings e de sua expansão, The Conquerors, está nos detalhes. Cada nação possui construções variadas, falam sua própria língua e possuem unidades próprias. As campanhas fogem totalmente do clichê, mostrando eventos históricos pouco conhecidos, como aqueles envolvendo os Saladinos, Hunos e Francos. Uma aula de história e uma de como se fazer um excelente jogo de estratégia, ganhou uma ótima continuação inclusive, porém não tão genial quanto Age of Kings.



Por isso, ficamos por aqui, com aquela sensação gostosa de nostalgia. Outros tantos jogos poderíam ser citados, mas, como sempre, estamos num Top 10 certo? Então, amantes de outros títulos como  Supreme Commander e Star Wars: Empire at War, não fiquem bravos, sabemos que eles são ótimos títulos também!

Revisão: Alberto Canen
Capa: Victor Pereira


Gilson Peres é Psicólogo e Mestre em Comunicação pela UFJF. Está no Blast desde 2014 e começou sua vida gamer bem cedo no NES. Atualmente divide seu tempo entre games de sobrevivência e a realidade virtual.


Disqus
Facebook
Google