Blast from the Past

Como o simples Pong (Atari) foi um marco na história dos videogames

Muito mais do que uma simulação de tênis de mesa: Pong mostrou que a indústria de videogames podia ser extremamente lucrativa.


Quando o primeiro fliperama contendo o jogo Pong foi instalado em um bar da Califórnia em 1972, ninguém poderia imaginar que ele seria um grande sucesso. Qual seria a graça em controlar uma raquetinha virtual para rebater uma bolinha, quando se poderia fazer o mesmo na vida real? 


Porém, contrariando todas as expectativas, Pong rapidamente caiu no gosto dos frequentadores do bar, e deu tão certo que logo a então recém-fundada Atari foi requisitada por diversos estabelecimentos para instalar mais máquinas do jogo. O simples tênis de mesa virtual não apenas acabava de revelar um novo ramo na indústria, como também deixava um legado que se estende até hoje para os jogos eletrônicos.
Uau, olhem esses gráficos!

O início de tudo

Pong foi criado por Nolan Bushnell e Ted Dabney, fundadores da Atari, em 1972, e desenvolvido pelo engenheiro Allan Alcorn, sendo o primeiro jogo da empresa a ser comercializado. Porém, ao contrário do que muitos pensam, a ideia de tênis de mesa virtual não foi algo original da Atari – o conceito já havia sido explorado antes pela Magnavox com seu console Odyssey.

No entanto, o jogo da Odyssey não chegou nem perto de fazer o mesmo sucesso comercial que Pong viria fazer. Em setembro de 1972, a primeira máquina de Pong foi instalada na Andy Capp's Tavern, na Califórnia. Contudo, alguns dias depois o proprietário liga para a Atari dizendo que a máquina havia quebrado. Alcorn foi verificar o problema e constatou que o fliperama não havia quebrado, e sim emperrado por causa da grande quantidade de moedas dentro dela. Era a prova de que Pong caíra no gosto do público.


Os videogames acabavam de ganhar relevância comercial. Pong pode não ter sido o primeiro videogame a ser lançado, mas foi o primeiro a mostrar que a indústria dos jogos eletrônicos podia dar lucro. A consequência foi óbvia: hoje em dia os videogames são um dos ramos mais diversificados e lucrativos da indústria de entretenimento.

Em 1974, Pong ainda estava no auge, com fliperamas sendo a sensação de muitos bares e pubs nos Estados Unidos. Visando aumentar seu público-alvo, a Atari criou uma versão doméstica do game, o Home Pong. O jogo era basicamente o mesmo da versão Arcade, mas ficava conectado à televisão de casa e não necessitava pagamento para iniciar as partidas. O console de mesa ganhou o nome de "Tele-Game" (ou "Tele-Jogo") e também foi um sucesso comercial.

O Home Pong

Um grande legado

O game Pong era tão simples quanto seu próprio nome. O objetivo consistia no controle de uma raquetinha pelo jogador, que deiva rebater a bolinha para tentar fazer seu adversário – que podia ser controlado pelo computador ou por outro jogador – errar o alvo e marcar um ponto. Até aí, nada de novo havia sido apresentado. A novidade vinha com a dificuldade: a bolinha aumentava de velocidade cada vez que ela encostava em uma das raquetes, e também mudava sua direção dependendo de onde batia. 

Pong deixou seu legado na história dos videogames. O conceito de tênis de mesa virtual foi amplamente copiado, e não é necessário ir muito longe no tempo para ver isso. Jogos em flash, como Curveball, e o minigame Laser Hockey, de Wii Play, trouxeram o conceito popularizado por Pong com novos ares. O motivo para tanto sucesso certamente vem do fato de Pong ser um jogo simples, mas com um grande potencial para desafiar os jogadores.
Qualquer semelhança é mera coincidência?
No fim, a indústria de games deve muito ao primeiro jogo da Atari. Ele mostrou a possibilidade lucrativa dos jogos eletrônicos, e é por sua causa que atualmente existem tantas empresas e gêneros diferentes. Pode até ser difícil jogar Pong por mais de 5 minutos hoje em dia, mas seria legal agradecer sua existência da próxima vez que ligarmos nossos consoles. Aquele jogo de tênis de mesa certamente mudou o mundo.

Revisão: Jaime Ninice
Capa: Stefano Genachi

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook