Jogamos

Análise: Metal Slug Defense (iOS/Android) troca a ação pela estratégia

O jogo para dispositivos móveis usa mecânicas do gênero tower defense em conjunto com características e personagens clássicos da série de ação.

Lembro-me até hoje das inúmeras horas e fichas que gastei em fliperamas jogando títulos Metal Slug por conta de sua ação frenética e dificuldade na medida. Era muito divertido controlar um herói que atirava em tudo que aparecesse pela frente, sempre atento aos belos gráficos 2D e inúmeras situações exageradas. A série ganhou várias continuações, sendo Metal Slug 7 (2008,DS/PSP/X360) o episódio mais recente. Eis que a SNK Playmore surpreende a todos e lança um novo título para dispositivos iOS e Android sem muito alarde: Metal Slug Defense. O jogo abandona o estilo de ação e plataforma 2D, adotando mecânicas do gênero tower defense. Será que essa mudança foi boa?

Estratégia frenética

Como é tradicional de jogos do gênero, em Metal Slug Defense o jogador não controla diretamente os personagens. O objetivo em cada missão é destruir a base inimiga por meio de ataques feitos por variadas unidades. A ação se passa em um único plano 2D e todos os personagens caminham automaticamente para a direita, em direção à base do oponente, atacando eventuais inimigos que aparecem pelo caminho. Criar unidades exige Action Points (AP), que são adquiridos lentamente durante os confrontos. Cada personagem ou veículo tem um custo de AP de acordo com sua força e características.

Mas não pense que a única ação no jogo é só enviar unidades para o combate e assistir. Cada personagem ou veículo tem padrões de ataque distintos: alguns atiram de uma grande distância, evitando possíveis danos; outros usam facas para acabar com os oponentes, o que exige proximidade perigosa; um terceiro tipo cria barreiras que impedem o avanço das tropas inimigas. Com o dinheiro obtido nas missões, é possível melhorar personagens e características, como velocidade de ganho de AP e energia da base. Combinar corretamente o uso de unidades é essencial para sair vitorioso.

Por fim, cada unidade tem um ataque especial exclusivo, que pode ser ativado quando o personagem apresenta uma aura azul. Tarma, por exemplo, usa um tiro de escopeta extremamente poderoso, mas de alcance limitado; Eri atira com sua arma laser, atingindo vários inimigos simultaneamente; Fio lança um míssil, que é efetivo contra inimigos pesados. A variedade de ataques especiais é grande, o que possibilita várias estratégias. É importante ficar de olho na ação para ativar os poderes especiais em bons momentos.


Jogando repetidas vezes

Não se deixe enganar pelos comandos simples: o desafio é alto em Metal Slug Defense. Mesmo usando de estratégia e preparo, alguns estágios são bem complicados de vencer. Infelizmente o desafio é desbalanceado, contando com picos de dificuldade extrema. A solução para superar estas fases problemáticas é jogar novamente missões mais simples a fim de conseguir dinheiro e fortalecer seu exército. E até isso toma muito tempo, já que para jogar é necessário gastar pontos de energia — que é recuperada lentamente com o passar do tempo.


O título também conta com um modo online, no qual jogadores de todo o mundo se enfrentam. O problema dessa modalidade é que é difícil encontrar oponentes de habilidades próximas, resultando em batalhas ora muito fáceis, ora impossíveis. O pior que a recompensa por participar destes confrontos são medalhas especiais que desbloqueiam unidades e itens. A ideia é interessante, mas a execução deixou a desejar.

Como boa parte de títulos para dispositivos móveis, Metal Slug Defense pode ser instalado gratuitamente e oferece inúmeras microtransações: unidades, itens e créditos do jogo podem ser adquiridos por meio de medalhas, que são compradas com dinheiro real. Isso explica os estranhos picos de dificuldade, que funcionam como incentivo a gastar com o título. Felizmente é perfeitamente possível aproveitar o jogo e até mesmo adquirir unidades e itens sem desembolsar um centavo, pois medalhas podem ser obtidas normalmente durante a aventura e no modo online, mesmo que em quantidade bem reduzida.

Legado reciclado

A franquia Metal Slug sempre foi conhecida por sua parte técnica impecável, o que se repete em Metal Slug Defense. Os gráficos são em duas dimensões, com elementos tirados de títulos anteriores da série. Tudo se movimenta de maneira fluida e detalhada, mas infelizmente não existem personagens ou cenários novos. A parte sonora também é reaproveitada de jogos passados, mas nem por isso deixa de ser ótima. Mesmo utilizando conteúdo reciclado, o título não deixa de ser muito belo.

Mudança interessante

Mesmo não sendo possível controlar diretamente as unidades, Metal Slug Defense mantém a ação frenética da série: tudo é muito rápido e sempre tem muita coisa acontecendo na tela, sendo necessária muita atenção. A variedade de unidades e a grande quantidade de estágios vão manter os jogadores ocupados por um bom tempo. Os principais problemas são a dificuldade inconsistente e o modo online desbalanceado, que atrapalham a experiência e exigem repetir estágios para prosseguir. Já as microtransações podem ser ignoradas, afinal o título é perfeitamente jogável sem gastar um só tostão. Se gosta de jogos do gênero tower defense, Metal Slug Defense é um título que você não pode deixar de testar.

Prós

  • Jogabilidade simples e funcional;
  • Grande variedade de unidades;
  • Belos gráficos e áudio;
  • Muito conteúdo.

Contras

  • Dificuldade inconsistente;
  • Modo online desbalanceado;
  • Grande necessidade de jogar novamente estágios.
Metal Slug Defense — iOS/Android — Nota: 7.0
Revisão: Marcos Silveira
Capa: Leonardo Correia

é brasiliense e gosta de explorar games indie e títulos obscuros. Fã de Yoko Shimomura, Yuzo Koshiro e Masashi Hamauzu, é apreciador de roguelikes, game music, fotografia e livros. Pode ser encontrado no seu blog pessoal e nas redes sociais por meio do nick FaruSantos.
Este texto não representa a opinião do GameBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.