Item Box

Item Box: Artefatos de Thor (Tomb Raider: Underworld)

Em toda a história dos video games - e, por que não dizer, da humanidade - encontramos diversos tipos de objetos místicos. Artefatos e rel... (por Unknown em 05/03/2013, via GameBlast)

Em toda a história dos video games - e, por que não dizer, da humanidade - encontramos diversos tipos de objetos místicos. Artefatos e relíquias dos mais variados, eles têm, em sua maioria, algum tipo de poder associado, de aumentar as capacidades do usuário até causar enormes cataclismos mundiais, sendo temidos, respeitados e, é claro, desejados.

Aviso: este texto possui conteúdo considerado "spoiler".


O deus do trovão

Quando Lara Croft saiu em busca dos artefatos que seu pai estivera procurando, nos eventos de Tomb Raider: Underworld, ela não imaginava no que iria se envolver. Uma vez em Niflheim, um dos muitos submundos nórdicos, ela encontra a imensa estátua de um homem segurando um martelo: Thor, o deus nórdico do trovão.

"Não olhe pra mim, você que é o deus aqui".

De acordo com a mitologia nórdica, Thor utilizava o poder de seu instrumento de batalha para produzir raios e relâmpagos que o ajudavam a dizimar seus inimigos. Mjölnir era seu nome, e ele é descrito como uma maça, um machado de batalha e, mais comumente, um martelo de guerra. E é exatamente esta forma que ele ganha no jogo. Mas, para conseguir segurá-lo, é preciso ter a força de um deus, ou melhor, de um Thor.

Artefatos de Thor

Lara equipada e pronta pra ação.
Em Niflheim, Lara encontra, além da estátua de Thor, uma de suas manoplas, que é roubada por Amanda Evert, só para ser resgatada pela arqueóloga no navio da própria Amanda. Lá, ela encontra Jacqueline Natla sendo cativa por Amanda, que dá uma dica a Lara sobre onde encontrar os demais artefatos. Nossa heroína, no entanto, descobre que seu pai já havia passado pelo local e levado a segunda manopla de volta à Mansão Croft.

Uma vez em posse de ambas as manoplas, Lara parte em busca do cinturão de Thor. Apenas depois de obter os três artefatos, ela se torna capaz de manusear o martelo de Thor, Mjölnir, e parte até Helheim para se vingar de Natla.

A força de um deus

Basicamente é isso: Lara precisava de ambas as manoplas e do cinturão para poder utilizar o martelo de Thor. Este, por sinal, é um item chave no desenrolar da história, sendo não só necessário para deter uma criatura fantástica como Natla, mas também o único artefato capaz de abrir a entrada até Helheim, onde a Serpente de Midgard mora.

Apesar do rosto angelical, estas asas nunca enganaram ninguém.
Somente um artefato como o Mjölnir poderia detê-la.

A serpente é, por sua vez, uma metáfora para as placas tectônicas. E a maquinaria que Helheim abriga nada mais é do que um instrumento de destruição em massa que atacaria o ponto fraco das placas, se não fossem impedidos por Lara e, adivinhe, o mesmo martelo que a pôs em toda essa confusão: o único capaz de impedir uma catástrofe provocada por Natla.

Para conseguir manusear o martelo, Lara teve de contar com a ajuda das manoplas e do cinturão de Thor. Todo o poder contido no legendário Mjölnir só deve pertencer àqueles capazes de superar tais desafios. E você, leitor, já encarou essa aventura? Ou já teve a oportunidade de manusear o martelo do deus nórdico fora do mundo de Tomb Raider? Conte sua experiência para nós e ajude a complementar este artigo!

Revisão: Bruna Lima

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


  1. Só joguei o comecinho e não gostei. Não tive a oportunidade de mexer com o martelo de Thor.

    ResponderExcluir

Disqus
Facebook
Google