Jogamos

Análise: Mágica e musicalidade contam uma história de maneira única em Superbrothers: Sword & Sworcery EP (iOS)!

Queridos leitores, hoje infelizmente não faremos a Análise de um jogo, porque o título de hoje é muito mais do que isso; é uma experiênci... (por Unknown em 21/07/2013, via GameBlast)

Queridos leitores, hoje infelizmente não faremos a Análise de um jogo, porque o título de hoje é muito mais do que isso; é uma experiência. Superbrothers: Sword & Sworcery EP coloca o jogador contra uma realidade distinta e única, aventurando-se por um território misterioso e peculiar com uma trilha sonora de arrepiar. Só posso rotular este título como um jogo pois há algo a ser jogado, mas encare-o como um filme e acomode-se, pois teremos uma história e tanto à seguir.

A profundidade de um mundo quadriculado

Antes de dar início a esta dissertação, peço que se acomode de maneira confortável e pegue seus fones de ouvido. Coloque num volume aceitável, não muito alto, mas o suficiente para que não agrida seus ouvidos e lhe permita deixar a música envolver sua mente enquanto faz essa leitura. Está pronto? Aperte play e vamos lá.



Uma jovem aventureira, munida apenas de uma espada e um escudo, recebeu a importante missão de recuperar o grimório conhecido como “Megatome” e usá-lo para um propósito incerto. Para isto, irá contar com o suporte de uma simplória família do campo e que pouco entende desta situação, mas acabará sendo arrastada para um destino não muito invejável por essa busca perigosa.

O Megatome possui uma capacidade única de absorver os pensamentos de todos à sua volta e registrá-los como um diário. Não se sabe o que mais esta relíquia pode fazer, mas sabe-se que uma força sombria milenar espreita e a protege, pronta para eliminar qualquer coisa que perturbe a sua paz – e isso inclui a jovem aventureira.

Concordo com o jogo.
Os mistérios circundam a trama desse título do princípio ao fim, desenvolvendo personagens a princípio superficiais para uma trama complexa e envolvente. O narrador adiciona magia nas palavras, tensão para os momentos e a música apenas eleva esses sentimentos. É algo único e indescritível, não é simplesmente possível expressar o que essa aventura te faz sentir até você jogar. Ao menos posso tentar explicar como tudo funciona.

Prazer Destino, meu nome é Fellipe

Sword & Sworcery é um jogo point-and-click e, por tanto, envolve que você direcione o caminho do seu personagem e explore o cenário através do seu toque. Até aí tudo bem,  questão é que o jogo expressa essa influência do jogador de uma forma distinta da maioria dos jogos do estilo; enquanto a maioria te coloca na posição do personagem, este título lhe coloca na posição de uma força.

Nas palavras do narrador, “é como se a heroína fosse guiada pelo dedo de deus”. A situação é tratada como se o próprio destino fosse o arquiteto das situações pelas quais a protagonista passa e a influência do jogador é a de um expectador que dá suporte e assiste as aventuras sem nenhuma influência direta senão para ajudar a heroína a encontrar o seu caminho e vencer os seus desafios.

Todos os puzzles presentes no jogo envolvem a influência do destino e precisam de toques do dedo divino para engatilhar os eventos que se seguem. Uma sequência de árvores a ser pressionada, um arco-íris para ser preenchido, um grupo de pássaros a ser reunido em um único ponto, tudo isso ocorre de forma instintiva e simples, mas que leva algum tempo até que a ficha do jogador caia. O jogo lhe ensina o que fazer sem jogar na sua cara a missão, mas essa subjetividade também é onde está a dificuldade dos quebra-cabeças.

Saque sua espada (ou o seu livro)!

O título desta aventura, “Sword & Sworcery”, deve-se as duas formas de se jogar conforme a aventura tem continuidade. Elas trocam de maneira simples; se você segurar o iDevice em uma posição, um modo é ativado, em outra posição, a troca é feita. Simples e direto.

A jogabilidade é simples e
complexa ao mesmo tempo.
Segurando o aparelho na horizontal temos o modo “Sworcery”, que envolve movimentar o personagem, explorar os territórios e ativar a grande maioria dos quebra-cabeças presentes no jogo. A movimentação é simples, envolvendo tocar duas vezes no local que deseja que o seu personagem chegue ou simplesmente tocar e segurar em uma direção para que ele siga ali. Segurando em cima da protagonista irá iniciar o modo utilizado para a resolução dos puzzles.

Já empunhando o iDevice na posição vertical, engajamos o modo “Sword”, onde as batalhas e outras ações envolvendo a espada e o escudo ocorrem. Os confrontos são sempre rítmicos, envolvendo saber o momento preciso de se erguer o escudo ou brandir a espada contra os oponentes épicos dessa trama. Não basta ter uma arma em mãos se não souber usá-la.

Nesta forma de jogo também se acessa o Megatome, podendo ler os pensamentos dos arredores através do livro místico. O livro é curioso, pois os pensamentos das pessoas sempre aparecem como trechos curtos, porém interessantes. Nenhum deles tem mais do que 140 caracteres porque o título é integrado à sua conta do Twitter, e é possível enviar os pensamentos via tweet caso os ache interessantes.

A melodia ganha vida

Quem entende de música deve saber que o EP do título deve-se a “Extended Play”, um termo musical para gravações que são longas demais para ser um single e curta demais para ser um álbum. Isso representa a importância da musicalidade em Sword & Sworcery, composta de maneira genial por Jim Guthrie.

Na maioria dos jogos, a música de fundo é apenas um adendo que intensifica as emoções nas diversas seções dos jogos, mas aqui, ela é parte essencial da jogabilidade. Se tenho um conselho a ser dado para qualquer um que esteja começando sua jornada neste título, este conselho é:  guie-se pela música. Novamente eu afirmo, coloquem seus fones de ouvido ao iniciar a partida.

Os quebra-cabeças são muito dependentes da música.
Mais do que um enfeite, as notas musicais e as batidas são parte determinante para jogar em ambos os modos dessa aventura. Nos puzzles, muitas vezes temos desafios envolvendo notas musicais para definir a ordem que certos ícones do cenário devem ser pressionados, enquanto em combate as batidas costumam marcar o ritmo dos ataques do chefe.

É justamente por isso e pela subjetividade com a qual o jogo ensina as coisas, que é difícil conseguir pegar o jeito de seus desafios, muitas vezes forçando jogadores a tentar forçar seu caminho através dos desafios. Bom, ou pela dificuldade, ou porque estão jogando sem som e perdendo melhor parte da aventura. Eu torço, pela glória do dedo divino, que seja a primeira opção.

Mergulhando totalmente na história

Então, sabe as últimas duas vezes que lembrei de usar o fone de ouvido? Bem, eu quero ressaltar isso de novo. É sério, qualquer pessoa que jogue esse título sem um fone de ouvido está perdendo parte da magia. Com um surround incrível, os efeitos sonoros de S&S são um dos principais atrativos do título, podendo fechar os olhos e conseguir se visualizar na situação do personagem.

Os gráficos em 8 bits nada mais são que um atrativo nostálgico e muito bem aplicado, considerando a dificuldade que realmente relembra os jogos das décadas de 80 e 90. Mas não considerem isso como um contra! Mesmo com o visual retrô, ele foi extremamente bem trabalhado e alguns dos cenários mais incríveis são vistos aqui.

Ou vai dizer que não é lindo para um cenário de 8 bits?
Foi uma jogada interessante mesclar elementos clássicos do mundo dos jogos com a sonoridade mais avançada possível, criando um ambiente saudosista e, paradoxalmente, inovador. E se você acha que isso é o suficiente para se mergulhar por completo nessa aventura, ainda há uma carta para ser colocada em mesa: a relação com o mundo real.

Para começar, existem certos momentos que vão exigir certas situações presentes no nosso mundo para que o jogo dê continuidade, como as fases da lua ou o horário em que joga. Em determinada seção, é preciso que esteja lua cheia no céu (o nosso, e não do jogo) para que este aceite continuar com a narrativa.

Ah, muito obrigado pelo apoio, lenhador.
O outro adendo é que o próprio jogo recomenda que não seja jogado de uma só vez. Ao concluir um determinado capítulo, é recomendado pausar, descansar e retomar outro dia do mesmo lugar onde parou. Pode parecer “insultante” para alguns viciados que o jogo lhe mande parar, mas jogos de point-and-click tem a fama de se tornarem enjoativos com o tempo, e isso parece ser a melhor maneira de suavizar essa sensação. Além disso, é uma ótima chance de você continuar sua vida, olhar para o céu, ver como está a lua e pensar: “Acho que é hora de continuar de onde eu parei”.

Uma aventura que vale a pena

Épico como poucos títulos conseguem ser, Superbrothers: Sword & Sworcery EP é com certeza um dos melhores títulos indie já elaborados, e possivelmente um dos melhores para iOS. A história narrada, a forma com a qual ela envolve o jogador e a misticidade que circunda cada ação e movimento transmite emoções e sensações de maneira surpreendente, como poucas mídias conseguem fazer.

Se você tiver a oportunidade de testar esse jogo, faça. Se puder comprar, compre. Se puder compartilhar conosco e com outras pessoas sobre o que vivenciou, compartilhe. O mundo precisa saber que ainda se fazem jogos que provocam sensações tão únicas quanto as que se sente neste jogo. Ah, desculpe, é mais que um jogo; nesta experiência.

E para uma nova experiência, basta acreditar.

Requisitos

  • iOS 4.3 ou superior; disponível para iPod, iPhone e iPad (aplicativo universal).

Prós

  • Beleza incrível para um jogo projetado no estilo de 8 bits;
  • Trama envolvente e caprichada;
  • Musicalidade belíssima e parte crucial do gameplay;
  • Dificuldade de jogos clássicos, elevada e desafiante.

Contras:

  • Se encontrarem algum, me avisem.

Superbrothers: Sword & Sworcery EP – iOS – Nota: 10.0

Revisão: Ramon Oliveira de Souza
Capa: Daniel Silva

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.


Disqus
Facebook
Google