Item Box

O Cristo Redentor ficaria com inveja se visse todas as Maravilhas de Age of Empires

Todos crescemos ouvindo falar das maravilhas da humanidade, uma série de construções feitas por mãos humanas que sempre levantaram muit... (por Unknown em 11/04/2013, via GameBlast)


Todos crescemos ouvindo falar das maravilhas da humanidade, uma série de construções feitas por mãos humanas que sempre levantaram muitas dúvidas, especulações, discussões e, claro, admirações. De tantas que são, a própria humanidade decidiu por bem separar as melhores e mais merecedoras de destaque em um grupo seleto, chamado de "Sete Maravilhas do Mundo", que já possuem duas versões, sendo uma para o mundo moderno e uma para o mundo antigo. Deste último só sobrevivem as pirâmides do Egito nos dias de hoje. E um jogo que mostra muito bem as Maravilhas do planeta, bem como diversos aspectos históricos, é Age of Empires. É destas maravilhas que falaremos no Item Box de hoje.

Maravilha!

Age of Empires, por se tratar de uma franquia de estratégia focado em períodos históricos grandiosos, sempre incluiu em sua fórmula diversos elementos característicos de tais períodos. Na era pré-histórica, por exemplo, era preciso caçar animais com suas próprias mãos e ferramentas rudes para conseguir alimento e, conforme você fosse avançando na história, novos elementos, como o cultivo de plantas e a pecuária iam sendo introduzidos.

Agora é só esperar - e protegê-la com sua própria vida!

Mas uma construção que demorava a aparecer era a Maravilha (Wonder, no original), um monumento gigantesco que variava para cada civilização. Seu efeito básico era, além de gastar 1000 dos seus pontos de madeira, ouro e pedra, conceder a todos os outros jogadores um ponto do seu mapa que ficaria sempre visível até que a Maravilha fosse destruída. Isso e fazer com que o construtor da Maravilha ganhasse o jogo automaticamente se conseguisse fazê-la perdurar por, pelo menos, dois mil anos de jogo.

Sete não: várias

Basicamente é isso, mas o mais interessante é a variedade de maravilhas que podem ser construídas no decorrer da série. Na primeira versão, algumas civilizações compartilhavam as mesmas maravilhas, mas a partir do segundo game cada civilização passou a ter sua própria Maravilha. Hoje falaremos apenas das maravilhas contidas no primeiro jogo. São elas:

- Zigurate de Ur
O Grande Zigurate de Ur, também conhecido simplesmente como Zigurate de Ur, foi uma construção neo-suméria localizada na cidade de Ur, onde hoje fica o Iraque. A estrutura datada de meados da Idade de Bronze ruiu no período neo-babilônio, mas foi restaurada sob as ordens do rei Nebonido. No game, ela é utilizada pelas civilizações Babilônia, Persa e Hitita.

- Colosso de Rodes
A famosa estátua do titã Hélio, com trinta metros de altura, setenta toneladas e toda feita de bronze, que ficava na ilha de Rodes, na Grécia, é também uma das maravilhas disponíveis. Cada pé da estátua ficava em uma das margens do canal que dava acesso ao porto da ilha, fazendo com que todos aqueles que entrassem ali passassem sob as pernas do protetor. No game, as civilizações Grega, Fenícia e Minoana não precisam construí-la perto da água, mas o monumento é a Maravilha disponível para eles.

- Pirâmide de Quéops
Conhecida popularmente como a Grande Pirâmide, a Pirâmide de Quéops, também conhecida como Pirâmide de Khufu, é uma das três pirâmides de Gizé, no Egito, e também a maior e mais antiga. Acredita-se que tenha sido construída para abrigar o sarcófago do faraó Quéops, da quarta dinastia. No game é utilizada pelas civilizações Egípcia, Assíria e Suméria.


- Anfiteatro Flávio
O Coliseu de Roma, chamado originalmente de Anfiteatro Flaviano ou Anfiteatro Flávio, é bastante conhecido de todos por seu estado atual, possuindo mais de três mil fissuras catalogadas. No entanto, ele já foi palco para os mais variados espetáculos, possuindo 48 metros de altura e capacidade original de cerca de 50.000 pessoas. E é esta forma, a original, que as civilizações Romana, Cartaginesa, Palmira e Macedônica adotam.

- Templo do Céu
Sendo um complexo de templos taoistas localizado em Pequim, e também o maior de seu gênero em toda a China, o Templo do Céu foi construído no ano de 1420, e inclui a Sala de Oração pelas Boas Colheitas, ao norte, e o Altar Circular e a Abóbada Imperial Celestial, ao sul. O conjunto está rodeado de uma muralha interior e outra exterior formadas por uma base retangular que simboliza a Terra, arrematadas com formas arredondadas para simbolizar o Céu. No primeiro game, o Templo do Céu é utilizado pelas civilizações Yamato (Japão), por ironia, a dinastia Shang (China) e Choson (Coréia), e é a única que sobrevive para ser utilizada pela civilização Chinesa no segundo jogo e na expansão Asian Dynasties da terceira versão do game.

Age of Empires é uma série que sempre deixou os fãs, com o perdão do trocadilho, maravilhados. E construir as maravilhas do planeta retratadas e disponibilizadas em cada jogo são uma das formas mais legais de se obter uma vitória - imagine o desespero de seus oponentes ao ver o que você planeja. E você, leitor? Já jogou um game da série onde era possível construir uma Maravilha? Ganhou muitas partidas multijogador com esta estratégia? Conte sua experiência para nós e ajude a complementar este artigo!

Capa: Douglas Fernandes
Revisão: Mateus Pampolha

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.


Disqus
Facebook
Google