Jogamos

Análise: Sonic Generations (PC)

Desde seu lançamento em 1991, a série de jogos do carismático ouriço azul Sonic conquistou milhões de jogadores ao redor do globo. Com... (por João Pedro Meireles em 29/12/2012, via GameBlast)

Desde seu lançamento em 1991, a série de jogos do carismático ouriço azul Sonic conquistou milhões de jogadores ao redor do globo. Com sua jogabilidade rápida e envolvente, e suas famosas fases mirabolantes, recheadas de loopings e molas que faziam o ouriço parecer um bola de pinball. Depois de uma transição traumática para a nova geração, com jogos terríveis, como Sonic Unleashed, a SEGA parece ter aprendido com seus erros e em homenagem aos 20 anos da famosa franquia, lançou Sonic Generations, um jogo que combina, literalmente, os antigos e os novos “sonics”. Será, entretanto, que a franquia recebeu a homenagem que merece?

Um brinde a nostalgia

Nostalgia é uma palavra que descreve bem a experiência ao se jogar Sonic Generations. Claro que as fases com o “novo” Sonic são muito divertidas, mas poder jogar com o ouriço antigo, dos áureos tempos do Mega Drive, nas mesmas fases que jogávamos quando crianças, como a primeira de sempre, Green Hill, é um trunfo grande desse jogo. Além disso, todas as fases, como dito, são recriações de jogos antigos da franquia, e o design dos mesmos se mostra muito satisfatório, e assim como em games anteriores, o jogador irá perder algum tempo para achar todos os caminhos, e suas consequências, das fases.

Não há fã do ouriço que não reconheça essa fase

Deixa eu parar para ver isso

Ok, falar do visual em um jogo do ouriço é um tanto quanto irônico, visto que você irá passar tão rápido pelos cenários, ou pelo menos deveria, que não terá muito tempo para analisar a beleza das fases. Caso você, entretanto, pare e preste atenção,  não irá se arrepender[,] pois tanto os inimigos, os níveis e os cenários estáticos que ficam ao fundo desses, estão realmente belos e mostraram o capricho que a SEGA aplicou nesse jogo.

Apreciando a vista

Um jogo... ou dois jogos?

Esse título pode parecer meio confuso, então é bom esclarecer. Sonic Generations é apenas um jogo, mas possui dois modos de jogo quase totalmente diferentes, e igualmente bem feitos e divertidos: um com ouriço clássico e o outro com o Sonic “da nova geração”. O primeiro é quase igual ao antigos jogos da época do Mega Drive, com fases em duas dimensões e uma pequena  variedade de movimentos (apenas o pulo e o famoso “spin dash”, quando sonic roda no chão para ganhar velocidade e depois se projetar para frente).

O modo de jogo do “novo” ouriço é bem diferente. Embora em alguns momentos conte com trechos de fases em duas dimensões, a maior parte será jogada em três dimensões, semelhante a um jogo de corrida. A variedade de movimentos de Sonic é bem maior, e no lugar do “spin dash” entra uma barra de “boost", que ao ser usada dá um grande acréscimo de velocidade, permitindo quebrar obstáculos no caminho.

Um mesmo inimigo para dois ouriços

A história do jogo, apesar de não ser muito inovadora, é interessante, e consegue explicar bem o porquê de dois diferentes Sonics coexistirem. Um grande monstro aparece dos céus e rapta os inimigos do protagonista. Sonic então acorda numa espécie de limbo, onde o vilão aprisionou seus companheiros, e toda vez que esse monstro aparece, o próprio causa uma distorção no espaço tempo, que faz com que o antigo sonic e seu fiel escudeiro Tails caiam no mesmo lugar que seu “eu” futuro. Para impedir que o monstro destrua todo o tempo, os sonics terão que correr mais rápido do que nunca, pois suas velocidades combinadas são capazes de frear a destruição temporal do monstro.

Acelerando ao som de uma boa música

A trilha sonora de Sonic Generations é um show a parte. Contando com “remixes” de fases clássicas, como Green Hill e Chemical plant até de jogos um pouco mais modernos, como a excelente “Escape from the city”, música do game Sonic Adventure 2. Além da qualidade das músicas, cada uma apresenta duas variações, uma para cada ouriço, sendo que a do mais moderno costuma ter músicas mais tendendo ao Rock, enquanto a do mais gordinho, a música eletrônica. Outro ponto interessante é que você pode mudar a música de cada fase. Gostou tanto do remix nostálgico da Green Hill zone e quer ouvi-la até o fim? Só selecioná-la ao começo de cada fase.

Quem que cansa de correr?

Sonic Generations é um game que mostra o esforço da SEGA em manter o jogador nele mesmo após a vitória da campanha principal. Além do desafio constante de melhorar seu tempo em cada fase, cada mundo conta com uma série de desafios, desde de corridas a vários minigames, que prendem o jogador após o encerramento do game.

Correr em cima de prédios é mais legal do que parece

O modo online, entretanto, não é capaz de prender tanto os jogadores. Contando com basicamente desafios de tempo, o modo só se mostra realmente divertido e envolvente caso o jogador possua vários amigos na Steam, que também possuem o game, afinal, nada melhor do que bater o tempo de seus amigos para se exibir depois.

Algumas derrapadas

Infelizmente, o game não é perfeito e conta com alguns defeitos. Apesar do visual bonito, muitas vezes o jogador sofrerá com uma queda nos frames por segundo (FPS), o que em jogos normais já incomoda, num jogo que tem como característica a velocidade, acaba por quebrar um pouco o clima.

Outra ponto que decepciona é a pequena quantidade de chefes. São apenas quatro. Isso mesmo, quatro. Embora seja possível jogar com alguns rivais do ouriço nos diferentes desafios, como Shadow ou Metal Sonic, esses não são capazes de suprir a falta de chefes, em um jogo que costumava ter um a cada final de fase. Outro ponto ruim, em especial para os mais nostálgicos, são as Chaos Emeralds. Ao invés das mirabolantes e difíceis fases que as tinham como recompensa, o jogador a recebe após derrotar cada chefe, o que dá a sensação de que elas foram dadas ao jogador.

Perfect Chaos, um dos poucos chefes do jogo

Uma senhora homenagem

Sonic é amado por muitos, e os vinte anos da sua franquia mereciam um jogo a altura desse carismático e icônico personagem. Ciente disso, a SEGA se empenhou em criar mais do que um game, mas sim, uma homenagem à série e a seus fãs, que com certeza sentiram um aperto no peito ao recordarem dos bons tempos com o ouriço azul.

Prós

•    Pura nostalgia;
•    Dois Sonics com seus respectivos, e ótimos, modos de jogo;
•    Trilha sonora variada e bem feita.

Contras

•    Poucos chefes;
•    Quedas de FPS.

Sonic Generations - PC - Nota final: 9.0
Visual: 9.0 | Som: 9.0 | Jogabilidade: 9.0 | Diversão: 9.5
Revisão: Alberto Canen

Escreve para o GameBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook