Jogamos

Análise: Em Battleblock Theater (PC) os desafios e a zoeira não têm limites

Seja bravo, seja forte, seja ousado! Mas tente segurar as risadas!


Não dá para imaginar o que os criadores do genial e divertido Castle Crashers tinham na cabeça quando decidiram que juntar bonecos simples, gatinhos gigantes e uma ilha com um imenso teatro em um jogo poderia dar certo. Felizmente, eles acertaram! Com uma história e um visual que poderia ter saído da cabeça de uma criança de cinco anos, Battleblock Theater sai do Xbox e chega ao mundo do PC para mostrar o que são desafios e perigos de verdade! Ah, e também que a zoeira não tem limites, claro!

Amigos em perigo

Mas ao contrário da história bem estruturada em Castle Crashers, o primeiro mérito de Battleblock Theater é possuir um enredo completamente sem sentido, mas que mesmo assim consegue arrancar muitas risadas do jogador. Resumindo, você encarna um dos vários amigos de Hatty Hathington (o melhor e maior amigo de todos) que sobreviveu a um naufrágio em uma ilha muito estranha. Agora você precisa enfrentar uma série de desafios bizarros e insanos em uma espécie de show dos horrores. Tudo isso enquanto proporciona entreternimento a um bando de gatinhos doidos que gerenciam um teatro abandonado e tenta salvar seus amigos dessa loucura!
Hatty e seus amigos em um barco, o SS Friendship! Entenderam?
Pois é, não tem nenhum sentido, não é mesmo? Mas quem precisa de significado quando se tem uma experiência muito divertida durante as horas de jogo? São seis capítulos, cada um contendo quatro atos com três cenas (no melhor estilo peça de teatro). Com um visual de plataforma, o jogador precisa percorrer um cenário cheio de perigos e armadilhas reunindo gemas especiais para desbloquear a saída e prosseguir. A cada passo dado e desafio superado você fica mais perto de escapar das mãos (digo, patas) de ferro de seus carcereiros felinos e resgatar Hatty  (que agora é mau, pois está sendo manipulado por uma cartola enfeitiçada) e seus amigos.
Manipulado por um chapéu do mal, Hatty vai promover espectáculos horríveis para sua plateia felina. E, claro, você é o protagonista principal.


Nosso jogador precisa ser muito bravo e corajoso para enfrentar os perigos e conseguir libertar seus amigos. A quantidade de personagens desbloqueáveis é imensa, sendo possível escolher desde a cara do personagem até a sua cor e sua arma especial. Todos esses elementos se unem para criar uma experiência extremamente fluida e empolgante. Os níveis possuem um nível de criação muito bem planejado que consegue garantir que a dificuldade nunca fique exagerada, mas que vá apenas aumentando na medida certa. Mas não é preciso se preocupar em errar. Você vai morrer. E muito. Mas para isso, felizmente existem checkpoints espalhados estrategicamente em locais importantes de cada ato.
São diversos puzzles e outros desafios que exigem precisão e agilidade. Mas não se preocupe, se ficar preso, basta peidar para explodir em mil pedaços.

Ativando o modo “HUEHUE”


Uma das partes mais engraçadas do game (além dos gritos escandalosos do narrador quando você morre de uma maneira horrível) fica por conta das cutscenes que antecedem o começo de cada capítulo. Ao melhor estilo do humor britânico, o narrador tenta motivar o jogador a continuar sua missão para salvar Hatty e seus amigos, enquanto tenta buscar uma explicação do porquê esses gatinhos malvados (ou como ele diz “as criaturinhas abomináveis mais adoráveis que existem”) estão te torturando dessa forma. Confira apenas uma dessas hilárias cenas a seguir (cuidado com alguns spoilers!):

Battleblock Theater se torna um título ainda mais maluco quando você utiliza o modo multiplayer. Funcionando similarmente a um modo co-op, o jogador precisa da ajuda de seu parceiro para prosseguir em um cenário, mas é muito comum a dupla ou o grupo não conseguir se auxiliar e criar as mortes mais esdrúxulas possíveis. Pelo menos isso consegue compensar o fato de o game ser relativamente curto, uma vez que você consegue se tornar experiente nos desafios a enfrentar e para de morrer tantas vezes. E para quem for tão sádico quanto os terríveis gatinhos, ainda existe um modo de edição de níveis em que você pode criar verdadeiras salas de tortura para compartilhar com a comunidade de jogadores!
O modo multiplayer consegue ser ainda mais insano e divertido que o modo normal!
Jogar Battleblock Theater é estar preparado para dar boas risadas e se frustar muito. Mesmo assim, são algumas horas que valem a pena ser gastas para se divertir sozinho ou com os amigos. Seja pelo humor rápido e inteligente das cutscenes ou pelos perigos inconcebíveis que você vai enfrentar só para fazer a alegria de alguns gatinhos loucos, é garantido que você irá do começo ao fim dessa jornada bizarra com um sorriso no rosto.
São muitos perigos e sim, também temos um guaximim carnívoro gigante com chifres.

Ah, e se ainda restar alguma dúvida de que esse jogo é da zoeira, fiquem com a música de encerramento para fechar essa análise.

E não se esqueçam: “Afivelem suas calças!”


Prós

  • Visual simples, mas fluido;
  • Desafios insanos na medida certa;
  • Muita diversão (e zoeira também).

Contras

  • Muito curto.
Battleblock Theater - PC - Nota: 8.5
Revisão: José Carlos Alves
Capa: Daniel Silva


Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google