Jogo brasileiro Toren é aprovado pela Lei Rouanet

Apesar da recente declaração da ministra da cultura, Marta Suplicy, de que games não são cultura , o mesmo ministério decidiu ao contrário... (por Lílian Moreira em 28/02/2013, via GameBlast)

Apesar da recente declaração da ministra da cultura, Marta Suplicy, de que games não são cultura, o mesmo ministério decidiu ao contrário, aprovando o jogo Toren a ser beneficiado pela Lei Rouanet, a famosa lei de incentivo à cultura. O jogo indie, da empresa gaúcha Swordtale, é sobre uma menina que vive e cresce tentando sair de uma torre e tem influência, de acordo com o site oficial, da série Zelda e da arte do estúdio Ghibli, responsável por filmes como A viagem de Chihiro e pela arte do jogo Ni No Kuni.

A Lei Rouanet passou a contemplar também jogos digitais à partir de 8 de dezembro de 2011. Ao contrário do que se pensa, a desenvolvedora não ganha o dinheiro, eles passam a ter o aval do ministério para captar patrocínio. O prazo para obtenção, nesse caso, de até R$370 mil,  é de dois anos, e o dinheiro será utilizado para pós-produção do jogo. As empresas ou instituições que optarem por financia-lo, além da propaganda, ganham descontos no imposto de renda do ano seguinte.

Toren será desenvolvido para PC, Mac e talvez Linux. O objetivo é vende-lo internacionalmente em lojas digitais e alcançar o Steam. O jogo está entre os finalistas da categoria arte e design da Brasil Game Show. Infelizmente, ainda não tem data de lançamento.

Fonte: Modo Arcade e Toren



Estudante de arte, apaixonada por literatura, cinema de animação e apetrechos tecnológicos.

Comentários

Google
Disqus
Facebook