E nos EUA, presidente Obama solicita pesquisa relacionando videogames, violência e a mídia

Um fato novo envolvendo videogames, violência, e também a mídia, surge por iniciativa do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. O pr... (por Alexandre Galvão em 18/01/2013, via GameBlast)

Um fato novo envolvendo videogames, violência, e também a mídia, surge por iniciativa do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. O presidente apelou para o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos para realizar uma pesquisa relacionando videogames, mídia e a violência. A seguir há algumas das recomendações pedidas por Obama na pesquisa que deve custar cerca de US$10 milhões dos cofres do governo norte-americano.
"Se há mesmo algo que podemos fazer para reduzir essa violência, se uma vida puder ser salva, então temos a obrigação de tentar. Eu vou colocar tudo o que posso para isso, mas eu digo que a única maneira de mudar é se o povo dos EUA exigir".

"Junto com a nossa liberdade de viver nossas vidas como queremos, vem a obrigação de permitir que outros façam o mesmo. Nós não vivemos em isolamento. Nós vivemos em uma sociedade, um governo e um povo. Somos responsáveis ​​uns pelos outros".
É um assunto que pode render mais "pano pra manga" sobre o o assunto games e violência.

Fonte: Omelete

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook


  1. Até vai ele querer fazer essa pesquisa, mas a violência de la´só vai mesmo ser reduzida se ele proibirem a venda de armas exagerada. Soa até como uma desculpa para não falarem desse assunto essa pesquisa.

    ResponderExcluir
  2. O homens bombas piram com cod e bof.

    ResponderExcluir
  3. Claro, já que terroristas são treinados em Call of Duty e Battlefield.

    A primeira coisa a se fazer é acabar com a posse legal de armas de fogo por cidadãos. A maioria de assassinatos que param na mídia são causadas por adolescentes que conseguem acesso às armas de fogo dos pais, compradas legalmente. Qualquer pessoa pode adquirir uma arma e munição legalmente, e pode vir a usá-la para matar ou roubar. Essa é a maior causa dos crimes nos EUA: fácil acesso a armas de fogo!

    Em segundo lugar, temos o preconceito contra video games: não importa quantos culpados possam ser nomeados, desde o acesso às armas de fogo, o ambiente em que o criminoso convive, ou mesmo os motivos, se o criminoso tem contato com algum video game, ele se tornou um monstro unicamente por causa disso.

    E por que dizer que são justamente os games responsáveis por tornarem as pessoas violentas? Nunca vi um repórter dizer que o criminoso possuía várias cópias piratas de filmes sobre guerras, estupro, violência generalizada, ou algo do gênero. Ou, quem sabe, até mesmo um livro sobre os atos violentos que tentou imitar, ou no qual se inspirou para realizar os crimes. Se há um console no meio dos pertences do assassino, foi aquele aparelho maléfico que o transformou num monstro, não o convívio social, o facílimo acesso a armas de fogo, outras formas de mídia que também possuem conteúdo violento (muitas vezes até mais do que os próprios video games) ou problemas psicológicos. E é por esse tipo de ignorância que muitos crimes voltam a se repetir, enquanto os verdadeiros culpados são completamente ignorados, e a pobre indútria de games, que nada tem a ver com isso, leva toda a culpa.

    ResponderExcluir