Jogamos

Análise: King Arthur: Legend of the Sword (Android/iOS) faz você treinar como um rei

Jogo de luta da Warner Bros. é um marketing divertido do filme Rei Arthur: A Lenda da Espada.

Atualmente é muito comum filmes serem adaptados para jogos eletrônicos e vice-versa. Porém alguns estúdios cinematográficos têm adotado uma crescente tendência de produzir games também como forma de divulgação de suas produções hollywoodianas, transformando o jogo eletrônico em produto de marketing. Característica da corrente cinematográfica high concept, iniciada na década de 1970, como E.T.: The Extra-Terrestrial (Atari), da própria Atari, lançado em 1982. Este é o caso do jogo de luta King Arthur: Legend of the Sword (Android/iOS), da Warner Bros., também disponível em VR para os óculos de realidade virtual Daydream.

Manejando a Excalibur

King Arthur: Legend of the Sword foi produzido como material promocional do filme de fantasia medieval Rei Arthur: A Lenda da Espada — cuja estreia no Brasil é 18 de maio —, portanto ele possui limitações narrativas que são inerentes a essa proposta de divulgar a nova obra cinematográfica britânica dirigida por Guy Ritchie e estrelada por Charlie Hunnam e Jude Law.


O jogo de luta da Warner Bros. lhe coloca no papel do Rei Arthur combatendo contra os soldados Blackleg do vilão Vortigern, enquanto o herói está sob treinamento de seu mentor, George. Os gráficos do jogo estão bonitos, mas nada que se aproxime de um fotorrealismo. A arte do game mescla o fator tridimensional com caixas de diálogo em 2D que trazem imagens dos atores reais do filme.

King Arthur: Legend of the Sword possui dois modos de jogo: modo história e o modo ranqueado, que na prática são quase os mesmos. O modo história é composto por seis missões com um enredo básico, almejando não revelar detalhes sobre a trama do filme. Por conta disso, a campanha se passa em uma das cenas do trailer de Rei Arthur: A Lenda da Espada, na qual Arthur participa de brigas de rua, contudo de forma um pouco mais aprofundada. Devido ao fato do modo história estar atrelado diretamente ao enredo de Rei Arthur: A Lenda da Espada, a campanha é muito curta e rápida de ser concluída.


No modo ranqueado, o jogador deve derrotar ondas de inimigos dentro do limite de tempo estipulado, sejam os guerreiros de Londínio ou os cavaleiros de Vortigern. Este modo de jogo possui uma vida útil mais longa por ser uma categoria competitiva, em que diversos jogadores disputam o primeiro lugar no placar de pontuação.

Tanto no modo história como no modo ranqueado, o objetivo é derrotar todos os inimigos usando sua espada, conseguindo experiência o suficiente para ativar a Excalibur. A principal diferença entre ambos os modos é que na campanha há cinemáticas da história e conversas entre os personagens, enquanto no modo ranqueado o jogador tem sua pontuação exposta em um placar de jogadores online.


Saúdem o rei

Por ser um jogo sem fins de se estabelecer como uma nova franquia no cenário de games, mas unicamente divulgar o filme Rei Arthur: A Lenda da Espada, o game de luta da Warner Bros. é gratuito e possui todas as melhorias de personagem possíveis de serem alcançadas através de pontuações e objetivos cumpridos, não fazendo uso da microtransação.

Apesar de ser um jogo para marketing de cinema, King Arthur: Legend of the Sword possui um bom nível de desafio e as lutas exigem movimentos precisos para golpear e recuar. Assim, os golpes comprados com as moedas do jogo também exigem determinados movimentos dos dedos na tela para serem executados com perfeição na hora de bloquear ou acertar um inimigo.


Propaganda bem-feita

King Arthur: Legend of the Sword é um jogo que diverte, entretém e aguça a curiosidade sobre o filme, acertando em seu objetivo final. Em toda a interface do game da Warner Bros. encontramos links para trailers de Rei Arthur: A Lenda da Espada, bem como mensagens que incentivam o jogador a conferir a produção no cinema. O melhor é que todo este marketing é disposto de forma inteligente e não atrapalha o gameplay, mas oferece uma opção de filme para ver no cinema.


Para aqueles que gostam de um jogo casual ou simplesmente são fãs da nova obra cinematográfica de Guy Ritchie, King Arthur: Legend of the Sword é um bom investimento de seu tempo.

Prós

  • Ausência de microtransações;
  • Jogabilidade divertida;
  • Não revela informações importantes sobre o enredo do filme;
  • Nível de desafio adequado;
  • Ótima forma de divulgação da obra cinematográfica;
  • Trailers do filme dispostos de forma acessível para serem assistidos.

Contras

  • Campanha muito curta;
  • Gráficos medianos.
King Arthur: Legend of the Sword — Android/iOS — Nota: 7.0
Versão usada para análise: Android
 Revisão: Vitor Tibério
Karen K. Kremer é mestre jedi em história pela UEPG e game designer pela Universidade Positivo. Viajante do tempo e cinéfila, considera Quantum Break uma obra-prima. Cresceu fazendo Meteoro de Pégasos e jogando videogame. Apaixonada por literatura, ilustração e dinossauros. Diz a lenda que com um bat-sinal no DeviantArt, Wattpad ou Twitter ela aparece.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook