Maioria dos jogadores não terminam seus jogos

Palestra no GDC defende que a estrutura atual dos jogos desmotiva os jogadores.

Quantos jogos você jogou esse ano? Quantos deles você realmente concluiu? Você se sente culpado por deixar um jogo pela metade? Para Tom Abernathy, diretor de narrativa da Riot Games, e Richard Rouse III, chefe de design da Microsoft Game Studios, abandonar jogos e não ter a menor pretensão de concluí-los é mais comum do que se imagina e isso pode ser culpa das próprias desenvolvedoras.

Em uma palestra ministrada no GDC chamada Death to the Three-Act Structure, Abernathy e Rouse se basearam em estatísticas dos achievements da Steam, para mostrar que a porcentagem de jogadores que concluíram seus jogos fica abaixo de 50%, mesmo quando os títulos são populares e apresentam boas histórias.
Segundo eles, a maioria dos jogos ainda segue a estrutura de três atos, comum no cinema e teatro, para contar suas histórias. Mas, jogos e cinema são mídias diferentes e precisam ter abordagens diferentes. Para Abernathy, não adianta deixar todo o clímax do jogo para o terceiro ato sendo que a maioria dos jogadores nunca irá vê-lo. Rouse e Abernathy acreditam que uma estrutura com arcos distintos, como ocorre nas séries de TV e em jogos como The Walking Dead, é um caminho para manter o interesse dos jogadores.

Fonte: The Escapist

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google